Viana: pobreza, polícia, tiros e cadáveres

Arquivo Google

Parecem cenas saídas de um filme de horror, mas são imagens reais da manhã deste domingo (24), por meio das redes sociais, na outrora pacata Cidade dos Lagos.

O aparato Policial de Viana protagonizou um espetáculo macabro com um desfile de cadáveres em viaturas oficiais, que percorreram ruas do bairro Matriz, até o hospital Dr. Antonio Hadad, visto que o município não possui IML.

Se por um lado as cenas provocaram alívio para parte da população, principalmente àquelas vitimas dos bandidos, por outro levantou questionamentos o Modus Operandi com que o Estado está tratando a onda de violência que tomou conta de todas as regiões do Maranhão.

Em um dos vídeos, uma suposta vitima narra que seu padrasto, mãe e funcionários foram covardemente torturados por cerca de cinco elementos drogados, dentro de uma fazenda localizada às margens do Lago de Viana.

Ainda segundo o relato, a Polícia chegou, foi recebida a tiros, revidou e, segundo informações, três bandidos tombaram sem vida.

Com a divulgação dos vídeos, pelas redes sociais, a população entrou em pânico e trancou suas casas com medo da bandidagem e da violência.

Corpos empilhados em viatura em Viana-MA

Na semana que passou, três oficiais da PMMA foram assassinados, dentre outros que sofreram atentados e revidaram, matando ou ferindo os criminosos.

Somente na sexta-feira e sábado (22 e 23) oito cadáveres deram entrada no Instituto Médico Legal, na UFMA, em São Luís, vitimas de armas de fogo. Um desses corpos era de um jovem vianense residente na capital.

Nessa onda de violência, Viana contribuiu somente neste domingo, com três cadáveres para essa triste estatística.

Em um programa de rádio na capital, na quinta-feira (21) o secretário de Segurança, Jefferson Portela, chancelou a ordem do Governo do Maranhão para o aparato policial do Estado: “atirar para matar”! E tome chacinas!

Viana, com população de quase 60 mil habitantes (segundo o último Censo do IBGE), todos os anos, entrega para o mercado de trabalho milhares de jovens, da sede e da Zona Rural. Nem é preciso um estudo antropológico para observar que, sem intervenção por meio de políticas públicas do governo, muitos desses jovens vão ficar sem empregos; virar mão de obra barata; viajar para cortar cana em lugares remotos ou, na pior das hipóteses, seguir a carreira criminal que tem somente dois caminhos: a cadeia ou o cemitério.

E, para relembrar as cenas de horror citadas acima, o Estado, ao que parece se decidiu pelo capítulo mais fácil, mais prático e tenebroso: A PENA DE MORTE!

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

2 thoughts to “Viana: pobreza, polícia, tiros e cadáveres”

  1. 👏👏👏 Muito bem posto
    o artigo, porém eu vos pergunto? E as familias de bem acuadas em suas residências por esses bandidos? Com quais adjetivos vamos claassificar? Situação não menos macabra é, a de pessoas em seus lares aterrorizados por essa corja de bandidos. Temos que ter atitudes urgentes ou o caos será instalado em Viana, estudos antropológicos de politicas publicas do governo, são necessarios sim, infelizmente tem resultado a longo prazo, não vamos nos enganar, urgência de decisões duras são necessárias. Viva a polícia! Viva!

    1. Grato pela participação. O caos já está instalado em Viana. É só percorrer a periferia e até a Zona Rural. Infelizmente, as sucessivas crises econômicas, culminando com a pandemia colocaram milhares de pessoas no desespero e muitos foram para a criminalidade, o que não justifica. Quanto à bandidagem, que paguem pelos seus crimes. O artigo faz apenas um comparativo sobre o que outrora era nossa cidade, tranquila e pacata. E agora convivemos com o terror da violência e insegurança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VIANA