Um justo reconhecimento ao bravo Isaac Dias

Flávio Braga com o casal Isaac e Bitinha, Isaney e Isaac Filho

O Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, representado por seus integrantes Flávio Braga, Zé Raimundo, José Maria, Léo Cardoso, Manoel Braga e Binha, prestou uma homenagem ao ex-deputado e ex-prefeito de São Bento Isaac Dias e sua esposa Bitinha.

O ato solene aconteceu no último dia 30 de dezembro na residência dos homenageados em São Bento e contou também com a presença do Professor Álvaro Urubatan Melo (Vavá Melo) que é membro da Academia Saobentoense de Letras.

Em breve pronunciamento, o advogado Flávio Braga destacou os relevantes serviços prestados por Bitinha e Isaac Dias para o município de São Bento e toda a Baixada Maranhense. Enfatizou que também é papel do Fórum, fazer o devido reconhecimento de pessoas que sempre vem lutando em prol da região e o casal Dias tem um longo histórico de benefícios em favor dos baixadeiros.

Isaac Dias manifestou sua gratidão pela homenagem recebida e destacou a importância das ações do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, que vem desfraldando a bandeira da região, “lutando pelas melhorias do nosso povo e buscando minimizar os graves problemas que afligem os municípios da baixada”, concluiu Isaac.

(Fonte: Blog do Isanilson Dias)

Novos prefeitos usam a máquina pública como cabide de emprego para parentes

BLOG Luís Pablo 

O Ministério Público precisa fazer uma força-tarefa para coibir os novos gestores que assumiram as prefeituras maranhenses com objetivos de fazer a máquina pública de cabide deEMPREGO para parentes.

Há vários casos de prefeitos que estão nomeando familiares para serem secretários de importantes áreas, como Saúde, Educação, Infraestrutura, entre outras. É preciso que os promotores acionem na Justiça esses gestores. Afinal, o que vem acontecendo é algo descarado.

A imoralidade é tão grande que em alguns municípios, o MP já se mobilizou para tentar frear a farra de nomeação de parentes.

Mas é preciso que outras promotorias façam a mesma coisa, que dê exemplo e sigam o mesmo movimento que existe no país por parte de membros do ministério público, que lutam diariamente contra a corrupção e em favor da Lava Jato.

Editorial – Na hora da pós-verdade

Arquivo internet
Arquivo internet

Aos poucos, a configuração política maranhense vai adquirindo outros contornos personalistas. Os novos mandachuvas municipais da Região da Baixada já foram diplomados e empossados e, a partir de agora estarão em cena por inteiro e dando o rumo administrativo prometido nas suas campanhas.

Promessas foram muitas e mesmo as mais esdrúxulas o eleitorado absorveu e acreditou que serão postas em prática. De agora em diante tudo isso irá passar pela prova dos nove, pois o que se imagina é mesmo que os gestores dirão o que pretendem fazer nos próximos quatro anos, quais suas prioridades e, claro, as medidas de impacto para os primeiros 100 dias de governo.

2016 foi um ano eleitoral atípico não só no Brasil como no mundo. Vide o que houve nos Estados Unidos da América. A influência da internet se fez sentir. No mundo virtual a divulgação de tudo e a consequente comprovação de nada arrasou pilares básicos da comunicação, o que deu origem inclusive ao fenômeno agora amplamente discutido do chamado “pós-verdade”, um verbete tido como a palavra mais importante do ano, que o dicionário inglês Oxford define como “relativo a ou que denota circunstâncias nas quais fatos objetivos são menos influenciadores na formação da opinião pública do que apelos a emoção ou a crença pessoal”.

Seria essa uma das suas explicações para as eleições de líderes populistas, os quais ancorados em promessas de todo tipo conseguem atrair mais à atenção de um eleitorado que, desencantado, passou a ter ojeriza da política tradicional.

Os fatos objetivos, agora, assumem o lugar do apelo às emoções e o da crença pessoal. Agora, a realidade se torna soberana e a ação dos novos governantes será avaliada pela população não mais pelo ponto de vista subjetivo, mas pelo ponto de vista prático.

O Blog Vianensidades, portanto, estará vigilante, como olhos e palavras dos vianenses diante de uma nova etapa administrativa, eleita pela vontade do povo, que acredita em dias melhores, mesmo diante da brutal crise que castiga a todos.

Seguindo a lógica do “pós-verdade”, o que existe em Viana agora é apenas uma inversão de lados. Quem criticava, agora está no poder, passando de pedra a telhado. E o tempo é o senhor da razão!

*Com adaptações de um artigo do jornalista Jotônio Vianna – Caxias em Off – publicado originalmente pelo JP em 11/12/2016.

Óticas Rocha inaugura filial em Viana

Fachada da Ótica Rocha em Viana
Fachada da Ótica Rocha em Viana

O empresário vianense Cláudio Rocha finalizou o ano de 2016 realizando um dos seus grandes sonhos. Colocar em funcionamento uma filial das suas Óticas Rocha em sua terra natal.

Desde dezembro a Ótica Rocha já está em atividades e se constitui em uma nova opção em ótica para os vianenses, na Rua 7 de Setembro, na Cidade dos Lagos, equipada com os grandes lançamentos em armações de óculos de grau e esportivos, estrutura confortável e atendimento personalizado.

aafd6e90-6043-4d9b-b5bb-39109d3abd76

c8c9d6fb-a601-48f4-80bd-c38ff4b9fb29

O próximo passo é agendar consultas coletivas com os clientes, e oferecer os melhores preços da praça, conforme diz o seu slogan. AQUI VOCÊ VÊ A DIFERENÇA.

“Chegamos em Viana trazendo o que existe de melhor em matéria de ótica, com nossa longa experiência e queremos oferecer consultas facilitadas e o menor preço da praça aos nossos clientes, pois essa é uma política das Óticas Rocha na capital, e que finalmente estamos consolidando em Viana. Estamos de portas abertas para fazer sempre o melhor negócio”, destacou Cláudio Rocha.

500 casas ficaram rachadas em Belágua, local onde iniciou o terremoto no Maranhão

 

A Prefeitura de Belágua  constatou que o estrago foi bem maior até agora em povoados e em algumas ruas do centro da cidade onde o abalo sísmico foi maior no Maranhão. São quase 500 casas de tijolos de adobe rachadas e algumas bastante separadas como mostra a primeira foto recebida com exclusividade pelo Blog do Luis Cardoso.

Na fotos abaixo, o prefeito Herlon Costa acompanha in loco os prejuízos em casas nos povoados, como os de Buritizinho, Mocambo e Juçaral.

Na rua principal do centro da cidade, uma casa quase veio ao chão porque ficou com o piso afundado e teve as paredes com rachaduras.

Em Urbano Santos, cidade bem próxima de Belágua, uma parede do centro administrativo cedeu e veio ao chão.

Via Blog do Luis Cardoso

Alerta! A terra pode voltar a tremer nas próximas horas no Maranhão

O professor de geografia física da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Luis Jorge Dias, fez um alerta sobre futuros tremores de terra no Maranhão, em Vargem Grande e cidades vizinhas.

Na manhã desta terça-feira (03), o Estado foi surpreendido por um forte abalo sísmico de 4,6 graus na escala Richter. O epicentro do terremoto foi registrado em Belágua.

Segundo o professor, o que aconteceu em São Luís foi um tremor de acomodação, ou seja, as rochas estão saturadas do peso que elas suportam do solo para baixo. E isso é muito comum em áreas sedimentadas, como é no Maranhão.

Luis Jorge afirmou, ainda, que a maior parte da zona costeira maranhense tem falhas geológicas, por isso os abalos foram sentidos pelos moradores.

O professor de geografia física alertou, também, que poderá ter novos abalos secundários em decorrência do abaixamento da superfície. Isso deverá acontecer nos próximos dias. “Nós temos que ficar em alerta. É bom e interessante, inclusive, que as autoridades competentes, a exemplo do CREA, Defesa Civil, comecem a observar o que está acontecendo em determinados prédios, sobretudo em construção para ver se não comprometeu a questão mesmo das vigas, pilastras, de toda a sua estrutura, e aqueles que já estejam construídos, é interessante verificar o que foi afetado.”, destacou Luis Jorge. (Via Blog do Kiel Martins)

Reajuste do salário mínimo promove impacto de R$ 2,2 bilhões no cofres municipais

Em 2017, o valor do salário mínimo passará de R$ 880 para R$ 937, conforme estabelece o Decreto 8.948/2016, publicado no Diário Oficial da União (DOU), desta sexta-feira, 30 de dezembro.

O reajuste de 6,48% foi anunciado pelo governo na noite desta quinta-feira, e promoverá impacto de R$ 2,219 bilhões nos cofres municipais.

Levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra esses números.

O novo valor é R$ 8,80 menor do que a cifra aprovada pelo Congresso Nacional na proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2017 – R$ 945,80.

Segundo o governo, o reajuste do mínimo injetará R$ 38,6 bilhões na massa salarial dos brasileiros, a partir da próxima semana, o que representa 0,62% do Produto Interno Bruto (PIB).

Conforme indica a CNM, o salário mínimo cumpre a função de ser base para o piso salarial nacional e para o piso da aposentadoria e dos demais benefícios sociais.

Uma vez que a maior parte dos servidores públicos, aposentados e beneficiários estão vinculados a gestão municipal, este aumento de R$ 57 – em relação ao pago em 2016 – promove impacto devastador nas finanças municipais. “São mais de três milhões de funcionários com remuneração vinculada ao salário mínimo, nos 5.568 Municípios brasileiros”, aponta a CNM.

Desde 2003, a política de valorização do mínimo já acumula um impacto de R$ 27,113 bilhões na folha municipal, aponta o levantamento da entidade municipalista. Isso, sem contar com o reflexo causado no porcentual de despesas com gasto de pessoal das Prefeituras. (Via Blog do Luis Cardoso)