Prefeitura de Viana recebeu mais de 81 Milhões e a Saúde agoniza. Como assim?

O sistema de saúde de Viana, a exemplo dos outros setores da administração pública, enfrenta hoje uma das piores crises da história do município. A população nunca passou por tanta dificuldade para receber atendimento em uma unidade pública, o que costuma trazer como consequência mínima sofrimento e dor e até óbito, nos casos mais extremos.

A falta de médicos nas mais variadas especialidades já virou rotina na cidade. Não foi à toa que o áudio do diretor do hospital municipal, Magno Cutrim, pedindo aos vereadores que se comovessem, se sensibilizassem com a situação da principal casa de saúde vianense, provocou tanta revolta na população. O ex-diretor (que não suportou a situação e entregou o cargo) denunciou na época que havia mais de 300 pessoas precisando se submeter a cirurgias, mas que não havia sequer materiais hospitalares para a realização dos procedimentos.

Nos povoados, a situação é ainda mais grave. Os únicos vereadores a denunciarem o estado de calamidade pública, Luzardo Segundo e João de Marcos, mostram que em muitos deles, como Ricoa, não há sequer água ou energia elétrica para os postos de saúde funcionarem. No Mutirão, os aparelhos para tratamento bucal, estão sem uso, desde a gestão passada, enferrujando a cada dia.

Mas enquanto o povo de Viana sofre diariamente humilhação pela falta de atendimento de saúde, os cofres da Prefeitura ostentam enorme saúde financeira. Basta buscar o Portal da Transparência do governo Flávio Dino para descobrir que, somente de recursos transferidos pelo Estado, o município administrado por Magrado Barros já recebeu 81 milhões, 584 mil, 70 reais e 58 centavos.

Dados disponíveis e acessíveis a qualquer cidadão no Portal da Transparência do Governo do Estado: prova de que o problema em Viana não é falta de recurso público

São mais de 81 milhões de reais apenas no ano de 2019. Isso sem mencionar os recursos que são repassados diretamente do governo federal para as contas municipais, de outros programas de saúde. Uma quantia exorbitante para uma população estimada de pouco mais de 52 mil habitantes, menor do que um bairro da capital como a Cidade Operária, em São Luís.

Indignado, o cidadão vianense pergunta: com 81 milhões de reais e meio recebidos, em apenas quatros meses não é possível colocar em funcionamento o mínimo possível de serviços públicos de saúde? O problema é de gestão? Onde foram parar esses milhões? Com a palavra o Ministério Publico do Estado.

O blog tentou ouvir as explicações da secretária municipal de saúde, Gesiane Cutrim Sousa (foto ao lado do prefeito), mas ela não foi encontrada.

VERGONHA! CÂMARA MUNICIPAL NÃO ATUALIZA INFORMAÇÕES DESDE FEVEREIRO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *