Viana – “Peixadas do Carnaval”

Hora do “Macho Velho” trabalhar

Depois de ter o ego inflado por torrar mais de 1 milhão de reais, sem dó ou piedade, dos contribuintes no Carnaval de Viana, onde comemorou de camarote o seu aniversário em pleno corredor da folia, ao som das banda baianas, MV precisa voltar a triste realidade e mostrar mesmo a que veio.

MV, inclusive, deve ainda estar com as partes íntimas escrotais bastante avariadas ou virado mexido ou omelete, de tanto que os locutores oficiais do palco o “ova”cionaram durante a folia. Mas vamos ao que interessa.

Calote

Pra começar, MV deveria pagar os servidores de cargos comissionados, inclusive os ex-secretários, prestadores de serviços e fornecedores da gestão passada, e também os garis que receberam apenas a mixaria de R$ 200,00 antes do carnaval (se quisessem), e ainda caíram na humilhação de limpar a sujeira deixada na cidade.

A grana deixada para esse pagamentos foram mesmo para a Bahia.

Na Justiça

O CALOTE é grande e já vai cair nas barras da Justiça, ou para ser pago na marra, ou virar precatórios. De qualquer forma, a atual gestão agora vai provar do mesmo veneno, depois que o grupo protocolou mais de 500 ações contra o ex-prefeito, inclusive a maioria delas deverá cair no colo do atual gestor, como tiro no pé, ou feitiço contra o feiticeiro.

Canalhice com o “Laranjeira do Meu Quintal”

Para provar como o grupo de “Macho Velho” leva tanto a sério o “pão e circo” oferecido ao povo vianense – muito mais que obras e benefícios -, o tal “coordenador de porra nenhuma” do Carnaval, que também era vigia de camarote para filmar (ou impedir) quem subia e descia, mandou rebaixar o bloco mais divertido e descontraído da folia vianense, cujo líder, o popular “Dona Zeca” está indignado e triste.

Homenagem a “Pará”

Tudo porque o bloco “Laranjeira do Meu Quintal” decidiu homenagear o amigo “Pará” – grande vianense, de caráter irretocável, que faleceu no ano passado. O bloco fez uma breve parada em frente ao palco dos jurados, fez a sua homenagem e seguiu em frente com a sua alegria habitual. Não se sabe os motivos do rebaixamento ou punição, porém, muitos desconfiam que se trate de uma retaliação, por o “Laranjeira” contar entre seus integrantes, de um grande contingente de ex-servidores da gestão passada, que são tratados – não pelo prefeito -, mas sim pelos seus babões, como verdadeiros inimigos.

Fica aqui o protesto e o recado para muitos que estavam por trás dessa farra com o dinheiro público: o “Bloco Laranjeira” e “Dona Zeca” são mais importantes, alegres e decentes do que alguns que agora posam de paladinos da moral, mas não passam de serviçais, dependentes e carentes da política e dos políticos, assim como o cupim, que precisa da madeira podre para sobreviver. Pode rodar a baiana, “Dona Zeca”!

“Lata d´Água na Cabeça”…

Apesar de São Pedro estar bastante generoso com a Baixada neste ano, o carnaval vianense passou na seca total, sem água nas torneiras. E a seca continua! A foto abaixo registra o cotidiano de muitas mães de famílias que estão sofrendo carregando baldes na cabeça, com água para cozinhar, lavar e tomar banho.

O problema aconteceu e ainda acontece em todas as gestões vianenses, porém, o grupo atual montou uma verdadeira patrulha para detectar e infernizar qualquer falha do governo passado. E agora? Qual o problema da falta d’ água? Será a falta de dinheiro para comprar o cloro e outros produtos para tornar o líquido potável? Ou a velha desculpa que a bomba queimou? O Igarapé do Engenho – a caixa d´água de Viana – está cheio: muitos poços artesianos foram deixados funcionando, com caixas e distribuição. Será uma operação desmonte?

Da agricultura familiar para a cachaça

Muitos vianenses conscientes e atentos ao cotidiano da cidade flagraram com imagens o caminhão doado pelo Governo Federal para o transporte de alimentos da Agricultura Familiar, transportando grades de cervejas no bombástico Carnaval do “Macho Velho”.

Para receber o veículo – de grande utilidade para os agricultores – que estavam vendendo sua produção para a merenda escolar e o Restaurante Popular de Viana, o governo passado assinou um caderno de encargos e provou que realmente estava resgatando a agricultura vianense. Para tristeza dos produtores, tudo terminou em carnaval. Isso pode, “Macho Velho”? UMA VERGONHA!!!

Nem as barraquinhas (?)

Quem percorreu o corredor da folia, também observou algumas barraquinhas verdes, misturadas entre as dezenas de ambulantes, que arriscaram faturar algum no carnaval. Eram as barracas da feirinha da Agricultura Familiar, que viram bares, onde antes se vendia a produção de verduras, legumes e frutas do homem do campo.

Em tempos de crise, todo pai de família precisa se virar como pode para sustentar a prole, principalmente quando se muda tudo, da festa da produção para a festa puramente profana.

A execução de um inocente

Babaco – morreu de graça

A 13ª Companhia Independente de Viana e a Corregedoria da Polícia Militar precisam informar a sociedade vianense sobre o brutal assassinato de Sebastião Júlio Pinheiro, conhecido como Babaco, cidadão humilde e honesto, que nasceu e se criou em nossa cidade, no bairro da Barreirinha; gostava de ajudar os moradores da comunidade e mantinha amizades com todos.

Os moradores estão revoltados, indignados e tristes com forma cruel e desumana, com que uma patrulha de policiais, nesta madrugada (de quinta para sexta), nas imediações do Posto Vinólia, na MA 014, dispararam pelas costas contra um cidadão desarmado, que aparentemente não representava perigo algum.

Hoje, durante o velório de Babaco em Viana, sua mãe desabafou: “Se fosse uma doença eu estaria conformada, mas tiraram a vida do meu filho, quero justiça.”

Segundo relatos de testemunhas, a vitima estava na garupa de uma motocicleta, cujo condutor não atendeu a ordem de parar dos militares que faziam uma blitz no local, e resultou no trágico desfecho.

O Blog Vianensidades se solidariza com a família neste momento de dor e de revolta, ao mesmo tempo em que disponibiliza o espaço para os esclarecimentos da Polícia Militar de Viana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *