Falta de abastecimento causa transtornos à população em São Luís

Produtos essenciais à população, como combustíveis e itens alimentícios, estão difíceis de encontrar nos estabelecimentos de São Luís. Esse impasse ocorre pela falta de abastecimento, causada pela paralisação dos caminhoneiros, que ocorre em nível nacional e já está no seu nono dia. A categoria exige redução no preço do óleo diesel.

 

Faltam produtos nas prateleiras de supermercados

Em São Luís, caminhoneiros de diversos estados estão concentrados no Km 5 da BR-135 e também em outros trechos da rodovia federal. A manifestação não causa impacto ao fluxo de veículos menores. De acordo com o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (Sindcombustíveis-MA), João Rolim, 70% do total de 220 postos de combustíveis da capital maranhense estão abastecidos.

“Durante o último domingo, 20, caminhões-tanque saíram do Porto do Itaqui, escoltados, para abastecer os postos de São Luís. O abastecimento ocorreu de forma fracionada, mas os estabelecimentos receberam o produto. Calculamos que 70% dos postos dispõem do produto. Os outros 30% aguardam. Aqui na capital, havia 250 postos, mas alguns fecharam. Atualmente, contabilizamos 220”, explicou Rolim.

Alguns postos da capital maranhense e da Região Metropolitana de São Luís estão comercializando o litro da gasolina a quase R$ 5,00.

Ainda há caminhões parados na BR-135

Alimentos

O desabastecimento também reflete no setor alimentício. Alimentos de panificação e hortifruti já começam a faltar em um supermercado situado no bairro da Cohama.

Na Central de Abastecimento do Maranhão (Ceasa), bancas de frutas, legumes e hortaliças estavam vazias ou no limite, na manhã de ontem.

Ônibus – a frota de ônibus foi reduzida ontem em 30% na capital maranhense, de acordo com informações do Sindicato das Empresas de Transporte de São Luís (SET). Segundo o sindicato, a medida visa garantir um atendimento mínimo na cidade por conta da falta de combustível. A Prefeitura de São Luís, por sua vez, garantiu, em nota divulgada no domingo, que a frota de ônibus circularia em 100%.

 

Universidades – a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) suspendeu as aulas ontem, devido à falta de combustíveis. Já as atividades administrativas da instituição ocorreram normalmente. Não houve aulas também na Universidade Estadual do Maranhão (Uema), a fim de minimizar os transtornos para a comunidade universitária, segundo a instituição. Algumas faculdades particulares também suspenderam as aulas.

Gás – o Sindigás informou, ontem, que algumas praças ainda possuem um estoque mínimo de GLP, apesar da situação caótica do abastecimento do produto em todo o Brasil. Por ele ser armazenável, tem a vantagem de permitir ao consumidor contar com uma reserva, em média, de até 22 dias.

Grevistas e forças policiais estão permitindo apenas a passagem de caminhões com GLP granel para abastecer serviços essenciais, como hospitais, creches, escolas e presídios. Porém, caminhões com botijões de 13kg, 20kg, 45kg vazios ou cheios com nota fiscal a caminho das revendas não são reconhecidos pelos grevistas como serviço essencial.

O Sindigás reitera que há gás nas bases. O problema no abastecimento deve-se às dificuldades de escoamento do produto pelas rodovias do país.

(Com informações do Imirante)

Viana – um exemplo a ser seguido

Empresário Júnior Viana Feliz restabelece fornecimento de água ao Povoado Caru

Empresário Junior Viana, (ao centro, de camisa listrada), acompanhado de colaboradores e operários, observa o funcionamento do poço artesiano com a nova bomba

Viana – Buscando levar alivio para os moradores do Povoado Caru, Zona Rural de Viana, que sofrem com os problemas causados pela falta d´água devido à quebra da bomba do poço artesiano, o jovem empresário Júnior Viana usou de recursos próprios e adquiriu uma bomba nova, com vazão de 10 mil litros por hora, que vai atender centenas de famílias.

Segundo o empresário que atendeu a solicitação da comunidade, essas ações de solidariedade são agradecimentos ao povo vianense que o acolheu na cidade, acreditou no Viana Feliz e que agora quer compartilhar o sucesso das premiações que fazem a alegria semanal da população.

Júnior Viana enfatizou que sua atitude no Povoado Caru não se trata de uma gestão paralela com a prefeitura, e sim dar a sua parcela de contribuição à cidade que o abraçou, fazendo-o sentir-se mais do que um filho da terra. “Infelizmente, temos a cultura de esperar que a prefeitura resolva todos os problemas do município, e nós empresários, que temos os nossos rendimentos adquiridos na cidade, às vezes esquecemos que também temos a obrigação de dar a nossa colaboração.”, declarou.

A quebradeira de coco, Josefa Muniz, 45, ficou muito feliz com a reinauguração do poço artesiao do Caru. “Nós acordamos cedo, precisamos trabalhar e não temos mais condições de carregar água na cabeça desses poços que ficam longe da nossa casa, por isso quero agradecer esse amigo Júnior Viana, que veio aqui olhar o nosso sofrimento e nos ajudar”,  concluiu.  

O empresário, em conversa com o Blog Vianensidades, afirmou que vai continuar realizando ações para levar alegria aos vianenses, seja em datas comemorativas ou em casos de necessidade das comunidades, com o espírito público indiferente da política, mas, com o olhar voltado para uma Cidade dos Lagos melhor e mais feliz.  

Postos voltam a ser abastecidos com combustível no Maranhão

Desde a noite de sexta (25), postos voltaram a ser abastecidos em São Luís. Neste domingo (27), uma operação é realizada para transportar o combustível via ferry boat até cidades do interior.

Por Rafael Cardoso, G1 MA, São Luís

Desde a noite de sexta (25), caminhões transportando combustível saem escoltados pela Polícia Militar do Porto do Itaqui para reabastecer postos na capital. No sábado (26), filas se formaram em vários por conta da volta do combustível.

Até o início da tarde deste domingo (27), 30 dos 250 postos da capital receberam combustível, de acordo com o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (Sindcombustíveis-MA). Uma outra parte dos combustíveis foram escoltados pela polícia para abastecer serviços essenciais , como carros de polícia, ambulância e o Corpo de Bombeiros.

Na tarde deste domingo (27), o presidente do Sindcombustíveis, João Rolim, disse que o abastecimento voltou a ocorrer de forma normal em São Luís. Isso ocorre porque um piquete foi desfeito na via que liga o Porto do Itaqui ao Bacanga. Nesse ponto, os caminhões com combustível conseguem passar e chegar até São Luís com o apoio de equipes da polícia.

“Tem uma frota de mais de 30 caminhões abastecendo a cidade. O problema está se resolvendo. Nesse ritmo, até amanhã (28) é possível que 50% dos postos já estejam abastecidos em São Luís.”, declarou.

Interior do estado

De acordo com o presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana (MOB), Lawrence Melo, uma operação está sendo realizada para levar combustível até o interior do Maranhão. São mais de 20 caminhões-tanque disponibilizados para abastecer as cidades.

“Foram realizadas operações com escolta de caminhões-tanque saindo do Porto do Itaqui e restabelecendo a normalidade do abastecimento em São Luís. Agora estamos avançando para o interior do estado, na região tocantina e também na baixada maranhense. São 22 caminhões-tanque que estão no terminal da Ponta da Espera, são carregados e serão transportados em uma viagem exclusiva via ferry boat para a baixada”, afirmou.

Comandante do Exército já mobiliza tropas em todo o país

“Comunico que acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos senhores governadores que façam o mesmo.”

Michel Temer

Arquivo

O GLOBO

O Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, determinou a imediata mobilização de todo o efetivo da força para ser empregada da liberação de rodovias. Os homens dos diferentes batalhões espalhados pelo país já foram mobilizados. O presidente Temer determinou o uso das Forças Armadas para liberar os bloqueios feitos por caminhoneiros grevistas.

O comandante determinou que as áreas fiquem em condições de ser empregadas — disse ao GLOBO um militar ligado ao comando.

Na noite desta quinta-feira, por volta de 22h, o comandante Villas Bôas realizou uma videoconferência com todos os sete comandantes militares de área do Exército — comandos militares da Amazônia, Norte, Nordeste, Oeste, Leste, Sudeste e Sul — para tratar do assunto. (Robson Bonin, da sucursal de Brasília)

Baixada Maranhense começa a sofrer com a falta de combustível

Posto Vinólia, na MA 014, em Viana é um dos poucos que ainda está fornecendo combustível na região

Viana – A greve dos caminhoneiros que acontece em todo o território nacional pelo quarto dia seguido, já está afetando a maioria dos municípios da Baixada.

Segundo apurou o Blog Vianensidades, os postos de gasolina das cidades de São João Batista, Matinha, Arari, Vitoria do Mearim, Pedro do Rosário, Penalva e Viana já estão com as reservas comprometidas, e, os serviços das prefeituras, comércio, entre outros podem ser paralisados a qualquer momento.

Em conversa com o Blog Vianansidades, o empresário Fellikson do Posto, proprietário do Posto Vinólia, afirmou que foi o único da região que se preparou para o pior e está garantindo o abastecimento de Viana e região. “Alguns concorrentes tentaram me difamar de que eu havia majorado o valor do combustível para R$ 5,00, tudo mentira, e reafirmo que mantive o valor praticado (R$ 4,35) respeitando nossos clientes”, assegurou Fellikson.

No momento é grande a movimentação no Posto Vinólia, onde os vianenses e cidades da região tentam garantir combustível para o final de semana.

Viagens de Ferry-Boat ficarão comprometidas a partir de amanhã (26)

Com a falta de combustíveis provocada pela greve de caminhoneiros que chegou ao 5º dia nesta sexta-feira (25), o transporte de Ferry-Boat em São Luís também começa a ser ameaçado.

De acordo com Luís Carlos Cantanhede, da Internacional Marítima, somente após conseguir ajuda da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), é que foi possível garantir o carregamento de combustível para o meio de transporte.

Entretanto, a quantidade fornecida será suficiente apenas para as viagens desta sexta (25) e sábado (26), no máximo.

Do Imirante

A importância do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense para o desenvolvimento da região

 O Fórum Em Defesa Da Baixada Maranhense – FDBM trabalha para auxiliar a Baixada e sua gente a chamar a atenção do poder público para seus graves problemas, bem como auxiliá-los na busca de soluções criativas nas comunidades em que se inserem. Os problemas são muitos, mas há soluções simples e viáveis, como disse o Dr. Flávio Braga, que é um dos idealizadores do Fórum e primeiro presidente do Fórum da Baixada.

Para auxiliar no processo de desenvolvimento da Baixada, o FDBM se respalda em cinco projetos, os quais visam identificar problemas e propor soluções, são eles: 1) Diques da Baixada; 2) Academias na Baixada; 3) Instituto Histórico e Geográfico da Baixada – IHGB; 4) Turismo na Baixada e 5) Apoio Institucional.

A construção dos Diques da Baixada Maranhense, de responsabilidade da Codevasf, prevê a construção de 71 quilômetros de diques, de dois metros de profundidade cada um, abrangendo os municípios de Viana, Matinha, São João Batista, São Vicente Ferrer, Cajapió, São Bento e Bacurituba, beneficiando os campos da Baixada, que são fonte de trabalho e alimento à nação baixadeira. O gestor deste Projeto no Fórum é o engenheiro civil Alexandre Ayrton Muniz de Abreu.

O Projeto Academias na Baixada visa auxiliar estudiosos e artistas dos municípios a se organizarem para criar academias de ciências, letras e artes. Nas primeiras reuniões para implementação do projeto, detectou que existiam apenas 4 (quatro) academias de letras na Baixada. Após várias discussões, foi instituída a Academia Matinhense de Ciências, Artes e Letras – AMCAL. Já consolidada, realizou um evento cultural na AMEI – Associação Maranhense de Escritores Independentes. O gestor deste Projeto é Manoel Barros, Professor do Curso de História da UFMA e grande entusiasta da história e cultura do Maranhão.

O Projeto para Implantação do Instituto Histórico e Geográfico da Baixada – IHGB foi inspirado em artigo publicado por Nonato Reis, baixadeiro de Viana, que demonstrou a necessidade de sistematização de dados e pesquisas sobre a Baixada. Ainda em fase embrionária, tem como gestores, os dois presidentes de honra do FDBM: Expedito Moraes e Flávio Braga.

O Projeto Turismo na Baixada, não obstante o Fórum já tenha realizado algumas reuniões, expedições e estudos sobre o assunto, este Projeto foi idealizado com o Convite de Elinajara Pereira para ocupar o cargo de 1ª Secretária do Fórum, ela que é graduada em Hotelaria pela UFMA e que trabalha na área. Pretende-se desenvolver este projeto a partir dos meios de transporte e identificação de pontos turísticos.

O último projeto denominado Apoio Institucional, tem com gestores, a Presidente e Vice-Presidente do Fórum: Ana Creusa e Nélio Junior, respectivamente. Este projeto visa avaliar os projetos, cuidar do Beckmarketing e outras atividades de fortalecimento e relacionamento institucionais, visando atender a uma necessidade do Fórum, como disse o Dr. João Batista Martins Superintendente do SEBRAE-MA.

A BAIXADA TEM PRESSA: venha fazer parte dessa história: o Fórum em Defesa da Baixada conta com o seu apoio, baixadeiro que sonha com uma Baixada livre e sustentável.

mais informações no site: http://fdbm.org.br