Brasil: a ascensão de uma Pátria

OBVIUS

A Amazônia está colocando o Brasil novamente em evidência: conheça-nos.

Você, que não é Brasileiro, e nem sabe onde fica esse país, vou te dizer: somos o maior país ocidental, da América do Sul e Central.

Das Américas, sul, norte e central, somos um dos 3 maiores países que compõem esse continente, junto com o Canadá e o EUA.

Não falamos espanhol. Falamos o idioma português.

Temos apenas 500 anos. Para ser exato, temos 519 anos de nascimento. Somos bebezinhos se comparados às culturas milenares que habitam esse mundo.

O Brasil, tem riquezas incalculáveis: na fauna, na flora e nos minerais. Além de petróleo, é nele também que ficam fontes imensas de água potável.

Portanto, ele é visto como um bebê rico, burro, grogue e órfão, que baila ingenuamente na floresta de lobos ou seja, uma presa fácil.

Mas como um bebê chora bem alto, e seu som é bem audível, os lobos vão com calma para roubar suas riquezas, por isso o fazem sacudindo chocalhinhos e sorrindo, procurando então, na calada da noite, parcerias com suas babás-presidentes.

Para falar um pouco mais sobre isso, tenho que, indubitavelmente, falar sobre a raça humana.

Você sabe, apesar de ser uma espetacular criação de Deus, os humanos têm tendência a desobedecê-LO, motivo pelo qual Adão foi expulso do paraíso, junto com sua companheira Eva.

Seguindo o exemplo, vários seres humanos – ignorando que Deus existe, vê, sabe, pode tudo, é Dono de tudo e age – insistem em roubar seus irmãos.

Isso é causado por um defeitinho chamado ganância, que está em vários membros dessa raça.

Essa ganância, que é a vontade de ter, ignorando se pode ou não pode, se é do outro ou não, se manifesta em pequenas ações, como por exemplo, roubar a caneta do colega na sala de aula, não devolver as moedas que foram entregues a mais por erro em um troco… e segue a lista de pequenos delitos, até chegar em patamar territorial e, automaticamente, presidencial.

Tudo o que lemos nos livros da escola, sobre os “conquistadores” de terras, que são apresentados a nós como bravos heróis, na verdade deveriam ter sido apresentados como saqueadores, ladrões, invasores.

E assim, sendo ludibriados por séculos nas salas de aula, sem nunca confrontar esses atos com os ensinamentos de ética contidos nos ensinamentos de Deus, em uma reunião de livros chamada Torah ou Bíblia, seguimos achando completamente normal e até heróico, praticar o roubo.

Esse conceito cria outro, a que os mais fortes têm que se aproveitar dos mais fracos, os maiores, dos menores, ao invés de protegê-los e ajudá-los a amadurecer.

E esse conceito é ensinado desde a tenra idade.

Muitas pessoas fazem isso sabendo que nesse mundo é assim que toca a banda, então elas ensinam a roubar para não serem roubadas, ao invés de ensinar que temos apenas que respeitar uns aos outros, assim como diz o tutorial para uma vida feliz e cheia de êxito, dado a nós pelo próprio fabricante do planeta, ou seja, DEUS.

Assim, essas crianças crescem com os ensinamentos errados, e tornam-se adultas que obrigatoriamente terão uma profissão.

E seguem, em suas profissões, entre elas, a Política.

Na Política, em todos os países, há várias pessoas, homens e mulheres, reunidos com o objetivo de administrar um país.

Mas você sabe, entre eles estão as pessoas éticas e as não éticas, as que roubam e as que não roubam, juntas e misturadas, a praticar cada uma, segundo a sua índole, os atos para os quais elas foram contratadas. E isso vale para todas as profissões. CONTINUE LENDO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *