Bequimão receberá mais um projeto do Governo do Estado

A obra está sob a responsabilidade da Agência Executiva Metropolitana e o início é imediato.

Na noite desta quinta-feira, 11, a Agência Executiva Metropolitana (AGEM) emitiu a Ordem de Serviço para início dos trabalhos de construção do Passeio e Academia ao Ar Livre. O equipamento público será instalado em um trecho da Avenida 01, do Bequimão, próximo ao Ecoponto do bairro.

O trecho em que será executado o projeto está, atualmente, sem passeio adequado, o que torna muito perigosa a passagem de pessoas que transitam por lá diariamente. “Com a ausência de calçamento, os pedestres acabam por adentrar na via de rolamento, tendo de disputar espaço com os veículos e correndo o risco de serem atropelados”, relatou o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

Seguinte a este trecho sem passeio existe um local que serve como área para descarte de lixo e restos de componentes eletrônicos, gerando um risco à saúde da população por aglomerar grande quantidade de mosquitos e liberando chorume na vegetação. No período chuvoso, água que desce às margens da via torna-se mais um perigo à população, uma vez que toma grande velocidade devido à inclinação da via.

Com a obra, a área problemática dará lugar a uma praça com iluminação adequada, bancos para descanso e leitura e uma academia ao ar livre. “Isso vai possibilitar que os moradores da região pratiquem suas atividades físicas com dignidade e conforto”, destacou Lívio Corrêa.

Segundo o vereador Pedro Lucas Fernandes, esta Ordem de Serviço é mais um exemplo do trabalho sério que vem sendo desenvolvido pela Agência Executiva Metropolitana. “A AGEM tem pouco tempo de existência, mas já mudou a realidade de muitas comunidades. Diversas obras já foram entregues e vemos pela cidade e zonas rurais outros trabalhos em andamento”, disse.

Já o também vereador Raimundo Penha festejou a obra como um novo momento para o Bequimão. “Esse projeto irá mudar não apenas o aspecto do bairro, mas a realidade das famílias, que terão um excelente local para lazer e esportes”.

Projeto

Ao todo, a obra compreende uma área de 1407.80m², sendo 356.61m² de calçada, 626.79m² de área pavimentada e 358.47m² de área verde. Serão executados, também, mureta com gradil (212.03 m) e 410 m² de meio-fio. O projeto inclui, ainda, academia de ginástica ao ar livre, bancos para descanso e lazer.

Desejo de ‘melhorar de vida’ que elegeu Lula move eleitor de Bolsonaro, diz Flávio Dino

Reeleito governador do Maranhão com 59% dos votos neste domingo, Flávio Dino (PCdoB) é “totalmente contra” que seu aliado, o candidato a presidente pelo PT, Fernando Haddad, escreva uma carta aos brasileiros nos moldes da que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez em 2002.

BBC News Brasil 

O documento, em que Lula assumiu compromissos na condução da economia – como, por exemplo o equilíbrio das contas públicas –, costuma ser apontado como fundamental para a primeira vitória petista, ao reduzir as resistências ao líder sindical. Para Dino, no entanto, “ninguém leu” a carta e Lula venceu porque era, naquele momento, “um sinal de expectativa de melhoria de vida”.

As propostas de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad à Presidência do Brasil

Segundo turno será ‘disputa da rejeição’

Na sua visão, esse mesmo sentimento é a principal explicação para Jair Bolsonaro (PSL) ter obtido 46% dos votos válidos no primeiro turno presidencial, ficando bem à frente de Haddad, que registrou 29%. Os dois disputarão o segundo turno dia 28.

Dino reconhece que os brasileiros de menor renda viram suas condições de vida piorar a partir do governo Dilma Rousseff (PT). Parte deles, diz, acabou “seduzida” pela proposta bolsonarista de armar a população contra os criminosos.

“É óbvio que uma coisa não tem nada a ver com a outra: arma não gera emprego, arma gera homicídio. Mas é o (discurso) que está aí nos segmentos populares, sobretudo no Sul e Sudeste. Acabaram aderindo ao Bolsonaro, na expectativa de melhorar sua vida”, analisa.

Para o governador, cujo partido está coligado ao PT e apontou Manuela d’Ávila para vice na chapa, Haddad deveria buscar aproximação com outros líderes políticos, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e os candidatos derrotados Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede). Ele não acredita, porém, que isso será determinante para uma vitória.

O foco, defende, dever ser recuperar os votos do “povão” no embate de propostas econômicas.

“Sobretudo mostrar que, em termos da economia, ou seja, do emprego, do trabalho, da renda, Bolsonaro é um (presidente Michel) Temer piorado. Esse é o centro do debate”, resume.

Fernando Haddad é observado por outras pessoas em encontro do PT: Para Dino, campanha petista deve conquistar a população com propostas econômicas

Já sobre a cobrança de parte da sociedade para que o PT faça uma autocrítica sobre a corrupção nos governos Lula e Dilma, Dino diz que para ele é “suficiente” o fato de Haddad não ter sido envolvido “em nada de ilegal”.

O ex-prefeito de São Paulo foi denunciado em agosto pelo Ministério Público a partir da delação de Ricardo Pessoa, ex-presidente da UTC, que diz ter repassado R$ 2,6 milhões para pagamento de dívidas da campanha. Haddad nega e diz que a acusação foi uma retaliação a sua decisão de suspender uma obra da UTC com indícios de superfaturamento logo no início de sua gestão como prefeito.

Leia, AQUI, trechos da entrevista.

Eleições 2018 – Viana procura representantes para chamar de “seus”

O que têm em comum o irreverente e carismático Walber Duailibe, (falecido), que nasceu em São Luís e foi prefeito de Viana de 1973 a 1976 e de 1982 a 1988, em mandato prolongado; o craque e ex-prefeito Djalma Campos, (falecido), e também o ex-prefeito Chico Gomes (ainda na ativa)?

Arquivo

Tratamos aqui dos três mais recentes e conhecidos ex-deputados estaduais que já representaram genuinamente o nosso município na Assembleia Legislativa.

Sem entrar nos detalhes das atuações, emendas parlamentares ou outros benefícios destinados e ou intermediados por esses parlamentares, a quarta cidade mais antiga do estado clama por uma voz firme, determinada e comprometida com a inclusão de Viana entre as obras estruturantes que hora são realizadas todas as regiões pelo governo do Estado, porém, o que assistimos até então por estas bandas são os famosos “puxadinhos”, remendos em escolas ou asfalto jogado nas ruas sem a mínima condição de longevidade.

O que foi prometido ou ainda iniciado continua sem sair dos alicerces – ou sem sair do papel.

O Blog Vianensidades, atendendo pedidos dos seus milhares de seguidores, fez um levantamento parcial sobre a situação real e o desenrolar destas eleições majoritárias, na qual vamos eleger presidente, senadores e deputados.

Sim, são eles, queiramos ou não que vão definir o nosso futuro e das próximas gerações.

Depois da eleição de Magrado Marros (PSDB), em 2016, os grupos políticos locais se esfacelaram e, agora, tentam juntar os cacos, neste pleito que pode fortalecer e fazer a diferença já no próximo ano de 2020 para prefeito.

O Blog selecionou algumas situações, de modo que o eleitor/internauta possa visualizar o cenário com mais consciência e, assim poder escolher o seu representante, ou seja, um parlamentar que assimile o DNA vianense, que reconheça nossas carências e mazelas e que retorne ao município depois da eleição.

Rumo à reeleição

Mesmo a maioria dos grupos, inclusive os inquilinos do Casarão Azul, apoiando a reeleição de atual governador, Flávio Dino (PCdoB), nota-se a falta de coerência ideológica e o que se sobrepões são os interesses coletivos ou individuais daqueles que montaram verdadeiros QGs eleitorais na Cidade dos Lagos.

Federais e estaduais

O sindicalista Cleinaldo Bil, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais, Cleinaldo Bil, uma das boas surpresas do último pleito estadual, com votação expressiva em Viana, sua terra natal (8.211 votos no geral), vem com força total, agora mais experiente e com novas parcerias políticas.

Mais uma vez candidato a deputado estadual, oriundo das camadas populares, um dos fundadores do PT e militante da CUT, Bil conta com apoio do movimento sindical e, fechou dobradinha com Luzardo Segundo (PHS), jovem vereador vianense que experimenta as urnas como candidato a deputado federal.

Cleinaldo Bil, Cezar Bombeiro e Eduardo Braide. – Forte votação no bairro Liberdade, em São Luís

Na capital São Luís, Bil conta com o apoio e o carisma de Eduardo Braide, que depois da grande votação que quase o conduziu à Prefeitura, agora tenta a Câmara Federal, além da força eleitoral do irmão, o vereador Cezar Bombeiro (PSD).

Nélio Júnior e Marcone Veloso comandam o corpo a corpo por Gastão Vieira em Viana

O jovem historiador, estudante de direito e ex-candidato a vereador, Nélio Júnior, com apoio de nomes como Marcone Veloso, Dirce Costa, Joaquim Campelo, Jarbas Bezerra, Leonardo Barros, Adgerson Serrão, Geraldo Costa, Rose Barroso, Cleonildo Santos, entre outros, apoiam e fazem uma forte campanha para o ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira (PROS), cotadíssimo pelos analistas para voltar à Câmara Federal.

Na esteira dessa caminhada, também estão sendo apoiados os candidatos a deputado estadual, Jota Pinto (Patriotas), Honorato Fernandes (PT), Dr. Iglésio (PDT), e devem amealhar o seu quinhão de votos na cidade.

Carrinho Cidreira – fechado com Bira (federal) e Toca Serra (estadual), de olho em 2020.

O empresário e ex-prefeito Carrinho Cidreira (PSB), com o gás renovado e bem colocado em várias enquetes para prefeito de Viana, aposta em Bira do Pindaré (PSB), para federal e em Toca Serra (Patriotas), para engrossar o seu calibre político/eleitoral e, assim tentar mais uma vez realizar o sonho de ser prefeito da sua terra natal.

Ciro Neto e Dr. Ezequiel Gomes – parceria que pode render frutos agora e no futuro.

Já o advogado Ezequiel Gomes, que se manteve com a coerência política do ex-prefeito Chico Gomes, aposta no projeto político do jovem administrador Ciro Neto (Progressistas), filho do prefeito de Presidente Dutra, Juran Carvalho, e também aposta na reeleição do deputado federal João Marcelo (MDB), filho do senador João Alberto (MDB).

Com apoio de mais 40 municípios, a maioria da Região Central, e a determinação do pai prefeito, Ciro Neto deve sair com grande votação e reais chances de ocupar uma cadeira na ALEMA.

Ezequiel abriu as portas do seu sítio, na MA-014, para a militância do candidato, e tem feito sucessivas reuniões com lideranças, inclusive com Chico Gomes, coordenador local da candidata Roseana Sarney (MDB).

Fellickson do Posto, Getúlio Júnior e lideranças, abracaram as campanhas de Josimar e Vinícius Louro.

O empresário Fellickson do Posto, presidente do PR em Viana, também arregimentou seus correligionários e caiu em campo na região, apresentando o candidato a deputado federal, Josimar de Maranhãosinho (PR), e Vinícius Louro (PR), dupla que se fez presente em vários eventos em Viana, para conhecer e o potencial econômico e eleitoral da Baixada.

Fellickson tem como fiel escudeiro o ex-secretário de esportes, Getúlio Júnior e, também podem sair vitoriosos com os seus dois candidatos.

Correndo por fora

Viana também pode ter a surpresa de pela primeira vez ter uma representante do sexo feminino na Assembleia Legislativa.

Mical Damasceno no corpo a corpo – carisma e forte votação do segmento evangélico do Estado

Sem muito alarde nas hostes políticas tradicionais, mas com forte militância no segmento evangélico, Mical Damasceno (PTB), filha do pastor Pedro Aldi Damasceno, presidente das Assembleias de Deus no MA, já figura como favorita pelos analistas, na chapa Maranhão Pode Mais. A conferir.

Debutante

O Jovem Leandro Azevedo, filho da professora vianense Heloisa Ericeira (in memorian), que teve cinco mandatos em Santa Luzia do Tide, estreia na política já contando com esse capital eleitoral da mãe.

Leandro Azevedo (centro) – estreia com carisma e prestigio na política

Leandro tem um forte trabalho social na região do Pindaré e, também fez campanha em Viana, onde tem muitos parentes e amigos, em busca de engrossar sua votação.

O fator Magrado

Eleitores de Magrado Barros atendem o seu chamado e fazem barulho em Viana.

O prefeito de Viana Magrado Barros (PSDB) poderia estar voando em céu de brigadeiro nesta eleição, porém, a crise política e econômica do país, a sua inexperiência administrativa e esperança de mudança que os 14.400 votos vianenses depositaram na sua eleição viraram cinzas no atual cenário.

Macho velho vive uma crise braba no seu próprio terreiro, a começar pela vice-prefeita, Lucimar Gonçalves, que segue a orientação política do filho, ex-prefeito Rilva Luís, que aposta suas fichas na reeleição do federal de Pinheiro, Victor Mendes.

A sua base de oito vereadores foi implodida pela última eleição para a direção da Câmara Municipal e, cada edil está livre para suas próprias escolhas.

Na última quarta-feira (3), o gestor vianense se esforçou para não decepcionar os seus dois escolhidos, Juscelino Filho, federal (DEM), e estadual Marcelo Tavares (PSB), Chefe da Casa Civil, e candidato a reeleição.

Macho Velho usou a força da máquina administrativa e colocou povo nas ruas, com barulho, foguetes e comício na Praça de Eventos.

O evento, claro, deixou parcela da população boquiaberta, visto que o gestor vianense é detonado diariamente nas redes sociais, que mostram fotos e imagens do descalabro administrativo na cidade, ruas de lama e buracos, salários atrasados, problemas no hospital, falta de ambulância e de merenda escolar.

Será que se perpetua entre o povo de Viana essa cultura do “complexo de vira-latas” – ou, na pior da hipótese, aquela da “mulher de malandro” que quanto mais apanha, mais submissa se mantém? Ou esse masoquismo inexplicável de sofrer humilhações, desprezo e mesmo assim se mostrar feliz ao menor aceno do político que lhe serve de algoz. Freud explica?  

Como se observa, os 34.491 (Dados do TSE) eleitores vianenses serão perseguidos e fatiados entre os candidatos com maior volume de campanha e mobilização eleitoral.

Impossível prever se caso a maioria dos candidatos se eleja ou reeleja, se eles serão gratos ao povo de um município de 261 anos, Polo da Baixada Maranhense, berço de artistas, intelectuais, músicos e esportistas, entre outros talentos, visto que Viana tem pressa por progresso e desenvolvimento.

As cartas estão na mesa, o jogo será jogado e, cabe ao eleitor soberano, escolher e, todavia, lembrar que ao vender o seu voto, também poderá estar comprometendo o futuro da sua cidade, de sua família e dos seus descendentes. Que vençam os melhores!    

Os pobres na propaganda eleitoral

Por Ed Wilson Araújo

As campanhas eleitorais sempre trazem novidades, mesmo que sejam retrógradas e antigas, mas recauchutadas. Uma delas é a presença dos pobres na TV e no rádio. Talvez seja esta, a propaganda eletrônica, o único momento de protagonismo dos excluídos.

Vez por outra vejo na TV, na retórica(!) do candidato ao governo Roberto Rocha (PSDB), um lavrador falando da sua condição e dificuldades da labuta da terra.

No começo da campanha eletrônica, o candidato a senador Sarney Filho (PV) colocou no seu programa uma estrela das quebradeiras de babaçu… dona Nice do PT, referência na luta dos oprimidos.

Não condenemos Dona Nice. Ela não tem culpa. É duplamente massacrada pelo capitalismo excludente e pelo assédio no tempo em que vaca desconhece bezerro – a eleição!

Nunca nesta vida, e nem nas outras passadas, o filho de José Sarney foi aliado das mulheres que labutam no coco e no machado, na luta pela preservação das riquezas naturais. Apenas na TV, falsamente.

A televisão tem esse poder de estimular a sociedade do espetáculo, segundo o filósofo francês Guy Debord, traduzindo a ideia de que o povo no geral aparece, mas não participa. E, quando aparece, é sempre na condição de oprimido ou plateia.

Há controvérsias sobre as teses de Debord. Eu gosto das ideias dele, mas tenho simpatia por Martín-Barbero. E não considero deus nenhum dos dois, porque para mim teoria não é religião!

A condição de plateia é um dos argumentos de Debord para criticar a democracia burguesa. O povo, no geral, vota, mas não participa. Tem uma aparência de efetividade na política, mas está na dependência de um líder, guia, guru ou operador, sob o manto do poder econômico. Segundo Debord, o povo é sempre plateia no palco espetacularizado da eleição.

Eis o sentido do espetáculo no qual o próprio oprimido participa da opressão, sob o manto da democracia.

Isso faz todo sentido quando observamos a narrativa da operação Lava Jato, estruturada em capítulos, como série ou telenovela, colocando o povo à espera do novo preso e do espetáculo da operação da Polícia Federal na TV.

A judicialização da política, combinada e articulada à mídia (Rede Globo), é o ápice da construção do espetáculo nas manchetes dos telejornais.

Esta narrativa sempre teve como vilão o PT e “principal criminoso”, “o bandido”, “Lula”, em contraponto ao mocinho “Sergio Moro”. A mídia, em parte, combinada à Lava Jato, construiu esse consenso facilmente adaptável ao senso comum: o mocinho “Sergio Moro” e o bandido “Lula”. É novela, ou não é!?

O pedreiro quando chega a casa, após um dia cansativo de trabalho na obra, assiste ao Jornal Nacional e tende a aceitar a narrativa majoritária. Ou não! Pode refutá-la! Por isso não gosto de igrejas teóricas no âmbito das Teorias da Comunicação.

A arquitetura jurídico-midiática-parlamentar ajudou a construir (ou fortalecer) uma figura singular, no âmbito do fascismo: “o pobre de direita”, eleitor de Jair Bolsonaro. Não devemos condenar essas pessoas, apenas entender a dinâmica da política e as origens do totalitarismo, que estão na mobilização do capitalismo para se adaptar às novas circunstâncias ultraliberais – o mercado é a única narrativa capaz de “salvar” a humanidade.

O inominável, embora seja produto da onda fascista, cresce fora dos meios convencionais de comunicação, pelas redes sociais, mas o debate da TV aberta (TV Globo) será o momento decisivo. A Globo vai aderir à onda ultraliberal?

Veja você como a democracia no Brasil ainda precisa de aperfeiçoamento.

As regras da propaganda eleitoral na democracia contemporânea elaboram o discurso da participação, mas reduzem os excluídos às pequenas aparições caricatas da pobreza e eliminam os partidos menores do horário na TV. Que democracia é essa que impede o PSTU de falar na TV?

Os pobres, quando aparecem reclamando da ausência de políticas públicas nos programas eleitorais dos partidos liberais, são colocados na posição de “inocentes úteis”, ensaiados nas estratégias dos marqueteiros, apenas como linha auxiliar dos poderosos.

Feito este preâmbulo, é fundamental afirmar!

Votamos no 13 sem pestanejar, contra o fascismo. Mas, não basta eleger Fernando Haddad (PT). Se for para repetir os erros de Lula, vale a pena (?!). É fundamental que o novo mandato petista seja o meio para a reconstrução da democracia no Brasil, em sentido pleno, que não será possível discorrer aqui.

No essencial, para fazer justiça ao título desse artigo, é fundamental atender os pobres além do assistencialismo, inclui-los de fato na produção, na economia, na estratégia. E não apenas nos programas eleitorais.

É uma tarefa difícil, porque significa uma declaração de guerra ao capitalismo, ato de afronta à ordem internacional.

Participação, no sentido pleno da democracia, foi reduzida a pequenas aparições dos pobres nos programas eleitorais, reclamando da ausência de políticas públicas, vez por outra colocados na posição de “inocentes úteis” nas estratégias dos marqueteiros.

A democracia é um horizonte; Vamos de Haddad, buscando o caminho, sabendo que será difícil.

Agência Executiva Metropolitana apresenta projeto de Execução dos Serviços de Drenagem e Pavimentação no Bequimão

Na noite desta segunda-feira, 01, técnicos da Agência Executiva Metropolitana (AGEM) apresentaram à comunidade do Bequimão o projeto de Execução dos Serviços de Drenagem e Pavimentação, que será executado no bairro. A obra, que irá resolver um problema antigo nas ruas Vermelha e Amarela, será iniciada ainda na primeira quinzena deste mês.

