Magrado tenta se salvar politicamente, mas afunda com falta d’água em Viana

Com a crise econômica agravada pela pandemia do coronavírus, alguns países, estados e municípios estão suspendendo as cobranças de água e luz das famílias de menor renda. Em Viana, o prefeito Magrado Barros resolveu fingir “bondade” e fazer parte do rol de entidades e instituições que estão isentando o pagamento das taxas por conta da pandemia, decidindo pela cobrança de 15 reais apenas aos moradores do Residencial Frei Serafim.

Ou seja, todos os vianenses que sofrem com a falta d’água ou com a péssima qualidade da água que, uma vez na vida outra na morte, vem das torneiras terão que continuar pagando pelos péssimos serviços públicos de abastecimento do município.

Bairros como Piçarreira, Mutirão, Citel, Maiobão, Campo Novo e outros enfrentam o problema de forma pior, já que no Frei Serafim existem três poços artesianos para abastecer as casas. Com apenas 15 reais, a Prefeitura já leva 15 mil reais dos moradores do residencial, sem fazer força como se diz.

A promessa de resolver o problema crônico que afeta a cidade ainda permanece viva na memória da população. Nos palanques, há quase quatro anos, Magrado prometia água e água de qualidade. Foi eleito ludibriando a população com compromissos que nunca foram cumpridos, prometendo e iludindo em troca de votos.

Um exemplo escandaloso da péssima gestão do serviço aconteceu recentemente. A Prefeitura mandou caminhões pipa para retirar água dos poços do Residencial Frei Serafim. Resultado: faltou água no conjunto habitacional e sobrou revolta entre os moradores.

Agora, mais do que nunca, os eleitores percebem a gravidade e as consequências desastrosas de se acreditar em candidatos sem história de vida com credibilidade e sem uma folha de serviços prestados ao povo. Autoridades da saúde, especialistas e a própria Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendam que a higiene precisa ser feita com muito mais frequência para evitar a contaminação pelo covid-19, um vírus com alta carga de transmissão.

Há anos sem contar com um serviço de abastecimento d’água que funcione como deveria, os vianenses estão ainda mais vulneráveis ao risco de contágio de uma doença letal que, somente no Maranhão já atinge 40 município, causando até ontem (19) 54 mortes. Com mais de meio milhão de reais recebidos em apenas dois meses, a Prefeitura de Viana poderia, inclusive, resolver por definitivo o problema de abastecimento da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *