500 casas ficaram rachadas em Belágua, local onde iniciou o terremoto no Maranhão

 

A Prefeitura de Belágua  constatou que o estrago foi bem maior até agora em povoados e em algumas ruas do centro da cidade onde o abalo sísmico foi maior no Maranhão. São quase 500 casas de tijolos de adobe rachadas e algumas bastante separadas como mostra a primeira foto recebida com exclusividade pelo Blog do Luis Cardoso.

Na fotos abaixo, o prefeito Herlon Costa acompanha in loco os prejuízos em casas nos povoados, como os de Buritizinho, Mocambo e Juçaral.

Na rua principal do centro da cidade, uma casa quase veio ao chão porque ficou com o piso afundado e teve as paredes com rachaduras.

Em Urbano Santos, cidade bem próxima de Belágua, uma parede do centro administrativo cedeu e veio ao chão.

Via Blog do Luis Cardoso

Alerta! A terra pode voltar a tremer nas próximas horas no Maranhão

O professor de geografia física da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Luis Jorge Dias, fez um alerta sobre futuros tremores de terra no Maranhão, em Vargem Grande e cidades vizinhas.

Na manhã desta terça-feira (03), o Estado foi surpreendido por um forte abalo sísmico de 4,6 graus na escala Richter. O epicentro do terremoto foi registrado em Belágua.

Segundo o professor, o que aconteceu em São Luís foi um tremor de acomodação, ou seja, as rochas estão saturadas do peso que elas suportam do solo para baixo. E isso é muito comum em áreas sedimentadas, como é no Maranhão.

Luis Jorge afirmou, ainda, que a maior parte da zona costeira maranhense tem falhas geológicas, por isso os abalos foram sentidos pelos moradores.

O professor de geografia física alertou, também, que poderá ter novos abalos secundários em decorrência do abaixamento da superfície. Isso deverá acontecer nos próximos dias. “Nós temos que ficar em alerta. É bom e interessante, inclusive, que as autoridades competentes, a exemplo do CREA, Defesa Civil, comecem a observar o que está acontecendo em determinados prédios, sobretudo em construção para ver se não comprometeu a questão mesmo das vigas, pilastras, de toda a sua estrutura, e aqueles que já estejam construídos, é interessante verificar o que foi afetado.”, destacou Luis Jorge. (Via Blog do Kiel Martins)