Lucas Porto é condenado a 39 anos de prisão pela morte da publicitária Mariana Costa, sobrinha-neta de Sarney

Empresário era cunhado da vítima e foi condenado pelo júri popular pelos crimes de homicídio, com quatro qualificadoras, e estupro. Defesa informou que vai recorrer, mas juiz negou possibilidade de réu recorrer em liberdade.

O empresário Lucas Leite Ribeiro Porto, acusado de matar a publicitária Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, de 33 anos, sobrinha-neta do ex-presidente José Sarney, foi condenado na madrugada desta segunda-feira (5) a 39 anos de prisão em regime fechado. Em júri popular, a condenação foi a 30 anos de prisão por homicídio com quatro qualificadoras — feminicídio, asfixia, impossibilidade de defesa e ocultação de provas— e mais 9 anos de prisão por estupro.

A sobrinha-neta de Sarney foi encontrada morta em 2016 no apartamento onde morava, no bairro Turu, em São Luís. As investigações da Polícia Civil do Maranhão apontaram Lucas Porto, cunhado da vítima, como principal suspeito. Na época, ele confessou a autoria e afirmou que teria matado Mariana por causa de uma atração não correspondida que ele sentia por ela.

Após o anúncio da sentença, a defesa do empresário afirmou ao G1 que vai recorrer da decisão.

O julgamento durou seis dias. O juiz negou ao acusado o direito de recorrer da decisão em liberdade e considerou que o fato de Lucas Porto estar preso há quatro anos não é relevante para diminuir a pena.

Desde 2016, Lucas Porto permanecia preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, onde aguardava julgamento. Agora, com a condenação, ele será levado novamente ao presídio. (G1 MA).

CONTINUE LENDO AQUI.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VIANA