Ex-doméstica, maranhense é classificada na primeira fase do ‘The Voice +’

Yeda Maranhão também é sambista do Salgueiro teve voz comparada à de Alcione nas redes sociais.

Ex-doméstica, maranhense é classificada na primeira fase do ‘The Voice +’ — Foto: Reprodução/TV Globo

Yeda Maranhão é o nome da maranhense de 76 anos que participou da primeira audição às cegas do “The Voice +”, novo reality show da TV Globo. A cantora escolheu a música “Nem Morta”, interpretada originalmente por Alcione, onde três cadeiras viraram para a artista.

A maranhense revelou que teve uma infância difícil, que onde morava nem tinha luz elétrica: “Tive meus filhos e o pai deles me abandonou, então fui para o Rio de Janeiro trabalhar em casa de família e ajudar minha mãe que ficou com eles lá. Encontrei uma grande patroa, Dona Beatriz, que me ensinou tudo e que me levou em um lugar para me apresentar. Ali, foi me dando mais vontade de cantar.”

Yeda, que estava usando um look confeccionado por ela própria, escolheu escolheu o Time Mumuzinho para disputar as próximas fases do reality show.

Quando trabalhava como doméstica, a artista lavava roupa cantando e foi aí que a patroa viu seu talento. Ela também já foi cabeleireira, manicure e costureira. Hoje, integra a ala de compositores do Salgueiro e já foi até indicada ao Grammy Latino.

“Comecei a andar em escolas de samba e fiz um samba para o Salgueiro, o presidente gostou e disse que dali para frente eu seria batizada na ala de compositores, como sou até hoje. Fiz parte do grupo musical da Velha Guarda. Em 2004, fomos indicados ao Grammy Latino. Sou uma cantora do povo”, vibrou Yeda, aplaudida pelos técnicos.

Após sua apresentação, a maranhense ainda recebeu elogios da jurada Claudia Leitte. “Sua história é inspiradora, seu vestido é lindo”, comentou.

Yeda Maranhão é participante da 1ª temporada do ‘The Voice +’ — Foto: Divulgação/TV Globo

(G1-MA)

Exibição de programas com alusão ou crítica a candidatos em rádio e tv está proibida até 29 de novembro

A partir desta quinta-feira (17) até o dia 29 de novembro, emissoras de rádio e televisão deverão observar uma série de restrições ao conteúdo que transmitem sobre candidatos, partidos políticos e coligações ou que revele a posição política de eleitores. As restrições estão previstas na Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997) e fazem parte do calendário eleitoral 2020. O não cumprimento das regras pode acarretar a cassação do registro da candidatura, ou do diploma de eleito, por uso indevido dos meios de comunicação.

Durante a vigência do período eleitoral, as emissoras estão livres para organizar debates políticos ou citar candidatos, partidos ou coligações em programas jornalísticos. Mas a exibição de qualquer conteúdo que os mencione ou favoreça – como peças de propaganda política ou novelas, filmes e séries, por exemplo – não é permitida.

Os programas de rádio ou TV que tenham o nome de um candidato ou façam menção a ele não poderão mais ser transmitidos até depois do segundo turno das eleições. Os próprios candidatos que atuavam como apresentadores já estão afastados dos programas desde o dia 11 de agosto.

Por fim, até a data do segundo turno de votação, as emissoras de rádio e televisão não podem mais exibir imagens de realização de pesquisa ou consulta eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado, ou que haja algum tipo de manipulação de dados. (Via Blog do Jorge Vieira)

Jornalista da Mirante é diagnosticado com novo coronavírus

O jornalista Roberto Fernandes, apresentador da Rádio Mirante AM e TV Mirante, testou positivo no exame de contraprova para o novo coronavírus. Antes, o exame havia dado negativo.

Roberto Fernandes segue internado em um hospital de São Luís desde o última segunda-feira (23), quando deu entrada com quadro de pneumonia.

Roberto Fernandes é apresentador do programa Ponto Final, na Rádio Mirante AM e apresentador de política, no Bom Dia Mirante, na TV Mirante.

(Reportagem/Foto: Zeca Soares).

Foliões lançam bloco “Quem deu, deu. Quem não deu, não Damares”

Eles resolveram ‘homenagear’ ministra, em Belo Horizonte, após ela lançar campanha em prol da abstinência sexual

Alguns foliões estão enxergando o Carnaval de 2020 com preocupação. A razão é que a famigerada campanha em prol da abstinência sexual proposta pela ministra Damares Alves será lançada justamente em fevereiro, mês da folia momesca – onde a tradição conta que é uma época em que as pessoas ficam mais interessadas em se envolver com o corpo alheio.

Enxergando a possibilidade deste ano representar a saideira, os foliões de Belo Horizonte resolveram criar o bloco “Quem deu, deu. Quem não deu, não Damares” para aqueles que pretendem curtir um último carnaval da maneira devida.

A atração está marcada para o dia 22 de fevereiro, das 22h às 5h. Um evento no Facebook já foi criado e, no momento do fechamento desta matéria, já contava com 29 presenças confirmadas, além de 31 interessados.

Ainda pegando gancho no trocadilho envolvendo o nome da ministra bolsonarista, o jornalista José Simão criou uma marchinha, que é forte candidata a ser a trilha sonora quem irá embalar o bloco de Belo Horizonte.

“Marchinha da Damares! Sofrência Sexual! Quem deu, deu; Quem não deu; Não damares”, são os versos lançados pelo jornalista.

Memes

Alguns internautas demonstraram empolgação com o bloco e pediram até que ele migre para mais cidades. Já outros preferiram especular sobre como seria o Carnaval de Damares.

Via Blog Correio.

Bloco da Imprensa promove última concentração de 2020

A folia será encerrada com o grande baile de carnaval do interprete Mano Borges.

Está chegando a hora da última concentração do Bloco da Imprensa, neste sábado, dia 08 de fevereiro,  onde os profissionais da comunicação e convidados terão a oportunidade de cair na gandaia no embalo das seguintes atrações: Bloco Afro Akomabu, Show de Gerude, Bloco Tradicional Os Foliões, Bateria Fabulosa da Flor do Samba e participação especial  de Adriane Bom Bom, fazendo performance de  Carmen Miranda ,Grupo Vamu di Samba e o grande baile de carnaval a céu aberto com Mano Borges.

Como sempre, a folia tem início por volta das 17h e segue até as 23h, no mesmo local, em frente ao Bar do Porto, Praça dos Catraieiros, Praia Grande no Centro Histórico de São Luís. Em um ambiente muito seguro, onde os foliões brincam pra valer.

O Bloco da Imprensa 2020 é pauta obrigatória para os profissionais de comunicação e foliões maranhenses. Com apoio do Governo do Maranhão/Secma, o bloco antecipa há 23 anos o carnaval dos jornalistas, radialistas, técnicos e colaboradores que trabalharão nos dias oficiais da folia. A programação começará às 17h, no palco instalado na Praça dos Catraieiros, na Praia Grande, em São Luís/MA.

Nesse ano, o bloco celebra os 50 anos do curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Maranhão. Com o tema ‘Jubileu de Ouro: Diploma Sim!’, os trabalhadores da imprensa defendem a luta nacional da FENAJ pela obrigatoriedade da formação universitária para o exercício do jornalismo profissional.

O Bloco da Imprensa é uma continuidade de um trabalho iniciado na década de 80 pelo publicitário Ray Santos (in memorian), que realizava o Baile da Imprensa, na sede do antigo Casino Maranhense.

Em 1997, os amigos jornalistas Francília Cutrim, Selma Figueiredo, Flora Dolores, Rosário Costa, Margareth Margô, Paulo Washington, Felix Alberto, entre outros, criaram o ‘Bloco do Imprensa’, que reunia-se aos sábados do pré-carnaval em áreas do circuito do carnaval de rua do Centro histórico e Litorânea.

Desde 2009, o agora ‘Bloco da Imprensa’, sob a direção dos comunicadores Joel Jacintho e Célio Sérgio, realiza a folia da imprensa na Praça dos Catraieiros, em frente ao Bar do Porto. 

Confira a programação:

17h – Bloco Afro Akomabu

18h – Show de Gerude

19h – Bloco Tradicional Os Foliões

20h – Bateria ‘Fabulosa” da Flor do Samba  (com participação de Adriane Bom Bom, fazendo performance de  Carmen Miranda )

21h – Grupo Vamu di Samba

22h – Baile Carnavalesco de Mano Borges.

Bloco da Imprensa abre a folia de momo no dia 18; na Praia Grande

O Bloco da Imprensa que desde 1997 reúne os profissionais de jornais, TVs, rádios e outros veículos de comunicação. A festa começa a partir das 17h, no Bar do Porto. A tradicional festa dos comunicadores este ano homenageará o curso de jornalismo da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Arquivo

O jornalista Joel Jacintho, um dos organizadores, explicou o porquê da escolha do tema. “Para 2020, pensamos no tema “Os 50 anos do Curso de Jornalismo da UFMA” para destacar a importância da formação acadêmica e ao mesmo tempo, homenagear aquela instituição de ensino que formou e forma tantos profissionais”.

O Bloco da Imprensa terá concentração nos dias 18 e 25 de janeiro e 1º e 15 de fevereiro, sempre às 17h no Bar do Porto, na Praia Grande.

A programação das atrações será divulgada aos poucos, durante as semanas. (Via Alfagulha)

Regras eleitorais para 2020

Por Flávio Braga*

A eleição municipal de 2020 será realizada no dia 4 de outubro. O prazo final de filiação e domicilio eleitoral para quem pretende ser candidato é de 6 meses antes do pleito. Havendo coexistência de filiações partidárias a partidos diferentes, prevalecerá a mais recente, devendo a Justiça Eleitoral determinar o cancelamento das demais.

O prazo atual de validade das comissões provisórias é de até 8 anos. As convenções para escolha de candidatos devem ser promovidas entre 20 de julho a 5 de agosto. Os pedidos de registro de candidatura devem ser protocolizados até às 19h do dia 15 de agosto. A campanha eleitoral em geral só pode ser realizada a partir do 16 de agosto (45 dias). E a campanha de rádio e TV será veiculada durante 35 dias apenas.

Cada partido poderá registrar candidatos para a Câmara Municipal no total de até 150% do número de lugares a preencher. A regra do quociente eleitoral não sofreu modificação legislativa. Somente podem ser eleitos os candidatos que obtiverem votação igual ou superior a 10% do quociente eleitoral. Dessa forma, candidatos com votação irrisória não poderão mais ocupar cadeiras no Poder Legislativo.

Uma novidade já aplicada no pleito de 2018 é que as vagas não preenchidas com a aplicação do quociente partidário e a exigência de votação nominal mínima (10%), serão distribuídas entre todos os partidos políticos que participarem do pleito, independentemente de terem ou não atingido o quociente eleitoral.

O limite de gastos de campanha por cargo disputado será o mesmo valor da eleição de 2016 acrescido da inflação (IPCA) do período de 2016 a 2019. Até a eleição de 2018, os candidatos tinham autorização para financiar 100% da própria campanha, promovendo desequilíbrio econômico entre os diversos postulantes.

No tocante ao autofinanciamento de campanha eleitoral em 2020, o candidato poderá usar até 10% do limite de gastos de campanha estabelecido para o cargo em que concorrer.

A partir de 2020 estão vedadas as coligações proporcionais (vereadores). Essa novidade veicula o princípio de que “time que não joga não cria torcida”. Na prática, essa inovação constitucional vai trazer um fortalecimento do regime democrático. É que o eleitor vai poder conhecer o perfil ideológico do candidato a ser escolhido.

Teremos mais transparência para votar sem aquela distorção de votar-se em um candidato do partido A e eleger um candidato do partido B em virtude das coligações proporcionais.

*Pós-Graduado em Direito Eleitoral, Professor da Escola Judiciária Eleitoral e Analista Judiciário do TRE/MA.