Na contramão da crise, malharias contratam funcionários para entregar uniformes escolares da rede estadual

Produção de uniformes escolares permitem geração de emprego e renda para malharias. Fotos: Dyego Rodrigues

Além da inédita ação de distribuir 708.150 unidades de uniformes escolares em toda rede estadual de ensino, o Governo do Estado impulsiona o setor têxtil e de confecções no Maranhão com as novas demandas de fardamentos. As encomendas aumentaram as atividades nos maquinários industriais, gerando novos postos de empregos.

A iniciativa faz parte da política de valorização da educação de qualidade e digna para os estudantes, além do incentivo à economia do estado.

Serão injetados pelo Governo do Estado cerca de R$ 6 milhões para a confecção dos uniformes escolares, distribuídos em diversas malharias do Maranhão. “É a primeira vez na história que as empresas genuinamente maranhenses, no ramo de malharia, entram num certame para a produção do fardamento escolar para o Governo. Isso vem movimentando a economia e gerando muitos empregos no mercado local”, diz Fátima Parga, dona de uma das malharias contempladas.

Com as encomendas do Governo, Fátima conta que a teve um aumento de mais de 50% na contratação da mão de obra, número que representa 70 funcionários, para produzir 135 mil fardamentos. “ É uma ação muito interessante, pois contempla os estudantes com o fardamento de graça, gera a oportunidade do empreendedor contratar e a do profissional ter um emprego. São medidas como essa que a gente dribla a crise do país”, diz.

Produção de uniformes escolares permitem geração de emprego e renda para malharias. Fotos: Dyego Rodrigues

Isso gerou oportunidade para Rodrigo Brito de Oliveira, 19 anos, que começou recentemente a trabalhar na malharia. Ele enxerga no emprego a oportunidade de aprender novas tarefas e consolidar um espaço no ramo: “ Essa foi uma ótima oportunidade, em consequência das ações do governo, de entrar no mercado de trabalho e aprimorar o aprendizado”.

“Estou muito feliz em poder aprender um pouco de cada coisa aqui e de saber que servirá de base para o meu futuro profissional”, afirma o jovem funcionário.

De volta ao trabalho

Em um outro galpão da malharia, a costureira Maria José Sá Costa, 55 anos, voltou ao mercado de trabalho após ter sido demitida de outro emprego. “ Eu agradeço ao governador e a dona da empresa por estarem trazendo a esperança para tanta gente que ficou desempregada.  Eu pude me recolocar de uma forma honesta e com muito mais gás para produzir. Eu já vejo as pessoas neste espaço como membros da minha família.”

Paralelamente à admissão dos funcionários na malharia, Fátima estendeu um contrato com a Associação das Mães do bairro do Anjo da Guarda, onde mais de 100 mulheres se dividem em dois turnos para produção do fardamento escolar. São mais de 3 mil peças de camisas  produzidas por dia na própria estrutura da sede da associação.

No Centro, uma outra malharia, também estimulada com a produção do fardamento escolar, contará com 300 funcionários para atender toda a demanda.  “ É bom para ambas as partes. Para o Governo, que vai beneficiar os alunos entregando uniforme, e para o empresariado maranhense, já que a economia não está favorável. Vamos ter serviço para fazer, gerando emprego e renda, devido à grande produtividade”, diz o diretor administrativo financeiro, Felipe Duailibe.

Oportunidade para todos

Além do programa que propicia mais dignidade escolar e geração de emprego e renda, o Governo, junto a malharia, fechou um convênio de responsabilidade social. “ Estamos com a contratação de mais de 30 apenadas da Justiça para trabalhar com a gente, pagando três quartos de salário mais a redução de um dia de pena a cada três trabalhados. Então, isso é favorável para ambos os lados, tanto para a rede pública como para o privado. Essa é a parceria que a gente espera”, ressalta.

Cada estudante da rede receberá dois blusões. Nessa primeira etapa já foram entregues aproximadamente 16 mil deles, sendo 1.268 para o município de Arame, 663 para Itaipava do Grajaú, 552  para  Jenipapo dos Vieiras, 1.011 para João Lisboa, 1.070 para Carolina, 1.654 Santa Quitéria, 1.687 para Barreirinhas.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, enfatiza a importância dos uniformes: “Pela primeira são distribuídos uniformes escolares para os estudantes do ensino médio, de modo que irá melhorar a autoestima dos estudantes, da comunidade escolar, com uniformes personalizados para cada escola, e também contribuir para que o estudante se sinta valorizado e motivado para aprender”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *