Banda do Cézar Bombeiro anima pré-carnaval na Liberdade aos domingos

O Bar No Peito e na Raça já recebeu a decoração carnavalesca e os abadás da Banda do CB já estão disponíveis

A folia toma conta da Liberdade a partir de amanhã (3). Com apoio cultural do vereador Cézar Bombeiro (PSD), a Banda do CB vai animar o pré-carnaval do bairro nos quatro domingos de fevereiro, com vasta programação e em clima de paz.

O ponto de concentração da Banda do CB será o Bar No Peito e na Raça (Rua Gregório de Matos, próximo à Escola Dayse Linhares). O proprietário do bar, Cláudio Lindoso, preparou uma recepção calorosa aos foliões, que poderão se divertir em um ambiente ordeiro e seguro. Abaixo, a programação:

(Via Blog do Daniel Matos)

Neste sábado tem carnaval dos Baixadeiros em São Luís

O grito de carnaval dos Baixadeiros deste ano de 2019 será no dia 16 de fevereiro (sábado), na Associação dos Magistrados (Calhau), a partir das 15:00 horas. O Abadá está sendo comercializado ao preço de R$ 15,00 (Quinze Reais).

Divulgação FDBM

A festa vai ser constituída por um numeroso grupo de conterrâneos da Baixada Maranhense que residem em São Luís e que passam o período momesco em seus municípios de origem. São foliões naturais de Pinheiro, Peri-Mirim, São Bento, Bequimão, Matinha, Viana, Anajatuba, Cajari, São João Batista etc.

O objetivo dos organizadores é fazer um carnaval tradicional , com marchinhas que marcaram época e também homenagear a Baixada Maranhense, congregando e promovendo um espaço de animação para os maranhenses oriundos dessa região do Estado e também difundir a cultura, os costumes, as belezas naturais e os valores da mesma.

O acesso a associação é mediante ao uso do abadá do carnaval e doação de 1 kg de alimento não perecível. Os abadás podem ser adquiridos pelo fone e whatsapp 9-8114-2052 ou no local do evento. Ascom.

Bloco da Imprensa realiza última prévia carnavalesca em São Luís

Bloco da Imprensa realiza última concentração em São Luís — Foto: Divulgação

O Bloco da Imprensa vai realizar neste sábado (16), a partir das 18h, em frente ao Bar do Porto, situado na Praça dos Catraieiros, na Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís a sua última concentração antes do período carnavalesco na capital.

Conhecido por sua rica diversidade cultural e por reunir um grande número de profissionais da área da Comunicação, além do público em geral, o Bloco da Imprensa vai contar na sua última concentração com a participação de grupos genuinamente maranhenses.

Entre as atrações presentes no Bloco da Imprensa estarão o Grupo Madrilenus, Bloco Tradicional ‘Os Feras’, Banda do Bicho Terra, Bateria ‘Explosão’, da Turma do Quinto e Banda Makina do Tempo.

Banda do Bicho Terra será uma das atrações que animará o público no Bloco da Imprensa em São Luís — Foto: Divulgação

Última concentração vai acontecer neste sábado (16), a partir das 18h, em frente ao Bar do Porto, na Praça dos Catraieiros, na Praia Grande, no Centro Histórico da capital. (Por G1 Maranhão — São Luís

Eulálio Figueiredo: o menestrel do Direito e das Artes

Por Flávio Braga

José Eulálio Figueiredo de Almeida nasceu no dia 12/02/1960, em São João Batista, no coração da Baixada Maranhense. Migrou com a sua família para São Luís em 1963, e morou no bairro do desterro até 1997.

É Juiz de Direito desde 1991 (aprovado em 1.º lugar) e professor de Processo Penal na UFMA há 33 anos. Possui especialização em Ciências Criminais e em Processo Civil. É membro da Academia Maranhense de Letras Jurídicas e Doutor em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidad del Museo Social Argentino. Atuou como membro efetivo do TRE no biênio de 2013/2015.

Eulálio Figueiredo é um tribuno a toda prova. Maneja como poucos o dom da oratória e se expressa com invulgar fluência verbal e intelectual, sempre com muita eloquência, polidez, galhardia e desfiando um português escorreito, portando-se com o mesmo denodo em suas aulas e palestras. Além de homem versado na ciência do Direito, é poeta, escritor, cantor e compositor de toadas de bumba-boi e de marchinhas carnavalescas.

Publicou as seguintes obras literárias: Suspensão do processo e da prescrição penal(1998); Decisões administrativas (2002); Sentença penal: doutrina, Prática e jurisprudência (2002); Anatomia do ser (1999); Milésima face (2000); O crime da baronesa(2004); O processo das formigas (2011); Vidas profanas (2015) e O Crime do Desembargador Pontes Visgueiro (2018). Autor de vários artigos científicos, é citado por juristas de escol como Theotônio Negrão, Tourinho Filho, Damásio de Jesus, Alberto Silva Franco, dentre outros.

É autor de diversas toadas de bumba-meu-boi, como estas: Lamento de um caboclo; Visita ao mar; Lamento de um estudante; Minha prece; Prece da saudade; São Luís, minha ilha bela!; Passeio no mar; Menestrel da Baixada; Mar dos amores; Ganhei o meu dia; Tempo de cantoria.

A sua verve engenhosa fez brotar 14 marchinhas, carregadas de trocadilhos, malícia e fino humor irônico, como: Mensalão(premiada no festival de marchinhas da TV Mirante em 2006); Pedaladas carnavalescas(classificada no festival de marchinhas do programa Fantástico da TV Globo); Receita da vovó (selecionada para o festival de marchinhas da TV Mirante em 2009); Traidores da Pátria e CPI do carnaval. Todas fazem irreverência e sarcasmo com a cena política brasileira. Em 2018, estourou nas rádios e no carnaval de rua a música Pesque-pague do pacu, em que o poeta-compositor, a pretexto de recomendar uma dieta à base desse peixe, produziu mais uma espirituosa marchinha.

Para o carnaval de 2019 o juiz-compositor lançou a marchinha Festa do peru, que foi classificada para o festival de música carnavalesca de Imperatriz. Trata-se de composição melódica, com pitadas de humor picante e versos de duplo sentido (figura de linguagem predominante nas marchinhas de carnaval).

Consta do seu repertório, além de boleros gravados pela cantora Eugênia Miranda, como Dúvida, outras canções em que exalta os grandes cantadores de bumba-boi do Maranhão, como Humberto do Maracanã e Coxinho.

Na literatura, por ser autor da trilogia criminológica maranhense (O crime da baronesa, O processo das formigas e O Crime do Desembargador Pontes Visgueiro), em que aborda crimes que marcaram a história do Judiciário estadual, tem sido cognominado por alguns amigos e leitores de o “Jorge Amado do Maranhão”.

É esse cabedal de atributos e virtudes que singulariza o joanino talentoso, versátil e de boa cepa, Dr. Eulálio Figueiredo, e a sua vasta obra e cultura jurídica, aos quais rendo minha justa homenagem na condição de porta-voz dos ecos da Baixada Maranhense.

SALVE PAVILHÃO RIDENTE

Lembro que refleti várias vezes, quando menino e ainda morando em Viana, sobre os últimos versos do hino vianense que exaltavam nossa bandeira. A primeira questão, impulsionada pela curiosidade, foi descobrir o significado da palavra “ridente.” E como não existia computador nem internet naquele tempo, o jeito era apelar para o velho dicionário, o chamado “pai dos burros”.

Assim descobri que ridente significava alegre, sorridente, vibrante! Mas sempre que entoava o hino antes das aulas, juntamente com a turma enfileirada no corredor assoalhado da extinta Escola Paroquial, o verso seguinte “de lindas cores brilhantes me causava mais estranheza ainda: como alguém poderia achar que a bandeira de Viana, até então conhecida, poderia ter cores brilhantes? E muito menos ser uma bandeira alegre, sorridente?

Na verdade, achava a bandeira triste e sem nenhum brilho. A junção daquelas duas listras de um azul desbotado e um branco sem graça causava-me uma impressão quase fúnebre, certamente instigada pela imagem dos caixões que usavam antigamente para sepultar os falecidos, cujos forros eram de seda com aquelas mesmas cores e tonalidades.

Somente quase cinquenta anos depois é que pude entender e concordar com os versos entusiasmados de Amâncio de Aquino, o autor da letra do hino vianense. Foi quando, em 2009, tive o grande prazer de divulgar no jornal O Renascer Vianense, a descoberta da Lei n°112/1919, fruto do trabalho de pesquisa do escritor Carlos Gaspar, membro da Academia Vianense de Letras.

Tal achado tornou-se um furo jornalístico, haja vista tratar-se da recuperação da verdadeira identidade da bandeira de Viana, o símbolo maior do município. Além de explicitar os significados das cores da bandeira, a lei n°112/1919 indicava que existia uma terceira listra de cor verde, esquecida durante décadas pelos vianenses. E de quebra, ainda restaurava a tonalidade da listra de cor azul, a qual se referia ao céu, portanto, azul celestial. Em síntese: a bandeira vianense era tricolor e completamente diferente daquela que, durante quase seis décadas, foi hasteada nas cerimônias cívicas da cidade.

Com certeza, a partir de então e principalmente agora quando se comemora um centenário de sua criação, a juventude vianense pode olhar para sua bandeira e com o peito estufado de orgulho, saudá-la delirante: Salve pavilhão ridente/ De lindas cores brilhantes!..

Por Luiz Alexandre Raposo (da Academia Vianense de Letras)

A folia vai começar! Bloco da Imprensa dá o pontapé na temporada carnavalesca neste sábado, com o tema: vamos colorir!

Neste sábado, dia 02 de fevereiro, será dado o pontapé inicial na pré-temporada carnavalesca de São Luís, com o Bloco da Imprensa 2019, que já virou tradição do folia momesca na Ilha. Fazendo 10 anos, só na área da Praia Grande, em frente ao Bar do Porto, este ano mais uma vez o evento promete sacudir a cidade com muitas atrações.

Divulgação

Com apoio do Governo do Estado Maranhão, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, o charmoso Bloco da Imprensa pretende reunir os profissionais da comunicação do Maranhão, entre radialistas, jornalistas, cinegrafistas, fotográficos, sonoplastas, revisores, publicitários, marqueteiros, blogueiros, gráficos, e o público em geral.

A folia vai começar e a alegria está garantida! Agora é só tirar sua fantasia do BAÚ e cair na gandaia do cordão dos comunicadores, a partir das 18h, em frente ao Bar do Porto, na Praia Grande – Centro Histórico de São Luís.

PROGRAMAÇÃO DE SÁBADO DIA 02 DE FEVEREIRO

18h – BEM DITO SAMBA

19H – BLOCO TRADICIONAL PRÍNCIPE DE ROMA

20H – GRUPO AS BRASILEIRINHAS

21H – ESCOLA FAVELA DO SAMBA

22H – A MÁQUINA DE DESCASCAR ALHO

Lembrando que as brincadeiras do Bloco da Imprensa acontecem durante os próximos três sábados de fevereiro.

Favela vai homenagear publicitário Jesiel Pontes no Carnaval de 2019

Escola de samba de São Luís definiu o samba enredo oficial em concurso realizado em outubro de 2018. Jesiel foi morto em março do ano passado e tinha forte ligação com a Favela.

Favela do Samba homenageou o Teatro Arthur Azevedo no carnaval de 2017 quando conquistou o último título — Foto: Djalma Raposo / Divulgação

A Favela do Samba vai homenagear em 2019 o publicitário e designer Jesiel Sales Pontes, vítima de latrocínio em 29 de março de 2018. Jesiel era entusiasta da escola e participou de alguns desfiles na Favela. O samba enredo é “Sob o brilho de um cometa chamado Jesiel”. A relação era tão próxima entre Jesiel e a Favela, que o velório foi realizado na quadra da escola.

O concurso para eleição do samba enredo oficial foi realizado em outubro de 2018 e contou com 10 propostas. A vencedora foi a de autoria de Luzian Filho e Josias Filho. Os intérpretes oficiais da escola para 2019 são Kaká da Favela, Ivan Coracinha, Tunai Moura, Anastácia Lia, Sérgio Bola e Milena Mendonça. A direção da bateria segue com o Mestre Júlio Diniz.

No concurso de escolas de samba de São Luís em 2018, a Favela do Samba ficou em terceiro lugar, atrás da campeã Marambaia e da vice Flor do Samba. O último título da Favela foi em 2017, quando conquistou seu 18º concurso. Na oportunidade, a escola homenageou o teatro Arthur Azevedo.

Por G1 Maranhão — São Luís, MA