Talento vianense a serviço da saúde

Manu Soeiro, cinco pós-graduações e apaixonada pela arte de cuidar das pessoas, transforma o setor da Saúde em Serrano-MA.

Da Revista Caras & Nomes

Nessas minhas andanças pelo estado, encontro nas minhas viagens Casos & Coisas que me deixam a cada dia mais apaixonada pela minha profissão.

Amo contar histórias.

Hoje quero contar um pouco da jovem, competente e talentosa secretária de saúde de Serrano.

Eu já sabia de todas essas qualidades mesmo antes de conhecê-la pessoalmente. Antes de qualquer coisa quero parabenizar o prefeito Maguilla pela excelente equipe de secretários.

Bom…Voltando a falar sobre a moça que faz questão de dizer.” Sou quilombola” .

Ao me deparar com a fisionomia alegre e cheia de vida de Manu, percebi também que ali havia uma história, e, ao longo da nossa conversa a emoção foi surgindo junto com minha admiração. Manu se tornou destaque pela sua atuação na Secretaria de Saúde de Serrano desde que assumiu a pasta em junho deste ano.

Extrovertida adora dançar e estar ao lado do povo é uma de suas maiores alegrias. Manu é de família humilde, sua mãe era vendedora, seu pai, servido público, mas que conseguiram vencer pelos seus próprios esforços, dando aos filhos a possibilidade de estudar e se tornar pessoas fortes e determinadas. Com base familiar e religiosa fortes, ela traçou um caminho de sucesso e conseguiu chegar onde está hoje.

“Eu nunca imaginei chegar onde eu estou, não por status, status para mim pouco importa, e, o salário também é um pouco parecido com salário de enfermeira, mas pelo fato de que eu consigo ouvir na rua: Manu – obrigada por salvar a vida do meu filho. Se eu morresse hoje eu morreria completamente feliz. Serrano para mim é uma dádiva um presente que Deus colocou em minha vida, se Ele quiser me dá desafios maiores eu aceito, mas Serrano já é um dos maiores e mais adoráveis desafios da minha vida”.

A humildade também apareceu forte nas entrelinhas da nossa conversa quando ela começou a dizer que o cargo de secretária de saúde é passageiro, mas aquilo que ela conseguir colocar dentro da bagagem da vida, isso sim é para sempre.

“Fui convidada para este desafio e o aceitei apesar de todos me dizerem que ia ser difícil devido Serrano ser um município de menor IDH e pelo histórico de sofrimento do povo. No entanto, eu olhei para mim mesma e disse que se Deus me trouxe até aqui é porque eu iria dar conta”. Disse ela com convicção.

Seus 28 anos de idade contrastam com sua maturidade aguçada. Formada há mais de 10 anos em Enfermagem com 5 Pós-graduações, sua paixão pela profissão está escrita em seu rosto. Com experiência em Gestão, ela já foi diretora de Maternidade no município de Viana.

Juntando as imagens da infância, as dificuldades por quais passou até chegar onde está hoje, Manu guarda na memória apenas o que foi bom. Seus pais se separaram quando ela tinha apenas 4 anos de idade, mas apesar disso, sua convivência com os dois sempre foi muito boa, cheia de amor e compreensão. Sempre se destacou nas escolas onde estudou exercendo papéis de liderança se espelhando na força da mãe que sempre dava um jeito para resolver as coisas.

“Vi minha mãe religando energia pelo fato de não poder pagar” cresci vendo o sofrimento e dizendo de que de tudo aquilo tiraria proveito. Ou seja, fazer da dor o louvor.

“Eu caio, levanto, choro e sofro como qualquer ser humano, mas adoro música, adoro dançar sou altamente extrovertida, gosto de estar ao lado do povo. Este é meu jeito, eu sou popular mesmo, sempre fui assim e nunca vou ser diferente”, conta ela.

DIFERENCIAL DE MANU

Com histórico de assessoria em outros municípios, assim que chegou à gestão da saúde de Serrano, Manu optou pela valorização de seus funcionários, aumentou salários e conversou com o prefeito, pois ela sabia que para cobrar ela precisaria dar suporte para a sua equipe.

Manu me surpreendeu a cada nova afirmação. Tão decidida e determinada a vencer, até em relação aos desafios encontrados Manu garante que conseguiu tirar de letra, pois para ela, desafios a gente encontra em qualquer lugar, até em casa, e se cruzarmos os braços diante das dificuldades não vamos conseguir realizar completamente nada.

“Eu disse ao prefeito Maguila que não queria ser apenas organizadora de contas eu queria saber da realidade do meu município, eu queria atuar de forma plena, e no dia 5 de junho eu tomei posse como secretária de saúde”, lembra a jovem.

EXERCENDO A LIDERANÇA COM HUMILDADE E PÉS NO CHÃO.

Com muita vontade de dar o seu melhor, Manu não é tipo de menina que reclama dos problemas. Ao contrário, ela tenta encontrar a solução para cada um deles. Ao enumerar suas ações iniciais frente à pasta da saúde, ela diz cheguei a lugares em que não tinha unidades básicas, mas percebeu que até embaixo de uma árvore é possível fazer saúde.

“Graças a Deus o prefeito me dá carta branca para que eu possa realizar as coisas que eu quero, e, junto com a minha equipe consigo avançar nos programas e projetos. Eu reuni a todos e disse que eu não queria ser chefe de ninguém, mas que eu queria que juntos a gente mudasse o quadro atual do município, e, nós conseguimos”. Relata.

Foi com este pensamento e com ações concretas que ela, pela primeira vez viu aumentar os números de vacinações das crianças serranenses que até então era muito baixo. Manu garante que o resultado disso está no Portal da Transparência, nos indicadores, nos recursos aumentando, nos casos de hanseníase que diminuíram bastante, nas ruas e no rosto das pessoas que ela encontra.

“Eu trouxe juntamente com o estado, profissionais para ajudar neste desafio. Profissionais capacitados para que a gente possa detectar as doenças que estavam escondidas. Eu penso que se eu der mais atenção para a minha atenção básica com a saúde preventiva, eu posso evitar com que as pessoas da minha cidade possam dar entrada em hospitais como Socorrão, por exemplo. Eu sempre cuido da minha atenção básica, o segredo é fazer medicina preventiva, eu previno para que eu possa evitar algo maior”. Defende a jovem com muita determinação.

PARA MUDAR A REALIDADE DE SERRANO

Foi para escrever uma história diferente que Manu nasceu. Ela fala isso com uma verdade única, dessas que arrepia e ao mesmo tempo conquista. Já são notórias as mudanças impostas pela vontade desta bela menina. O hospital que contava apenas com um médico por dia, agora ampliou seu quadro para 5 médicos, incluindo 1 pediatra. Esta foi com certeza uma das maiores conquistas desta gestão. Sem falar nos programas de saúde, equipes de Estratégias da Saúde da Família, programas de saúde nas escolas, programas para as mulheres, os adolescentes, com os idosos, farmácia básica suficiente para atender a demanda, realização de conferências com propostas específicas que possam garantir melhores políticas.

“Nós estamos lidando com saúde, saúde é coisa séria, a gente precisa se colocar no lugar do outro, se eu não me colocar no lugar do outro, não adianta. Eu não quero estar aqui por estar. Eu quero fazer a diferença e é por isso que eu estou aqui”. Declarou ela.

CONTINUANDO A HISTÓRIA

Manu afirma que não quer ser apenas mais uma e de fato, ela não é. Ela tem um brilho diferente, um olhar vivo e especial, uma inteligência natural e um carisma único. Compartilhei nesta entrevista um pouco de sua história e me vi nela por alguns instantes, relembrando das minhas próprias dificuldades e da minha força em superar cada uma delas. Parece que trilhamos o mesmo caminho em épocas diferentes e que sua história é a continuação da minha. Sua simplicidade não lhe impede de sonhar, de ter ambições e de superar os obstáculos tais qual a vida lhe impõe.

“Sou simples, mas não quero ser mais uma, eu quero ser a Manu, eu nasci para cuidar, sei que tenho vários desafios, mas procuro ser diferente. Eu não vim por vim, eu vim para fazer a diferença”. Finaliza ela.

Fica com quem seca tuas lágrimas e não com quem as multiplica

Por Marcel Camargo, via Obvius

Muitas pessoas acabam confundindo “lutar dignamente por algo que vale a pena” com “lutar feito trouxa por algo que nunca trará coisas boas”. Na ânsia de querer manter por perto o que pensamos ser nosso, perdemos a noção exata de nosso próprio valor.

Ninguém, em sã consciência, gosta de sofrer, de chorar, de amargar decepções, porém, há quem se prenda ao que faz mal, ao que suga, ao que diminui, por muito tempo. O normal seria que valorizássemos tudo o que nos faz sorrir, no entanto, na prática, muitas vezes nos aproximamos de algo ou de alguém que nada mais faz do que nos tornar infelizes.

Talvez por ser uma tendência humana querer o que é mais difícil, as pessoas acabam confundindo “lutar dignamente por algo que vale a pena” com “lutar feito trouxa por algo que nunca trará coisas boas”. Na ânsia de querer manter por perto o que pensamos ser nosso, perdemos a noção exata de nosso próprio valor, em favorecimento de quem não nos oferece nada de bom.

Parece que não adianta tentar explicar para algumas pessoas o quanto elas sofrem à toa por conta de pessoas dispensáveis e de coisas supérfluas, como se, ali, envoltas no calor de suas tempestades, nada mais fizesse sentido fora daquela dor a que infelizmente se acostumaram e tomaram como parte integrante de suas vidas. Porque a gente se apega facilmente, inclusive ao que machuca.

Anos de sofrimento não são capazes de clarear os pensamentos de muitos que acham que não conseguirão sobreviver longe de quem nem junto está, longe do emprego que nem crescimento traz, longe de lugares onde sua presença não faz falta alguma. O medo rouba sonhos, rouba o raciocínio, rouba vida. Medo do novo, do que não é certo, do que foge ao que posto está.

Há um mundo tão imprevisível à nossa volta, que tentamos manter certa segurança por perto, nas amizades, nos amores. Infelizmente, nesse percurso, muitos de nós acabamos segurando, não raro forçosamente, justamente o que não faria falta alguma e, inclusive, o que nos impede de seguir em frente em busca de nossa felicidade. Por isso é que há pouco reconhecimento e gratidão em relação a quem realmente merece. Por isso é que há tanta tristeza nesse mundo.

A partir do momento em que cada um refletir sobre o tanto que possui a oferecer, o tanto que tem de humano dentro de si, jamais haverá tanta gente se aproveitando de quem não merece. Quando sabemos o nosso valor, ninguém consegue nos ludibriar, ninguém entra no nosso coração sem oferecer reciprocidade. Falta amor no mundo, mas falta, principalmente, amor-próprio. Só se amando é que se tem certeza do que significa felicidade genuína, bem longe de quem só sabe anular sorrisos. Ame, mas ame-se também.

 

Como vencer a ansiedade antes e durante o Enem

 

Estudante em sala de aula© iStock

Faltando poucas horas para a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os candidatos precisam controlar a ansiedade para não deixar o nervosismo atrapalhar seu desempenho. A professora do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB) Regina Pedroza diz que a concentração é muito importante para o bom desempenho na prova, mas o candidato deve tentar manter seu cotidiano nos últimos dias antes do Enem.

“Ele tem que continuar estudando, tem que estar concentrado e focado. Mas essa concentração não pode ser algo que vai consumir todas as energias do candidato. Ele tem que continuar com o seu cotidiano, tem que estudar, mas tem que dormir bem, se alimentar bem e se divertir também. Ficar focado não significa que ele deve abrir mão de tudo que faz normalmente”, diz.

Os pais também têm papel importante no controle dessa ansiedade. Segundo a psicóloga, apesar de ser um momento importante, não deve haver pressão por um bom desempenho no Enem. “Os pais têm que entender que a pressão não ajuda, o que ajuda é eles estarem com seus filhos, e isso significa estar acompanhando, estar atento, conversar e, em determinados momentos, permitir que os jovens possam extravasar seu nervosismo, mas sem achar que uma bronca, uma exigência vai ajudar, pelo contrário”, orienta Regina.

A orientadora educacional do Colégio Dínamis, do Rio de Janeiro, Jane Rapoport, diz que agora não é mais o momento de aprofundamento dos estudos, e sim de revisão. “Um estudo aprofundado, neste momento, pode trazer mais ansiedade”. Ela também recomenda que o candidato faça atividades de lazer, para se distrair, mas sempre mantendo o que já está acostumado a fazer. “Não vai jogar futebol se você não tem esse hábito, até porque tem o risco de acidente”.

No dia da prova

Cada candidato deve desenvolver suas próprias estratégias para controlar a ansiedade no dia da prova. “O aluno tem que ter consciência do que é melhor para ele, não existe uma regra para todos. Tem pessoas que se concentram até mascando chicletes, por exemplo, mas para outros isso vai desconcentrar”, afirma Regina, que também é integrante do Conselho Federal de Psicologia.

Outra dica para evitar a ansiedade no dia da prova é conhecer com antecedência o local, ir até lá dias antes, com o mesmo transporte que vai usar na data do exame para calcular o tempo que vai precisar de deslocamento. “O atraso é uma questão muito séria, não há tolerância”, alerta a orientadora Jane.

Estratégias

Para fazer uma prova tranquila, é importante que o estudante tenha uma estratégia para resolver as questões. A dica do professor de matemática Bruno Vianna, do Colégio Mopi, do Rio de Janeiro, é deixar para o final as perguntas que não sabe responde e dar prioridade aos assuntos que domina.

“Quando esbarrar em uma questão que não domina e não sabe como resolver, ele deve automaticamente pular. Com isso, sobra mais tempo para voltar a essas questões e fazer com mais calma, evitando o nervosismo, porque o que é dele ele já garantiu, e o que vier depois é lucro”, diz.

O professor de física da plataforma de ensino Me Salva! Felipe Ben também aconselha os candidatos a não resolverem as questões na ordem em que elas aparecem na prova, fazendo primeiro as questões da matéria em que têm mais facilidade. “Chegou em uma questão que está muito difícil? Circule e volte para ela depois . Não vale a pena perder tempo e sanidade com uma questão impossível quando há uma questão fácil pela frente que precisa ser feita com a cabeça calma”, afirma.

Ele também sugere que os candidatos pratiquem o “desapego” com as questões que já foram resolvidas. “Questão marcada é questão que caiu no passado, parta para a próxima. Não recomendo marcar uma alternativa e ficar relendo a questão várias vezes, desmarcando e marcando de novo”, recomenda o professor.

No primeiro dia de Enem, 5 de novembro, os candidatos vão fazer as provas de redação, linguagens, códigos e ciências humanas. A orientação de Jane Rapoport é fazer primeiro a prova de redação, separando cerca de uma hora para fazer o levantamento de ideias, um rascunho, e passar a limpo. Depois, ao fazer as questões objetivas, é preciso controlar o tempo para não ficar ansioso no final da prova. “Não adianta a gente ter o conhecimento e não gerenciar o tempo”.

No primeiro domingo, os estudantes terão cinco horas e meia para fazer o exame. No segundo domingo, 12 de novembro, as provas serão de matemática e ciências da natureza, com prazo de quatro horas e meia.(Fonte MSN)

Governo promove o Aulão do Enem na TV neste sábado (04)

Governo promove o Aulão do Enem na TV neste sábado (04)Os estudantes maranhenses candidatos a uma vaga na universidade terão mais uma oportunidade de revisar o conteúdo antes da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) que será realizada nos próximos dias 5 e 12 de novembro em todo o país.

A novidade é que o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), realizará no próximo sábado (04), o Aulão do Enem na TV. O Aulão será realizado na Tv Maranhense das 10h às 11h no sábado, véspera da prova do Enem. Os estudantes poderão acompanhar de casa uma revisão dos conteúdos de Português, Redação e Matemática.

Além de acompanhar o Aulão do Enem na tv aberta, os estudantes também poderão tirar dúvidas enviando mensagens por meio das redes sociais da Secti (@SectiMaranhao)

Aulão do Enem

O programa Aulão do Enem foi lançado no ano de 2015 em 20 cidades do Maranhão.  Em 2017  mais de 40 mil alunos de 94 municípios maranhenses foram alcançados pelo programa. Esse dado representa 370% a mais de cidades se comparado com o ano de 2015. Em 2016, o número de municípios contemplados foi de 65.

O público prioritário do programa é o alunado da rede pública que nunca tiveram a oportunidade de frequentar um cursinho devido ao custo financeiro. As aulas foram aplicadas no formato de megarrevisão, com o desenvolvimento teórico das apostilas do tipo 1, 2, 3, 4 e 5, contemplando todas as disciplinas em um único dia.  Uma equipe multidisciplinar esteve presente nos pólos que explanaram os assuntos e realizaram plantões para tirar dúvidas dos estudantes.

Confira os canais que você poderá assistir ao Aulão do Enem na TV:

BAND

Canal: 12

Canal Digital: 12.1

 

SKY

Canal: 312

 

TVN

Canal: 20

Canal Digital: 420

 

NET

Canal: 12

 

OI TV

Canal: 7

Diques da Produção entrega 1ª obra para impedir que água salgada destrua a produção de peixes

 

Programa beneficiará os moradores da Baixada Maranhense com campos para projetos de piscicultura, horticultura, plantação de arroz e hortaliças. Foto: Nael Reis/Secap

Mais um antigo sonho dos maranhenses que moram na região da Baixada está prestes a se tornar realidade. Com entrega marcada para o próximo sábado (28), a primeira obra do programa Diques da Produção, do Governo do Maranhão, vai beneficiar mais de 70 famílias dos povoados Porto dos Nascimentos e Estiva dos Mafra. A entrega será realizada pelo governador Flávio Dino, que também visita obras do programa no município de Palmerândia.

Construído por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes), o canal construído em Mirinzal tem capacidade de armazenamento de 29 milhões de litros d’água doce, e servirá como reduto para produtividade da agricultura, pecuária local e psicultura.

O canal terá extensão de 1.200 metros e, como os demais construídos pelo programa, ficará submerso no período das chuvas, que duram em média seis meses na região da Baixada. Com a estiagem, observada nos seis meses seguintes, as construções do Diques da Produção terão capacidade de reter a água, onde irão se concentrar água e os peixes que habitavam a região alagada do entorno.

Os diques impedem que a água salgada avance sobre os campos que alagam durante as chuvas. Ou seja, haverá condições de produzir o ano inteiro.

Mais comida e emprego

De acordo com o secretário da Sedes, Neto Evangelista, as intervenções do Governo do Maranhão são uma das ações mais importantes já desenvolvidas na região para resolver o problema de salinização (quando a água salgada invade a água doce) dos campos inundáveis e promover o desenvolvimento socioeconômico local.

“O programa visa à transformação da realidade atual da Baixada Maranhense, tendo o caminho da produção, do crescimento econômico e da inclusão socioprodutiva como fundamental nesse processo. Além disso, a ação tem ainda como propósito reduzir os índices de insegurança alimentar e de pobreza na região e promover a geração de trabalho, emprego e renda nas comunidades contempladas pelo projeto”, enfatiza o secretário.

Diques da Produção

O programa constrói duas modalidades de obras para retenção da água doce: canais e barragens. O primeiro é usado para armazenamento de água; já as barragens irão impedir a entrada de água salgada nos igarapés, e, com isso, proteger os mananciais de água doce das regiões e outros ecossistemas. Além da função de armazenamento de água, os canais também poderão ser utilizados como hidrovia, interligando as pequenas propriedades.

Além disso, um dos pilares do Programa Diques da Produção é a oferta de Assistência Técnica e Extensão Rural para implantação de projetos de geração de renda à população das comunidades beneficiadas pela ação.

Execução

Além de Mirinzal, o governador Flávio Dino visita as construções de canais em Palmerândia. Há obras já em execução também em Peri-Mirim e Anajatuba. No total, 35 municípios da Baixada serão contemplados, entre eles Matinha, Pinheiro, Cedral, São João Batista, Cajari, Conceição do Lago Açu, Guimarães, Monção, Alcântara, Apicum-Açu, Penalva, Bacuri, São Bento, Viana, Igarapé do Meio, São Vicente de Férrer, Cururupu, Bequimão, entre outros.

Afastar-se de certas pessoas melhora a saúde e a alma

Via Papo Sincero

Algumas pessoas cansam-nos, sugam-nos energia e aniquilam a nossa capacidade de reação. Elas são verdadeiras destruidoras da nossa saúde e paz interior, adoecem a nossa capacidade emocional e distorcem as nossas sensibilidades. Afasta-te delas e verás a incrível melhoria na tua saúde física e emocional.

A verdade é que ao longo do tempo, passamos a desconhecer muitas pessoas que pensávamos conhecer, e percebemos que vivemos sujeitos às suas exigências, à sua conversa, ao seu comportamento e, especialmente, às suas emoções tóxicas.

Essas pessoas não sabem como respeitar e considerar os outros, e utilizam-nos como marionetes do seu mau caráter e alvos de conflitos externos e internos. Elas não vivem e deixam viver e, portanto, impedem o desenvolvimento e crescimento pessoal dos que as rodeiam.

“Podem fazer isso de forma consciente ou não, mas é evidente que nos afogam e intoxicam, fazem-nos sentir vulneráveis, fazem com que fiquemos com raiva facilmente ou que desejemos fugir e abandonar tudo.”

Obviamente, embora fosse mais adequado, nem sempre podemos afastar-nos fisicamente destas pessoas, pois podem ser da família ou colegas. No entanto, podendo ou não fazê-lo, o importante é conseguir um distanciamento emocional. Então, o melhor a fazer é começarmos a ter a força para nos mantermos fora da sua capacidade de ação, não permitindo que elas influenciem o nosso comportamento.

Como podemos distanciar-nos emocionalmente de alguém que nos fere?

Se tens alguém na tua vida que te está a magoar, tu podes jogar com a vantagem da antecipação, porque sabes que as suas reações ou intenções são previsíveis. Para de dar importância ao que essas pessoas fazem e foca-te nos problemas que elas te estão a criar, assim terás mais oportunidades de crescimento e pararás de minar a tua força e autoestima.

Temos também que jogar com as expectativas. Esperamos tanto dos outros que somos incapazes de aceitar a realidade como ela é. Isto gera desapontamentos e desilusões, alimentando uma atmosfera na qual é muito difícil respirar.

“Manter uma perspectiva saudável da situação irá ajudar-nos a alcançar certa indiferença e desceremos dessa montanha-russa emocional, separando-nos das nossas preocupações e libertando as nossas inseguranças e reações desproporcionais. Isto terá um resultado tão rápido e direto quanto satisfatório: os nossos problemas irão diminuir e poderemos viver em paz.”

Quando nos afastamos da dor, aproximamo-nos da felicidade

Afasta-te do medo e aproxima-te da indiferença. Não te magoes a tentar manter uma boa impressão sobre os outros ou a pensar que eles têm sempre boas intenções.

Dizem que quando alguém tem a intenção de prejudicar-nos, o melhor desprezo que podemos fazer é não dar apreciação; ou seja, não deixar que minem a nossa autoestima e ignorar as mensagens negativas.

Ambientes tóxicos e em conflito têm uma capacidade de contágio devastadora para a nossa saúde. Quanto mais tomarmos distância emocional deles, melhor nos sentiremos.

“A vida é muito curta para viver em angústia. Assim, ama as pessoas que te tratam bem e distancia-te daquelas que não o fazem. Sem arrependimentos.”

Leia mais: A mente é maravilhosa

“Esse é o milagre da multiplicação das oportunidades, da luta obstinada pela igualdade, de não ter medo de nada e nem de ninguém”, diz Flávio Dino na entrega do HTO

 

O governador Flávio Dino entregou nesta terça-feira (10), em São Luís, o Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO), uma unidade inédita no Estado capaz de atender casos de alta complexidade. Com o novo prédio, a rede pública estadual na capital passa das atuais 80 cirurgias por mês para 400. Ou seja, a capacidade é multiplicada por cinco, o que vai desafogar a fila por cirurgias. Em 2014, eram apenas 30 cirurgias por mês.

O novo hospital fica no Jardim Eldorado. Ele vai atender pacientes tanto da Grande Ilha como de outros municípios. Flávio lembrou que a inauguração do hospital representa um marco para a Saúde maranhense. E que foi preciso vencer resistências para que o HTO fosse entregue à população.

“Não perdemos nunca a alegria de fazer o bem. Esse é o milagre desse governo, o milagre da multiplicação das oportunidades, da luta obstinada pela igualdade, de não ter medo de nada e nem de ninguém”, disse o governador durante a entrega do hospital.

“Não importa quem foi poderoso ontem ou se esse alguém se acha dono da riqueza e do poder. Aqui não temos medo.”

O governador ressaltou que “temos que lutar sempre, e lutando as coisas têm outro sabor”. Ao afirmar que já foram concluídas mais de 500 obras desde 2015, Flávio acrescentou que “poucas inaugurações me emocionaram tanto quanto esta, porque é fruto da luta”.

Tecnologia e redução da fila

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, disse que o hospital era um pedido antigo dos médicos no estado. Ele previu que, em um ano, a fila de espera por cirurgias vai estar consideravelmente menor. Hoje, são cerca de 2 mil pessoas no aguardo.

O HTO tem capacidade para 4,8 mil cirurgias por ano, mas “a fila vai ganhando novos componentes a cada dia”, principalmente por causa dos acidentes de moto, frisou o secretário.

De acordo com o diretor clínico do HTO, Newton Gripp, a unidade está pronta e completamente equipada para atender todos os casos complexos:Temos 100% de capacidade aqui. Ninguém mais precisa sair do Maranhão para tratar qualquer doença ortopédica”.

O médico Damião Guedes, especialista em reconstrução e alongamento ósseo, diz que o HTO também vai formar e qualificar profissionais. “É uma unidade de referência para pacientes e profissionais. Aqui ficou como uma ilha de excelência, quem está dentro está festejando e quem está fora está querendo entrar”, diz.

Flávio Dino ressaltou que os mais de 300 profissionais do novo hospital são os verdadeiros responsáveis pela importância da unidade. “Mãos e coração: disso é feito um bom hospital. E eu tenho certeza de que o HTO será um excelente hospital porque está em excelentes mãos desses profissionais.”

Consultas

Carlos Lula ressaltou que o Hospital de Traumatologia e Ortopedia vai receber casos encaminhados de outras unidades, como as UPAs e o Socorrão. Ou seja, o paciente não deve buscar atendimento diretamente no HTO, e sim ser encaminhado para lá.

“Eu sou a primeira paciente do hospital novo! Cheguei aqui foi cedo”, contou a lavradora Raimunda Vaz Cardoso, 54 anos, que vai constantemente de Miranda do Norte a São Luís para consultar os dois joelhos, que precisam ser operados.

A cirurgia é 30 mil reais na rede particular. Eu disse ‘doutor, não tenho condição de pagar essa cirurgia’. Aí a assistente social me encaminhou para o Hospital Geral, onde me consultei com o doutor Newton Gripp, que me trouxe para cá [HTO].”

“Minha expectativa é não precisar mais esperar esse tempo todo e fazer minha cirurgia sem custo nenhum, porque eu não tenho condição. Se eu tivesse condição, eu já tinha feito essa cirurgia há muito tempo”, acrescentou Raimunda, que sente dores nos joelhos há cinco anos.