PF prende nove no MA e desmonta esquema de fraudes à Previdência

Prejuízo identificado é de quase R$ 1,5 milhão, segundo força-tarefa.
Equipes cumpriram mandados em São Luís e outros quatro municípios.

A Polícia Federal (PF) cumpriu na manhã desta terça-feira (19) 32 mandados judiciais, sendo nove de prisão temporária, 19 de busca e apreensão e 4 de condução coercitiva, numa operação que desmontou uma quadrilha que praticava crimes previdenciários no Maranhão. A Operação Vínculos ocorreu nas cidades de São Luís, São Bento, Palmeirândia, Pinheiro e Turilândia, e contou com uma força-tarefa formada pela PF, Ministério do Trabalho e Previdência Social (MPS) e Ministério Público Federal (MPF). O prejuízo identificado é de quase R$ 1,5 milhão.

O esquema criminoso, segundo a PF, contava com a participação do ex-prefeito de São Bento, Luís Gonzaga Barros (PC do B), que atualmente ocupa o cargo de superintendente de Articulação Regional na cidade; contadores; um advogado especializado em causas previdenciárias; um ex-funcionário do cartório de Palmeirândia; um servidor do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e outros intermediários. Entre os mandados, está a determinação para que o INSS suspenda o pagamento de 11 benefícios de pensão por morte e afastamento do servidor.

As investigações foram iniciadas em 2015 e apontaram que o esquema funcionava desde 2010, com concessão de benefícios de pensão por morte fraudulentos. Os envolvidos usavam identidades fictícias, por meio de falsificação de documentos públicos – por meio do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), com a ajuda da Prefeitura Municipal de São Bento –, para conseguir os benefícios.

Os envolvidos foram indiciados por crimes de estelionato previdenciário, inserção de dados falsos, associação criminosa e falsidade ideológica, com penas máximas acumuladas que podem chegar a 24 anos de prisão.

Fonte: G1

Foragido da Justiça é preso em São Luís

Clemilson Ribeiro cumpre pena por homicídio contra o seu pai.
Ele também cumpre pena por tentativa de homicídio contra a sua mãe.

A Polícia Civil por intermédio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc) prendeu nesta segunda-feira (18) no bairro Cohafuma, em São Luís, o foragido da Justiça doMaranhão Clemilson Ribeiro.

Clemilson cumpre um mandado de prisão decorrente de uma sentença condenatória pelos crimes de homicídio contra o próprio seu pai e tentativa de homicídio contra a sua mãe, fatos ocorridos no dia 27 de março de 2004, no bairro São Francisco, na capital.

No momento da prisão, Clemilson Ribeiro apresentou aos policiais uma documentação falsa com o nome de Genilson Ribeiro Martins. Uma motocicleta que estava em poder dele foi apreendida por apresentara numeração do chassi inválida.

Fonte: G1

Motorista é preso após quase atropelar policiais em São Luís

Luís André Rocha da Silva foi autuado em flagrante. Ele foi levado para o Centro de Triagem do Complexo de Pedrinhas.

Um motorista identificado como Luís André Rocha da Silva, de 33 anos, foi preso em flagrante na manhã desta segunda-feira (18), em São Luís, após quase atropelar um grupo com cerca de dez policiais.

Segundo o delegado José Hildo Cordeiro, titular do 16º Distrito Policial do bairro Vila Embratel, na capital, os policais ficaram nervosos durante a situação e chegaram a pular o muro da delegacia com o intuito de não ser atropelados. “Uns policais correram para o meio da rua e os outros conseguiram pular para dentro da área do muro do Plantão”, contou.

Antes de passar em frente ao Distrito Policial, o veículo do motorista preso ainda derrubou uma barraca e bateu em uma motocicleta que estava estacionada na avenida principal do bairro Vila Embratel.

O caminhão-baú foi apreendido e Luís André Rocha da Silva foi levado para o Centro de Triagem do Complexo de Pedrinhas, na capital.

Fonte: G1

Motorista que atropelou nove pessoas é julgada no Maranhão

Samantha Martins da Silva é julgada nesta segunda (18). Julgamento acontece na Vara Criminal de São José de Ribamar.

Teve início na manhã desta segunda-feira (18), em São José de Ribamar, o julgamento de Samantha Martins da Silva, motorista que atropelou cerca de seis anos nove pessoas na Praia de Panaquatira, no município de São José de Ribamar, região metropolitana da capital.

O acidente foi no mês de setembro de 2010. Samantha Martins da Silva, segundo as investigações da Polícia Civil dirigia um automóvel na areia da praia e fazia manobras perigosas quando atropelou nove pessoas, entre elas o menino Carlos Eduardo, de apenas três anos. Ela chegou a ser presa, mas pagou fiança e foi liberada. O menino morreu dias depois no Hospital Municipal de Urgência e Emergência Clementino Moura (Socorrão 2), em São Luís.

Nesta segunda-feira, no Júri Popular da Primeira Vara Criminal de São José de Ribamar Samantha está sendo julgada pelo crime de homicídio doloso, aquele em que há a intenção de matar.

De acordo com a juíza da Primeira Vara Criminal de São José de Ribamar, Tereza Mendes, o julgamento é um alerta, principalmente, para o motorista. “Precisamos aumentar essa fiscalização, precisamos aumentar a prevenção, precisamos aumentar a conscientização das pessoas á respeito de dar importância da condução de um veículo de forma responsável e respeitosa para com os demais”.

O Ministério Público vai pedir a condenação de Samantha. “A posição do Ministério Público aqui é em defesa da sociedade maranhense, em defesa da criança que morreu, da sua família, mas também a função da pena aqui está com uma repressão aqui de novos crimes, de pessoas beberem e dirigirem e acharem que vão ficar por isso mesmo. Não vão receber uma punição devida”.

A decisão de condenar ou não a suspeita está nas mãos dos jurados. O julgamento não tem hora para terminar. Conforme a investigação da Polícia Civil, Samantha dirigiu o veículo embriagada.

Fonte: G1