Governo do Estado determina obras para melhorar mobilidade em São Luís

No final do mês passado, o Governo do Estado promoveu uma reunião entre equipes estadual e da Prefeitura de São Luís. O objetivo foi debater estratégias para o trânsito e mobilidade da capital maranhense, de forma integrada e, assim, maximizar os resultados. Cada um dos órgãos e secretarias presentes saiu do encontro com tarefas a serem cumpridas, em formato de parcerias.

Uma das principais determinações da reunião foi a criação de um Plano de Mobilidade Urbana, que indicará uma série de intervenções no trânsito, para melhorar o trânsito em regiões onde há um fluxo muito intenso de veículos e pessoas, o que acaba provocando congestionamentos. “Com um trabalho integrado das gestões estadual e municipal poderemos garantir ainda mais melhorias para a população”, explicou o governador Flávio Dino.

Também foram definidas algumas responsabilidades para cada um dos órgãos Estadual e Municipal. À Agência Executiva Metropolitana (AGEM), por exemplo, foram designadas as obras de prolongamento da Avenida Jerônimo de Albuquerque (2ª etapa); a Avenida Manuel Bandeira, que faz a ligação entre os bairros Ipase e Rio Anil; uma passarela ligando o Bequimão ao Pão de Açúcar; construção de duas pontes e uma via ligando a Rua da Matança ao Alto do Santa Cruz e o levantamento de demandas de infraestrutura das zonas rurais I e II. “Estas ações serão realizadas em parceria com a Prefeitura de São Luís”, revelou o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa. 

A 2ª etapa do prolongamento da Avenida Jerônimo de Albuquerque corresponde ao trecho que vai do Angelim até as proximidades do Atacadão, que corresponde a 1,3 quilômetros. Somados aos 500 que já estão sendo construídos, trecho do Angelim, serão 1,8 quilômetros no total.

Para ligar o Ipase ao Rio Anil será feito um prolongamento da Avenida Manuel Bandeira. “O projeto será implantado onde hoje é uma estrada vicinal”, revela Lívio Corrêa.

A interligação entre os bairros Bequimão e Pão de Açúcar, por sua vez, será facilitada por uma passarela. Atualmente, uma estrutura de madeira degradada funciona como meio de passagem dos moradores da região. A nova estrutura terá 100 metros, aproximadamente, e passará pela Rua Duque de Caxias.

A ligação entre a Rua da Matança e o Alto do Santa Cruz será facilitado pela construção de duas pontes, uma com 17m e outra com 15m, além de uma via de 800 metros. Serão construídas em concreto armado e passarão pelo bairro Anil fazendo a interligação entra as ruas Matança e José de Alencar (bairro Vera Cruz).

O levantamento de demandas de infraestrutura das zonas rurais I e II, por sua vez, está em fase inicial. Cerca de 60 ruas em oito bairros já foram vistoriadas e as demandas estão sendo organizadas. “Com essas informações poderemos apresentar soluções para os problemas detectados”, explica o presidente da AGEM.

Gestão municipal

O Plano de fluidez no trânsito contará com a participação da Prefeitura no suporte para levantamento e elaboração de projetos e execução de obras em vários pontos críticos. Segundo o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, atualmente há diversos avanços na área de mobilidade urbana em São Luís com as intervenções e outras medidas de trânsito adotadas. “E com essa importante definição de uma agenda conjunta, Governo e Prefeitura, realizaremos ações integradas, que irão ampliar e promover mais melhorias e qualidade de vida para a população” destacou Edivaldo.

Pelé passa mal na França após participar de evento publicitário e é levado a hospital

O jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, de 78 anos, passou mal na noite desta terça-feira (02), em Paris (França), e teve que ser levado a um hospital. O eterno camisa 10 da seleção brasileira teve uma febre alta e precisou ser medicado.

