Apesar dos mais de 5 milhões de reais recebidos, Viana é segundo município da Baixada com maior número de casos de coronavírus.

Viana acaba de alcançar a marca de segundo município da Baixada Maranhense, com maior número de pessoas infectadas pelo coronavírus, apenas abaixo de Pinheiro, que é a maior cidade da região, com 46 casos, inclusive com o prefeito, Luciano Genésio, com teste positivo. Com 24 casos e 2 óbitos, a “Cidade dos Lagos” vive agora sob grave ameaça, com o avanço assustador dos número de casos, superior à vizinha Matinha. Nos próximos dias, a situação pode piorar.

Os vianenses vivem ainda com um motivo ainda mais preocupante, a falta de medidas efetivas de prevenção à doença. Enquanto em cidades como Zé Doca, a Prefeitura distribui máscaras, água, faz higienização com álcool em gel, aos beneficiários do Auxílio Emergencial, em Viana, o prefeito Magrado Barros (DEM) tem sido alvo de revolta e piada por parte da população, após ter ido “vistoriar” a Feira da Barra do Sol, onde anunciou como “obra importante” a construção de uma pia, mas sem água.

Aglomerações com usuários de 4 cidades: Viana, Penalva, Matinha, Cajarí e Olinda Nova, em frente à Caixa da Cidade dos Lagos

O município foi destaque me todo o Maranhão pelas enormes filas em frente à Caixa Econômica Federal, com aglomeração que trazia risco real de contaminação. Ao contrário de outras administrações municipais, que resolveram colocar tendas e organizar as filas, a Prefeitura de Viana tomou uma das medidas mais criticadas no estado: editou um decreto municipal suspendendo o funcionamento da agência da Caixa Econômica Federal e das lotéricas do município, ramo sob a responsabilidade do seu adversário político, o ex-vice-prefeito Carrinho Cidreia. A medida foi derrubada pela Justiça Federal e, além de invadir a competência federal, ira trazer graves consequências sociais, penalizando os mais necessitados do Auxílio Emergencial.

“Essa atitude é digna de um gestor incompetente, pois muitos só tem esse dinheiro para suprir suas necessidades, o certo é criar formas de resolver essas aglomerações, as ideias e invenções surgem da necessidade, ele e sua Comissão tem (que) desenvolver uma logística adequada. Exemplos: interditar o perímetro, colocar tendas, colocar grades de proteção, criar um corredor para filas, contratar seguranças particulares para organizar as filas, tem inúmeras possibilidades e dinheiro também tem para executar”, comentou o vianense Jackson Silva.

Magrado, de quarentena sem fazer nada

Somente para prevenir e tratar casos do Covid-19, a Prefeitura de Viana já recebeu quase 650 mil reais, mais de meio milhão de reais. Agora, acaba de receber 4 milhões, 592 mil, 552 reais e 88 centavos do total destinado aos municípios brasileiros no Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus.

 

Apesar dos fartos recursos, totalizando agora mais de 5 milhões de reais, não foi feita uma única reforma ou adaptação dos leitos hospitalares no município, não foi adquirido um único aparelho respirador e, menos ainda, não houve transparência na aplicação da verba recebida para combater a Covid-19. Todos os pacientes em estado grave estão sendo transportados para São Luís.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *