Viana. Vídeos – Com apenas uma chuva, obras eleitoreiras de Magrado se desmancham

Bastou uma forte chuva que caiu no início da tarde desta quarta-feira, para os vianenses se darem conta que, mais uma vez foram ludibriados com obras eleitoreiras e propaganda enganosa, por parte do prefeito Magrado Barros (DEM), que tenta a reeleição neste domingo (15).

As redes sociais e grupos de Whatspp ficaram repletos de vídeos e áudios, de todos os cantos da cidade e até da Zona Rural, devido aos estragos causados pelas enxurradas que levaram tudo pela frente.

Os moradores reclamam das obras mal feitas, da ausência da prefeitura, dos alagamentos nas ruas, nas residências e nos comércios e grandes prejuízos, como a perda de móveis, eletrodomésticos e mercadorias.

Na Av. Luis Couto, principal artéria do município, um bueiro que levou mais de 6 meses para ser colocado, não resistiu ao grande volume de água e se rompeu, causando pânico aos moradores das ruas paralelas.

Em Viana, são fortes as evidências de que o dinheiro que serviria para realizar obras de qualidade no município – como o problema da água e da infraestrutura -, está sendo derramado em todos os bairros, na compra de votos e das consciências dos eleitores vianenses.

Reeleger Magrado Barros seria um sinal de masoquismo ou complexo de vira-latas. Viana não merece mais!

ASSISTA:

Paço do Lumiar já vacinou quase 7 mil cães e gatos

Em plena campanha antirrábica o município atingiu a marca de 6,5 mil animais imunizados contra a raiva.  A vacinação iniciada no mês de setembro tem a expectativa de vacinar 10 mil cães e gatos em Paço do Lumiar.

Devido à pandemia equipes de vacinadores concentram imunizações nas ações de casa em casa, reduzindo assim, os pontos de vacinação em praças e outros locais públicos, visado evitar aglomerações.

 Apesar do foco ser vacinação casa a casa, houveram ainda algumas ações extras, a exemplo do próprio “D” no mês passado. “Para elas, o protocolo para garantir a segurança de animais e pessoas exigiu a presença de apenas uma pessoa (dono) por animal, disponibilidade de álcool gel, obrigatoriedade máscara, distanciamento em fila para aguardar a imunização”, salientou a veterinária Denizy Cristina Santos Araújo.

A campanha será finalizada na primeira semana de dezembro. Até lá a vacinação do cão ou gato também pode ser agendada nas UBS’s mais próxima de sua casa, ou ainda, o dono do animal poderá procurar a Divisão de Controle de Zoonoses da SEMUS, fazer este agendamento e garantir a saúde do PET.

Alô Viana! Polícia Federal usará drones para fiscalizar irregularidades nas Eleições 2020

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, recebeu o ministro da Justiça, André Mendonça, e o diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre, que apresentaram detalhes da Operação Eleições Limpas 2020.

Uma das frentes de atuação será com o uso de drones de última geração em mais de 100 localidades para monitorar eventuais irregularidades nas eleições no dia 15.

De acordo com o diretor-geral da PF, são aparelhos altamente sofisticados, com capacidade de zoom de 180 vezes e poder de alcance a uma distância de seis quilômetros com imagem em alta resolução. As equipes de policiais ficarão nas zonas eleitorais consideradas mais problemáticas para inibir boca de urna, compra de votos, transporte irregular de eleitores, entre outros crimes eleitorais.

“Estamos aqui para auxiliar a Justiça Eleitoral e utilizar a tecnologia como aliada para buscar eficiência maior no combate aos crimes eleitorais”, afirmou Rolando Alexandre, ao destacar que a busca é por uma eleição mais limpa e tranquila possível.

O ministro da Justiça, por sua vez, reforçou o objetivo de “ser instrumento de colaboração e cooperação para o bom andamento das eleições para que o eleitor possa escolher com liberdade de consciência e, ao mesmo tempo, os candidatos possam exercer seu direito de fazer propaganda dentro de parâmetros justos, equânimes e de legalidade”.

Outro aparato tecnológico apresentado durante a reunião é um software que vai auxiliar a Polícia Federal a identificar pessoas responsáveis pela criação e propagação de notícias falsas.

“O nosso papel é prevenir, acima de tudo, e a melhor forma de prevenir é ser transparente com a sociedade de que hoje há instrumentos tecnológicos que permitem detectar propaganda irregular através da internet. De modo especial, as chamadas fake news. Portanto, avisamos para que não procedam dessa forma, porque o sistema de justiça como um todo hoje tem instrumentos para prevenir e, se for o caso, abrir investigações nesse campo”, finalizou André Mendonça, ao destacar “compromisso com a cidadania, com a Constituição Federal e com o país”.

Fake news é uma das preocupações principais

O presidente do TSE asseverou que o controle da desinformação é uma das grandes preocupações para estas eleições, bem como a garantia que o pleito vai se realizar com segurança sanitária. Nessas duas áreas a Justiça Eleitoral tem tomado todas as medidas de precaução possível para garantir ao eleitor a tranquilidade no dia da votação e garantir eleições livres e seguras.

Ele citou as ações como o protocolo de medidas sanitárias, desenvolvido em parceria público privada, e também os acordos firmados com mais de 57 instituições públicas e privadas para coibir a disseminação de notícias falsas. Além disso, a Justiça Eleitoral conta com as principais agências de checagens para desmentir com a maior agilidade possível eventuais mentiras que visem atrapalhar o processo eleitoral.

“Mas onde não conseguirmos evitar, teremos essa parceria com a Polícia Federal. Queremos aprimorar a democracia brasileira e não permitir que ela se deteriore por grupos minoritários, irrelevantes, mas que têm um grande poder de estrago, que são essas milícias digitais que disseminam mentiras”, disse o ministro Barroso.

Para ele, a disseminação de notícias falsas degrada o debate público, e a democracia é feita de debate público de qualidade em que as pessoas apresentam as suas razões, argumentos e procuram fazer prevalecer na vontade da população.

Com a tecnologia utilizada pela Polícia Federal, será possível “percorrer o caminho de volta da notícia falsa e chegar à sua origem e identificar de onde vêm essas tentativas de difusão da mentira, de desacreditar as instituições e fazer mal à democracia”.
Após a apresentação dos detalhes para a imprensa, houve demonstração do trabalho dos drones na área externa do tribunal.

Assessoria

A Baixada é só uma, e uma só!

Arquivo Google

Autor Elizeu Cardoso

Desde que vi a nova regionalização do Maranhão que fiquei mudo. Perdi a fala, feito criança amuada, e ando meio empacado, não vou mentir, burro brabo que pode é apanhar, mas não arreda o pé.

Estava todo mundo lá na Baixada, povo de riso fácil e histórias de nunca acabar, e alguém teve a descabida ideia. Homens fechados em salas de vidro e ar modificado, com caneta e lápis, notebook, smartphone e gps, decidiram: A Baixada é muito grande, vamos subdividir!

De uma canetada levaram Alcântara, Bequimão, Bacurituba e Cajapió, para um tal “Litoral”, ao lado de Mirinzal, Central do Maranhão, Guimarães, Cururupu, Cedral, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum-Açu.

São meio tanso, né? Pensam que só porque uns têm rios e outros têm mar, o sal há de nos separar. Deixem de bobagens, doutores! O que nos une, eu nem queria, mas vou elencar:

– É a curacanga, bola de fogo que anda por tudo quanto é lugar. Nesse pedaço de terra todo mundo já viu, até as crianças que acabam de nascer, é só perguntar.

– É a travessia no ferry-boat. Quando a gente deixa a cidade grande e ri até com o vento, assim que avista o Cujupe, vem tudo no pensamento.

– É o quintal cheio de fruta, o poço e a cerca velha. Na mesa da cozinha duas comidas sagradas: Na hora do almoço e do jantar a farinha de mandioca, e no meio da tarde, todo mundo reunido tomando café preto e um bolo de tapioca.

– É a conversa na boca da noite, a rua é o quintal da gente. Os vizinhos são tudo irmão, os mais velhos tudo tios, e se ficar magro é doença, porque lá ninguém tem fastio. É manga, milho, abacate, araticum, jenipapo, bagre, tapiaca, muçum, caranguejo, camarão, sururu, acará, piaba e traíra.

Deixem como estava, sei dessa ciência um pouquinho. A Geografia é mãe, desde os gregos, que sempre acha um jeitinho. Já ouviram falar da velha que olhou a foto da neta e disse: Benzadeus, retrato é coisa que parece! Do outro que só andava em linha reta na sua bicicleta? Bastava chegar num canto que descia, para arrumar a direção? Do casal que criou um sapo como se fosse um filho? Do pistoleiro que acabou uma festa fazendo o som de tiro com a boca? De Dom Sebastião e seus cachorros andando na noite escura? Do vendedor de ovos que comprava e revendia pelo mesmo valor, apenas porque o trabalho enobrece o homem? Tudo coisas de lá.

Essas coisas não cabem em mapas, senhores, porque são cartografias das falas, dos risos, das memórias, dos cheiros, das cantorias, dos tambores e das festanças. A Baixada não cabe nem nela mesma, repare bem como a gente a leva para tudo quanto é lugar. Mas se ainda assim tiverem dúvida do que vos alerto e protesto, mandem uma pessoa dessas, de qualquer lugar falar. Bastará abrir a boca que vai sair de uma vez, pois por mais que falemos português, é a alma que determina, o nosso sotaque é baixadês!

Arquivo Google

Que vergonha, Magrado! Empresários cobram o prefeito de Viana por meio do Whatsapp

Viana – Na reta final das eleições municipais, o prefeito de Viana, Magrado Barros (DEM), está tentando comprar votos como se compra água. Não a água mineral que ele prometeu há quatro anos e enganou o povo.

Diante dessa criminosa atitude que contece nos esgotos da politicagem e nas barbas da Justiça, dezenas de empresários que levaram cano do gestor, se indignaram e estão postando vídeos nas redes sociais, cobrando e acusando Macho Véio de ser um péssimo pagador.

Não é surpresa para a sociedade vianense que as vítimas dos golpes de Magrado sabem que nem vão mais receber suas dívidas. Para eles, basta que o povo dê o troco e mande para bem longe de Viana, o pior prefeito de todos os tempos na Cidade dos Lagos.

Veja alguns vídeos.