Atualmente, a área é carente de saneamento básico, não existindo na região rede coletora de esgoto e nem pavimentação adequada das vias. De forma irregular, os moradores fizeram um córrego para o eixo central das ruas visando captar o escoamento da água, tanto proveniente do esgoto, quanto a pluvial. Entretanto, o córrego fica a céu aberto gerando desconforto, mau cheiro e poluição no local.

A proposta do projeto contempla, então, a execução de uma rede coletora deste esgoto – para a captação das águas descartadas pelas residências do local -, visando melhorias no espaço, bem como a pavimentação, com assentamento de blocos em concreto sextavado e execução da sarjeta ao longo de toda a extensão onde receberá a pavimentação nova. “Isso irá proporcionar um saneamento adequado e melhor qualidade de vida para aquela área”, afirma o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

Quadra Poliesportiva da Vila Luizão será entregue até o final deste mês pela Agência Executiva Metropolitana

Na tarde desta segunda-feira (01), técnicos da Agência Executiva Metropolitana (AGEM) vistoriaram a execução da Quadra Poliesportiva da Vila Luizão. A obra faz parte de uma série de projetos que vêm sendo executados para trazer melhorias à comunidade.

Pelo andamento dos trabalhos, que seguem à risca o cronograma estabelecido no projeto, o novo equipamento será entregue até o final deste mês. “Estamos com mais de 40% da obra. Logo partiremos para os acabamentos finais e entregaremos a quadra à comunidade”, explica o engenheiro responsável pelos trabalhos, Marcelo Farias Pereira.

O terreno localizado no bairro Vila Luizão se encontrava em completo desuso. Situado em uma área carente de ambientes propícios a atividades esportivas e ao lazer, a Quadra Poliesportiva da Vila Luizão vem dar para a comunidade um equipamento público adequado ao lazer. “A quadra será aberta a todos os moradores e vai mudar o cenário da Vila Luizão”, afirmou o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

A obra contempla, além da quadra poliesportiva, arquibancada com capacidade para mais de 50 pessoas, bicicletário, depósito para armazenamento de materiais esportivos e área verde. Ao todo, a área de construção abrange uma área de 518m².

Favorito para voltar à Câmara Federal, Gastão Vieira realiza grande ato de campanha em Viana

O ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira (PROS), chega nesta reta final da campanha, votado em todas as enquetes, como um dos grandes favoritos para representar o Maranhão em Brasília.

Arquivo

Sempre bem votado e reconhecido pelos excelentes trabalhos realizados como secretário de educação, ministro do Turismo e presidente do FNDE, Gastão reúne amigos e correligionários para debater assuntos de interesse da Cidade dos Lagos, na Baixada Maranhense, de onde deve sair com grande votação.

A reunião será neste sábado, 29, às 9h da manhã, na Rua Coronel Campelo, em frente a Escola Vanice Barros.

“Na Constituição Estadual de 89 fui o autor da ementa que colocou no texto condicional e considerou Viana como patrimônio Estadual; o IFMA – campus Viana foi uma obra minha  juntamente  com o ministro Fernando Haddad, como ele disse no palanque. Praças, avenidas e o que não foi diretamente concedido por mim , foi por mim autorizado! Porque era ministro do Estado. Assim, com a certeza que cumpri com meu dever sendo Dep. Estadual, Dep. federal por 5 mandatos, Sec. de Educacão, Ministro de Estado e presidente do FNDE, me credencia a voltar à câmara federal para lhe representar”, ressalta Gastão em carta distribuída no município.

Divulgação PROS

O ex-ministro montou uma força tarefa no município com fortes lideranças locais, a maioria oriunda do grupo político do ex-prefeito Chico Gomes, entre eles, Nélio Júnior, Marcone Veloso, Dirce Costa, Joaquim Campelo, Jarbas Bezerra, Leonardo Barros, Adgerson Serrão, Geraldo Costa, Rose Barroso , Cleonildo Santos e também a parceria com o candidato a deputado estadual J. Pinto (Patriota).

Nélio Júnior e Gastão Vieira – militância intensa em Viana

Contando com total apoio do governador Flávio Dino (PCdoB), boa aceitação no município e com esse grupo que faz uma intensa militância na Sede e nos Povoados, Gastão almeja uma grande votação entre os 25 mil eleitores vianenses, e, assim dar continuidade à sua representatividade em Brasília, pleiteando obras e benefícios para melhorar a vida dos maranhenses.