Edson Arantes do Nascimento, Pelé, Pelé ex-jogador de futebol brasileiro

Pelé havia participado de um evento publicitário ao lado do atacante do Paris Saint-Germain Kylian Mbappé. O brasileiro postou uma foto com Mbappé em perfil no twitter. “Falamos sobre gols, Copas do Mundo e relógios. Grande encontro!”, escreveu o tri-campeão mundial.

Desde pelo menos o fim de 2012 que o estado de saúde de Pelé tem preocupado parentes, amigos e fãs. Em 2012, ele colocou uma prótese no quadril por causa de uma fibrose. Em novembro de 2014, ele foi internado  no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, devido a problemas no sistema urinário decorrentes de cálculos renais, ureterais e vesicais que causaram obstrução do fluxo urinário. Dias após receber alta médica, o ex-jogador voltou  a passar mal e precisou ser internado novamente, sendo submetido a hemodiálise.

Em 2015, Pelé teve que voltar ao Albert Einstein duas vezes para se submeter a novos procedimentos cirúrgicos. Em maio, ele passou por uma cirurgia na próstata. Em julho, o ex-atleta foi operado para aliviar dores na coluna.

Os problemas de saúde forçaram Pelé a deixar de comparecer a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de 2016. Ele estava cotado para acender a Tocha Olímpica, mas afirmou que, naquele momento, não tinha “condições físicas de participar da abertura da Olimpíada”. No ano seguinte, o ex-jogador participou do sorteio dos jogos da Copa do Mundo de 2018, em Moscou, sentado em uma cadeira de rodas.

(Agência Brasil)

AGEM avança em obras por diversos bairros da capital

Até o final deste primeiro semestre, mais cinco localidades das zonas urbana e rural de São Luís serão beneficiadas com espaços revitalizados de esporte e lazer. As obras fazem parte de um conjunto de ações que vêm sendo desenvolvidas pelo Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), e que já beneficiaram diversos bairros da Região Metropolitana da Grande São Luís.

Atualmente, cinco obras estão em execução, nos bairros Bequimão, Bom Jesus e Quebra Pote, Jardim América e outra na Avenida Jerônimo de Albuquerque, na altura do Angelim. “Ainda este mês está previsto o início das obras da praça do bairro Coquilho, na zona rural de São Luís”, revela o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa, acrescentando uma sexta obra à lista.

A Praça das Amendoeiras, localizada no Jardim América, e a Praça Quebra Pote, na comunidade de mesmo nome, estão em fase inicial de serviços. Em ambas, as equipes trabalham na limpeza do terreno e na terraplanagem.

A obra de Alargamento de trecho da Avenida Jerônimo de Albuquerque (altura do bairro Angelim) está na etapa de finalização de aterro. “Posteriormente será feito o sistema de drenagem e preparação da base para recebimento do pavimento asfáltico”, explica Lívio Corrêa.

O Passeio e Academia ao Ar Livre, na Avenida 1 do Bequimão, está em fase de finalização da mureta. Em seguida serão executados os serviços de pintura, colocação de grama e instalação dos equipamentos de ginástica.

Na Praça Bom Jesus, localizada no bairro homônimo, por sua vez, os trabalhos estão na fase de construção dos bancos de concreto. A próxima etapa inclui pintura e instalação dos equipamentos de ginásticas e playground.

Entrega

O prazo para entrega das cinco obras é até abril deste ano. O Passeio Público e Academia ao Ar Livre será inaugurado ainda no final deste mês. A Praça Bom Jesus será a segunda obra entregue pela Agência Executiva Metropolitana este ano, o que está marcado para acontecer em março.

Em abril, três novos espaços revitalizados serão entregues à população. A Praça das Amendoeiras, a Ampliação de trecho da Avenida Jerônimo de Albuquerque (Angelim) e a Praça do Quebra Pote. “Vamos trabalhar para, em maio, entregarmos a Praça do Coquilho, mais uma obra para a zona rural de São Luís”, completa Lívio Corrêa.

Clubes de futebol podem ficar sem patrocínio da Caixa Econômica a partir desta temporada

Uma declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta segunda-feira (7), ao participar das solenidades de posse dos novos presidentes do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Brasil (BB) e Caixa Econômica Federal (CEF), deixou os dirigentes dos principais clubes do futebol brasileiro em estado de alerta. Patrocinados pela Caixa, essas agremiações correm risco de ficar sem a verba do banco oficial.

Ao anunciar que todas as operações da Caixa seguirão critérios técnicos e não será tolerada a compra de influência por “piratas privados”, Paulo Guedes, disse que “às vezes, é possível fazer coisas cem vezes melhores com menos recursos do que gastar com publicidade em times de futebol”.

Ele não deu detalhes se o governo pretende encerrar os patrocínios que teve em vários times do Brasil, como Flamengo, Corinthians e até mesmo o Sampaio Corrêa, na temporada passada.

Uma das principais fontes de receitas dos clubes de futebol de todo mundo, o patrocínio dos uniformes é um tema sensível nos quatro grandes clubes, que entram em situação delicada em 2019. No Rio de Janeiro, por exemplo, sem a Caixa, os times perdem R$ 35 milhões e iniciam a temporada sem qualquer perspectiva.

Não bastasse a declaração de Guedes, uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), que definiu como “irregular a prorrogação de contratos de patrocínio” de empresas estatais, deixa a situação ainda mais complicada.

Para o TCU, esses contratos “não se constituem em serviço de natureza contínua”. Este acórdão complicou a vida de clubes que dependem dos recursos da Caixa, mas não poderão contar com o recurso.

O Sampaio conseguiu receber patrocínio da Caixa, depois de muitos de negociação, em 2018, numa operação que envolveu os deputados Roberto Costa (estadual) e João Marcelo (federal) e o senador João Alberto de Souza. O clube, que foi rebaixado da Série B para a Séria C, ainda não anunciou se vai contar com esse patrocinador.

(Maranhão Hoje Com dados do UOL)

A nova Praça do Panteon

Arquivo

Por Luiz Carlos Pinheiro Gomes*

A bem da verdade, aquele é um logradouro relativamente novo sendo assim denominado pela Lei Municipal n.º 442 de 30/7/1954. E encravado no antigo Largo do Quartel, espaço que em outros tempos também era chamado de Campo de Ourique. A Câmara de São Luís em 20/4/1998, pela Lei Municipal n.º 3697, designou aquele local como de homenagem póstuma oficial e permanente àqueles que tenham prestado relevantes contribuições às Letras e às Artes no Maranhão.

Os 16 bustos que outrora ali existiam — e 1 (um) inidentificável, pois algumas placas que os nomeavam desapareceram, foram colocados isoladamente um a um ao longo do tempo por familiares dos homenageados e por entidades ligadas à cultura como o Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM) e a Academia Maranhense de Letras (AML). Contam que o primeiro monumento implantado foi o de Artur Azevedo seguido pelos de Raimundo Corrêa, Dunschee de Abranches e Nascimento Moraes.

Decerto o critério atual adotado pelo IPHAN/Prefeitura de São Luís foi o de manter os bustos das 16 personalidades que estavam ali anteriormente, retirando, não se sabe bem por que, os bustos de Domingos Perdigão e de Humberto de Campos! Sabe-se ainda que as peças originais foram retiradas e guardadas desde 2007 no pátio do Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHAM) com o objetivo louvável de se evitar por vandalismo a depredação das mesmas e por sugestão de membros da AML. Agora acrescentaram os bustos de Silva Maia, Josué Montelo, Teixeira Mendes e Clodoaldo Cardoso, perfazendo assim os 18 monumentos atuais.

Registre-se, por oportuno, que em que pese o nome pomposo “Panteon” que em latim se escreve Pantheon e em grego clássico significa Panteão (local comum a todos os deuses ou mausoléu de pessoas notáveis), a nossa Praça do Panteon — não vai lamentavelmente e por tradição — ostentar os nomes dos maiores expoentes da literatura, da história e da política do Maranhão. Nem tampouco vai expor os monumentos dos maiores vultos nas letras do nosso estado biografados pelo Plutarco Maranhense, Henriques Leal, em sua magistral obra Pantheon Maranhense! Diga-se os bustos das glórias consagradas da inteligência maranhense como de Odorico Mendes,  Sotero dos Reis, João Lisboa, Gonçalves Dias e de tantos outros.

Figuram após a reinauguração da praça os bustos de Henriques Leal, Gomes de Castro, Coelho Neto, Gomes de Souza, Ribamar Bogéa, Nascimento Moraes, Maria Firmina, Raimundo Correia, Urbano Santos, Teixeira Mendes, Corrêa de Araújo, Josué Montelo, Silva Maia, Bandeira Tribuzi, Dunshee de Abranches, Clodoaldo Cardoso, Artur Azevedo e Arnaldo Ferreira. Portanto de 18 personalidades.

Em tempos anteriores, aquele logradouro ostentava os bustos de Henriques Leal, Gomes de Castro, Coelho Neto, Gomes de Souza, Ribamar Bogéa, Nascimento Moraes, Maria Firmina dos Reis, Raimundo Corrêa, Urbano Santos, Corrêa de Araújo, Bandeira Tribuzi, Dunshee de Abranches, Arthur Azevedo, Arnaldo de Jesus Ferreira, Domingos Perdigão e Humberto de Campos. Portanto de 16 personalidades.

Sugerimos que nos 16 espaços de 2 a 3m existentes entre os pedestais atuais, recebam os bustos daqueles que foram a essência da cultura do Maranhão e que lamentavelmente foram esquecidos.

Vista aérea do Complexo Deodoro, em São Luís (MA). Foto de Meireles Jr. Cortesia Iphan.

No que tange à Praça Deodoro (antiga Praça da Independência), muitos devem ter ficado aqui curiosos porque não mencionamos nestas linhas este topônimo tão conhecido na cidade inclusive como todo aquele espaço. Consultando várias fontes, muitas divergentes e confusas, concluímos que esta praça compreende aquele quadrilátero que vai da Rua de Santaninha (Salvador de Oliveira) à Rua dos Remédios (Rio Branco) margeado pelas ruas da Paz e do Sol e em frente da Praça do Panteon, local onde existia um camelódromo.

Com referência às plaquetas de identificação, cheias de erros gramaticais e ante a reação dos visitantes, acho que deverão ser melhoradas as suas redações urgentemente, e enriquecidos os seus textos por membros da AML, ou da ALL, ou do IHGM, se assim acharem necessário. Outrossim, sugerimos ser substituídas por placas de bronze que terão inegavelmente uma vida útil infinitamente superior às recém-colocadas.

*Vianense / Engenheiro | Publicado no Jornal O Estado do Maranhão, edição do dia 4/1/2019.

AGEM emite Ordem de Serviço para construção de praça no Quebra Pote

O equipamento de esporte e lazer será construído em uma área localizada na Avenida Principal do bairro.

Mais uma localidade da zona rural de São Luís foi confirmada no conjunto de obras que estão sendo realizadas pelo Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM). Trata-se da comunidade do Quebra Pote, que será beneficiada com uma praça, na avenida principal do bairro, equipamento cuja construção foi garantida pela Ordem de Serviço emitida na tarde desta sexta-feira, 21.

A proposta da intervenção foi desenvolvida pela Agência Executiva Metropolitana, após reuniões com a comunidade, quando foram pontuadas as necessidades e possibilidades a serem consideradas na elaboração do projeto. Isso incluiu a escolha da área para a construção, que, hoje, é um espaço desordenado, mas, ainda assim, utilizado pela população para atividades diversas.

Com a intervenção da AGEM, o local passará a servir como maquinário público com iluminação adequada, bancos para descanso e leitura, uma academia ao ar livre, playground, calçamento e passeio público, área verde – preservando árvores do local -, estacionamento e acessibilidade por rampas. No total, o projeto abrange uma área construída de 3.240,48 m2. “A ideia, desde o início, foi de revitalização de uma área que já é utilizada pelos moradores, de forma a gerar conforto e segurança para todos”, explica o presidente da Agem, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

Lívio Corrêa fez questão de destacar, mais uma vez, que o projeto é uma determinação do Governo do Estado para comunidades das zonas rurais de São Luís. “Entendemos que essas áreas são mais carentes e demandam por equipamentos públicos de esporte e lazer como o que será construído aqui”.

Este aspecto também foi ressaltado pelo vereador Chico Carvalho. “A comunidade do Quebra Pote há muito demanda por uma praça como essa e muitas promessas foram feitas para os moradores. Entretanto, agora o que era um sonho será transformado em realidade”

As obras serão iniciadas no início de janeiro. “A empresa tem um prazo de 90 dias para entregar a Praça”, revelou Lívio Corrêa.

Vila Magril ganha moderna praça para lazer e esporte

O projeto é resultado de ações do Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana.

Quadra esportiva, calçamento com meio-fio, pavimentação, passeio, estacionamento para carros e motocicletas, canteiros com áreas verdes e arborizadas, academia de ginástica, playground e um espaço ao ar livre para atividades diversas. Assim está estruturada a Praça Vila Magril, inaugurada na tarde desta sexta-feira, 14.

O projeto, que contempla uma área de 1.754,13m², foi totalmente idealizado e executado pela Agência Executiva Metropolitana (AGEM). Para a criação, foi promovido um estudo para escolha da área em que seria implantada a Praça. Em seguida, passou-se para a elaboração do projeto, que, depois de finalizado, foi apresentado à comunidade, que deu o aval para o início das obras. “Todas as etapas de nosso trabalho incluem representantes dos moradores, pois entendemos que o equipamento deve ser construído de acordo com as demandas desse grupo”, explicou o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

A Praça Vila Magril está localizada na Rua São Jerônimo (esquina com as ruas Tamarindo e Laranjeiras), em uma área que, antes, servia como depósito de entulho e até sucatas (ferro-velho), propício ao acúmulo de água parada em períodos chuvosos e, consequentemente, um criadouro de mosquitos transmissores de doenças. “Apesar dessas limitações, o espaço era utilizado para reuniões e encontros da comunidade local. Daí a importância de um projeto como a Praça”, revelou Lívio Corrêa.

Transformando realidades

Durante a inauguração, o deputado federal eleito, Pedro Lucas Fernandes, destacou a importância da Praça para a Vila Magril. Ele revelou que, ao iniciar os contatos com a comunidade, oito anos atrás, percebeu as carências do bairro. “Por isso, desde então, procuramos desenvolver ações para melhorar a vida da população e hoje conseguimos inaugurar este espaço”, disse.

Lívio Corrêa também enfatizou a importância da obra. O presidente da AGEM destacou que um projeto para a zona rural é diferente dos que são destinados à zona urbana. “As comunidades rurais são mais carentes. Aqui na Magril, por exemplo, não havia nenhum espaço para lazer. Por isso o Governo do Estado tem determinado que sejam direcionados obras de melhoria para essas regiões”, revelou.

O presidente da Associação de Moradores, Cândido Júnior, reforçou o que disse Lívio Corrêa. “Sonhamos por muito tempo com essa Praça. E agora vamos nos comprometer a zelar por ela”.

Sobre a gestão do local, Lívio Corrêa revelou que, na próxima semana, uma equipe da AGEM e da Prefeitura de São Luís irá se reunir com representantes de moradores para formar um Comitê Gestor. “Este será responsável pela administração da Praça”, finalizou.