Em entrevista à Maracu, Magrado declara que comprou litro álcool em gel por “62, 65 reais porque o quantitativo foi pouco”

“Temos que ser justos e transparentes. E temos que ter muito pé no chão”, afirmou o procurador geral do município de Viana, em entrevista nesta sexta (22), ao lado do prefeito Magrado Barros. Transparência nunca foi exatamente o forte da Administração Magrado Barros. O próprio secretário chefe da Casa Civil do Governo Flávio Dino, Marcelo Tavares, chegou a confirmar aos ouvintes da rádio Maracu AM que os municípios maranhenses também já receberam recursos e que as informações, como é de conhecimento público, constam no Portal da Transparência do Governo Federal.

Nos últimos dias, a população de Viana tomou conhecimento, por meio deste blog, do superfaturamento de compras para o hospital municipal, feitas pela Prefeitura Municipal, sem licitação, que traziam como valor unitário para um litro de álcool em gel, 64 reais e máscaras, sem especificação, por 25 reais a unidade. A denúncia dos preços exorbitantes, que revoltou a população, foi “justificada” pelo prefeito Magrado na rádio sob alegação de que foi uma pequena quantidade adquirida.

“Foi um quantitativo muito pouco. Tem uns maldosos que ficam batendo nos detalhes. O município comprou por 62, 65, eu nem me lembro”, tentou explicar, sendo interrompido pelo apresentador da rádio, Jeorge Duarte, que se apressava em ajudar o prefeito a se justificar.

Viana não tem problema de saúde financeira. Foram mais de 5 milhões de reais e mais de 500 mil reais somente para ações de combate ao coronavírus sem que o município instalasse uma única UTI ou adquirisse testes para a população. Mas, há quase quatro anos, uma doença da pior espécie está provocando a mortes de dezenas de vianenses: a falta de seriedade e a má gestão dos recursos públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *