O Pesqueiro do Baixinho

Ilustrativa

Por Nonato Reis*

O lugar tinha algo de irreal. Recebera essa denominação em face de um registro trágico envolvendo um pescador, que habitava as redondezas do Ibacazinho, o lugarejo que me viu nascer e crescer. Certo dia, Brazilino, que tinha pouco mais de 1,5 metro de altura, saiu de casa para fazer compras em Viana, e desapareceu. Dias depois encontraram o corpo flutuando entre araribeiras inundadas pelas cheias, em meio a uma nuvem de abutres, que faziam festa com a carne em decomposição.

Um grupo de moradores, entre eles o meu pai e mais três parentes entornaram algumas garrafas de cachaça e decidiram dar ao “Baixinho”, como depois ficou conhecido, um sepultamento digno. Amarrado por uma corda de vaqueiro, presa à popa de uma canoa, o corpo viajou pelo rio Maracu e aportou em uma enseada, próxima ao cemitério do lugar. Ali, em cova rasa, aberta às pressas, selaram o destino do cadáver.

O mau cheiro de carniça, porém, provocou estragos. Um tio meu, responsável por laçar o cadáver com a corda, passou mal, vomitou e ardeu de febre. Meu pai quase morreu. Encharcado de álcool e daquele odor medonho parecia envenenado. Branco feito cera, dormiu um dia inteiro. Só despertou à noite, a cabeça rodando, o corpo todo dolorido, completamente enfastiado. Demorou muito para se recuperar.

O certo é que, a partir daquele dia fatídico, o lugar que recebera o corpo de Brazilino passou a chamar-se de “O pesqueiro do Baixinho”. No inverno a água invadia a enseada, em meio a árvores de médio porte, formando uma passagem estreita, que conduzia até o túmulo. Era o local perfeito para a pesca de bagrinho, um peixe de couro, que mede não mais que um palmo de comprimento, muito apreciado na região da Baixada. O bagrinho pode ser pescado de tarrafa, no verão, durante o dia; ou de anzol, no inverno, à noite, no período em que a lua não é vista no céu. Quanto mais escuridão, melhor para a captura do peixe.

O Pesqueiro do Baixinho, porém, se tornaria um lugar praticamente inacessível. Quase ninguém tinha coragem de adentrar aquela enseada, e os poucos que se aventuravam chegar até lá, arrependiam-se para o resto da vida. Sobre o pesqueiro corriam estórias de gelar os nervos. Uma noite dois primos meus, Roberval e João Buti (recebeu esse apelido porque quando menino, se lhe perguntavam onde havia colocado determinado objeto, ele respondia: “eu buti ali”), se armaram de coragem e adentraram o pesqueiro. João na popa da canoa, Roberval no banco do meio.

Mal iniciaram a pescaria os bagrinhos chegaram aos cardumes. Bastava jogar a isca e eles se deixavam fisgar. A alegria da mesa farta, porém, não demorou. Começaram a ouvir miados de gatos, que vinham da sepultura do Baixinho, que evoluiu para uma briga renhida entre os animais. Depois o que eram gatos se transformou em touros selvagens que pareciam se devorar. No auge do duelo sangrento, uma voz rasgou a noite como um grito de dor: “Não me mata, desgraçado!”.

João, que era o menos corajoso, segurou o galho de uma árvore e deu um impulso violento, que fez a canoa dá um salto para fora do pesqueiro. No impacto outro galho de árvore alcançou o peito de Roberval e ele se estatelou no fundo da canoa, gritando de dor e de medo. João nem quis saber. Continuou remando com todas as forças até sair de vez daquela gruta assombrada. Alcançaram o leito do rio e olharam para trás. Uma onda gigante acompanhava a embarcação, fazendo-a balançar como se estivesse em alto mar.

Pescar no reduto do Baixinho não era para qualquer um. Apenas o meu pai, um primo e dois tios tinham coragem para chegar até lá, e ainda assim retornavam, fazendo relatos assustadores sobre a experiência. Certa vez meu pai chegou no local de madrugada. Mal começou a jogar o anzol, uma brisa começou a soprar de forma esquisita, e de repente se transformou numa tempestade de rachar árvores ao meio. Teve que sair às pressas para salvar a própria vida.

Atanásio era um sujeito destemido. Desses que não se abalam por nada.

O Pesqueiro do Baixinho era o seu reduto preferido. Sempre que ia lá, algo o incomodava, mas ele agüentava firme e só saía quando queria. Um dia, porém, colocaram a sua coragem à prova. “Fizeram de tudo para que eu saísse de lá, mas eu dizia, ‘daqui só saio quando eu quiser’”. Chegou uma hora, a situação ficou insustentável. Dois homens, à semelhança de albinos, irromperam das águas, embarcaram na canoa e pressionaram as bordas da embarcação, para que ela naufragasse.

Atanásio ralhou com os fantasmas. “Deixem de presepadas que eu não estou aqui fazendo graça”. Mas a água começou a invadir a embarcação e ele se viu em perigo. Então ergueu a voz e afrontou as aparições. “Vocês me respeitem. Sou um pai de família, luto para sobreviver. Criem vergonha e deixem a minha canoa em paz!”. Ato contínuo os espectros desapareceram e Atanásio pode terminar a sua pescaria em segurança. Porém a partir dali, nunca mais o pesqueiro seria visitado, seja por vivos ou mortos. Simplesmente sumiu. Durante o dia a gruta podia ser avistada facilmente. À noite tudo eram mato fechado e silêncio.

 

*Jornalista

Governo difunde e populariza a ciência no Maranhão com lançamento do programa “Luminar: Caravana da Ciência”


O Luminar visa despertar vocações científicas e possibilitar à sociedade mais conhecimento nessa área. Foto: Divulgação

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), lançou no município de Conceição do Lago Açu, distante da capital 365 km, o maior programa de difusão e popularização da ciência e tecnologia de toda história do estado. O programa “Luminar: Caravana da Ciência”, que leva as oficinas de robótica, games, astronomia e eletricidade básica nas escolas públicas, e que este ano abriga também as oficinas de paleontologia/arqueologia e de matemática, além da exibição do Planetário.

A solenidade de lançamento aconteceu no Centro de Ensino Eliezer de Jesus Matos e contou também com a presença de alunos do Centro de Ensino Manoel de Nazaré dos Santos.

De acordo com o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, existe uma grande alegria em lançar o programa no município de Conceição do Lago Açu. “Esta cidade é muito especial, mesmo com as dificuldades enfrentadas ao longo do tempo, Conceição do Lago Açu é sinônimo de força e o governo quer mostrar que ela tem potencial para reverter todas essas adversidades valorizando a interiorização e a descentralização do programa, que tem como foco principal as crianças dos nossos municípios”, disse o secretário, reiterando que, além de popularizar a ciência, o Luminar deseja despertar vocações científicas e possibilitar à sociedade mais conhecimento nessa área.

Representando o prefeito de Conceição do Lago Açu, Alexandre Lavepel, o procurador-geral do município, Robson Jânio, destacou que é um momento único. “Saber que nosso município está sediando a abertura de um evento em uma comunidade que é muito vulnerável às mazelas sociais para nós significa avanço. Saber que Conceição do Lago Açu tem construído uma história bonita envolvendo a juventude em tudo que pode para nós é uma grande satisfação”, relatou.

“Ficamos muito felizes em colher os primeiros frutos desta parceria, é muito importante observar que o Governo do Estado se preocupa e é sensível às causas dos municípios. Nos enche de alegria esse lançamento aqui em Conceição do Lago Açu, sabemos que é somente o ponta pé inicial para outras coisas boas que virão, estamos muito contentes”, contou o secretário municipal de Juventude, Ciência e Tecnologia, Eduardo Lustrosa.

A diretora do Centro de Ensino Eliezer de Jesus Matos, Keily Cristine, ressaltou que é uma honra ceder a escola para o lançamento do edital e para as oficinas. “É um prazer ver essa aproximação da ciência e tecnologia com os nossos jovens, conhecemos as oficinas e sabemos que essa parceria é muito importante para o desenvolvimento do nosso município, só temos a agradecer”, destacou.

O Luminar visa despertar vocações científicas e possibilitar à sociedade mais conhecimento nessa área. Foto: Divulgação

O estudante Carlos Eduardo Maia, participou da oficina de Astronomia e relatou sua experiência. “Gostei muito, pois pude adquirir muito mais conhecimento. Tinha muita curiosidade sobre os planetas. Achei muito interessante o governo começar este ano o programa pelo nosso município, nunca tínhamos recebido uma oportunidade dessa, tenho certeza que meus colegas ficaram entusiasmados e vão se dedicar muito mais em aprender”, declarou.

“Achei muito interessante, nós convivemos com elementos simples em casa e não temos ideia de como isso pode mudar a vida das pessoas. Eu descobri várias coisas que não sabia, aprendi a fazer uma ligação simples, me senti uma inventora”, disse a estudante Jaylma Almeida, que participou da oficina de eletricidade básica.

Investimento

Os investimentos do Governo do Maranhão para a implementação do “Luminar: Caravana da Ciência” são de cerca de R$ 500 mil. O programa vai ofertar oficinas para estudantes da capital e do interior do Estado em sete subáreas de conhecimento da ciência (robótica, games, astronomia e eletricidade básica e este ano abriga também as oficinas de paleontologia/arqueologia e de matemática – brincando com a matemática -, além da exibição do Planetário. As oficinas deverão ocorrer, de preferência, aos finais de semana. As escolas poderão inscrever-se em mais de uma oficina ofertada ou exposição do Planetário.

Sala de ciência

Em seu discurso o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, anunciou que o município de Conceição do Lago Açu recebe em breve uma ‘sala de ciência’. “A Secti está empenhada em realizar esse sonho da comunidade em parceria com a prefeitura, uma sala de ciência equipada com computadores, internet… para que a juventude desenvolva cada vez mais o gosto pela pesquisa e pelo conhecimento científico através da experimentação prática”, explicou.O município de Conceição do Lago Açu faz parte da Rede Ciência Maranhão, tendo uma Secretaria Municipal de Juventude, Ciência, Tecnologia e Inovação. Por meio da parceria, o município recebe também o Aulão do Enem.

O Luminar visa despertar vocações científicas e possibilitar à sociedade mais conhecimento nessa área. Foto: Divulgação

 

 

 

 

Operação Turing: empresários negam sofrer extorsão de blogueiros…

MARCO AURÉLIO D’EÇA

Depoimentos de Antonio Barbosa, da Dimensão Engenharia, e Pedro Ricardo Aquino, da Classi Segurança, desdizem a acusação da Polícia Federal, que resultou, inclusive, na prisão e condução de alguns titulares de blogs

 

 

Grampo do grampo
Delegados sustentaram operação em grampos telefônicos, desmentidos pelas supostas vítimas

 

Os empresários Antonio Barbosa de Alencar, da Dimensão Engenharia, e Pedro Ricardo Aquino, da Classi Segurança, negaram, em depoimento na Polícia Federal, qualquer tipo de extorsão sofrida pelos blogueiros indiciados na Operação Turing, promovida em março pela própria PF.

Ricardo Aquino depôs no dia 29 de março, segundo registro às folhas 1055/SR/PF/MA, que compõem o inquérito 021/2016; Barbosa, por sua vez, prestou depoimento em 31 de março.

A afirmação da PF, de que os blogueiros extorquiam empresários e políticos, é a base fundamental da investigação da Operação Turing.

Não sei, não conheço…
Antonio Barbosa da Dimensão Engenharia garantiu nunca ter sido procurado por blogueiros

 

Barbosa declarou ipsis literis que não acompanha blogs e que não conhece ou mantém relação de amizade com nenhum dos blogueiros citados.

– Reafirma nunca foi procurado por blogueiros e que não tomou conhecimento de nenhuma publicação ou investigação – diz trecho do depoimento de Barbosa.

Alheio total
Ricardo nega ter qualquer contato com qualquer blogueiro

 

O dono da Classi disse, por sua vez, que conhece os blogueiros – e outros do Maranhão – apenas através das postagens na internet. E nega que algum deles tenha feito qualquer tipo de pedido de aporte financeiro.

– Nunca teve contato com Luis Pablo, seja pessoalmente, seja por telefone. Que nunca houve pedido de dinheiro em qualquer oportunidade. Que nunca deu ou lhe foi pedido qualquer tipo de vantagem – disse o empresário.

Toda a argumentação da Polícia Federal para pedir a prisão e a denúncia contra os blogueiros se baseia em conversas telefônicas entre os próprios blogueiros. O inquérito, inclusive, surgiu de um outro, aberto para investigar esquema de corrupção envolvendo um outro policial federal, na Secretaria de Administração Penitenciária do governo Flávio Dino. (PCdoB).

A PF já ouviu – ou deve ouvir – também políticos , incluídos por ela própria na lista de supostas vítimas de extorsão.

São nomes como o ex-prefeito de Cururupu, Júnior Franco, e de Bacabeira, Reinaldo Calvet.

Mas esta é uma outra história…

Câmara fará audiência pública para discutir jogo ‘Baleia Azul’

Representantes do Facebook, do Whatsapp e youtuber Felipe Neto devem ser convidados

POR O GLOBO


‘Baleia Azul’ coopta jovens a 50 desafios, entre eles, o suicídio – Marcelo Theobald / Agência O Globo

RIO — A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira um requerimento que propunha uma audiência pública para discutir o “Baleia Azul” — uma série de 50 desafios, que levam jovens a se mutilarem e a cometer o suicídio na fase final. A reunião, ainda sem data marcada, será promovida pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Casa.

A aprovação incluía a participação de um representante da Unicef Brasil e do blogueiro Felipe Neto, que gravou vídeo em seu canal do YouTube para alertar sobre o jogo e sobre a necessidade de atenção à saúde mental.

Na ocasião, representantes do Facebook e do WhatsApp, meios em que os jovens são geralmente cooptados para o jogos, vão explicar o que as empresas têm feito para combater a propagação do “Baleia Azul” nas redes.

