Dona Cecé – fonte de boas histórias, encantou ao conduzir a vida

Maria da Conceição Perna Cordeiro pronunciava o português de forma impecável

Maria da Conceição Perna Cordeiro (1927 – 2020) Arquivo pessoal

Patrícia Pasquini – Folha/Uol

Sem nunca imaginar o significado de empoderamento feminino, a dona de casa Maria da Conceição Perna Cordeiro fez uso dele durante muitos anos. Um dos sobrinhos, o engenheiro agrônomo Luiz Thadeu Nunes e Silva,61, conta que dona Cecé ou Cecé eterna, como era conhecida, estava à frente do seu tempo.

Segura de si, altiva e muito culta, ela tinha o dom de congregar. A risada alegre atraía todos para junto de si. Cecé sempre tinha bons causos para contar. “Quando ficou internada na UTI de um hospital em Brasília, encantou médicos e enfermeiros com suas histórias”, diz Luiz.

Aos amigos, à família e nas redes sociais que dominava aos 92 anos, desfilava com o que mais gostava, eternizava seus sentimentos e modo de vida em fotos, impunha suas opiniões e discutia política. “A tia era vaidosa. Quando o filho casou, fez questão de mostrar seu vestido no Facebook”, afirma Luiz. De bem com a vida e espirituosa, dona Cecé era famosa na cidade que nasceu, em Viana (MA).

De herança dos pais ficou o mais importante: a educação de qualidade. Cecé pronunciava o português de forma impecável e ostentava o fato de ser bem informada. Cecé gostou tanto da vida que soube gerenciar seu tempo de forma inteligente e justa. Formou sua família, cuidou dela, passeou, viajou (sozinha até há pouco tempo) e ajudou o próximo. Batalhou emprego para alguns, distribuiu cestas básicas a outros.

“O tempo é hoje”, dizia aos quatro cantos. Diabética há mais de 50 anos, não deixava de comer o que sentia vontade. A juçara, ou açaí, regava as conversas com Luiz.

Após ficar viúva, Cecé se mudou para Brasília. O filho Paulo Henrique Perna Cordeiro a queria por perto. No dia 23 de junho, Maria da Conceição Perna Cordeiro dormiu e o coração pessoal aproveitou para descansar. Viúva, deixa quatro filhos, 19 netos, dez bisnetos, irmã e sobrinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *