A feira da Barra pesa em Magrado

O mais importante centro comercial de Viana, a Feira da Barra do Sol, no coração do município, tem se tornado o maior símbolo do fracasso da administração do prefeito Magrado Barros. O local, onde antes funcionava um restaurante com pouca habitação e apenas um campo de futebol atrás, recebeu este nome por causa do dono do estabelecimento que se chamava Barra do Sol.

Todas as ações que possam proporcionar alguma espécie de visibilidade positiva à gestão municipal têm sido feitas na feira, porém, sem o êxito esperado. Ano passado, a Prefeitura anunciou como grande obra a “revitalização da Feira da Barra do Sol”, criando enorme expectativa na população. O resultado, abaixo do esperado, foi a doação de barracas, mas pelo Banco do Brasil e brindes como  bonés e janelas aos feirantes. O feito do poder público municipal foi informado da seguinte maneira: “uma grande limpeza em toda sua área, tanto interna como externa, deixando a feira de cara nova, mais higiênica, respeitando normas de higiene e qualidade dos alimentos”. Higiene (como é do conhecimento até de uma criança no Jardim de Infância) é obrigação, ação de toda rotina municipal, conforme se espera. Neste período de coronavírus, a higiene tem sido medida de prevenção das mais importantes. Mais uma vez, Magrado comunicou outra impactante ação de seu governo: inaugurar uma pia na feira.

Covardia

Nesta quarta-feira (13), houve mais uma tentativa atrapalhada de organizar o local, como o blog já noticiou. Obedecendo ordens da Prefeitura de Viana, policiais militares confiscaram peixes dos feirantes, deixando a população ainda mais revoltada. Com intuito de evitar aglomerações conforme recomendação de prevenção ao coronavírus, a administração Magrado nem tentou organizar previamente o local e comunicar aos respectivos vendedores que ali tiram seu sustento. O vereador Irmão Valdinho, com conhecimento de causa por já ter sido peixeiro e pescador, gravou um vídeo considerando “covardia” e repudiando o fato. O vereador afirmou não estar contra os policiais, mas contra o prefeito.

“Senhor prefeito Magrado Barros, não se resolve as coisas no empurrado, mas sim na conversa, no diálogo para que tenha um boa conscientização”, ensinou. Valdinho deu um depoimento emocionado, falando do sacrifício que é passar a noite no campo pescando. “Cadê o coordenador da feira e mais três pessoas para conscientizar?”, cobrou, exercendo com coragem a função de fiscal do povo.  (Veja o vídeo)

Desconsiderando que mercados, feiras e estabelecimentos comerciais de alimentos são serviços essenciais, a Prefeitura de Viana tomou uma medida de truculência e prejuízo aos vendedores. Mais uma vez, sem planejamento, Magrado cai no descrédito e na desaprovação da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *