Cepa Indiana da Covid-19 chega ao Brasil a bordo de graneleiro

O caso do navio cargueiro fundeado nas costas do Maranhão ganhou gravidade nas últimas horas com a informação de que os cidadãos indianos diagnosticados com covid-19 são portadores da cepa identificada pela primeira vez na Índia (B.1.617.2) e que ainda não havia chegado ao território brasileiro.

A embarcação não aportou em São Luís e se encontra a 35 quilômetros de distância da capital maranhense, numa área reservada para fundeio. Todos os contatos com a tripulação, bem como o transporte de doentes entre o navio e um hospital particular de São Luís, estão sendo feitos por intermédio de helicópteros.

O Shandong Da Zhi (nome do graneleiro de transporte de minério) tem uma tripulação de 24 marujos, em sua maioria indianos, nacionalidade de todos os que foram diagnosticados com a moléstia. Originalmente, um dos tripulantes foi internado há uma semana em um hospital de São Luís. No domingo, dois outros marujos foram hospitalizados, mas já receberam alta e foram levados de volta ao Shandong Da Zhi, onde cumprem quarentena em cabines individuais e com acompanhamento de profissionais de saúde do Maranhão.

A identificação da nova variante foi feita através de sequenciamento genômico das amostras colhidas em exames PCR realizados pela Secretaria de Saúde do Maranhão e enviadas ao Instituto Evandro Chagas, de Belém do Pará, que confirmou a presença da nova cepa do vírus. A informação foi dada hoje, 20, pela manhã, através do secretário de Saúde do Maranhão e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, Carlos Lula.

A situação dos tripulantes, hoje, é a seguinte: um hospitalizado em São Luís, com quadro estável; 14 diagnosticados com a doença embarcados no Shandong Da Zhi, dos quais dois com sintomas leves e 12 assintomáticos; e outros nove que testaram negativo para a doença, mas que também estão em quarentena, ocupando cabines individuais.

O Ministério da Saúde foi comunicado da evolução da situação e deve enviar uma equipe ao Maranhão.  Segundo o secretário Carlos Lula, cerca de 100 pessoas tiveram algum contato com os tripulantes do cargueiro e estão passando por exames PCR, estão sendo monitorados e, caso seja necessário, entrarão em confinamento.

 No início da tarde de hoje, o governador Flávio Dino postou nota em seu Twitter, afirmando que o navio não atracou no porto da Vale, mas informou que os trabalhadores portuários estão sendo vacinados contra a covid-19. (Via Blog Assim que é)

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VIANA