Iniciadas obras de alargamento da Jerônimo de Albuquerque

Os trabalhos iniciais do projeto de alargamento do trecho compreendido entre o retorno da Cohab e o Angelim foram iniciados. A empresa responsável pela obra já colocou os tapumes e está na etapa de limpeza do terreno que será utilizado para ampliar a faixa de circulação de veículos na região.

 O projeto, que é uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), tem prazo de 90 dias para ser concluído. Compreende um trecho de 500 metros que será alargado. Serão realizados serviços de terraplanagem, drenagem e pavimentação asfáltica. “Esta obra será fundamental para ajudar a desafogar o trânsito nessa região, que é um dos mais intensos na capital”, destaca o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

 Obra paralela

A Prefeitura de São Luís também desenvolveu um projeto para a região, que deverá ser iniciado em breve. A obra, sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), criará na área alças semelhantes às que já existem na região entre a entrada do bairro Bequimão e o elevado da Cohama.

Do jornalismo tendencioso à indústria da mentira: Constituição completa 30 anos e mantem travada a legislação sobre comunicação

Três décadas após a promulgação da Constituição Brasileira de 1988, a comunicação, um dos temas fundamentais para consolidar os sentidos de República e democracia, permanece quase inalterado e até mutilado.

Na Carta Magna os eixos sobre comunicação ainda não foram sequer regulamentados.  Dois exemplos são gritantes. O artigo 220 proíbe as práticas de monopólio e oligopólio. Já o artigo 221 manda as emissoras de rádio e TV darem preferência a finalidades artísticas, informativas, educativas e culturais, além de valorizar a produção regional e independente.

Deputados federais e senadores proprietários de emissoras de rádio e TV, os coronéis da mídia, operam em causa própria dentro do Congresso Nacional para que a legislação garanta os seus privilégios no uso e abuso dos meios de comunicação para fins empresariais e eleitorais.

O coronelismo eletrônico atropela a própria Constituição e estende-se mesmo às pequenas rádios comunitárias, impedidas por legislação complementar (nº 9.612/98) de fazer proselitismo político ou religioso, mas controladas por grupos políticos municipais e igrejas evangélicas, salvo as honrosas exceções.

O Brasil ainda é o país onde vigora a concentração empresarial e o uso de verba pública para conduzir apoio político-eleitoral aos mandatários municipais, estaduais e ao federal.

Nem nos governos do PT este vício foi alterado. Lula e Dillma seguiram a mesma cartilha dos tucanos e seus antecessores, privilegiando as Organizações Globo na fruição do dinheiro público.

O mais primitivo de todos, José Sarney, abusou da distribuição das concessões de rádio e TV para negociar o mandato presidencial de cinco anos.

Jair Bolsonaro, por sua vez, faz ameaças explícitas aos meios de comunicação e até insinua usar o controle das verbas publicitárias para coagir linhas editoriais.

Nesses 30 anos, bons ventos sopraram quando da realização da I Conferência Nacional de Comunicação, em 2009, reunindo quase 1500 delegados e delegadas dos segmentos empresarial, estatal e os movimentos sociais para debater, entre outros temas, a regulamentação dos temas da comunicação na Constituição de 1988.

Depois de quatro dias de debate e quase 600 proposições aprovadas, quase nada efetivou-se. Até mesmo o Conselho de Comunicação Social foi apropriado pela burguesia radiodifusora.

O país perdeu o time de sistematizar regras minimamente democráticas e republicanas para as comunicações. Agora está tomado pela indústria da mentira deslavada solapando o jornalismo tendencioso.

Nosso problema civilizatório nem é mais a força das Organizações Globo, mas o império das fake news decidindo a eleição para o cargo mais importante da República.

Imagem: reprodução / capturada neste site

Peixadas – notas rápidas

Bolsonaro e Viana

O jovem cadete, Jair Bolsonaro e o vianense, também cadete, Manoel Pereira Gomes, no Rio de Janeiro

Neste registro raríssimo (acervo da família Gomes), o então recruta Jair Messias Bolsonaro, que este ano foi eleito o 38º presidente do Brasil, para o mandato de 2019 a 2022, com 55,13% dos votos, é flagrado caminhando ao lado do seu amigo, o vianense Manoel Pereira Gomes (hoje Major reformado), irmão do General Oswaldo Gomes (falecido).

Os dois formaram-se em 1977 na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, Rio de Janeiro. Hoje, militar reformado, Bolsonaro também cursou a Brigada de Paraquedismo do Rio de Janeiro. Em 1983 formou-se no curso de Educação Física do Exército. Chegou à patente de Capitão.

Em tempo: Manoel Pereira é tio de dois ilustres vianenses: o advogado e ex-presidente da Câmara de Viana, Ezequiel Gomes, e do agente federal, ex-comandante do GTA – Grupo Tático Aéreo (GTA) e ex-secretário adjunto de segurança do Maranhão, Laércio Costa.

Prefeito cabeça fria

Enquanto a maioria da população vianense padecia durante dez dias, com a as cabeças quentes e doendo de tanto carregar baldes de água, o alcaide vianense, Magrado Barros (PSDB), se divertia descontraidamente, acompanhado de uns poucos “puxas”, tomando umas “gelosas” em uma conhecida balada noturna da Cidade dos Lagos.

Viana ficou cerca de 10 dias sem agua nas torneiras, do final de outubro ao início de novembro, e, depois de muitas críticas e reclamações nas redes sociais, a prefeitura, por meio do SAAE, emitiu uma nota esdrúxula, sem pé, sem cabeça e sem data, com as velhas desculpas esfarrapadas de “uma pane elétrica no quadro de comando de bombas”.

A tal “pane” levou cerca de dez dias para ser solucionada e, enquanto isso, carros pipas cobravam R$ 30,00 reais por mil litros de água, fora as compras semanais de água mineral para beber.

Ninguém aguenta mais!

Viana e a Baixada nesse período sempre sofreram com fortes estiagens. Um calor insuportável toma conta de toda a região, enquanto as áreas alagadas viram terra esturricada.

Com um sistema de distribuição dos anos setenta, defasado e quase fora de utilidade, o drama piora a cada gestão que faz pouco ou quase nenhum investimento no setor. Uma caixa d’ água de 2 milhões de litros, erguida na parte alta do bairro Piçarreira e recurso para a captação – oriunda de uma emenda do Governo Federal -, e que seria a redenção dessa falta d´água, foram para o esgoto na última gestão do ex-prefeito Rilva Luis.

A obra virou um elefante branco, verba retida na Justiça e a sofrência continua.

Privatização

Para alguns interlocutores e correligionários, Magrado tem afirmado que o SAAE deverá ser privatizado e que os estudos para o encaminhamento do processo de licitação estariam em curso. A afirmação soa como retórica e até como incapacidade de enfrentar e resolver o crônico problema.

Ora, observa-se que muitos desses problemas seriam evitados com vontade política e decisão. Se o gestor tem coragem e toma decisão para realizar grandes carnavais, contratando, por exemplo, a banda baiana Chicabana a peso de ouro, entre outras bandas de axé e forró, será que não poderia tomar também a decisão de evitar esse dramalhão mexicano, que nos remete ao século passado, com centenas de pessoas com lata d’água na cabeça?

Xô, urubu!!!

Depois da denúncia do Blog Vianensidades, que obteve mais de dez mil visualizações e muitos comentários indignados, a prefeitura de Viana maquiou algumas fotos e até produziu um vídeo com desculpas esfarrapadas sobre o estado caótico e a imundice da feira da Barra do Sol.

No entanto, não passaram despercebido dos atentos internautas, cenas da mesma vassoura que lavou o esgoto, sendo utilizada para lavar as superfícies dos balcões, onde são comercializados carnes, verduras e legumes. E mais: um dia após a veiculação da propaganda oficial, “repórteres” do Blog foram à feira e constataram que a sujeira e os urubus continuam, portanto, não adianta tapar o sol com a peneira.

Saindo da casinha

Pelo menos dois vereadores resolveram se rebelar publicamente contra a gestão de “Macho Velho” em Viana. Luzardo Segundo (PHS), que recentemente concorreu ao cargo de deputado federal, e João de Marcos (PRB). Os dois têm utilizado as redes sociais com vídeos e fotos, denunciando o estado de calamidade pública em hospitais e escolas do município.

Observadores políticos e até eleitores veem com bons olhos a iniciativa dos edis; no entanto as motivações, para variar, se mostram meramente políticas diante do jogo bruto imposto pelo prefeito Magrado Barros àqueles não rezam na sua cartilha.

Saúde na UTI

Na cidade dos Lagos o reflexo da saúde inspira cuidados de UTI, depois da visita dos dois vereadores Luzardo Segundo e João de Marcose que expuseram nas redes sociais a lastimável situação do hospital dom Hélio Campos (Sesp). Enfermarias com temperaturas insuportáveis sem um mísero ventilador, cirurgias desmarcadas por falta de material, refeitórios e cozinhas insalubres fizeram parte das denúncias dos edis vianenses que protocolaram tudo que viram em denúncia no Ministério Público e na tribuna da Câmara. Acuado, o alcaide vianense entrou em campo e bem ao seu estilo demitiu o diretor da casa de saúde, Magno, e nomeou o enfermeiro Ênio para a espinhosa missão de estancar a sangria da impopularidade e o nervo exposto da saúde vianense.

Fogo familiar

Luzardo Segundo faz(ia) parte da corte do velho casarão azul, como caçula do clã dos Barros, e tem DNA político nas veias. O jovem tem objetivos ambiciosos e, não foi à toa que, com precária infraestrutura, se lançou candidato à Câmara Federal. Na cidade, gravou em letras garrafais o seu sobrenome, esculpido em concreto em prédios de propriedade familiar, sinal que deseja ter o seu nome lembrado pelo eleitorado vianense.

O pai do vereador, o engenheiro civil Luzardo Filho, ex-secretário de infraestrutura, se afastou ou foi afastado do cargo no ano passado; também se comenta na cidade que “Macho Velho” também teria demitido sumariamente a esposa e outros contratados indicados por Luzardo Segundo. Foi o estopim do pé de guerra declarado no próprio terreiro familiar. Aguardem cenas dos próximos capítulos.

E agora, João?

Já o introspectivo vereador João de Marcos, que tem seu trabalho bastante reconhecido na Zona Rural, pela sua dedicação e respeito aos seus eleitores, talvez lute pela própria sobrevivência política. O edil que sempre demonstrou independência com relação ao executivo e, até no exercício na Câmara, não galgou sucesso entre os seus escolhidos no último pleito de outubro. Pode ser que deseje dar voos mais altos, quem sabe até uma candidatura solo a prefeito ou ter a indicação para compor uma chapa em 2020. O tempo dirá!  

Cajari tal qual Viana!

O promotor de justiça Lindemberg Vieira, da Comarca de Viana, agiu corretamente ao usar a mão pesada da Justiça, para, pelos tentar impedir o derrame de dinheiro público na festa dos 70 anos de Cajari, um dos municípios mais miseráveis do Brasil.

A Prefeitura anunciou quatro bandas para a festa de aniversário da cidade. Dentre as atrações, estava a banda Aviões do Forró, cujo cachê supera o valor de R$ 300.000,00.

A divulgação da festa, segundo apurado, acontece desde o mês de junho de 2018, muito antes do processo licitatório ser iniciado. Na Ação, o Ministério Público do Maranhão também requereu a imediata suspensão da contratação da banda Aviões do Forró, sob pena de multa diária de R$ 100.000,00.

Pau que dá em Chico…

Depois de muito barulho na mídia e desinformações, a Prefeitura de Cajari emitiu uma nota, tentando justificar a origem dos recursos utilizados para pagar a boca livre. Entranho observar que, a gastança agora seria bancada pela iniciativa privada do minúsculo município, que, ao que se tem notícia, nunca bancou sequer festa ou Baile de São Gonçalo com a Banda Rabo Seco Venenosa, do Povoado Tocoíra, imagine a caríssima a badalada troupe do comandante Xande Avião.

…também dá em Francisco (?)…

A população não esquece que, a atenta Justiça vianense não utilizou os mesmos pesos e as mesmas medidas, em 2015, quando sentenciou e obrigou o então prefeito Chico Gomes a cancelar o carnaval de Viana, sendo que os recursos disponíveis deveriam ser utilizados tão somente para pagar os servidores com salários atrasados. A decisão, correta do ponto de vista da moralidade pública, nunca alcançou a gestão do atual prefeito, Magrado Barros (PSDB) que está deitando e rolando com gastos vultosos em festas com bandas de todos os cantos do Brasil, enquanto a cidade padece pela falta de água, buraqueira nas ruas, caos no hospital municipal, dentre outros descasos a olhos vistos por todos.

Efeito Sérgio Moro (?)

Ainda no calor da polêmica sobre sua escolha para ser o super ministro da Justiça e da Segurança Pública, o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, encaminhou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) manifestação em que nega ter tentado influenciar o processo eleitoral ao tornar público o teor da colaboração premiada do ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci e, claro, a conturbada prisão do ex-presidente Lula.

Longe de querer insinuar qualquer tipo de suspeição sobre a atuação da Justiça, foi público e notório que a não realização do carnaval de avenida, em Viana, em 2015, foi um golpe de misericórdia no gestor anterior, que cumpriu sua parte, mas pagou um preço alto por se negar a dar aquilo que os vianenses não abrem mão e, que talvez um dia seja objeto de estudo científico, ou seja: PREFEREM O PÃO E CIRCO DO QUE SAÚDE, EDUCAÇÃO E INFRAESTRUTURA!

Eleições 2010

Nos bastidores políticos já começa a movimentação para o pleito eleitoral de 2020. Do lado governista, a parceria “Macho Velho” e sua vice, Lucimar Gonçalves, parece cada vez mais consolidada. No campo oposicionista nomes tradicionais como Carrinho Cidreira e do ex-prefeito Chico Gomes já aparecem em todas as enquetes das redes sociais, assim como novas caras, entre elas Luzardo Segundo, João de Marcos, Fellyckson do Posto e Júnior Viana Feliz. Corre por fora também um grupo liderado pelo PC do B, partido do governador, que é liderado por Marcelo Santana (ainda sob as asas de Magrado), e Julinho Mendonça (um dos principais auxiliares de Flávio Dino). Para completar o time de nomes que poderão enfrentar Magrado Barros nas urnas, está o Major Ferreira, terceiro colocado na eleição passada, que mesmo distante da terrinha, articula apoios para uma eventual disputa.

Capim no lago

Agora com a baixa das águas no Rosário de Lagos Maracu, eis que a população se depara com uma velha e conhecida ameaça ao nosso combalido ecossistema. O famigerado plantio de arroz à margens do lago de Viana, desta vez observado no Bairro Carecas, ou seja, os produtores tentam evitar a exposição dessa prática criminosa e fugir da vigilância da população de dos órgãos de controle e proteção.

A prática já foi pauta de inúmeros artigos, denúncia neste Blog e objeto de debates em inúmeros eventos na capital e na Região da Baixada.

 Segundo apuramos, o problema do plantio do arroz no Lago e Campos de Viana foi arquivado, depois de várias reuniões com a Associação dos Plantadores, Ministério Público e autoridades do governo Municipal, sob a alegação de não haver recursos para o EIA-RIMA (Estudos de Impactos Ambientais – Relatório de Impactos Ambientais do Meio Ambiente de Viana), sendo considerado apenas crime de poluição visual no Lago de Viana.

Poluição e destruição

Segundo o professor, pesquisador e escritor José Raimundo Campelo Franco, acadêmico da Academia Vianense de Letras (AVL), os problemas com a aceleração do processo erosivo são seríssimos… há estudos detalhados destes impactos na baixada feitos por uma equipe de pesquisadores da UEMA… até citei no livro “Veias do Rio Maracu”… fora as inúmeras transgressões da Legislação Ambiental, vigente sobre recursos hídricos.

Continua o pesquisador: “…os últimos levantamentos que fiz em 2014 evidenciaram que este plantio priva o direito de ir e vir dos usuários do lago, que é um recurso de uso comum; as culturas absorvem demasiadamente as águas do lago enfraquecendo-as para invasão das marés salobras; aceleram o aterramento e compactação das várzeas, diminuindo a capacidade de armazenamento hídrico das conchas lacustres; está desvinculado da agricultura familiar, já que funciona como agronegócio, entre outros descompassos que desfavorecem o equilíbrio e plenitude ambiental das nossas água…”

Fotos: Gracinha Cutrim – Viana-MA

…por fim, a notada redução dos plantios nos últimos 4 anos deve-se ao medo dos agricultores mediante os prejuízos decorrentes das invasões de marés salobras ocorridas em 2012, 2013 e 2016… ou seja, não se trata de uma consciência ambiental, sim das primeiras respostas do lago em meio a tantas agressões…

Pesca de arrastão

Quem visitar o local denominado “Praia” antigo reduto de compra e venda de pescados em Viana ou até mesmo a bagunçada feira da Barra do Sol, jamais terá o prazer de observar e escolher uma espécie de peixe nativos em tamanhos e peso ideal para o consumo, assim como nossos pais e avós tiveram o privilégio de fazê-lo.

A fome, a necessidade e a falta de consciência dos pescadores não respeitam nem a proibição do período de defeso, quando os peixes estão se reproduzindo, tampouco a agonia do lago de Viana, castigado pelo assoreamento, lixo e esgoto, que estão lhe condenando a desertificação, caso não sejam tomadas providências urgentes e inadiáveis.

De Belém ou açude

O ex-goleiro de futebol, José Ribamar Vieira, o popular Catarrinho, todos os dias se desloca até a “praia” onde mantém a esperança de ainda se deparar com algum barco ou canoa om peixes nativos, graúdos e frescos, entre eles a pescada, o aracu ou surubim, para atender sua clientela, nas ruas ou na feira da Barra do Sol, espalhados em seu carrinho de mão.

“Eles, os pescadores utilizam redes gigantescas, de malha fina, fazem um grande arrastão no lago e estão acabando com tudo”, lamenta. “Estes aqui, infelizmente, são os únicos que temos e ninguém vai encontrar maior. Eles dizem que essas pescadas grandes são do lago mas não é verdade. São peixes de Belém, que chegam aqui congelados ou aqueles de açudes que os vianenses não têm o costume de consumir”, resigna-se.

Pescaria de carros de luxo

Operação da PRF apreendeu mais de 80 carros roubados ou clonados na Baixada Maranhense. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou, nesta segunda-feira (12), que 88 veículos que foram roubados no estado. A operação que contou com a parceria da Polícia Civil da Bahia registrou ainda 39 roubos na região baiana, o que contabilizou 127 ocorrências nos dois estados do Nordeste.

Segundo o superintendente da Polícia Rodoviária Federal do Maranhão, Paulo Moreno, a prática criminosa no estado acontecia principalmente na região da Baixada e nos Lençóis Maranhenses. “Esta prática foi mais relevante nas áreas da Baixada e Lençóis”, revelou. A ação foi desencadeada em municípios como São João Batista, São Vicente, Matinha, Pinheiro, São Bento, Viana e outras cidades.

Em Viana, no sábado, 3 de novembro, durante o dia e a noite, não rodaram nenhuma das ostentosas picapes Hilux, que costumam chamar a atenção nas ruas, no Parque Dilu Melo e nos campos. Porque será, hém!!!

Nova obra de Nonato Reis

Divulgação

A saga de Amaralinda, romance de base histórica, ambientado ás margens do rio Maracu/Viana, berço da catequese jesuítica, terá lançamento, dia 24/11, às 19 horas, Multicenter Sebrae, na 12 Feira do Livro de São Luís. O jornalista e escritor vianense convida todos os amigos para prestigiar o evento.

Momentos agradáveis com amigos

Dois registros especiais: o niver deste editor, realizado em 7 de outubro na Chácara Soeiro, em Viana, e no Parque Dilu Melo, em noite de pizza e parabéns para a mana Santinha. Na foto abaixo, Maércio  Cutrim, Cláudio Rocha, Simone Silva, Dr. Ezequiel Gomes, Dirce Costa, Luiz Morais, Cleinaldo Bil, Antonio Portela,  Dil, Bimbô e José Carlos Morais.

Abaixo: Joaquim e esposa, Socorro, Dirce Costa, Dr. Ezequiel Gomes, Santinha, Luiz Morais, José Arnold e esposa.

Niver de Carim Neto

Reencontro de amigos vianenses, na noite de quarta-feira (7/11), para comemorar o niver do amigo boa praça, Carim Neto. No registro: Rosana e Dario; Amauri, Sérgio Lopes, Clésio Lopes, Carim Choairy, Carim Neto, Cláudio Rocha, Luiz Morais, Miguel Moisés Cleinaldo Bil e Ver. Cézar Bombeiro. O evento aconteceu no “Boteco do Neto”, em sua residência no bairro Araçagy, em São Luís-MA.

Trânsito do Angelim será melhorado com obras da Agência Executiva Metropolitana

A Avenida Jerônimo de Albuquerque, em todo o trecho que vai da Cohab até o elevado da Cohama, é um dos trajetos que concentra maior fluxo de veículos, sobretudo em horários de pico. Isso resulta em engarrafamentos diários, tanto para quem segue a direção Vinhais, quanto para quem faz o caminho contrário.  Para ajudar a resolver o problema, o Governo do Estado do Maranhão, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), iniciará, ainda neste mês de novembro, as obras de alargamento de via na região entre o túnel da Cohab e a entrada de acesso ao bairro Angelim.

O projeto compreende uma área de 500 metros. No trecho serão realizados serviços de terraplanagem, drenagem, pavimentação, bem como construção de meio-fio e sarjeta. “É uma obra de extrema necessidade para aquela Avenida, que é uma das que possui maior trânsito de veículos e pedestres da capital”, destaca o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

A obra é uma demanda antiga na capital, lembra Lívio Corrêa. “Trata-se de um dos trechos mais centrais de nosso trânsito e, justamente por isso, é trajeto para muitos bairros, o que provoca congestionamentos frequentes”.

Segundo Luís Sérgio Amaral, proprietário da empresa que irá executar a obra, os trabalhos levarão 90 dias. “Por se tratar de um alargamento, os serviços não irão atrapalhar o tráfego de veículos. Além disso, o acesso será feito por vias auxiliares”, afirmou o engenheiro civil.

Parceria

Outra obra na área compreendida entre a Cohab e o Bequimão, passando pelo Angelim, será realizada pela Prefeitura de São Luís e irá complementar o projeto da Agência Executiva Metropolitana.

A obra, sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), criará alças semelhantes às que já existem na região entre a entrada do bairro Bequimão e o elevado da Cohama. “Com isso, o tráfego de veículos será facilitado, o que irá diminuir os congestionamentos frequentes”, finaliza Lívio Corrêa.

Pesquisa comprova relação entre baixo investimento em saneamento e problemas de saúde

Segundo a CNI, no Maranhão, apenas 30% da população tem saneamento básico, e mesmo onde o serviço chega a qualidade não é garantida.

Arquivo

Uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) apontou que os municípios com baixo investimento público em saneamento básico têm altos índices de doenças relacionadas a deficiência no serviço de água e esgoto. Segundo o relatório, a situação melhora em municípios que recebem investimento privado. A matéria foi destaque no Bom Dia Brasil desta quarta-feira (7).

De acordo com a CNI, entre os anos de 2014 e 2016, foram investidos pouco mais de R$ 60 em saneamento por habitante. No topo desse ranking negativo estão os estados de Rondônia que investiu apenas R$ 25,40 por pessoa, Amapá com R$ 30,44, seguido do Amazonas com R$ 38,74, Piauí com R$ 43,08, Pará com R$ 47,81 e o Maranhão com R$ 55,13.

Se o investimento é baixo, o serviço não chega. No Pará e em Rondônia, por exemplo, menos de 10% da população tem acesso à rede de esgoto. No Maranhão, apenas 30% da população tem saneamento básico, e mesmo onde o serviço chega a qualidade não é garantida.

No Maranhão apenas 30% da população tem saneamento básico, diz CNI — Foto: Reprodução/TV Globo

Em uma das áreas mais valorizadas de São Luís o problema do esgoto é crônico. Nos últimos anos foram sendo construídos prédios e mais prédios e o sistema não comportou, e o resultado são ruas alagadas, com água suja e que cheira mal. O problema é tão grave que no ano de 2017 a Justiça determinou que nenhuma nova edificação pode ser erguida na região, até que a rede de esgoto seja ampliada.

O empresário Pablo Munin diz que a falta de saneamento prejudica a imagem de São Luís, que é considerada uma cidade turística. “Nós estamos diante de um bairro que o metro quadrado é mais caro da ilha de São Luís e aí a gente não ter esgoto é um absurdo para uma capital, para uma cidade turística”, reclamou.

Três cidades do Maranhão privatizaram o serviço de saneamento básico, de acordo com estudo da CNI — Foto: Reprodução/TV Globo

De acordo com o estudo da CNI, nos municípios que terceirizaram o saneamento o investimento aumentou. No Maranhão três cidades privatizaram o serviço. Em Paço do Lumiar, na Região Metropolitana da capital, o investimento aumentou em 36 vezes depois da terceirização. O fornecimento de água que atendia 43% da população passou para 60%. O de esgoto ainda não foi informado.

Os dados mostram ainda uma relação direta entre o baixo investimento e as doenças causadas pela falta de saneamento. Para o sanitarista Lúcio Macedo a falta de infraestrutura aumenta o surto de doenças como a dengue, a chicungunya e a zika. “Afeta nossa população eminentemente carente de infraestrutura sanitária, principalmente, com as verminoses em primeiro plano e as diarréias. Segue-se a dengue, a chicungunya e a zika”, finalizou.

Falta de infraestrutura aumenta o surto de doenças como a dengue, chicungunya e a zika, diz sanitarista Lúcio Macedo — Foto: Reprodução/TV Globo Falta de infraestrutura aumenta o surto de doenças como a dengue, chicungunya e a zika, diz sanitarista Lúcio Macedo — Foto: Reprodução/TV Globo

Por Alex Barbosa, G1 MA — São Luís

Vejam as datas do Mutirão do Glaucoma em Viana, São Vicente, Olinda, São Bento, Matinha, Penalva, S. J. Batista e Cajapió

Moradores de 30 municípios das Regionais de Viana, Balsas e Presidente Dutra participam do atendimento do Mutirão do Glaucoma, ação que busca detectar e tratar casos da doença no estado e promover qualidade de vida à população.

Ilustrativa – Google

Os atendimentos começaram nesta segunda-feira (5), no Hospital Municipal de Carolina, no município de Carolina; e no Espaço Aquarela, município de Riachão. Nesta terça-feira (6), a população de Feira Nova do Maranhão e Balsas serão beneficiadas com a ação que acontece na Unidade Mista Luso Rocha e no Hospital Regional de Balsas.

As cidades de Alto Parnaíba e Tasso Fragoso serão assistidas na quarta-feira (7); e Fortaleza dos Nogueiras, Nova Colinas, São Pedro dos Crentes, Cajari e Penalva recebem a ação na quinta-feira (8). Na sexta-feira (9) é a vez das cidades de Formosa da Serra Negra, São Raimundo das Mangabeiras, Viana, São Vicente de Ferrer, Olinda Nova do Maranhão, Matinha, Senador Alexandre Costa e Governador Eugenio Barros.

Moradores das cidades de Sambaíba, Loreto, São Bento, Bacurituba, Cajari, Olinda Nova do Maranhão, Matinha, São João Batista, Cajapió, Palmeirândia, Govenador Archer, Dom Pedro, Gonçalves Dias e Capinzal do Norte também terão atendimento no fim de semana. Em todas estas localidades, além de consultas e exames específicos, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) realiza a distribuição de medicação gratuita, quando necessário, e encaminhamento para tratamento. Os casos diagnosticados em edições anteriores são acompanhados.

Quem tem parentes portadores de glaucoma, indivíduos com mais de 40 anos, pacientes com alto grau de miopia e diabéticos devem estar ainda mais atentos e procurar o especialista durante um dos mutirões para consulta. De caráter preventivo e assistencial, a busca ativa também detecta e trata outras patologias da visão, como catarata.Ao se apresentar para consulta, o paciente precisa levar cópia de documento de identidade, cartão do SUS e comprovante de endereço.

Locais do mutirão do glaucoma

Dia 6

Manhã

Feira Nova do Maranhão – Unidade Mista Luso Rocha Rua Tocantins, s/n, Centro.

Tarde

Balsas – Hospital Regional

 

Dia 7

Manhã

Alto Parnaíba – Hospital Municipal de Alto Parnaíba, Avenida Governador José Sarney.

Tarde

Tasso Fragoso – Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Rua Rui Barbosa.

 

Dia 8

Manhã

Fortaleza dos Nogueiras – Centro de Saúde Gilnean Chaves Ribeiro, bairro Nova Fortaleza.

Nova Colinas – Posto de saúde Cândida da Silva Rego, Avenida José Sarney.

Tarde

São Pedro dos Crentes – Centro de Saúde Maria Libânia, Rua Jerusalém, s/n, Praça da Independência.

Penalva – Unidade Básica de Saúde da Piçarreira, próximo estádio de futebol.

Cajari – Escola Municipal Cirene Abreu Serra, Rua Jose Bonifácio Mendes, Centro (em frente à Câmara Municipal de Cajari).

 

Dia 9

Manhã

Formosa da Serra Negra – Ubs Cademiel/Caps, Bairro Vila Viana

Viana – Centro de Saúde José Bonifácio Pacífico Serra, Avenida Jorge Abraão Duailibe, s/n, Citel.

Olinda Nova do Maranhão – Caps, Rua Capitão Antônio Serra Freire, s/n, Centro

Senador Alexandre Costa – Unidade de Saúde da Sede, Entrada da Cidade

Tarde

São Raimundo das Mangabeiras – Ubs Alice Farias, Vila Cardoso

São Vicente de Ferrer –  Centro de Saúde Ana Campos, Rua Dom Pedro II

Matinha – Hospital PSF – Hospital Velho, Avenida Major Heráclito, s/n, Centro

Governador Eugênio Barros – Centro de Saúde Pedro Cunha e Silva

 

Dia 10

Manhã

Sambaíba – Unidade de Saúde Josefa Brito (Hospital), Bairro Vila Tião

São Bento – Ubs Mutirão

São João Batista – posto de saúde da sede, Praça da Matriz, s/n, Sede Próximo à Prefeitura

Cajapió – a informar

Governador Archer – Ubs Governador Archer 1

Tarde

Dom Pedro – centro de saúde dr. Alarico Pacheco, Rua Eng. Rui Mesquita, sn, Centro.

Bacurituba – centro de saúde de Bacurituba, Rua Benjamim Constant, 1107, Centro.

Loreto – Secretaria Municipal de Saúde, Praça Barão do Rio Branco, s/n, Centro.

Palmeirândia – Secretaria Municipal de Saúde – Ubs São Carlos, Praça Santo Antônio, s/n, Centro.

 

Dia 11

Manhã

Gonçalves Dias – Secretaria Municipal de Saúde, Rua Santa Terezinha, s/n, Centro.

Tarde

Capinzal do Norte – Caps Capinzal do Norte, ao lado do Hospital São José Avenida Lindolfo Flório, s/n, Centro.

Via Folha de SJB

Agência Metropolitana avança com projetos de infraestrutura na Grande São Luís

Desde o início deste ano, o Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), vem desenvolvendo um conjunto de ações para resolver problemas de infraestrutura e para disponibilizar equipamentos de esporte e lazer na Região Metropolitana da Grande São Luís. Com isso, diversas comunidades estão sendo beneficiadas e regiões antes utilizadas para descarte irregular de resíduos sólidos ou abandonadas estão sendo transformadas em áreas de socialização.

Dentre os exemplos mais recentes destas ações estão a Praça Vila Dom Luís, na Avenida dos Portugueses, área Itaqui-Bacanga, o Canteiro da Avenida José, no Jardim América, o Canteiro da Avenida Ferreira Gullar, na Ilhinha, e o Canteiro Central da Camboa. Os três projetos, assim como os demais que estão em execução e os que estão em fase de elaboração, seguem uma normativa que é a do diálogo com as comunidades, para reconhecimento das demandas. “Com isso temos a oportunidade de colher informações, que são consideradas quando estamos construindo o produto que será apresentado posteriormente”, explica o presidente da AGEM, Lívio Corrêa.

A Praça Vila Dom Luís está localizada na Avenida dos Portugueses, área Itaqui-Bacanga. Lá foram instalados academia de ginástica, palco coberto, iluminação, quadra de esportes com alambrado, além de centro administrativo com depósito de materiais. A área total é de 2.080,26m².

No Canteiro da Avenida José, no Jardim América, houve todo um trabalho de revitalização do espaço, para abrigar a Feira do bairro e criar um espaço de esporte e lazer para a comunidade, com playground, academia de saúde, quadra poliesportiva, bancos, mesas de jogos, estacionamento e acessibilidade por rampa. Na outra parte da praça foi construída a Feira, para abrigar os comerciantes que atualmente vendem os produtos na Praça das Amendoeiras, também localizada no Jardim América – e que, em breve, será alvo de revitalização por parte da AGEM.

Na Ilhinha, a intervenção ocorreu no Canteiro da Avenida Ferreira Gullar, uma área central utilizada unicamente para descarte irregular de lixo, o que se constituía em um risco de saúde para a população, que costumava reclamar bastante da situação. Hoje a realidade é bem diferente. O local abriga uma praça com playground, quadra poliesportiva, estacionamento, acessibilidade por rampa e, em breve, serão instalados os equipamentos da academia de saúde.

O Canteiro da Avenida Camboa, outra obra executada pela AGEM, também mudou a paisagem de uma das principais áreas de fluxo de veículos e pessoas que seguem para o Centro e outros bairros próximos. Ao todo, o projeto possui uma área de 3.300,00m², onde foi feita uma urbanização com rampa, paginação de piso, acessibilidade facilitada para pedestres, sinalização, iluminação pública, além de um trabalho de paisagismo.