O centenário de Joaquim Ferreira de Sousa

Familiares e amigos reuniram-se para homenagear Joaquim Ferreira de Sousa, comerciante cearense, radicado no Maranhão, que completou 100 anos na última terça-feira (10). A solenidade ocorreu em um clube do município de Bernardo do Mearim (antiga São Bernardo-MA), cidade que adotou como terra natal.

Cidadão muito conhecido em São Bernardo, Joaquim Ferreira de Sousa residiu também em Viana-MA, Baixada Maranhense, na década de 60, onde deixou laços familiares junto a numerosa família Barros: é sogro do vianense José Carlos Barros e avô do “boa praça” e empresário José Martins Barros Neto e Alex Barros.

 

BIOGRAFIA DE JOAQUIM FERREIRA DE SOUSA

JOAQUIM FERREIRA DE SOUSA nasceu na cidade de Campos Sales, no estado do Ceará, no dia 10 de dezembro de 1919, filho de Antonio Joaquim de Sousa e Verônica Alves de Sousa. Conhecido como Joaquim Verônica.

Joaquim Ferreira de Sousa veio para São Bernardo juntamente com seu irmão Euclides Ferreira de Sousa, conhecido como Quidoca, vieram para poder trabalhar de roça. Os mesmos se hospedaram na residência do senhor Pedro Roberto e algum tempo depois os demais familiares também vieram para São Bernardo. Residiu por um tempo no Vai Quem Quer, depois se mudando para Viana. Ao retornar para São Bernardo morou na Avenida Manoel Matias, fixando-se posteriormente na Rua Treze de Maio, sua residência atual.

Casou-se com Maria Iracema da Cunha, conhecida como Seninha. Ele com 22 anos e ela com 18 anos. Logo depois de casados, veio a primeira filha a qual deram o nome de Iraci Ferreira de Sousa. Em seguida vieram os demais filhos: Antonio Ferreira de Sousa (falecido), José Ferreira de Sousa, Luís Ferreira de Sousa, Ione Ferreira de Sousa, Ivonete Ferreira de Sousa, Isaías Ferreira de Sousa, Josué Ferreira de Sousa (Conhecido como Zuca), Ivoneide Ferreira de Sousa (Conhecida como Neda), João Ferreira de Sousa Sobrinho, as gêmeas Josete Ferreira de Sousa e Janete Ferreira de Sousa e por último Eliudes Ferreira de Sousa. Todos os filhos do casal nasceram em São Bernardo, município na época de Pedreiras, no estado do Maranhão. No total foram 13 filhos.

Joaquim Ferreira de Sousa seguiu o catolicismo, até o dia que teve um culto das senhoras da Primeira Igreja Batista em sua residência. Através desse culto, em agosto de 1956, Joaquim Ferreira de Sousa fez sua decisão, aceitando o Senhor Jesus Cristo como Salvador de sua vida, nesta época a Igreja era dirigida pelo pastor Capitulino Amorim. Joaquim Ferreira de Sousa fora batizado pelo pastor Eleutério José da Rocha, seu hino preferido é o de número 290 do Cantor Cristão “Cristo meu Mestre” e o versículo que mais gosta, se encontra no livro de Salmos de 23.1, que diz “O Senhor é o meu pastor e nada me faltará”. Com o passar do tempo, seus filhos também foram convertendo-se ao Evangelho. Hoje quase todos permanecem servindo a Deus.

O irmão Joaquim Ferreira de Sousa ficou viúvo do seu primeiro casamento em 1976, com a morte de sua esposa que fora vítima de um atropelamento. Sendo esse um dia triste e de muita dor para toda a família. No entanto foram consolados pelo fato de que ainda em vida Seninha havia feito a sua decisão. Apesar de impactados com essa notícia, a família fora confortada pelas promessas que a Palavra de Deus dá a todos àqueles que decidem viver com Cristo: “Quem ouve a minha Palavra e crê Naquele que me enviou tem a vida eterna. (João 5.24)

Joaquim Ferreira de Sousa teve seu segundo casamento n dia 11 de outubro de 1977 com Antonia Sérgio dos Santos, conhecida como Helena, que por vários anos desenvolveu a função de Educadora em São Bernardo.

Cidadão muito conhecido em São Bernardo, Joaquim Ferreira de Sousa, teve muitas influências políticas. São Bernardo era munícipio de Pedreiras e após desmembrar-se, passou a pertencer a Igarapé Grande. Joaquim Ferreira desenvolveu vivenciou influências políticas no seu tempo. Em 1962, candidatou-se a vereador, mas não conseguiu a sua eleição. Anos depois, o seu filho José Ferreira de Sousa foi eleito ao cargo de vereador, realizando o objetivo político desejado por seu pai, que sempre estava ao lado do filho apoiando-o em sua jornada política.

Pessoa sempre carismática desenvolveu muitas amizades, inclusive em outras cidades além de São Bernardo como Pedreiras e Igarapé Grande. Entre elas estão: Beno Lago, Zé Lago, Epifânio, Manuel Matias, Jesus Vieira, Antonio Rodrigues, Joca Morais, Antonio Morais, José Morais da Silva…

Joaquim construiu uma bela família. Dos 13 filhos nasceram 20 netos, 29 bisnetos e 03 tataranetos. Esta é apenas uma pequena parte de sua história, construída no decorrer desses 100 anos e fundamentada nas Sagradas Escrituras que diz: “Bem-aventurado é o homem que teme ao Senhor” que o coroou no dia 10 de dezembro de 2019 com a contagem de seu centenário. A palavra de hoje é GRATIDÃO, gratidão a Deus pela sua graça, misericórdia e cuidado constante a seu servo, que apesar dos desafios vividos, o Senhor jamais o abandonou.

Por tudo isso louvado para todo o sempre seja o Senhor!

                                              Bernardo do Mearim 10 de dezembro de 2019

CONFIRA MAIS IMAGENS DA SOLENIDADE:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *