Ministério da Saúde suspende contrato de compra da vacina Covid-19 da Covaxin

Com a recomendação da Controladoria-Geral da União (CGU), o Ministério da Saúde suspendeu temporariamente o contrato de compra da vacina Covid-19 da Covaxin nesta terça-feira (29). A medida não afeta o ritmo da campanha de vacinação para enfrentamento da pandemia no país e segue práticas de compliance na gestão pública.

Mesmo sem um centavo sequer pago para a compra dos imunizantes, o ministério submeteu o contrato à CGU para análise mais aprofundada do termo. Na análise preliminar, o órgão de controle não encontrou qualquer irregularidade. No entanto, vai aprofundar a análise do termo nos próximos dias.

O contrato também foi avaliado pela Diretoria de Integridade do Ministério da Saúde, que fará uma apuração administrativa na Pasta. A unidade atuará em conjunto com a Controladoria na apuração dos termos do contrato.

Entre os motivos para a suspensão, está o fato de que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não autorizou o uso emergencial ou definitivo da vacina Covaxin. A agência aprovou, com restrições, apenas o pedido de importação excepcional das vacinas. Com isso, as vacinas chegariam a 1% da população.

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a medida não altera o cronograma de vacinação contra a Covid-19 no Brasil. Ele destaca que Pasta adotou uma política diversificada em relação à compra de vacinas.

“Todas as nossas ações resultaram em mais de 630 milhões de doses de vacinas que, neste momento, já fazem da campanha de vacinação contra a Covid-19 um caso de sucesso. Teremos a nossa população acima de 18 anos totalmente imunizada no mês de setembro”, afirmou.

O ministro da CGU, Wagner Rosário, explicou que a suspensão é uma medida preventiva. “Abrimos uma investigação preliminar semana passada, isto é, uma auditoria específica em relação ao contrato. O tempo de suspensão vai durar tão somente o prazo da apuração. Colocamos a equipe reforçada para ser bastante célere no processo”, disse.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VIANA