Após ataques em SLZ, 431 detentos passarão Dia das Crianças nas ruas

saida

Após uma onda de ataques criminosos que amedrontou toda a Região Metropolitana de São Luís, os ludovicenses têm mais um motivo para se preocupar: na próxima quarta-feira (12), a partir das 10h, 431 detentos dos diversos estabelecimentos prisionais de São Luís deixam a prisão para usufruir da Saída Temporária do Dia das Crianças.

A autorização foi assinada pela juíza Ana Maria Almeida Vieira, titular da 1ª Vara de Execuções Penais (VEP), segundo informação da Corregedoria-Geral de Justiça do Maranhão (CGJ-MA).

De acordo com o documento (Portaria 034/2016), o retorno dos beneficiados deve se dar até as 18h do próximo dia 18.

Ao ser contemplado com o benefício, o apenado assina um termo de compromisso onde constam as exigências a serem cumpridas durante o período da saída, entre as quais as de não frequentar bares, casas noturnas e similares,  recolher-se à residência até as 20h e não portar armas. Os apenados beneficiados também não podem sair do Estado. (Blog do Gilberto Leda)

Agora lascou: Facebook será bloqueado por 24 horas em todo o país

Por ter se recusado a tirar do ar um falso perfil que “trolava” um candidato à prefeitura de Joinville, Santa Catarina, o Facebook foi penalizado a ficar fora do ar por 24h em todo o Brasil.

Facebook-bloqueado

A decisão do juiz eleitoral de Santa Catarina, Renato Roberge, que atendeu ao pedido do candidato a prefeito Udo Dohler (PMDB). Foi exigido ainda o IP do perfil “Hugo Caduco” por molestar o pretendente à prefeitura de Joinville.

O juiz  diz na sentença que “não há dúvida alguma de que o perfil tratado nestes autos está à margem da legislação eleitoral vigente, pois claramente criado para o fim de infirmar o candidato representante”. A  Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) já foi notificada para que  cumpra a decisão. (Luis Cardoso)

Governo lança Agritec em Viana para o fortalecimento da agricultura familiar no território Campos e Lagos

Para fortalecer a agricultura familiar maranhense, o Governo do Estado tem investido nas Feiras da Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritec). Nesta sexta-feira (7), foi lançada a oitava edição da Feira, que será realizada no município de Viana, no território Campos e Lagos, ainda este mês. A Agritec do Território Campos e Lagos será realizada entre os dias 27 a 29 de outubro no município de Viana. O anúncio formal foi feito pelo presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), Júlio César Mendonça. “É um marco histórico para a região devido ao abandono a que foi imposta por várias décadas.

Agricultores acompanharam o lançamento da Agritec no território Campos e Lagos. Foto: DIvulgação

A Agritec vem resgatar a agricultura familiar da Baixada e colocar em pauta a agricultura em vários aspectos, ambientais, sociais e de políticas econômicas”, ressaltou o presidente da Agerp. O território Campos e Lagos está situado na região da Baixada Maranhense e compreende 12 municípios. Devido aos elevados indicadores de precariedade, a realização de uma Agritec no território demonstra a preocupação do Governo do Estado em reverter o quadro de abandono que a região sofreu ao longo de décadas, principalmente em relação a agricultura familiar. Diferente de outras feiras agropecuárias, a Agritec é direcionada para que o pequeno e médio agricultor familiar tenha acesso aos mais diversos conhecimentos relacionados à produção agrícola.

A Agritec dispõe de espaços tecnológicos com demonstração de pequenas alternativas de cultivo viáveis para o produtor, oficinas, palestras, cursos, comercialização de produtos cultivados por agricultores dos municípios da região, dentre outros atrativos. Sobre as capacitações, o secretário de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares, ressaltou que têm alcançado elevado número de interesse e participação do agricultor familiar que busca se aprimorar e pôr em prática o conhecimento no cotidiano de sua produção rural.

Ao todo, foram capacitados até o momento, desde a primeira Agritec em 2015, mais de 9 mil agricultores familiares envolvendo os territórios da Baixada Maranhense, Cocais, Cerrado Amazônico, Vale do Mearim, Médio Sertão, Alto Turi/Gurupi, e agora Campos e Lagos. O próximo território a ser beneficiado é o Baixo Parnaíba.“A Feira é uma ferramenta que o Governo do Estado criou que permite reunir todos os agricultores e oferecer cursos e capacitações que causam uma mudança de pensamento. A Agritec vem a ser aquilo que faltava para o Maranhão”, enfatizou o secretário da Agricultura Familiar, Adelmo Soares.

Para a coordenadora da Rede de Colegiados Territoriais, Zulmira Mendonça, a Agritec é ímpar e impacta de forma positiva na vida da região. “O governador Flávio Dino está mostrando compromisso com o agricultor e está investindo para dar dignidade às famílias que tiram da terra seu sustento”, pontuou Zulmira Mendonça.

Folha de SJB

As urnas e a verdade

Abdon Marinho é advogado.

 ENCERRADAS as eleições – ao menos o primeiro turno – não há como deixar de constatar alguns fatos. Alguém já disse que nas guerras a primeira vítima é a verdade. Talvez, por considerarem o processo eleitoral uma guerra e não uma manifestação legítima dos cidadãos, fizeram da verdade uma vítima que só aparece agora, quando o resultado das urnas não pode mais ser oculto de ninguém.

Um amigo me questionava sobre a “surpresa” que teria sido o resultado em determinado município onde alguém, supostamente em terceiro lugar, passou os dois que estavam à sua frente e sagrou-se vencedor. Não apenas este, mas diversos outros casos surgiram com a verdade das urnas.

Antes e agora, quando me perguntam sobre o que acho do que aconteceu ou qual será o resultado de determinado pleito, digo não saber; ou, que não tenho parâmetros para aferir sobre o resultado ou o que as as urnas revelarão adiante.

A constatação que faço tem a ver com o papel da imprensa, sobretudo da mídia digital, na forma como difundem as notícias.

Ora, para começo de conversa a grande maioria dos “jornalistas” não agem como tal. Durante as campanhas, movidos por interesses próprios, se ocupam do papel de assessores de imprensa deste ou daquele candidato recebendo por tal papel, de imediato ou esperando que o resultado das urnas favoreçam seus candidatos e aufiram as vantagens futuras.

Claro que nada temos contra os assessores de impressa dos candidatos, pelo contrário, são necessários e úteis. Trata-se de uma atividade nobre. Entretanto, os leitores/eleitores precisam saber que aquela notícia a qual o jornalista emprestou credibilidade não passa de uma matéria encomendada ou encaminhado por algum candidato.

Por dever de honestidade – poucos possuem ou sabem o que seja isso – deveriam comunicar aos leitores que os textos produzidos durante o período eleitoral refletem o posicionamento do autor sobre os candidatos.

Quantas vezes não vimos sites de notícias, blogues, e até jornais de renome, inflando, claramente, determinadas candidaturas de prefeitos e até mesmo de alguns vereadores? Quantas vezes não vimos matérias claramente pagas sobre determinados candidatos ou propaganda negativa de outros?

Aqui não se critica o direito do cidadão – seja jornalista ou não – de defender este ou aquele candidato, de possuir uma linha ideológica. Esse é um direito constitucional assegurado. A legislação eleitoral deixa claro este direito.

O que questionamos é a clara e deslavada tentativa de manipulação dos eleitores para influenciar o resultado das urnas.

Ainda durante o primeiro turno da eleição tomei conhecimento de uma denúncia gravíssima para democracia: noticiou-se que o governo estadual estaria orientando jornalistas, blogueiros e assemelhados a desenvolverem uma pauta de ataques a determinados candidatos. A notícia nunca foi – pelo menos não tomei conhecimento – desmentida formalmente. Se, de fato a tal reunião de unificação de pauta para “desconstruirem” determinados candidatos ocorreu, estamos diante de um crime e de um grave atentado à democracia, ainda mais quando o quando o governo estadual – que prometeu isenção na disputa –, se ocupa com os meios financeiros e de poder para perpetrar tal conduta.

Repito, se fizeram o que foi noticiado – e não desmentido –, praticou-se um crime, mais que isso, um atentado à democracia.

Eleições, é bom que deixe expresso, não é um território sem lei onde vale tudo.

O papel “desinformador” da imprensa só encontrou paralelo no comportamento vergonhoso dos institutos de pesquisas, que, a exemplo dos primeiros, tentaram (e conseguiram?) influenciar o resultado das eleições com seus números falsos.

Quem não viu, às vésperas das eleições, veículos de comunicação apresentando como potenciais vitoriosos candidatos que ficaram em terceiro e até quarto lugar quando as urnas foram abertas? Quem não testemunhou as diversas tentativas de institutos apresentarem seus resultados como a votando dos eleitores?

Já passa da hora de criarmos mecanismos que impeçam este tipo de coisa. Longe de mim querer censurar o trabalho de quem quer que seja, mesmo porque erros acontecem, existem oscilações na vontade do eleitor. Entretanto, não temos como não desconfiar que muitos institutos fraudaram seus números na tentativa de influenciar o resultado das urnas; no afã de manipular a vontade dos eleitores. Apresentaram pesquisas como peças de propagandas.

A sociedade brasileira, para o próximo turno e para os próximos pleitos, precisa ficar atenta para as criminosas tentativas de manipulação do processo eleitoral. Democracia é uma coisa séria e é o maior patrimônio de uma nação.

Por derradeiro, tenho como verdade das urnas a péssima representação que os cidadãos terão na esfera municipal e que, certamente, será ampliada para as demais.

Embora já seja lugar comum dizer que a atual representação é sempre pior que a anterior é melhor que a futura, confesso que nunca tinha visto tantos prefeitos eleitos e também, vereadores tão desprovidos de conteúdo ou história a abalizar o nobre papel de representantes do povo.

A impressão que fica é que aqueles que, certamente, não “darão” para nada, encontraram seu lugar nas prefeituras e câmaras municipais. Com poucas, mínimas exceções, a “galera medonha” chegou lá.

Os criminosos e a criminalização da política têm como consequência o afastamento das pessoas de bem, honestos, competentes e probos, para que a chusma ignara tomem de conta de tudo, pior, cada vez mais jovens, o que antes seria uma noticia alvissareira, ressurge como uma cruel ameaça pois prometem ficar muitos anos sendo sustentados com os nossos impostos.

Se pegamos o mapa dos eleitos, não apenas no Maranhão, mas no Brasil inteiro, veremos que as pessoas decentes eleitas são exceção.

 O Brasil caminha a passos largos para o abismo.

 

Fim das vaquejadas nos calendários culturais e esportivos do Maranhão

A decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) tomada ontem, quinta-feira 06, de proibir a realização de vaquejadas no Estado do Ceará cria uma jusrisprudência para que a mesma proibição se estenda à todos os estados do Brasil. A informação caiu como uma bomba no meio dos que promovem vaquejadas todos os anos em várias cidades maranhenses e que já constavam no calendário esportivo e cultural de cada município. Elas reúnem milhares de pessoas e tem a participação de cantores e bandas famosas, como Wesley Safadão.

1437751578-143526066

Além da festa que atraia milhares de pessoas das cidades mais próximas e outras distantes e de lugarejos, as vaquejadas oportunizavam geração de renda e emprego momentâneo. Aos participantes a fama e dinheiro.

Em quase todas as cidades do nosso estado as vaquejadas atraem participantes de outros estados e turistas.

Mas, por outro lado,  “são manifestações extremamente agressivas contra os animais”, argumentou  a presidente do STF, ministra Carmem Lúcia que foi o voto de minerva, desempatando de 5×5, sendo  contrária à modalidade.

Porém, como bem lembrou em seu voto o ministro Gilmar Mendes, a importância econômica da competição é fundamental para regiões como o Nordeste e se disse preocupada se a atividade for para a clandestinidade.

Em todo o Nordeste, conforme a Associação Brasileira de vaquejadas, são mais de 4.000 provas todo ano no Nordeste. No Maranhão, elas ultrapassam a 200 a cada 12 meses. com prêmios que chegam até R$ 90 mil. (Blog Luis Cardoso)

Cézar Bombeiro expressa agradecimentos aos apoios recebidos que o elegeram vereador

bombeiro

 

Meus amigos, colegas e familiares

Todos vocês foram muitos importantes para eu concretizar o meu sonho politico de chegar à Câmara Municipal de São Luís. Garanto que não é por vaidade, mas para lutar em defesa das reivindicações das nossas comunidades e de um modo especial o bairro da Liberdade. O período de campanha foi tenso e muitas vezes sofrido por falta de recursos, mas o ânimo da família, dos amigos, dos colegas e de um modo especial das crianças que residem próximo da minha casa, que ao me verem cantavam a música da minha campanha, se constituíam em fermento para prosseguir numa peregrinação árdua e levavam a acreditar que seria vitorioso e esse sentimento estiveram comigo até a concretização da vitória.

Visitei muitas comunidades e a zona rural levado por parentes e amigos, e muitas vezes cheguei a ser surpreendido por manifestações solidárias e fraternas de admiração à minha luta determinada contra a opressão e enfrentamento a corrupção no Sistema Penitenciário, sem medo da luta e muito menos da denúncia.

Quantas vezes, fui abraçado nas ruas por pessoas que manifestavam o desejo de me ver na Câmara Municipal e a todas sempre disse, e  volto afirmar que trabalho e luta sempre estarão comigo e que não quero criar expectativas, mas ser informado e cobrado na minha atuação parlamentar.

Quero registrar que foram importantes todos os apoios recebidos, dos colegas do Sistema Penitenciário, dos meus conterrâneos de Viana, dos meus familiares, das famílias de inúmeras comunidades e de um modo especial da Liberdade, das crianças, dos idosos, dos deficientes que manifestavam apoio com o meu santinho nas mãos e todas as pessoas que com a essência do coração e o espírito solidário e fraterno abraçaram a minha campanha e me elegeram.

A todos garanto uma luta perseverante e que procurarei sempre prestar contas do meu mandato indo às comunidades  e voltar às casas daqueles que me receberam com muito respeito e carinho.

 Cézar Bombeiro

 

 

 

 

Operação da PF: Presos médicos no Maranhão e São Paulo; Murad continua sendo investigado

Policiais federais amanheceram hoje na porta do Condomínio Tacamarã, na Ponta do Farol, e depois da 6h entraram no 8º andar onde fica o apartamento do médicos Péricles Silva Filho. Além de documentos, ele foi conduzido coercitivamente. No mesmo horário, numa cidade de São Paulo, o também médico maranhense, Benedito Silva Carvalho, também foi preso para depor na sede da PF. Além dos médicos, o proprietário da empresa de oncologia, a Cobra, Emílio Resende, de quem foi apreendida uma aeronave no aeroporto de Araguaina.

aviao-no-tacamara

O avião foi ocultado na primeira operação Sermão ao Peixes, em novembro do ano passado, que resultou a prisão preventiva e coercitiva de empresários e do ex-secretário de saúde, Ricardo Murad. Na época, os delegados da PF acusaram que Murad liderou o desvio de R$ 1,2 bilhão dos recursos da Saúde pela via de empresas terceirizadas, como ICN e Bem Viver, por exemplo.

A nova operação, batizada de Abscôndito e Voadores visa buscar novas informações que foram sonegadas na anterior e desvendar o desvio de R$ 36 milhões

Hoje, foi confirmado pelo delegado Wedson Cajé que o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, ainda não ficou livre da operação e que continua sendo investigado. A PF tem as algemas abertas, mas o MPF pondera e quer mais provas. (Blog Luis Cardoso)