Covid-19: MA prorroga decreto e suspende atividades de bares e restaurantes em São Luís

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou, na manhã desta sexta-feira (12), novas medidas para conter o avanço da Covid-19 no Maranhão, que incluem a suspensão de atividades em bares e restaurantes em São Luís. As medidas valem até o próximo domingo (21). Nessa quinta-feira (11), a capital atingiu ocupação de 97,25% dos leitos de UTI para pacientes com coronavírus.

Governador anunciou nesta sexta-feira (12) que medidas restritivas que encerrariam no dia 15 de março vão se estender até o dia 21.

Durante a entrevista, o governador informou que o antigo decreto será prorrogado até o dia 21 de março e que serão suspensos atividades de bares e restaurantes entre segunda-feira (15) e domingo (21) na ilha de São Luís. Além disto, a ocupação de limite máximo para as igrejas da capital serão de 30%.

“Nós precisamos de um prazo para que os estabelecimentos se adaptem, por isso estamos dando três dias de adaptação. Bares e restaurantes são lugares propícios para que as pessoas não usem máscara’’, disse.

Dino divulgou, ainda, a criação de dois auxílios emergenciais estaduais. O primeiro é para o setor cultural de São Luís no valor de R$ 600, o critério é ter participado da Lei Aldir Blanc, com parcela única creditada até o dia 19 de março, mediante cadastro na SECMA. Já o segundo auxílio será destinado para donos de bares e restaurantes com valor de R$1 mil, também com parcela única creditada na sexta-feira (19).

Aquisição de vacinas

De acordo com o governador, foi realizada uma reunião com todos os nove governadores do nordeste para a aquisição da vacina Sputinik, da Rússia.

“Conseguimos chegar aos termos do contrato com uma empresa russa, mas resolvemos que vamos seguir a lei, na qual diz que a prioridade no Brasil é para aquisições do governo federal, por conta das atribuições do Ministério da Saúde’’, contou.

Ainda segundo Dino, o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, possui interesse para a compra de doses da vacina Sputinik e está prevista para esta sexta a assinatura do contrato. “O que seria aquisições diretas dos governadores do Nordeste, se transformarão em aquisições do Ministério da Saúde para o programa nacional de imunização”

Falta de oxigênio no Hospital de Bacabal

Flávio dino confirmou, ainda, a falta de oxigênio no Hospital Municipal de Bacabal e que, por isso, os pacientes tiveram que ser transferidos para o Hospital Laura Vasconcelos, em Bacabal, e para o Hospital Regional Rubens Jorge, em Lago da Pedra.

“Sabemos que no atual momento da crise sanitária no Maranhão, a maior demanda está sendo para o sistema estadual de Saúde. É para lá que se destinam, todo os dias, ambulâncias, vindas dos municípios”, disse.

Coronavírus no Maranhão

O Maranhão registrou nesta quinta-feira (11) 838 novos casos e 34 mortes por Covid-19, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Ao todo, o estado já teve 226.172 casos confirmados e 5.413 óbitos pela doença.

Dos casos registrados, 100 foram na Grande Ilha (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa), 87 em Imperatriz e 651 nos demais municípios do estado.

Os casos ativos, ou seja, pessoas que estão atualmente em tratamento contra a Covid-19, chegaram a 11.692. Desses, 10.342 estão em isolamento social, 863 internados em enfermarias e 487 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). (Por G1 MA — São Luís)

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VIANA