Corpo da radialista Helena Leite é sepultado em São Luís

Helena Leite foi sepultada neste domingo (31) no Cemitério do Gavião, na capital. Parentes, amigos, colegas de trabalho e admiradores participaram do funeral da radialista.

Corpo da radialista Helena Leite é sepultado em São Luís — Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM

O corpo da radialista maranhense Helena Leite foi sepultado na manhã deste domingo (31) no Cemitério do Gavião, no bairro Madre Deus, em São Luís. Parentes, amigos, colegas de trabalho, apoiadores da cultura e admiradores estiveram no local e prestaram as suas últimas homenagens no funeral da radialista, que foi levada ao cemitério no caminhão do Corpo de Bombeiros.

Helena Leite tinha 67 anos e morreu na madrugada de sábado (30) após sofrer um infarto fulminante. Ela ainda chegou a ser levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro Vinhais, na capital, mas não resistiu e morreu.

Helena Leite trabalhou em algumas das principais emissoras de rádio em São Luís, sempre muito ligada à cultura popular, principalmente ao bumba meu boi.

Parentes, amigos, colegas de trabalho, apoiadores da cultura prestaram as suas últimas homenagens no funeral da radialista Helena Leite — Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM Parentes, amigos, colegas de trabalho, apoiadores da cultura prestaram as suas últimas homenagens no funeral da radialista Helena Leite — Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM

Parentes, amigos, colegas de trabalho, apoiadores da cultura prestaram as suas últimas homenagens no funeral da radialista Helena Leite — Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM

Repercussão

O Governo do Maranhão, a Prefeitura de São Luís, a Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema) e o Sindicato dos Jornalistas emitiram notas de pesar em relação a morte da radialista maranhense. Confira abaixo:

Sindicato dos Jornalistas

“Com profunda tristeza registramos o falecimento da radialista e folclorista Helena Leite, defensora incansável da cultura popular, que marcou época no Rádio maranhense com passagem por diversas emissoras como Educadora, Difusora, Timbira, Capital e outras sempre com programas em que defendia com muita coragem e compromisso o folclore da nossa terra. Enviamos à família e amigos da prateada os nossos pêsames e solidariedade com nossa saudade”.

Governo do Maranhão

“Com 50 anos de trabalho, Helena Leite dedicou grande parte da sua vida à cultura popular do Maranhão, atuando em programas de rádio na defesa e divulgação deste segmento. Em sua trajetória profissional, Helena Leite deu grande contribuição à Comunicação e Cultura do Maranhão, atuando em emissoras como Timbira, Educadora, Difusora, Capital e outras. O corpo será velado no Parque Folclórico da Vila Palmeira. Neste momento de dor, o Estado se solidariza com os amigos e familiares de Helena”.

Morre aos 67 anos a radialista Helena Leite — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Prefeitura de São Luís

“A Prefeitura de São Luís lamenta o falecimento na madrugada deste sábado (30) da radialista e produtora cultural Helena Leite, aos 67 anos.Helena se tornou conhecida por sua trajetória no rádio em prol da cultura maranhense, atuando fortemente na divulgação e deixando um importante legado nestas áreas. Neste momento de dor e saudade, o prefeito Edivaldo Holanda Junior manifesta solidariedade à família, amigos e admiradores da radialista, pedindo a Deus que conforte a todos”.

Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema)

“A Assembleia Legislativa do Maranhão lamenta, profundamente, o falecimento da radialista Helena Leite, de 67 anos, ocorrido neste sábado (30), em São Luís. A radialista passou por vários veículos de Comunicação, onde deixa, agora, um enorme vazio sem a sua brilhante e marcante voz, que se destacava, principalmente, em prol da cultura de São Luís e do Maranhão. Manifestamos nossa solidariedade aos seus familiares e amigos, rogando a Deus que conforte a todos neste momento de profunda dor”.

Por G1 MA — São Luís

TCE suspende carnaval em 55 municípios do MA, veja a lista.

Levando em conta que várias prefeitura estão com salários de funcionários atrasados, o Tribunal de Contas do Estado Maranhão aprovou por unanimidade o cancelamento de festas públicas. O TCE contou com o apoio do Ministério Público neste sentido. Como os prefeitos das cidades com atraso salarial já gastaram com os preparativos e contratos com bandas, eles já estão condenados, assim como a ampla maioria da população de cada município que não é servidor público, inclusive os que ganham uma renda extra durante o período carnavalesco.

De acordo com a medida aprovada, são consideradas ilegítimas para os fins do artigo 70 da Constituição Federal, qualquer despesa custeada com recursos públicos municipais – inclusive aqueles decorrentes de contrapartida em convênio – com eventos festivos quando o município estiver em atraso com o pagamento da folha salarial (incluindo terceirizados, temporários e comissionados); ou em estado de emergência ou de calamidade pública decretados.

Assim sendo, não haverá carnaval em várias cidades maranhenses, sob pena dos prefeitos estarem desobedecendo a lei. A medida deve causar revolta entre os brincantes que, inclusive, retornam às suas cidades de origens para cair na folia. O município também perde receitas.

O pior de tudo é que os prefeitos já gastaram com recursos de contrapartida com convênios estaduais para o carnaval e vão ficar sem saber o que fazer com o dinheiro das emendas parlamentares destinadas ao mesmo fim. Além disso, já gastaram com equipamento para a infraestrutura carnavalesca, assim como já pagaram as parcelas iniciais de contratos com bandas e terão que arcar com o total do acordo se for cancelado.

Abaixo a relação onde as festas estarão canceladas:

1.            Anapurus

2.            Amapá do Maranhão

3.            Arame

4.            Bacabal

5.            Bacuri

6.            Bom Lugar

7.            Carutapera

8.            Cândido Mendes

9.            Centro Novo do Maranhão

10.          Colinas

11.          Cururupu

12.          Esperantinópolis

13.          Godofredo Viana

14.          Governador Edison Lobão

15.          Governador Nunes Freire

16.          Grajaú

17.          Icatu

18.          Joselândia

19.          Lago Açu

20.          Lago da Pedra

21.          Lago do Junco do Maranhão

22.          Lago dos Rodrigues

23.          Lago Verde

24.          Luis Domingues

25.          Maracaçumé

26.          Mirador

27.          Nova Iorque

28.          Nova Olinda

29.          Paraibano

30.          Parnarama

31.          Pedreiras

32.          Peri-Mirim

33.          Peritoró

34.          Pindaré-Mirim

35.          Poção de Pedras

36.          Porto Franco

37.          Presidente Médici

38.          Presidente Vargas

39.          Santa Luzia

40.          Santa Luzia do Paruá

41.          Santa Quitéria

42.          São João do Carú

43.          São João dos Patos

44.          São Mateus do Maranhão

45.          São Roberto

46.          São Vicente Férrer

47.          Senador La Rocque

48.          Serrano do Maranhão

49.          Sucupira do Norte

50.          Timon

51.          Tuntum

52.          Turiaçu

53.          Tutoia

54.          Urbano Santos

55.          Vargem Grande

(Via Blog do Luis Cardoso, com informações do TCE)

Banda do Cézar Bombeiro anima pré-carnaval na Liberdade aos domingos

O Bar No Peito e na Raça já recebeu a decoração carnavalesca e os abadás da Banda do CB já estão disponíveis

A folia toma conta da Liberdade a partir de amanhã (3). Com apoio cultural do vereador Cézar Bombeiro (PSD), a Banda do CB vai animar o pré-carnaval do bairro nos quatro domingos de fevereiro, com vasta programação e em clima de paz.

O ponto de concentração da Banda do CB será o Bar No Peito e na Raça (Rua Gregório de Matos, próximo à Escola Dayse Linhares). O proprietário do bar, Cláudio Lindoso, preparou uma recepção calorosa aos foliões, que poderão se divertir em um ambiente ordeiro e seguro. Abaixo, a programação:

(Via Blog do Daniel Matos)

Neste sábado tem carnaval dos Baixadeiros em São Luís

O grito de carnaval dos Baixadeiros deste ano de 2019 será no dia 16 de fevereiro (sábado), na Associação dos Magistrados (Calhau), a partir das 15:00 horas. O Abadá está sendo comercializado ao preço de R$ 15,00 (Quinze Reais).

Divulgação FDBM

A festa vai ser constituída por um numeroso grupo de conterrâneos da Baixada Maranhense que residem em São Luís e que passam o período momesco em seus municípios de origem. São foliões naturais de Pinheiro, Peri-Mirim, São Bento, Bequimão, Matinha, Viana, Anajatuba, Cajari, São João Batista etc.

O objetivo dos organizadores é fazer um carnaval tradicional , com marchinhas que marcaram época e também homenagear a Baixada Maranhense, congregando e promovendo um espaço de animação para os maranhenses oriundos dessa região do Estado e também difundir a cultura, os costumes, as belezas naturais e os valores da mesma.

O acesso a associação é mediante ao uso do abadá do carnaval e doação de 1 kg de alimento não perecível. Os abadás podem ser adquiridos pelo fone e whatsapp 9-8114-2052 ou no local do evento. Ascom.

Bloco da Imprensa realiza última prévia carnavalesca em São Luís

Bloco da Imprensa realiza última concentração em São Luís — Foto: Divulgação

O Bloco da Imprensa vai realizar neste sábado (16), a partir das 18h, em frente ao Bar do Porto, situado na Praça dos Catraieiros, na Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís a sua última concentração antes do período carnavalesco na capital.

Conhecido por sua rica diversidade cultural e por reunir um grande número de profissionais da área da Comunicação, além do público em geral, o Bloco da Imprensa vai contar na sua última concentração com a participação de grupos genuinamente maranhenses.

Entre as atrações presentes no Bloco da Imprensa estarão o Grupo Madrilenus, Bloco Tradicional ‘Os Feras’, Banda do Bicho Terra, Bateria ‘Explosão’, da Turma do Quinto e Banda Makina do Tempo.

Banda do Bicho Terra será uma das atrações que animará o público no Bloco da Imprensa em São Luís — Foto: Divulgação

Última concentração vai acontecer neste sábado (16), a partir das 18h, em frente ao Bar do Porto, na Praça dos Catraieiros, na Praia Grande, no Centro Histórico da capital. (Por G1 Maranhão — São Luís

Eulálio Figueiredo: o menestrel do Direito e das Artes

Por Flávio Braga

José Eulálio Figueiredo de Almeida nasceu no dia 12/02/1960, em São João Batista, no coração da Baixada Maranhense. Migrou com a sua família para São Luís em 1963, e morou no bairro do desterro até 1997.

É Juiz de Direito desde 1991 (aprovado em 1.º lugar) e professor de Processo Penal na UFMA há 33 anos. Possui especialização em Ciências Criminais e em Processo Civil. É membro da Academia Maranhense de Letras Jurídicas e Doutor em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidad del Museo Social Argentino. Atuou como membro efetivo do TRE no biênio de 2013/2015.

Eulálio Figueiredo é um tribuno a toda prova. Maneja como poucos o dom da oratória e se expressa com invulgar fluência verbal e intelectual, sempre com muita eloquência, polidez, galhardia e desfiando um português escorreito, portando-se com o mesmo denodo em suas aulas e palestras. Além de homem versado na ciência do Direito, é poeta, escritor, cantor e compositor de toadas de bumba-boi e de marchinhas carnavalescas.

Publicou as seguintes obras literárias: Suspensão do processo e da prescrição penal(1998); Decisões administrativas (2002); Sentença penal: doutrina, Prática e jurisprudência (2002); Anatomia do ser (1999); Milésima face (2000); O crime da baronesa(2004); O processo das formigas (2011); Vidas profanas (2015) e O Crime do Desembargador Pontes Visgueiro (2018). Autor de vários artigos científicos, é citado por juristas de escol como Theotônio Negrão, Tourinho Filho, Damásio de Jesus, Alberto Silva Franco, dentre outros.

É autor de diversas toadas de bumba-meu-boi, como estas: Lamento de um caboclo; Visita ao mar; Lamento de um estudante; Minha prece; Prece da saudade; São Luís, minha ilha bela!; Passeio no mar; Menestrel da Baixada; Mar dos amores; Ganhei o meu dia; Tempo de cantoria.

A sua verve engenhosa fez brotar 14 marchinhas, carregadas de trocadilhos, malícia e fino humor irônico, como: Mensalão(premiada no festival de marchinhas da TV Mirante em 2006); Pedaladas carnavalescas(classificada no festival de marchinhas do programa Fantástico da TV Globo); Receita da vovó (selecionada para o festival de marchinhas da TV Mirante em 2009); Traidores da Pátria e CPI do carnaval. Todas fazem irreverência e sarcasmo com a cena política brasileira. Em 2018, estourou nas rádios e no carnaval de rua a música Pesque-pague do pacu, em que o poeta-compositor, a pretexto de recomendar uma dieta à base desse peixe, produziu mais uma espirituosa marchinha.

Para o carnaval de 2019 o juiz-compositor lançou a marchinha Festa do peru, que foi classificada para o festival de música carnavalesca de Imperatriz. Trata-se de composição melódica, com pitadas de humor picante e versos de duplo sentido (figura de linguagem predominante nas marchinhas de carnaval).

Consta do seu repertório, além de boleros gravados pela cantora Eugênia Miranda, como Dúvida, outras canções em que exalta os grandes cantadores de bumba-boi do Maranhão, como Humberto do Maracanã e Coxinho.

Na literatura, por ser autor da trilogia criminológica maranhense (O crime da baronesa, O processo das formigas e O Crime do Desembargador Pontes Visgueiro), em que aborda crimes que marcaram a história do Judiciário estadual, tem sido cognominado por alguns amigos e leitores de o “Jorge Amado do Maranhão”.

É esse cabedal de atributos e virtudes que singulariza o joanino talentoso, versátil e de boa cepa, Dr. Eulálio Figueiredo, e a sua vasta obra e cultura jurídica, aos quais rendo minha justa homenagem na condição de porta-voz dos ecos da Baixada Maranhense.

Fórum em Defesa da Baixada Maranhense fará o pré-carnaval dos baixadeiros em São Luís

O grito de carnaval dos Baixadeiros deste ano de 2019 será no dia 16 de fevereiro (sábado), na Associação dos Magistrados (Calhau), a partir das 15:00 horas. O Abadá está sendo comercializado ao preço de R$ 15,00 (Quinze Reais).

Divulgação FDBM

A festa vai ser constituída por um numeroso grupo de conterrâneos da Baixada Maranhense que residem em São Luís e que passam o período momesco em seus municípios de origem. São foliões naturais de Pinheiro, Peri-Mirim, São Bento, Bequimão, Matinha, Viana, Anajatuba, Cajari, São João Batista etc.

O objetivo dos organizadores é fazer um carnaval tradicional , com marchinhas que marcaram época e também homenagear a Baixada Maranhense, congregando e promovendo um espaço de animação para os maranhenses oriundos dessa região do Estado e também difundir a cultura, os costumes, as belezas naturais e os valores da mesma.

O acesso a associação é mediante ao uso do abadá do carnaval e doação de 1 kg de alimento não perecível. Os abadás podem ser adquiridos pelo fone e whatsapp 9-8114-2052 ou no local do evento.

(Via Blog do Leo Cardoso)