Viana recebe Farol do Saber Josefina Cordeiro Cutrim totalmente revitalizado

Divulgação – Seduc

Na próxima quinta-feira (26/04), o município de Viana receberá o Farol do Saber totalmente revitalizado. O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur) e da Educação (Seduc)  investiu nesta obra o valor de R$ 294.318.97, parte do programa de requalificação dos 118 faróis maranhenses.

Josefina Cordeiro Cutrim

Por solicitação do desembargador Lourival Serejo – membro da Academia Vianense de Letras (AVL), o Farol será denominado Professora Josefina Cordeiro Cutrim, ex-professora, e também ex-diretora do antigo Antônio Lopes entre 1977 a 1993, deixando naquela escola a marca de sua competência e seriedade profissionais. Também ensinou na Escola Normal N. S. da Conceição e no extinto Ginásio Bandeirante, tornando-se diretora também deste último por quatro anos (1972/1976).  Leia mais AQUI.

Os Faróis dos Saberes integram o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Maranhão, sancionado pela Lei nº 10.613, de 05 de julho de 2017. Fazem parte do Sistema todas as bibliotecas municipais, que hoje somam 158 municípios, além dos 118 faróis dos saberes e bibliotecas comunitárias.

SOBRE A OBRA:

Farol do Saber Josefina Cordeiro Cutrim

Município: Viana

Valor investido: R$ 294.318.97

Tempo da obra: 3 meses

Doação de Acervo: 500 títulos

DESCRITIVO DO SERVIÇO REALIZADO:

– Limpeza e retirada de materiais

– Reforço estrutural dos pilares, laje e marquises

– Retirada de piso cerâmico existente

– Retirada e recomposição de revestimento primário

– Retirada e recomposição de esquadrias com defeitos

– Reforço na estrutura da marquise

– Reforma do banheiro e do piso de todos os pavimentos

– Reformada a escada e corrimão, com adição de escada ao topo do farol

– Retirada, revisão e troca da estrutura da cobertura e Telhas

– Forro de PVC

– Pintura de todo Farol do Saber

– Troca de todas as esquadrias devido ao alto nível de degradação

– Instalação Hidrosanitária Refeita

– Executado todas as instalações elétricas – Iluminação e tomadas internas e externas

– Execução de paisagismo ao redor do Farol

– Instalação de novos corrimãos e restauração de pontos de corrosão

– Recuperação das Estantes de Livros

– Instalação de ar-condicionado

– Recursos de acessibilidade

(Com informações da Seduc –MA)

Charles Broxa, o Rei da Bicharada

Nonato Reis*

Charles Broxa era um típico “bargado” (em Viana, diz-se da pessoa desconfiada), esperto e matreiro. Parecia andar sempre com um pé atrás com todo mundo, mas inteligente o suficiente para se sair com desenvoltura de qualquer impasse ou situação complexa.

Mesmo sem jamais ter sentado em um banco de escola, comunicava-se muito bem, sabia defender seus pontos de vista e dificilmente alguém o derrotava em uma discussão.
Também era bom de cálculo. Com dinheiro então, nem se fala. Se engenheiro fosse e ainda mais investidor de finanças, seria um profissional realizado. Um dia eu quis experimentá-lo e apliquei com ele o famoso teste dos “vinte mil réis”, imortalizado na canção do Rei do Baião, Luiz Gonzaga. “Broxa, vamos ver se você é bom mesmo com os números. Supondo que eu te dê 20.000 cruzeiros para pagar uma conta de 3.300, quanto você me dará de troco?”. 
Ele sequer se deu ao trabalho de pensar. “Ora, ora, é moleza! O teu troco é 16.700 cruzeiros”. Eu contestei. “Errado! Você teria que me voltar 17.700”, ao que ele cortou com um raciocínio categórico. “Vamos trabalhar só com os inteiros e deixemos a fração de lado. Se você tem 20 e deve 3, ficará com 17, certo?”, eu disse “certo”. “Agora, pega o inteiro e retira a fração: 17 menos 700, vai sobrar 16.300 cruzeiros”.
Eu fiquei abismado com tamanha lucidez. “Charles, você parece saber tudo. Tem alguma coisa que você não consegue dominar?”. Tinha! 
Ele me fitou de um jeito embaraçado, depois aproximou-se e falou em tom de confidência. “O meu problema são as mulheres!”. Eu não entendi e ele explicou. “Tenho uma dificuldade danada. Não consigo terminar… nem começar”.

Aquilo soava estranho porque eu conhecia Charles dos tempos de adolescência. Foi o maior pegador de animais com quem convivi. Naquele época na zona rural, de sexo rarefeito com mulheres fora dos puteiros, a zoofilia era uma prática recorrente, especialmente entre meninos na fase da puberdade. 
Charles acabou com a criação de galinhas dos pais, só de transar com as aves que, pela delicadeza da genitália, acabavam morrendo após a cópula.
Ele pegava o que atravessasse em seu caminho: galinha, porco, cabrita, cadela, jumenta (e até os bichos do sexo masculino). Nada escapava da sua sanha devoradora. 
Chegou a manter por anos um caso de amor com a vaquinha “Jurema”, animal de estimação da família dele, criada na mamadeira com zelo maternal. 
O envolvimento de Jurema com Charles deu panos para as mangas, porque ele, louco de paixão, fazia declarações para o animal à vista de todos, sem se importar com o falatório, e só não casou com ela porque não não houve um meio legal de sacramentar a relação.

– Charles, mas como é isso? Você deixou de gostar ‘da fruta’? Quis saber, ao que prontamente respondeu que não, muito pelo contrário.
– Até hoje continuo guloso, mas só funciona com animais.
Porém, entre quatro paredes com uma mulher não tinha santo nem ladainha que dessem jeito. Era antena morta.

Eu, compadecido com a situação do amigo, que considerava um legítimo representante da espécie macho, ofereci-me para ajudá-lo. Lembrei-me de Gaby, uma morena grandalhona que conheci em Imperatriz, e que agora se encontrava em Viana, batendo ponto no cabaré da “Luz da Serra”. Gaby tinha uma longa folha corrida com homens em situações sexuais vexatórias. Para todos sempre trazia na cartola uma solução prática infalível. 
Fui até ela e relatei o problema de Broxa. “Gaby, acho que a coisa está relacionada ao excesso de sexo com animais. Ele desenvolveu uma espécie de bloqueio psicológico com mulheres e agora está à mercê de um milagre”. 
Gaby deu de ombros. “Fica tranquilo, meu filho, que o milagre dele está entre minhas coxas”. E assim, Charles Broxa foi conduzido ao quarto para uma terapia de seis horas corridas entre as pernas de Gaby. 
Ao final da sessão deixou a cama de Gaby pior do que houvera entrado, porque além de não funcionar, saíra gemendo e mancando. Fui ter com a mulher. “Gaby, o que aconteceu?”. Ela mostrou-me os dedos médios das mãos. “Estão vermelhos só de tocar piano e fazer ‘terra’ no traseiro do safado. É veado encubado, meu filho. Solta o bicho na malhada, que esse aí não nasceu pra pegar mulher”.

*Jornalista/Escritor
Do livro “A Fazenda Bacazinho”, em processo de edição.

Viana-MA, na Baixada Maranhense, desperta para o turismo ecológico

Com um majestoso lago de água doce, um rico patrimônio histórico e inúmeras belezas naturais, a Cidade dos Lagos entra na rota do turismo sustentável.

ADEUS, VIANA

Adeus, Viana vou partir vou te deixar.

Comigo vai, a saudade em teu lugar.

Adeus, Viana, terra querida, eu hei de ti amar por toda vida.

Na partida um lenço branco acenava,

Como as águas do teu lago a balançar.

Viana, Viana eu hei de ti amar por toda vida.

Adeus, Viana vou partir vou te deixar

Comigo vai a saudade em teu lugar,

Adeus, Viana, terra querida, miragem dos teus olhos a rolar.

Autor: Carlos Nina Everton Cutrim

Viana – O crescimento populacional, a melhoria da infraestrutura viária, o aumento da rede hoteleira, de restaurantes e a conscientização dos próprios vianenses de que é preciso curtir, valorizar e manter esse rico patrimônio natural, está contribuindo para a descoberta pelos munícipes dessa modalidade de turismo, que protege a natureza, traz benefícios para a comunidade e ajuda a preservar sua cultura.

A Baixada é o maior conjunto de lagos e lagoas naturais do Nordeste, e, marca, junto ao Golfão Maranhense (Ilha de São Luís e municípios circunvizinhos), o encontro entre os ecossistemas amazônicos e a mata dos cocais ou de transição.

É nesse cenário que se situa a bela cidade histórica de Viana, que ostenta um casario colonial preservado, vielas e igrejas à beira do lago, e que tem despertado a rota turística estadual e nacional, cujos apreciadores estão encantados com o majestoso lago vianense.

O que se tratava apenas de válvula de escape para passeios lacustres ou pescarias de lazer, durante as cheias do Rosário de Lagos do Maracu, agora atraem visitantes de todo o país, com lanchas, motos aquáticas e, por conseguinte, a tímida, mas promissora profissionalização do setor turístico e de eventos.

Nos finais de semana, entre os meses de março até o final de maio, portanto, é possível observar dezenas de embarcações nas principais áreas de passeio, entre elas, o Lago do Aquirí, no Povoado Santaninha – Matinha-MA, e também em frente ao Morro do Mocoroca, com vista para a sede de Viana – um convite para um banho em suas águas limpas e transparentes.

A empresária vianense, Dirce Costa, produtora de eventos, recentemente montou uma empresa que pretende explorar esse filão logístico, que é organizar passeios no Lago de Viana, de forma sustentável, com treinamento e oferta de serviços mais atraentes à população local, visitantes e turistas.

“Viver esses momentos é simplesmente encantador, com tanta beleza que a nossa natureza nos proporciona gratuitamente. Mas, é necessário “empreender” no Turismo de Viana, para isso, precisamos oferecer uma prestação de serviços com qualidade, conforto, e segurança. Observando com olhos profissionais, resolvi abraçar a ideia de oferecer os meus trabalhos junto a Empresa DC turismo e eventos. Trabalhamos com três tipos de pacotes e estamos divulgando essas novidades ao nosso público alvo”, concluiu Dirce.

No último sábado (7), a Rádio Maracu AM, a TV Maracu, afilada a TV Meio Norte, realizou um longo passeio entre amigos, empresários e políticos vianenses. A troupe percorreu a imensidão dos campos alagados, protegidos por coletes, ao som da Banda Vadia (instrumental); enquanto eram servidos bebidas, quitutes e os visitantes trocavam impressões sobre as belezas naturais e colocavam o papo em dia.

O evento – produzido pela DC Eventos e Turismo-, foi uma iniciativa do empresário Benito Filho e do advogado Ezequiel Gomes, comandantes do Sistema de Comunicação, e contou com presenças ilustres, entre eles, os irmãos Carlos Gaspar – empresário e membro da Academia Vianense de Letras, Antonio Gaspar – empresário e ex-deputado federal, Raimundo Gaspar – empresário, Hélio Mendes, empresário, proprietário do Hospital São Domingos, em São Luís, Emanoel Travassos – médico e ex-prefeito de Matinha, dentre outros.

Pelo encantamento e pelos depoimentos abaixo, fica a certeza de que Viana e a Baixada Maranhense possuem todos os qualitativos para virar uma nova e surpreendente rota para o turismo ecológico, despertando o olhar do mundo para a preservação, contemplação e a geração de empregos e renda em uma das regiões mais carentes do Maranhão.

ASSISTA AO VÍDEO:

 

O PANTANAL MARANHENSE

Compreende a região chamada de Baixada Maranhense. A Baixada Maranhense é merecedora de fazer parte da seleta lista da Convenção sobre Zonas Úmidas (RAMSAR) como uma das áreas úmidas de relevância planetária.

Não é para menos, esta região fluvio-lacustre-marítima que reúne campos naturais, resquícios de  matas amazônicas e pré-amazônicas, mata dos cocais, cerrados,  babaçuais, lagos, rios, estuários e manguezais se espalha por vários municípios maranhenses e tem atrativos naturais sem igual como a pororoca do Rio Mearim (Arari), onde há campeonatos de surf; o Lago-Açu (Conceição do Lago Açu) – considerado um dos maiores lagos naturais de água doce do Brasil; a Reserva Florestal Paraíso (Monção) – uma mata amazônica remanescente de terra firme preservada com trilhas e lagos e as fantásticas Ilhas flutuantes do Lago Formoso (Penalva).

Os inúmeros lagos alimentados por rios e igarapés extravasam na época das chuvas e inundam boa parte dos campos naturais e matas, formando várzeas e igapós que se assemelham às da Bacia Amazônica, à Ilha do Marajó e ao Pantanal Mato-Grossense. (Com informações do portal http://www.maramazon.com).

 

 

BAIXADA MARANHENSE*

No paraíso ecológico da Baixada Maranhense, a riqueza da flora rivaliza com a da fauna, num maravilhoso ecossistema que por si só já é um louvor ao criador.

O luar se assemelha a um manto de prata, e o alvorecer é a ratificação do Gênese.

E nem se pode dizer o que é mais bonito, se o tapete azul do pajé florido, o rosado matinal das flores de algodão bravo ou o revoar das muitas coloridas aves.

Essa é a nossa Baixada do Maranhão, um lindo jardim onde Deus apresenta todo dia um recital ao amanhecer com sua orquestra de trinados.

E à tardinha, pinta em variadas e ricas nuances de dourado, vermelho, rosa, laranja e violeta, a sua enorme aquarela intitulada “Por do sol”.

Autora: *Gracilene Pinto (Extraído do livro Ecos da Baixada)

Fotos gentilmente cedidas por Dirce Costa, Eládio Pinheiro e Geraldo Costa

Falece o radialista e apresentador da TVE, Edmilson Filho

O apresentador do programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM, Roberto Fernandes, informou agora a pouco, às 11h30, o falecimento do radialista e apresentador de telejornais da TVE Brasil, Edmilson Filho (foto abaixo). Ele estava no Centro Médico, para onde foi levado, vítima de infarto.

Tive o prazer de conhecer esse brilhante profissional, no início da minha carreira, em 1984, gravando áudios com a sua bela voz e também comerciais de televisão, que eram gravados em suas horas de folga, tanto na antiga TV Ribamar, assim como na TVE (Hoje TV Brasil).

Profissional respeitado e muito querido entre os colegas, Edmilson Filho deixa uma enorme falta em nosso meio e aos ouvintes maranhenses.

O Blog Vianensidades  se solidariza com a família neste momento de perda e dor.

A Academia Vianense de Letras elege novos membros efetivos

Desembargador José de Ribamar Fróz Sobrinho e a professora Laurinete Costa Coelho (Arquivo AVL)

A Academia Vianense de Letras – AVL, na noite do último dia 02 de abril, reunida em Assembleia Geral, elegeu, por unanimidade, o Desembargador José de Ribamar Fróz Sobrinho e a Professora Laurinete Costa Coelho, na categoria de novos membros efetivos.

A Academia Vianense de Letras – AVL dá as boas vindas aos novos membros efetivos!

O confrade José de Ribamar Fróz Sobrinho tornou-se o titular da cadeira de nº 33, patroneada por Antônio Hadade, enquanto a acadêmica Laurinete Costa Coelho ocupará a cadeira de nº 34, cuja patrona é Maria Antônia Gomes.

O processo eleitoral teve início com a publicação do Edital Eleitoral nº 001/2018-AVL, no site da Academia, que tornou pública a existência de duas vagas na categoria de membro efetivo, a serem preenchidas mediante a observância das regras dispostas no referido edital.

Após o período de inscrições (16 de fevereiro a 19 de março), a Academia instituiu uma Comissão Especial, formada pelos acadêmicos Lourival de Jesus Serejo Sousa, Joaquim de Oliveira Gomes e Elvemir Nunes Franco, que elaborou o Parecer Informativo nº 001/2018-CE/AVL, informando as condições de elegibilidade dos candidatos inscritos, o qual foi lido pela Presidente Fátima Travassos e submetido à apreciação de todos os acadêmicos presentes na ocasião da Assembleia Geral, sendo aprovado por unanimidade.

Os novos membros efetivos da AVL tomarão posse em Sessão Solene a ser realizada no próximo dia 05 de maio, no Salão de Convenções Caesars Palace, na cidade de Viana/MA, e contará com a participação de acadêmicos, familiares, autoridades locais e convidados.

Quem são os novos membros efetivos da AVL:

José de Ribamar Fróz Sobrinho: É vianense, filho de Jorrimar Lindoso Froz e Jaci Cutrim Froz, divorciado, Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão, professor do curso de Direito da UNICEUMA e ESMAM, Coordenador da Unidade de Monitoramento, Acompanhamento, Aperfeiçoamento e Fiscalização do Sistema Carcerário no Estado do Maranhão, Membro da Comissão de Trabalho sobre Audiência de Custódia no Poder Judiciário do Estado do Maranhão e Presidente da Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão. É membro do Conselho Editorial da Revista da ESMAM. É autor de diversos artigos publicados no Jornal “O Estado do Maranhão” e em Informativos do Ministério Público do Estado do Maranhão. É Pós-Graduado em Direito Civil e Processo Civil (Monografia: “Aspectos sobre os Aforamentos na Ilha de São Luís”). É especialista em Direito Ambiental e Políticas Públicas e Direito Civil. É Mestre em Direito Constitucional (Dissertação de Mestrado em Constituição e Sociedade, “Eficácia dos Direitos Fundamentais dos Encarcerados: A Situação Carcerárias no Brasil e a falência dos mecanismos formais e preservação de direitos”), e ainda, Doutorando em Ciências Jurídicas. Foi Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado do Maranhão; Diretor da Secretaria para Assuntos Institucionais da Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Maranhão; Diretor das Promotorias de Justiça da Capital (2004-2006); Assessor de Procurador-Geral de Justiça (2006-2008); Exerceu a função de Promotor de Justiça Eleitoral; Foi Vice-Presidente e Corregedor do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Maranhão e Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Maranhão. Foi membro do Conselho Editorial da Revista do Ministério Público do Estado do Maranhão – Juris Itinera, dos vol. 05 e 06; e da Comissão Editorial da 2ª Edição da Coletânea de Leis do Ministério Público do Estado do Maranhão. Ministrou diversas palestras e cursos na área jurídica em diferentes estados brasileiros, e também, nas cidades de Salamanca e Madri, na Espanha. Participou de diversos Seminários, Congressos, Fóruns, Encontros e Reuniões na área jurídica, em diferentes estados brasileiros, e também, na cidade de Lisboa, Portugal. Recebeu diversas Medalhas de Mérito; Títulos de “Cidadão Caxiense” e “Cidadão Pinheirense”; Medalha de “Ordem do Mérito Judiciário Militar”, do Superior Tribunal Militar – STM; Medalha de “Ordem Timbira do Mérito Judiciário do Trabalho”, homenagem no grau de Grande-Oficial, do Tribunal Regional do Trabalho – TRT.

O novo acadêmico Fróz Sobrinho recebeu a notícia da eleição e externou sua satisfação em integrar a AVL:

“Obrigado pelo carinho de todos e todas! Estou grandemente honrado por fazer parte da Academia Vianense de Letras! Agradeço a cada confrade e confreira que me agraciaram com o voto de confiança! No dia 05 de maio vamos fazer uma grande festa à altura da Academia e de toda a história da nossa querida cidade de Viana e dos nossos amados conterrâneos e familiares!”  (Fróz Sobrinho)

Laurinete Costa Coelho: É vianense, filha de Benito Martins Coelho e Maria Celeste Costa Coelho, solteira, servidora pública municipal, atualmente ocupando o cargo de Superintendente de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, do município de Viana/MA, educadora, Licenciada em História, escritora, poetisa, historiadora, colunista da rádio e TV Maracu, locutora. Foi Diretora Regional de Educação, Coordenadora Local do Projeto Santo de Casa faz Milagres (Viana do Castelo – Portugal) e Griô Aprendiz, Secretária de Meio Ambiente do Município de Viana.

Desenvolveu atividades culturais/literárias na cidade de Viana/MA, e também o Projeto Educação para as relações Étnico-Raciais e para o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira, em Viana do Castelo, Portugal. É autora da obra “Cordel de Lançamento – As Origens de Viana”, publicada em 2009, com os fins de incentivar a leitura e a aprendizagem da História de Viana, de forma mais dinâmica e lúdica. Escreveu contos, sambas-enredos, crônicas e poesias, como “Viane-se, Poeme-se”. Em processo de edição, a obra “Entre a Emoção e a Razão”, de sua autoria, será lançada em breve.

Após notícia de sua eleição, expressou aos acadêmicos:

“Quanta honra, quanto mérito fazer parte deste seleto grupo! O momento agora é oportuno para o imenso agradecimento e aplausos pela condução dos trabalhos relevantes que a AVL traz para Viana. Parabéns a mim, ao companheiro eleito, à Presidente e aos demais confrades e confreiras que fazem parte desta Academia de Letras.” (Laurinete Costa Coelho)

ABAIXO IMAGENS DOS ACADÊMICOS DURANTE A VOTAÇÃO DO DIA 2/4/2018

Fonte: Portal da Academia Vianense de Letras (AVL).

IFMA oferece pré-vestibular para indígenas em Viana

Atividade de extensão faz parte de um projeto que também busca beneficiar jovens de comunidades quilombolas.

 

Dos 15 alunos da turma, oito eram indígenas

Indígenas da comunidade Itaquaitiua, em Viana, são beneficiados com um curso preparatório pré-vestibular oferecido Instituto Federal do Maranhão (IFMA). A atividade faz parte de um projeto de extensão que busca facilitar o acesso de membros de comunidades afrodescendentes e indígenas ao ensino superior.

Em fevereiro e março, foi realizada a primeira edição do projeto, com aulas preparatórias para o vestibular de Educação a Distância (EaD) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). A prova foi aplicada no dia 11 de março. O curso foi aberto à comunidade, porém foi solicitado pelos indígenas Gamella. Dos 15 alunos participantes das aulas, oito eram indígenas.

O projeto, intitulado “Biologia para concursos I”, é coordenado pela professora de Biologia do IFMA Campus Viana, Isabel Sousa, mestre em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRG). “A intenção é que os alunos dessas comunidades se sintam mais aptos a participar de processos seletivos”, explicou a professora. Também participam do projeto quatro estudantes do IFMA, dos cursos técnicos em Administração e Desenvolvimento de Sistemas.

Para Isabel Sousa, o acesso dos membros das comunidades tradicionais quilombolas e indígenas à educação formal de nível superior especialmente na modalidade licenciatura, possibilita uma esperança de melhores condições de vida para estas comunidades. “Logo, deve ser realizado um esforço coletivo multidisciplinar para que estas pessoas adentrem e permaneçam no mundo acadêmico, como uma forma de possibilitar a essas comunidades a possibilidade de uma nova realidade”, acredita.

Com informações do Campus Viana