Polícia Federal deflagra operação contra crimes previdenciários no Maranhão

Operação batizada de Hefesto foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (13) em São Luís e no município de São José de Ribamar.

Por G1, São Luís

A Polícia Federal (PF) em conjunto com a Secretaria de Previdência e o Ministério Público Federal (MPF) deflagrou na manhã desta sexta-feira (13) em São Luís e no município de São José de Ribamar uma operação que tem como objetivo de reprimir crimes previdenciários no estado. Além do Maranhão a operação, que foi batizada de “Hefesto”, acontece também nas cidades de Fortaleza e Caucaia, situadas no estado do Ceará.

Segundo a PF, as investigações foram iniciadas em 2013 e levaram à identificação de um esquema criminoso responsável pela inserção inoportuno de vínculos trabalhistas fictícios no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). O esquema criminoso contava com a participação de um advogado, este também sócio de duas empresas utilizadas nas fraudes, de uma técnica em contabilidade, de duas assistentes sociais e de diversos outros agenciadores e intermediários.

A operação, que contou com a participação de 82 policiais federais e de um servidor da Inteligência Previdenciária (COINP), cumpriu 17 mandados judiciais, sendo dois de prisão preventiva e 15 de busca e apreensão. O prejuízo inicialmente identificado com a concessão de 127 benefícios fraudulentos aproxima-se de R$ 13,6 milhões. O valor do prejuízo evitado com a consequente suspensão dos benefícios ativos, levando-se em consideração a expectativa de vida média da população brasileira, é de aproximadamente R$ 28 milhões.

Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de estelionato previdenciário e associação criminosa, cujas penas máximas acumuladas podem chegar a nove anos e oito meses de prisão, sendo que um dos investigados também foi indiciado pelo crime de falsificação de documento público para fins previdenciários.

Operação Hefesto

O nome da operação é uma alusão ao deus grego do trabalho, que segundo os relatos, tinha grande capacidade de criação. Trata-se de uma referência a tipologia da fraude perpetrada: vínculos empregatícios fictícios.

Greves deixam Temer cada vez mais “isolado e detestado”, diz Le Monde

O jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta quinta-feira (31) traz uma reportagem sobre as greves que paralisam o Brasil.

O texto começa explicando que “em qualquer país produtor de petróleo, a alta vertiginosa do preço do barril normalmente seria vista como uma benção“. Mas no caso do Brasil, e de seu impopular Michel Temer, essa alta é vivida como uma tragédia, “capaz de desestabilizar a democracia”.

“Apoiados pela população, os caminhoneiros criticam a nova política de preços praticada pela Petrobras, que decidiu revender o produto aos brasileiros seguindo as evoluções do mercado mundial”, explica a correspondente. Ela relata que, há dez dias, os caminhoneiros bloqueiam as estradas por onde passam comida, medicamentos e combustível”, e que, com os postos de gasolina vazios, escolas foram fechadas, supermercados estão desabastecidos e os hospitais foram obrigados a restringir seus serviços às operações de urgência.

Mas além do impacto social, a greve ganhou ares políticos, com os slogans dos sindicalistas sendo substituídos por gritos de “Fora Temer”, analisa Le Monde. Além disso, comenta a reportagem, são cada vez mais frequentes os pedidos de intervenção militar. “Uma espécie de reprise do golpe militar de 1964, que agrada a extrema-direita brasileira, principalmente seu chefe, Jair Bolsonaro”, aponta o jornal.

Bolsonaro “virou a casaca”

No entanto, pondera Le Monde, os militares não parecem interessados em tomar o poder, e dizem que uma intervenção militar “é coisa do passado”, como declarou o general Sérgio Etchegoyen, citado pela vespertino. Além disso, continua o texto, o próprio Bolsonaro, que apoiava os grevistas, “virou a casaca” e pede o fim do movimento, alegando que o caos atual não é uma boa coisa para os brasileiros. Mesmo assim, relato o jornal, 87% da população apoia o movimento de greve, segundo uma pesquisa de opinião divulgada na quarta-feira e mencionadas pelo Le Monde.

Além disso, do ponto de vista político, a mobilização acabou reunindo extrema-direita e esquerda radical, que encontraram como ponto em comum o fato de odiarem Michel Temer, explica o texto. Diante da situação, o chefe de Estado cada vez mais “isolado e detestado”, não sabe o que fazer, conta a reportagem. A tal ponto que, durante uma cerimônia em Brasília, o presidente disse que, “se Deus quiser”, as coisas vão melhorar, quase como se esperasse um milagre, conclui a correspondente do jornal Le Monde. 

Falta de abastecimento causa transtornos à população em São Luís

Produtos essenciais à população, como combustíveis e itens alimentícios, estão difíceis de encontrar nos estabelecimentos de São Luís. Esse impasse ocorre pela falta de abastecimento, causada pela paralisação dos caminhoneiros, que ocorre em nível nacional e já está no seu nono dia. A categoria exige redução no preço do óleo diesel.

 

Faltam produtos nas prateleiras de supermercados

Em São Luís, caminhoneiros de diversos estados estão concentrados no Km 5 da BR-135 e também em outros trechos da rodovia federal. A manifestação não causa impacto ao fluxo de veículos menores. De acordo com o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (Sindcombustíveis-MA), João Rolim, 70% do total de 220 postos de combustíveis da capital maranhense estão abastecidos.

“Durante o último domingo, 20, caminhões-tanque saíram do Porto do Itaqui, escoltados, para abastecer os postos de São Luís. O abastecimento ocorreu de forma fracionada, mas os estabelecimentos receberam o produto. Calculamos que 70% dos postos dispõem do produto. Os outros 30% aguardam. Aqui na capital, havia 250 postos, mas alguns fecharam. Atualmente, contabilizamos 220”, explicou Rolim.

Alguns postos da capital maranhense e da Região Metropolitana de São Luís estão comercializando o litro da gasolina a quase R$ 5,00.

Ainda há caminhões parados na BR-135

Alimentos

O desabastecimento também reflete no setor alimentício. Alimentos de panificação e hortifruti já começam a faltar em um supermercado situado no bairro da Cohama.

Na Central de Abastecimento do Maranhão (Ceasa), bancas de frutas, legumes e hortaliças estavam vazias ou no limite, na manhã de ontem.

Ônibus – a frota de ônibus foi reduzida ontem em 30% na capital maranhense, de acordo com informações do Sindicato das Empresas de Transporte de São Luís (SET). Segundo o sindicato, a medida visa garantir um atendimento mínimo na cidade por conta da falta de combustível. A Prefeitura de São Luís, por sua vez, garantiu, em nota divulgada no domingo, que a frota de ônibus circularia em 100%.

 

Universidades – a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) suspendeu as aulas ontem, devido à falta de combustíveis. Já as atividades administrativas da instituição ocorreram normalmente. Não houve aulas também na Universidade Estadual do Maranhão (Uema), a fim de minimizar os transtornos para a comunidade universitária, segundo a instituição. Algumas faculdades particulares também suspenderam as aulas.

Gás – o Sindigás informou, ontem, que algumas praças ainda possuem um estoque mínimo de GLP, apesar da situação caótica do abastecimento do produto em todo o Brasil. Por ele ser armazenável, tem a vantagem de permitir ao consumidor contar com uma reserva, em média, de até 22 dias.

Grevistas e forças policiais estão permitindo apenas a passagem de caminhões com GLP granel para abastecer serviços essenciais, como hospitais, creches, escolas e presídios. Porém, caminhões com botijões de 13kg, 20kg, 45kg vazios ou cheios com nota fiscal a caminho das revendas não são reconhecidos pelos grevistas como serviço essencial.

O Sindigás reitera que há gás nas bases. O problema no abastecimento deve-se às dificuldades de escoamento do produto pelas rodovias do país.

(Com informações do Imirante)

Postos voltam a ser abastecidos com combustível no Maranhão

Desde a noite de sexta (25), postos voltaram a ser abastecidos em São Luís. Neste domingo (27), uma operação é realizada para transportar o combustível via ferry boat até cidades do interior.

Por Rafael Cardoso, G1 MA, São Luís

Desde a noite de sexta (25), caminhões transportando combustível saem escoltados pela Polícia Militar do Porto do Itaqui para reabastecer postos na capital. No sábado (26), filas se formaram em vários por conta da volta do combustível.

Até o início da tarde deste domingo (27), 30 dos 250 postos da capital receberam combustível, de acordo com o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (Sindcombustíveis-MA). Uma outra parte dos combustíveis foram escoltados pela polícia para abastecer serviços essenciais , como carros de polícia, ambulância e o Corpo de Bombeiros.

Na tarde deste domingo (27), o presidente do Sindcombustíveis, João Rolim, disse que o abastecimento voltou a ocorrer de forma normal em São Luís. Isso ocorre porque um piquete foi desfeito na via que liga o Porto do Itaqui ao Bacanga. Nesse ponto, os caminhões com combustível conseguem passar e chegar até São Luís com o apoio de equipes da polícia.

“Tem uma frota de mais de 30 caminhões abastecendo a cidade. O problema está se resolvendo. Nesse ritmo, até amanhã (28) é possível que 50% dos postos já estejam abastecidos em São Luís.”, declarou.

Interior do estado

De acordo com o presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana (MOB), Lawrence Melo, uma operação está sendo realizada para levar combustível até o interior do Maranhão. São mais de 20 caminhões-tanque disponibilizados para abastecer as cidades.

“Foram realizadas operações com escolta de caminhões-tanque saindo do Porto do Itaqui e restabelecendo a normalidade do abastecimento em São Luís. Agora estamos avançando para o interior do estado, na região tocantina e também na baixada maranhense. São 22 caminhões-tanque que estão no terminal da Ponta da Espera, são carregados e serão transportados em uma viagem exclusiva via ferry boat para a baixada”, afirmou.

Comandante do Exército já mobiliza tropas em todo o país

“Comunico que acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos senhores governadores que façam o mesmo.”

Michel Temer

Arquivo

O GLOBO

O Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, determinou a imediata mobilização de todo o efetivo da força para ser empregada da liberação de rodovias. Os homens dos diferentes batalhões espalhados pelo país já foram mobilizados. O presidente Temer determinou o uso das Forças Armadas para liberar os bloqueios feitos por caminhoneiros grevistas.

O comandante determinou que as áreas fiquem em condições de ser empregadas — disse ao GLOBO um militar ligado ao comando.

Na noite desta quinta-feira, por volta de 22h, o comandante Villas Bôas realizou uma videoconferência com todos os sete comandantes militares de área do Exército — comandos militares da Amazônia, Norte, Nordeste, Oeste, Leste, Sudeste e Sul — para tratar do assunto. (Robson Bonin, da sucursal de Brasília)

Dois brasileiros são presos após resgate de imigrantes de barco à deriva

Suspeita é que eles estejam envolvidos em esquema de imigração ilegal. Embarcação com 25 africanos foi resgatado no Maranhão no sábado.

Por G1 MA, São Luís

Embarcação com imigrantes do Senegal, Nigéria e Guiana foi resgatada à deriva na Baia de São Marcos no Maranhão. (Foto: Divulgação/Governo do Maranhão)

A Polícia Federal prendeu os dois brasileiros que estavam na embarcação encontrada à deriva com 25 estrangeiros na costa brasileira no sábado (19). A suspeita é que eles estejam envolvidos em um esquema de imigração ilegal.

“A ideia era a entrada ilegal dessas pessoas em território nacional para finalidades diversas. Na gíria policial chamamos as pessoas que fazem essa entrada ilegal de coiotes”, afirmou o delegado delegado Luís André Lima Almeida, chefe da delegacia de Imigração da Polícia Federal no Maranhão.

O barco estava à deriva havia 35 dias, após o mastro quebrar e o motor pifar. O grupo foi resgatado próximo ao município de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís, após receberem auxílio de pescadores.

Foram encontrados estrangeiros vindos do Senegal, Nigéria, Guiné, Serra Leoa e Cabo Verde, além dos dois brasileiros, que foram detidos e encaminhado para o centro de triagem do presídio de Pedrinhas, em São Luís.

 

Segundo o delegado, os brasileiros devem responder por promoção de imigração ilegal, que tem pena prevista de dois a cinco anos de prisão, podendo aumentar dependendo das condições do transporte.

Às autoridades, os estrangeiros resgatados disseram ter pago ao brasileiros para chegar ao Brasil, e que foram transportados em condições degradantes. A embarcação seguia para Natal e, de lá, partiria possivelmente em direção a São Paulo ou Rio de Janeiro, segundo a PF.

Para o delegado, o caso é inédito pelo número de pessoas envolvidas e será o primeiro no Maranhão. “Temos outras modalidades de pessoas que entram no país de forma clandestina, mas não dessa maneira. Além disso, não há notícias recentes que isso tenha ocorrido em outros locais do Brasil”, afirma.

Embarcação com imigrantes do Senegal, Nigéria e Guiana foi resgatada à deriva na Baia de São Marcos no Maranhão. (Foto: Divulgação/Governo do Maranhão)

Apoio

Ao chegar ao cais, os imigrantes estavam com quadro de desidratação. Eles receberam atendimento médico, refeições e apoio psicológico e foram encaminhados para o Ginásio Costa Rodrigues, em São Luís, onde receberão apoio da Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) do governo do Maranhão.

Segundo o delegado da PF, ainda não foi definido qual será o destino dos imigrantes. Uma possibilidade é que eles sejam enviados de volta aos países de origem. Outra é a concessão de refúgio.

Ao chegar ao cais, os imigrantes estavam com quadro de desidratação. Eles receberam atendimento médico, refeições e apoio psicológico e foram encaminhados para o Ginásio Costa Rodrigues, em São Luís, onde receberão apoio da Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) do governo do Maranhão.

Segundo o delegado da PF, ainda não foi definido qual será o destino dos imigrantes. Uma possibilidade é que eles sejam enviados de volta aos países de origem. Outra é a concessão de refúgio.

Polícia prende suspeitos em duas cidades no Maranhão em operação contra a pornografia infantil

Operação nacional “Operação Luz na Infância 2” foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (17). Polícia Civil agiu em São Luís e Imperatriz.

arquivo

Por G1 Maranhão, São Luís, MA

No combate aos crimes de pornografia infantil, a Polícia Civil do Maranhão prendeu dois suspeitos em flagrante de 24 e 34 anos. Um foi preso em São Luís, enquanto outro foi capturado em Imperatriz. Além das prisões, os policiais cumpriram também dois mandados de busca e apreensão nas duas cidades. As ações fazem parte da “Operação Luz na Infância 2”, deflagrada nesta quinta-feira (17), em todo país. A força-tarefa é coordenada pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública (MESP).

A Polícia Civil do Maranhão ainda vai divulgar balanço final da operação, que é coordenada no Maranhão pelo delegado Odilardo Muniz, titular do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic). Veja o número de presos em todo país.

Os dois suspeitos poderão pagar fiança e responder pelo crime de pornografia infantil pois segundo a polícia, eles apenas armazenavam o conteúdo e não chegaram a compartilhar com outros usuários na internet.

“É um crime [pornografia] em que a pessoa pode ser presa em flagrante. Qualquer pessoa que tenha fotos ou imagens de menores no celular ou computador em posições de sexo é considerado um delito. Mas em ambiente virtual o primeiro passo é você sair dele e ir para o ambiente real por curiosidade e aí vai aumentando essa curiosidade até chegar um ponto de ir para o real e atingir as crianças”, explica Odilard Muniz, delegado da Polícia Civil.

A investigação foi coordenada pela Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Dint/Senasp/MESP) e pelo Departamento de Combate ao Crime Tecnológico (DCCT/SEIC-MA). Depois, cada Polícia Civil ficou responsável pela instauração dos inquéritos e pedidos à justiça local dos mandados.

Os dois suspeitos poderão pagar fiança e responder pelo crime de pornografia infantil pois segundo a polícia, eles apenas armazenavam o conteúdo e não chegaram a compartilhar com outros usuários na internet.

Esta é a segunda fase de uma operação iniciada no dia 20 de outubro de 2017, quando 157 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em todo país. Um vasto material como computadores e arquivos digitais foram apreendidos. À época, 112 pessoas foram presas.

Pedofilia é doença

A pedofilia está entre as doenças classificadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como transtorno de preferência sexual. Pedófilos são pessoas adultas (homens e mulheres) que têm preferência sexual por crianças – meninas ou meninos – do mesmo sexo ou de sexo diferente, geralmente pré-púberes (que ainda não atingiram a puberdade) ou no início da puberdade.

O Código Penal considera crime a relação sexual ou ato libidinoso (todo ato de satisfação do desejo, ou apetite sexual da pessoa) praticado por adulto com criança ou adolescente menor de 14 anos. Conforme o artigo 241-B do ECA é considerado crime, inclusive, o ato de “adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.”