Investimentos públicos devem garantir crescimento do Maranhão acima da média nacional

Com investimentos em andamento na ordem R$ 9,2 bilhões, distribuídos entre 346 projetos públicos e privados, o Maranhão deve crescer mais do que a média nacional em 2017. Os dados, analisados na Síntese de Conjuntura Econômica do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), mostram que, além das políticas públicas acertadas, os incentivos gerados pelo Governo do Estado estão atraindo investimentos privados e aumentando a produção agrícola.

De acordo com o Imesc, os investimentos públicos na área de infraestrutura, com construção e pavimentação de rodovias, perfazem R$ 1,5 bilhão e abrangem a construção e a recuperação de estradas, integração de modalidades de transporte, obras de saneamento básico, reforma, ampliação e construção de escolas, etc.

“Esses investimentos, aliados à atração de empresas para o estado, vai garantir ao Maranhão um crescimento do Produto Interno Bruto maior do que o da média nacional em 2017. Essa expectativa é fortalecida com o recorde da safra agrícola, que este ano deverá ter crescimento superior a 16,5%. Esses são os principais fatores que dão suporte para a projeção de crescimento real de 2,7% do estado no ano”, analisa Felipe de Holanda, presidente do Imesc.

Com investimentos de R$ 733,4 milhões divididos entre recursos próprios e investimentos privados, o Porto do Itaqui está expandindo terminais e garantindo melhorias de acesso ao local. A Expansão do Terminal de Tancagem, avaliado em R$ 242 milhões, e o arrendamento do terminal de papel e celulose, com valor das obras estimado de R$ 221 milhões, ampliam as condições logísticas para adensamento das cadeias produtivas nos respectivos setores.

Mais Empregos

Foto: Nael Reis/Secap

Isso significa que, além dos investimentos públicos com centenas de obras em andamento, o Governo do Maranhão também cria condições logísticas para atração de recursos, garantindo mais empregos por meio de empreendimentos do setor privado.

No Setor Energético, serão investidos R$ 2,3 bilhões na geração e na transmissão de energia elétrica nos municípios de Barreirinhas e Paulino Neves. O projeto prevê a instalação da Usina Delta-3, com a construção de linha de transmissão que prevê abertura de 1.000 novas vagas de empregos nos municípios da região do Parque dos Lençóis.

O Governo do Maranhão também atua para a maior diversificação dos produtos do Complexo Bovino, que apresentou crescimento nas vendas para o exterior de carnes e couros. Empresa especialista de carne processada deverá atuar no município de Estreito. A Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) promove qualificação que deverá garantir empregos para cerca de 2 mil pessoas na operação de processamento de alimentos.

Com incentivos fiscais, o governo também garantiu incremento da produção avícola maranhense. Com o Programa ‘Mais Avicultura’, de incentivo tributário às empresas do setor, houve aumento de 17%, com produção de 3,5 milhões de aves por mês. Segundo a Secretaria de Estado da Indústria e Comércio (Seinc), até 2018, o Maranhão deverá produzir 10 milhões de aves por mês, gerando cerca de 30 mil empregos diretos e indiretos. (Fonte: Secap-MA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *