Bíblia, bala e boi

JM Cunha Santos

E este é o BBB do presidente Jair Bolsonaro: as bancadas da Bala, do Boi e da Bíblia. Entre eles, os que acham que o Decreto Tiroteio do presidente é fraco, não alcança os propósitos imantados pela ganância da indústria armamentista – a sede de sangue, afinal, que vai aumentar estratosfericamente os lucros de quem já lucra horrores na periferia dos 60 mil homicídios anuais hoje cometidos no Brasil.

E a Bancada da Bala já enfiou na pauta do Congresso, aguardando apenas que Rodrigo Maia coloque em votação, projeto que flexibiliza, assustadoramente, a posse de armas no país. Um pacote criminoso que inclui o direito ao porte, redução de tributos sobre armamentos e munições, anistia a donos de armas sem registro, diminuição da idade mínima de compradores de 25 para 21 anos e abertura do mercado para empresas estrangeiras. Matou, alguém lucrou.

A Bancada do Boi certamente exulta com a possibilidade de disparar sem freios sobre os Sem Terra, (agora considerados terroristas) de condensar listas de lideranças rurais marcadas para morrer. Da Bancada da Bíblia espera-se que acorde desse delírio luciférico e reaja coerente com o “Não Matarás” dos 10 mandamentos. Espera-se.

Bala, Bíblia e Boi. Boi, Bala e Bíblia, uma receita fulminante num país em que metade das mulheres assassinadas por seus parceiros em 2016 foi vítima de armas de fogo. Jesus, a essas alturas, treme no túmulo, se em túmulo ele estiver, padece nos céus uma outra crucificação, a de sua alma. “Se alguém bater na tua face, não oferece a outra, cai de bala nele” essa é a Nova Ordem dos Apóstolos do Cão Sarnento, redigindo, em nome do lucro fácil, licenças para matar.

Qual será o destino dos brasileiros daqui a alguns anos com tanta gente circulando nas ruas com armas na cintura? Pelo que julgo, os Bois estarão mais seguros que o cidadão, guardados por jagunços que deles afastarão, a bala, a presença incômoda de meros seres humanos. A Bíblia, séculos e séculos depois, estará travestida em instrumento do mal, porque pastores de Deus encontraram nela argumentos para aprovar a maior insânia da história da política brasileira. E a Bala, finalmente, pela primeira vez na História da Humanidade, será tratada como instrumento de Paz.

AGEM apresenta projeto do Cais São Luís-Alcântara ao Governo do Estado

Mais um projeto do Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM) está prestes a ser iniciado. Trata-se do Cais Flutuante São Luís-Alcântara (Terminal Portuário da Ponta D’Areia, em São Luís, e Terminal Portuário da Independência, em Alcântara), cujo projeto básico e executivo foi apresentado na tarde desta quarta-feira, 16, pelo presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

Atualmente, o Cais da Praia Grande é o único Terminal Hidroviário da capital. Conta com apenas quatro embarcações, três Iates e um Catamarã realizando duas viagens por dia, são transportado 11.935 passageiros mês, sendo 398 por dia. Além das embarcações do Centro de Lançamentos de Alcântara (CLA) que realiza o transporte de 246 militares diariamente.

Embora esteja localizado na Avenida Senador Vitorino Freire no Centro de São Luís, o Cais da Praia Grande somente oferece condições de navegabilidade durante o período de preamar, para manobras de acostagem e atracações das embarcações que realizam o transporte de passageiros e pequenas cargas para Alcântara e outras cidades da região da Baixada Maranhense, devido as grandes variações de marés, ficando inoperante durante a baixamar. “Com as quantidades de viagens diárias reduzidas, o potencial turístico de Alcântara é pouco explorado pelos visitantes”, explicou Lívio Corrêa.

Com a implantação do Terminal Portuário na Ponta D’Areia, estima-se a realização 24 viagens por dia, com embarcações saindo a cada 1 hora, transportando 3.312 passageiros diariamente.

O projeto de viabilidade técnica do Cais Flutuante São Luís-Alcântara foi aprovado pelo Governador Flávio Dino. “Agora passaremos para a próxima fase, que é a de viabilização dos recursos financeiros para a execução da obra”, revelou o presidente da AGEM.

O Cais Flutuante São Luís-Alcântara será construído pelo Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana, em parceria com a Prefeitura de Alcântara. O prazo de execução da obra será de aproximadamente 18 meses (1 ano e meio).

Assassinato de colaboradores da Cemar é mais um motivo para repudiar a posse de armas

Arquivo

Blog do Ed Wilson Araújo

A morte de dois colaboradores da Companhia Energética do Maranhão (Cemar), no Sítio Natureza, serve para refletir sobre o famigerado plano do governo federal de permitir a posse de armas.

Segundo as primeiras investigações da Secretaria de Segurança, o duplo homicídio teria sido cometido por homens insatisfeitos com o corte de energia em uma residência.

Os funcionários foram mortos a tiros dentro do carro da empresa que prestava serviço para a Cemar, no município de Paço do Lumiar, na região metropolitana de São Luís.

É preciso aguardar o resultado das investigações. Mas, independente da motivação do crime, cabe refletir sobre a posse de armas no Brasil.

A maioria da população brasileira não está preparada para ter a posse de um equipamento letal de fogo em casa. Além disso, não há condições de fiscalizar o uso de armas em um país tão grande.

Quem garante que o indivíduo com a posse de arma não vai cair na tentação de transportar um revólver ou pistola no carro ou mesmo para uma festa?

A posse de arma cria condições para um empoderamento acima do normal, podendo levar o indivíduo armado a extrapolar a razão em situações de conflito com um vizinho, por exemplo.

Como serão recebidos os colaboradores da Cemar ou da Caema por um indivíduo com posse de arma em um dia de instabilidade emocional?

O corte de energia elétrica, algo constrangedor, por si só já é motivo para chateação.

Como vai reagir o indivíduo armado diante de alguém que vai até sua casa interromper a luz ou o fornecimento de água?

Essas perguntas são fundamentais para o debate. Armar a população pode jogar o Brasil em uma guerra de todos contra todos e pavimentar o caminho para a barbárie.

Polícia Federal desarticula laboratório de cocaína em fazenda, em Pedro do Rosário, na Baixada Maranhense

A Polícia Federal desarticulou, na noite de ontem, um laboratório de manipulação de cocaína na zona rural de Pedro do Rosário, região da baixada maranhense.

Após receberem denúncias de que um indivíduo seria proprietário de um laboratório especializado na manipulação de drogas, uma equipe de Policiais Federais da Delegacia de Repressão a Drogas passou a realizar diligências na região, na tentativa de localizar e prender o suspeito.

Por volta das 20:40, foi abordado um indivíduo em um gol vermelho no município de Pedro do Rosário, com o qual a Polícia Federal encontrou uma pequena porção de cocaína pronta para consumo.

A equipe de policiais federais deslocou-se então para a fazenda do suspeito e, ao entrarem na casa, depararam-se com um laboratório de manipulação de entorpecentes, o qual contava com prensa hidráulica, balança de precisão, tabletes de crack e cocaína pronta para consumo, além de diversas munições de calibre 38, sem o devido registro.

Chamou a atenção dos Policiais Federais o fato de o laboratório de manipulação de drogas estar montado em um dos quartos da casa, ao lado do quarto dos filhos do suspeito, todos crianças menores de 10 (dez) anos de idade.

A diligência contou com o apoio de Policiais Militares lotados no município de Pedro do Rosário, além da Guarda Municipal daquela localidade.

O envolvido foi encaminhado à Superintendência Regional de Polícia Federal em São Luis, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e por ter em depósito insumos e produtos químicos destinados à preparação de drogas, sem autorização , além de posse ilegal de munição.

(Via Blog do Luis Cardoso)

Governador em exercício visita obra de alargamento da Avenida Jerônimo de Albuquerque

Na tarde desta sexta-feira, 4, uma comitiva comandada pelo governador do Estado em exercício, Carlos Brandão, visitou o canteiro de obras do projeto de alargamento de um trecho da Avenida Jerônimo de Albuquerque, nas proximidades do bairro Angelim. Brandão estava acompanhado do presidente da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

O projeto, que é uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da AGEM, tem prazo de 90 dias para ser concluído. Compreende um trecho de 500 metros de comprimento e 10 metros de largura, sendo 6 metros de pista e 4 metros de passei público.

Nesta fase estão sendo realizados serviços de terraplanagem, drenagem e pavimentação asfáltica. “Esta obra será fundamental para ajudar a desafogar o trânsito nessa região, que é um dos mais intensos na capital”, destacou Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

Para o governador em exercício, Carlos Brandão, a obra é muito importante, pois vai facilitar muito o fluxo de veículos e pedestres na região. “Naquela área o trânsito é sobrecarregado e demandava há tempos por um projeto como o que está sendo desenvolvido”, afirmou.

De acordo com Brandão, o Governo do Estado está focado em melhorias nas áreas de educação, saúde e segurança. “Mas também volta sua atenção para a mobilidade urbana, pois esta também é uma área essencial para o bem estar social e desenvolvimento”, assegurou.

Flávio Dino decreta cheque para grávidas e apoio a startups no Maranhão

Durante cerimônia de posse na Assembleia Legislativa, Dino também decretou a renovação do Cheque Minha Casa para reformar ou ampliar moradias para famílias de baixa renda. Foto: Gilson Teixeira

Por G1 MA — São Luís

O governador Flávio Dino (PCdoB) editou novos decretos durante a cerimônia de posse do segundo mandato no Maranhão. Os decretos foram assinados durante cerimônia na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (1º).

Um dos decretos cria o Cheque Casta Básica para grávidas, que promete devolver para famílias carentes valores do ICMS cobrado de produtos da cesta básica. O objetivo é combater a desigualdade social e a mortalidade infantil.

Segundo Dino, até o mês de maio deve começar o pagamento de R$ 900 para gestantes no Maranhão, sob a condição de comparecimento às consultas de pré-natal, ao acompanhamento nutricional e ao acompanhamento de saúde.

De acordo com o governo, com investimento inicial de R$ 20 milhões, o Cheque Cesta Básica Gestante será pago em nove parcelas de R$ 100 para cada grávida que aderir ao programa. As seis primeiras parcelas serão pagas durante a gestação, enquanto as três últimas serão nos primeiros meses de vida do bebê.

Durante a cerimônia, Flávio Dino também decretou a renovação do Cheque Minha Casa, usado para reformar ou ampliar moradias para famílias de baixa renda. As famílias beneficiadas com o programa devem receber R$ 5 mil em duas parcelas de R$ 2.500. Os recursos podem ser usados para compra de materiais de construção.

Apoio às startups

Outros dois decretos foram assinados pelo governador para apoiar projetos com soluções de base tecnológica e inovadoras desenvolvidos por startups ligadas ao desenvolvimento do Estado. Um deles garante que a administração pública possa contratar empresas que desenvolvem novos produtos, serviços e tecnologia inovadora, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) e mais bolsas para desenvolvimento das empresas startups.

O outro decreto dispõe sobre a cessão de imóveis públicos para que essas empresas possam se instalar e desenvolver suas atividades na área do Centro Histórico de São Luís, onde funcionará um polo tecnológico.

AGEM emite Ordem de Serviço para construção de praça no Quebra Pote

O equipamento de esporte e lazer será construído em uma área localizada na Avenida Principal do bairro.

Mais uma localidade da zona rural de São Luís foi confirmada no conjunto de obras que estão sendo realizadas pelo Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM). Trata-se da comunidade do Quebra Pote, que será beneficiada com uma praça, na avenida principal do bairro, equipamento cuja construção foi garantida pela Ordem de Serviço emitida na tarde desta sexta-feira, 21.

A proposta da intervenção foi desenvolvida pela Agência Executiva Metropolitana, após reuniões com a comunidade, quando foram pontuadas as necessidades e possibilidades a serem consideradas na elaboração do projeto. Isso incluiu a escolha da área para a construção, que, hoje, é um espaço desordenado, mas, ainda assim, utilizado pela população para atividades diversas.

Com a intervenção da AGEM, o local passará a servir como maquinário público com iluminação adequada, bancos para descanso e leitura, uma academia ao ar livre, playground, calçamento e passeio público, área verde – preservando árvores do local -, estacionamento e acessibilidade por rampas. No total, o projeto abrange uma área construída de 3.240,48 m2. “A ideia, desde o início, foi de revitalização de uma área que já é utilizada pelos moradores, de forma a gerar conforto e segurança para todos”, explica o presidente da Agem, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

Lívio Corrêa fez questão de destacar, mais uma vez, que o projeto é uma determinação do Governo do Estado para comunidades das zonas rurais de São Luís. “Entendemos que essas áreas são mais carentes e demandam por equipamentos públicos de esporte e lazer como o que será construído aqui”.

Este aspecto também foi ressaltado pelo vereador Chico Carvalho. “A comunidade do Quebra Pote há muito demanda por uma praça como essa e muitas promessas foram feitas para os moradores. Entretanto, agora o que era um sonho será transformado em realidade”

As obras serão iniciadas no início de janeiro. “A empresa tem um prazo de 90 dias para entregar a Praça”, revelou Lívio Corrêa.