Codevasf, Fórum da Baixada e Assopema discutem estatuto sobre a implantação de Diques da Baixada Maranhense

BAIXADA – Nesta terça-feira (22) representantes do Fórum em Defesa da Baixada (FDBM), da associação de Pescadores e Pescadoras, Piscicultores, Aquicultores e Agricultura Familiar do Município de Matinha (ASSIPEMA) e da Superintendência da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), se reuniram para tratar de assuntos ligados aos Diques da Baixada Maranhense.

Reunião na Codevasf em São Luís (Divulgação)

A reunião aconteceu na sede da Codevasf, em São luís, e reuniu a presidente da ASSOPEMA, Olidina Priscila Silva, o predidade Expedito Moraes e o vice-presidente Antonio valente, FBDM, e o superintendente regional da Codevasf no Maranhão, Celso Dias. O vice-prefeito de Matinha, Narlon Silva, também esteve presente na reunião.

O projeto Diques da Baixada Maranhense é um sistema composto por dois diques com extensão conjunta de cerca de 70, 45 quilômetros, a ser implantado na região da Baixada Maranhense. Ele deve ser capaz de acumular 600 milhões de metros cúbicos de pode beneficiar 193 mil pessoas em 8 municípios.

Desde 2017, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) está em processo de contratação de cerca de R$ 7,4 milhões em serviços relacionados aos projetos.

Reunião na Codevasf em São Luís (Divulgação)

A elaboração do Estudo de Impacto Ambiental do projeto, e de seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental, foi estimada em R$ 6,3 milhões; os serviços de levantamento cartográfico, por sua vez, foram estimados em R$ 3,6 milhões. Os recursos são Orçamento Geral da união, destinados à Codevasf por emenda parlamentar.

Segundo o superintendente regional da Codevasf, Celso Dias, em breve uma audiência pública vai ampliar as discussões sobre os investimentos na região.

Segundo a Codevasf, o projeto traz muitos benefícios como a proteção das áreas mais baixas contra a entrada de água salgada em região de água doce; contenção e armazenamento de água no período de da estação chuvosa nos campos naturais; aumento da disponibilidade de água no período de estiagem; desenvolvimento do setor primário; criação de de 3.000 postos de trabalho; redução do êxodo rural; incremente da produção agropecuária e da pisicultura; e promoção da cidadania e inclusão social. (Via Portal Matraca).

admin

Jornalista (MTB - 918). Pós-Graduado em Design Gráfico pela UFMA – Universidade Federal do Maranhão. Publicitário e Designer Gráfico. Membro da Academia Vianense de Letras (AVL) - Cadeira nº 20 - Patrono: Bispo Dom Hélio Campos. Edita o Blog Vianensidades desde 2007. CONTATOS: Email: [email protected] | Whatsap: 98 98461 2929

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.