Editorial – Na hora da pós-verdade

Arquivo internet
Arquivo internet

Aos poucos, a configuração política maranhense vai adquirindo outros contornos personalistas. Os novos mandachuvas municipais da Região da Baixada já foram diplomados e empossados e, a partir de agora estarão em cena por inteiro e dando o rumo administrativo prometido nas suas campanhas.

Promessas foram muitas e mesmo as mais esdrúxulas o eleitorado absorveu e acreditou que serão postas em prática. De agora em diante tudo isso irá passar pela prova dos nove, pois o que se imagina é mesmo que os gestores dirão o que pretendem fazer nos próximos quatro anos, quais suas prioridades e, claro, as medidas de impacto para os primeiros 100 dias de governo.

2016 foi um ano eleitoral atípico não só no Brasil como no mundo. Vide o que houve nos Estados Unidos da América. A influência da internet se fez sentir. No mundo virtual a divulgação de tudo e a consequente comprovação de nada arrasou pilares básicos da comunicação, o que deu origem inclusive ao fenômeno agora amplamente discutido do chamado “pós-verdade”, um verbete tido como a palavra mais importante do ano, que o dicionário inglês Oxford define como “relativo a ou que denota circunstâncias nas quais fatos objetivos são menos influenciadores na formação da opinião pública do que apelos a emoção ou a crença pessoal”.

Seria essa uma das suas explicações para as eleições de líderes populistas, os quais ancorados em promessas de todo tipo conseguem atrair mais à atenção de um eleitorado que, desencantado, passou a ter ojeriza da política tradicional.

Os fatos objetivos, agora, assumem o lugar do apelo às emoções e o da crença pessoal. Agora, a realidade se torna soberana e a ação dos novos governantes será avaliada pela população não mais pelo ponto de vista subjetivo, mas pelo ponto de vista prático.

O Blog Vianensidades, portanto, estará vigilante, como olhos e palavras dos vianenses diante de uma nova etapa administrativa, eleita pela vontade do povo, que acredita em dias melhores, mesmo diante da brutal crise que castiga a todos.

Seguindo a lógica do “pós-verdade”, o que existe em Viana agora é apenas uma inversão de lados. Quem criticava, agora está no poder, passando de pedra a telhado. E o tempo é o senhor da razão!

*Com adaptações de um artigo do jornalista Jotônio Vianna – Caxias em Off – publicado originalmente pelo JP em 11/12/2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *