Secretário Júlio César representa governador Flávio Dino e entrega 800 cestas básicas para territórios indígenas

Nesta sexta-feira (3), o Sistema SAF realizou a entrega de 800 cestas básicas à Diocese de Grajaú e que serão destinadas aos territórios indígenas da região.

Na ocasião, o secretário da SAF, Júlio César Mendonça, representando o governador  Flávio Dino, o bispo Dom Ruberval, o gestor Regional da Agerp de Presidente Dutra, Sebastião Wagner, e o cacique da Terra Indígena Morro Branco, Sebastião Guajajara, estiveram presentes, assim como irmãos da Diocese.

Na Terra Indígena Morro Branco, localizada em Grajaú,  as cestas irão para 306 famílias de 21 aldeias.

As cestas serão distribuídas pela Diocese de Grajaú, por meio da Pastoral Indiginista, para aldeias de Grajaú, Jenipapo dos Vieiras e Barra do Corda.

Esta ação visa ajudar famílias indígenas que se encontram em situação de vulnerabilidade social devido a pandemia.

Vianenses cobram justiça após 14 dias da morte do professor Marcus Carvalho

Quem matou e quem mandou executar Marcus de Dulcídio? Essa pergunta intriga e revolta a comunidade vianense.

Moradores e moradoras de Viana, grupos de vários bairros e escolas, exigem justiça para Marcus Vinícius Carvalho, professor e agrônomo, cidadão trabalhador, querido e admirado por todos que conviveram com ele, que foi covardemente executado a tiros, em frente à garagem da residência dos seus pais,  por suspeitos que pilotavam uma moto, dia 19/06, no bairro da Matriz, no município da Baixada Maranhense. (Reveja)

O crime, praticado à luz do dia, chocou e revoltou a comunidade e até hoje (02/07) ainda não foi elucidado pela Polícia Civil, que já examinou imagens de dois suspeitos em uma rua de Viana, mas nada foi concluído.

Por isso, será realizado um ato público de protesto e cobrança as autoridades pela prisão e justiça pela morte do educador. “Nós vamos a público manifestar nosso apoio e nossa solidariedade à família, aos alunos e amigos de Marcus. Compartilhamos da dor, não só pelo fato de perdemos um grande amigo, mas por entender o valor da vida, vida essa que foi tirada de maneira injusta e brutal por pessoas desconhecidas. Não podemos nos silenciar diante da injustiça, dor e perda dos nossos, e dessa forma iremos cobrar justiça das autoridades”, comentou ao Blog um dos organizadores do evento, que preferiu ficar no anonimato.

O protesto será realizado neste sábado, 04, a partir das 16h na Praça da Matriz, em Viana.

Viana – BEBECO Supermercados prepara plano de expansão

Depois do grande sucesso da nova filial em Penalva, na Baixada Maranhense, a rede BEBECO supermercados – o Filho do Rei – prepara uma nova inauguração, cuja localidade ainda é mantida em segredo, porém, é certo que deve ser em mais uma cidade da região.

O empresário João Rafael Nunes, o seu pai Gilberto Nunes e o mascote do Bebeco Supermercado

Segundo o empresário João Rafael, proprietário da rede,  a bandeira tem como objetivo oferecer ao público lojas acolhedoras que atendam às necessidades do consumidor regional. O sortimento é focado nas compras de primeira necessidade, com destaque para seções como secos e molhados, perfumaria, cama mesa e banho, além de oferecer produtos com marca própria, a exemplo do Arroz Bebeco tipo 1 e Arroz Bebekinho, lançados no ano passado, com grande aceitação na região, pelo preço e qualidade

“As inaugurações têm sido um sucesso, com lojas lotadas, consumidores satisfeitos e que continuam retornando para realizar suas compras. Para nós, isso mostra como a marca está sendo bem recebida pelo público e comprova como o BEBECO Supermercados tem cumprido o seu objetivo de atuar de maneira bastante próxima de seus clientes”, analisa João Rafael.

Sorteio de uma moto

Além de comprar barato, os clientes vão participar de um sorteio de uma moto CG START 160 0Km,  – que tem autonomia na cidade ou em longos percursos, equipada com painel marcador de combustível e hodômetro total e parcial facilitando a pilotagem. Quanto mais cupons, mais chances de ganhar!

Ilustrativa

Nas compras de R$ 20,00 (vinte reais) o cliente recebe o cupom da promoção, que deve ser preenchido com dados pessoais e colocado nas urnas das lojas de Viana ou Penalva. Aí é só aguardar e torcer pra ganhar.

Divulgação

Congresso conclui votação da PEC que adia eleições municipais para novembro

O plenário da Câmara aprovou, nesta quarta-feira (1/7), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2020, que adia para novembro as eleições municipais deste ano, devido à calamidade pública gerada pelo novo coronavírus. Os deputados votaram a matéria em dois turnos e, agora, ela está pronta para ser promulgada.

© Leopoldo Silvao/Agência Senado

O primeiro turno será em 15 de novembro e o segundo, se necessário, em 29 de novembro. Pelo calendário anterior, as datas seriam 4 e 25 de outubro, primeiro e último domingo do mês, como prevê a Constituição. A maioria dos deputados e senadores concordou que as eleições devem acontecer ainda neste ano e que os mandatos atuais não podem ser prorrogados.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que também preside o Congresso, marcou sessão conjunta remota às 10h desta quinta-feira (2/7) para promulgar a PEC. “Mais uma vez, o entendimento prevaleceu no Parlamento, dialogando com o TSE, a comunidade científica, prefeitos e vereadores”, comemorou, no Twitter.

Emendas à Constituição não precisam de sanção presidencial para começar a valer. Para que a PEC fosse aprovada, era necessário o apoio de pelo menos 308 deputados, três quintos dos 513, em duas rodadas de votação. No primeiro turno, 402 votaram a favor e 90 contra. O placar do segundo foi de 407 a 70. O projeto também passou no Senado com ampla aprovação.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também comentou a aprovação no Twitter. “Infelizmente, ainda vivemos um momento muito crítico da pandemia, com seu avanço para o interior do país. A eleição não poderia comprometer as ações que buscam salvar vidas e proteger as famílias”, escreveu. “As novas datas atendem às sugestões de médicos e especialistas”, completou.

Mudança

A Câmara mudou alguns pontos do texto-base, por destaque. A primeira alteração foi para garantir que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) precise da aprovação do Congresso para adiar ainda mais as eleições em alguma cidade, se não houver condições sanitárias para que os eleitores votem na data definida. Os parlamentares precisarão aprovar, por decreto legislativo, as novas datas.

O prazo-limite para as eleições em caso de novo adiamento continua sendo 27 de dezembro. O texto anterior permitia que a decisão fosse tomada diretamente pela Justiça Eleitoral, sem participação do Legislativo. Só seria exigido decreto se todos os municípios do mesmo estado não pudessem realizar as eleições em novembro.

Outro destaque aprovado pelo plenário retirou do projeto a permissão para que o TSE adequasse resoluções sobre o processo eleitoral de 2020, que regulamentam as condutas permitidas e vedadas durante as eleições. As regras já aprovadas pela Justiça Eleitoral serão mantidas.

A PEC prevê a prorrogação do prazo para o registro de candidaturas, que acabaria em 15 de agosto, para 26 de setembro. Já as convenções partidárias, que aconteceriam entre 20 de julho e 5 de agosto, passam para o período entre 31 de agosto e 16 de setembro. Elas poderão ser feitas de forma virtual. 

Medidas de proteção

Para evitar contágio, o TSE defende que o processo eleitoral seja dividido por horários. Primeiro, votariam os idosos, grupo de risco para a covid-19. Seria uma recomendação, não obrigação dos municípios, para não prejudicar quem precisa ir votar com a família inteira. 

O TSE também vai fornecer máscaras, álcool em gel e luvas. Como não é possível passar álcool antes da biometria e do voto, a ideia é manter um servidor com luva e jato de álcool na saída. A Justiça Eleitoral deve distribuir cartilhas com as recomendações.

Contrapartidas

Durante as negociações para a aprovação do texto, parte dos deputados condicionou o voto favorável ao avanço de outros projetos relacionados ao tema. Um deles prevê que a ajuda financeira da União a estados e municípios, para recompor perdas arrecadatórias das prefeituras durante a pandemia, dure até dezembro deste ano, não até julho, proposta atual.

Parlamentares também propõem a retomada da propaganda partidária gratuita em rádio e televisão, proibida em 2017. A mudança está prevista um projeto de lei do senador Jorginho Mello (PL-SC) que prevê transmissões em blocos de 30 segundos nos intervalos das programações normais das emissoras.

A lei entraria em vigor em 2021 e não valeria para as eleições municipais deste ano. Nesta terça-feira (30/6), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o encaminhamento das matérias não tem nada a ver com a votação do adiamento das eleições. (Fonte: Correio Brasiliense)