Delegado, coronel e investigadores presos são flagrados com arma e celulares dentro de celas no Maranhão

Operação foi realizada na Decop e no Comando Geral da Polícia Militar, ambos em São Luís, onde policias estão presos por ocorrências diversas.

Por G1 Maranhão, São Luís, MA

A Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA) divulgou na manhã desta terça-feira (20) o resultado de uma revista feita em celas do presídio para policiais na Delegacia Especial da Cidade Operária (Decop) e do Comando Geral da Polícia Militar. O saldo foi celulares, notebook e até pistolas apreendedidas com policiais presos.

O delegado Tiago Bardal, que está preso na Decop por suspeita de integrar uma quadrilha maranhense de contrabando internacional, estava com um celular e um caderno de anotações, segundo o secretário de Segurança, Jefferson Portella.

“O delegado Armando Pacheco (Superintendente de Polícia Civil da Capital) está coordenando a operação na Decop e ouve o delegado Bardal lá mesmo. Ainda estamos apurando tudo”, disse o secretário ao ser questionado do conteúdo encontrado nas anotações e celular de Bardal.

Ainda na Decop, a revista flagrou o investigador preso identificado como Edmundo com uma pistola dentro de uma das celas.

Outro problema identificado foi quanto a um investigador que nem estava no presídio.

“Um investigador conhecido no meio policial como Joelson ‘Boca de Farofa’ nem estava na Decop quando chegamos”, disse o secretário.

Os investigadores respondem por outros crimes. Destes na Decop apenas Bardal tem relação, segundo a SSP, com a quadrilha de contrabando que está sendo investigada.

Um notebook e um pen drive também foram apreendidos em uma das celas da Decop.

No Comando Geral da Polícia Militar, no bairro do Calhau, a operação seguiu de forma simultânea e o coronel Francalanci foi flagrado com um celular dentro de uma cela. O coronel está preso por ter relação com a quadrilha de contrabandistas, segundo a secretaria.

Francalanci foi levado do Comandao Geral para a Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor), no Renascença para ser ouvido após o flagrante desta manhã.

Após todos serem ouvidos e a operação concluída, a SSP deve se manifestar com mais detalhes sobre a responsabilização de todos os envolvidos.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VIANA