O deputado Sandro Alex (PSD-PR) pediu a audiência à Câmara para discutir o jogo, que classificou como um “fenômeno”. Mesmo que o “Baleia Azul” seja debatido nas comissões de saúde e educação, o parlamentar julgou importante avaliá-lo no prisma das telecomunicações.

JOVENS COOPTADOS

A delegada Fernanda Fernandes, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que está à frente da investigação sobre o “jogo da baleia azul” afirmou que os “curadores” do desafio podem ser indiciados até por homicídio. Segundo ela, um inquérito foi instaurado para investigar os crimes de associação criminosa, ameaça, lesão corporal (em relação às automutilações praticadas pelos participantes) e homicídio tentado ou consumado. Só em Curitiba, a polícia investiga sete tentativas de suicídios, de jovens com marcas de mutilação e ingestão de remédios.

O “curador” é quem envia ao participante do jogo os 50 desafios que ele deve cumprir diariamente até chegar ao suicídio. Se condenado, ele pode ficar preso por mais de 40 anos (3 anos por associação criminosa, 8 anos por lesão grave, 6 meses por ameaça e 30 anos por homicídio).

Fernanda Fernandes informou, ainda, que notificará as secretarias municipal e estadual de Saúde para que casos de mutilações graves em adolescentes e jovens sejam comunicados diretamente à DRCI.

MAs da Baixada Maranhense serão recuperadas

O governador Flávio Dino anunciou a recuperação de duas importantes rodovias para a Baixada Maranhense: as MAs 014 e 106. A declaração foi dada durante entrevista a um pool de emissoras em todo estado, liderado pela Rádio Timbira, na última segunda-feira, 18.

Flávio Dino anunciou a recuperação de duas importantes rodovias: 014 e 106.

As obras devem começar no segundo semestre, deste ano. Os recursos que financiarão os serviços são provenientes do empréstimo realizado pelo governo do Estado junto à Caixa Econômica Federal. “Vamos asfaltar totalmente e sinalizar as rodovias, que ficarão estradas novas”, assegurou o governador.

Dino explicou que a MA-014 é uma estrada bastante complexa por conta da necessidade de permanente manutenção e devido às características geológicas e do solo. “Será feita manutenção agora com recursos da Caixa Econômica, cujo convênio assinamos no final do ano passado e destinamos uma parte desses recursos para recuperar totalmente a MA-014 e também a estrada do Cujupe até a cidade de Governador Nunes Freire”, afirmou.

MM 014, trecho entre Vitória do Mearim e Viana está intrafegável

O governador lembrou ainda que as obras do terminal de passageiros do Cujupe  está em execução e o terminal da ponta da Espera também passou por recuperação.

ÁGUA DOCE

O programa Água Doce em parceria com o governo federal também foi mencionado na entrevista. Lançado este ano, o programa visa à instalação dos dessalinizadores.Nós estamos fazendo teste em alguns municípios do Maranhão para comprovar que esses dessalinizadores conseguem cumprir esse objetivo pra que a gente possa garantir água de mais qualidade para a população”, disse.

O governador citou ainda a recuperação de sistemas de abastecimento d’água nos municípios da Baixada Maranhense. As obras estão em andamento em São João Batista, Penalva, Peri Mirim, Matinha.

Empregos! Governo abre inscrições para o seletivo de professores da rede estadual

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) abriu, nesta quarta-feira (19), as inscrições para o processo Seletivo Simplificado para contratação temporária de professores, para atuarem nas modalidades de Ensino Médio Regular e Quilombola, em escolas da rede estadual. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até as 23h59 do dia 24 (segunda-feira), exclusivamente pelo endereço eletrônico da Seduc (http://sistemas.educacao.ma.gov.br/seletivodocente/).

Ao todo, são ofertadas 578 vagas mais cadastro reserva. O seletivo constará de avaliação curricular de títulos e experiência profissional docente, realizado em etapa única. Os candidatos aprovados, dentro do limite de vagas, serão contratados pela Secretaria de Estado da Educação/SEDUC, por prazo de 6 meses, em regime de 20 horas de trabalho semanais.

Após efetuar a inscrição no portal da Seduc, o candidato deverá entregar até as 19h do dia 25 (terça-feira) os documentos e títulos, acompanhados da ficha de inscrição, gerada via internet, nas sedes das 19 Unidades Regionais de Educação, cujos endereços estão indicados no edital, disponível em www.educacao.ma.gov.br

O Processo Seletivo Simplificado terá validade de um ano, a contar da data da homologação, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da Seduc.

O resultado parcial do seletivo será divulgado no dia 5 de maio e a homologação do resultado final está prevista para o dia 11 de maio.