Cidade de Matinha vai ganhar filial do BEBECO Supermercados

BEBECO Supermercados – O Filho do Rei – vai inaugurar, nos próximos dias, mais uma unidade em Matinha, na Baixada Maranhense. A loja será bem localizada e vai comercializar um mix com produtos dos setores de hortifruti, bazar e utilidades, limpeza, higiene e perfumaria, têxtil, mercearia, frios e churrasco, além de itens de marca própria, como o Arroz Bebeco tipo 1 e Arroz Bebekinho.

Divulgação

A rede já abriu as portas em Penalva – também na Baixada -, gerando empregos para o município e muita economia para a população na hora de abastecer suas residências.

Expectativa

O Bebeco supermercados está presente em Viana há mais de 3 anos. Em Penalva foi inaugurada uma filial em 2019. Para o empresário João Rafael, proprietário da rede, a escolha por Matinha foi muito estudada, sendo que o potencial de crescimento do município foi um dos fatores determinantes. “Esperamos obter o mesmo sucesso que já conquistamos em Viana e Penalva, agora em Matinha. É inovação e progresso para o município e desejamos agradar a toda a população. Não escolhemos Matinha por qualquer motivo, pois sabemos de sua importância na Baixada”, observou.

Sorteio de uma moto

Além de comprar barato, os clientes vão participar do sorteio de uma moto CG START 160 0Km, a moto CG 160 Start – que tem autonomia na cidade ou em longos percursos, equipada com painel marcador de combustível e hodômetro total e parcial facilitando a pilotagem. Quanto mais cupons, mais chances de ganhar!

Divulgação

Nas compras de R$ 20,00 (vinte reais) o cliente recebe o cupom da promoção, que deve ser preenchido com dados pessoais e colocado nas urnas das lojas de Viana ou Penalva. Aí é só aguardar e torcer pra ganhar.

História

O Bebeco Supermercados – o filho do Rei foi fundado em 8 de dezembro de 2016. Líder do mercado varejista no município, referência na Baixada, o Bebeco gera vários empregos no supermercado e na distribuidora de alimentos. Além disso, possui marca própria do melhor arroz da região: Arroz Bebeco tipo 1 e Arroz Bebequinho, lançados em 30 de março deste ano.

O empresário João Rafael Nunes, o seu pai Gilberto Nunes e o mascote do Bebeco Supermercados

Atuando com um mix de produtos em diversos ramos alimentícios e bebidas, artigos de perfumaria, produtos de limpeza, o Bebeco Supermercados  é a concretização da visão empreendedora do jovem empresário vianense, João Rafael Nunes – filho do empresário Gilberto Nunes e neto do comerciante Chico de Dunga, o Rei do Café -, como é conhecido na Cidade dos Lagos. O slogan “o filho do Rei” foi inspirado em uma promessa religiosa, feita há vários anos por Gilberto Nunes, cujas graças foram alcançadas e retribuídas com o alcance social e o sucesso do grupo.

Milhões de famílias sofrem com a fome devido à crise

Desde março deste ano, o Brasil enfrenta uma recessão provocada pelo novo coronavírus. Por conta da iniciativa de isolamento social e quarentena, muitas corporações se viram obrigadas a encerrarem suas atividades ou diminuírem o quadro de colaboradores. O resultado? O aumento do desemprego. Entretanto, o problema não para apenas na falta de colocação: a situação de miséria foi impulsionada nesse cenário e é preciso tomar uma atitude quanto a isso.

Como uma medida para conter o impacto da Covid-19 no bolso da população, o Governo Federal implementou, ainda no começo do ano, o Auxílio Emergencial, em parceria com a Caixa. Cerca de 107 milhões de indivíduos solicitaram o benefício e 59 milhões deles tiveram o pedido aprovado.

Entretanto, ainda há 10 milhões de brasileiros aguardando a análise para poder utilizar os R$ 600 reais. Para o presidente do Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios, Seme Arone Júnior, embora a iniciativa seja essencial, não é uma maneira duradoura para enfrentar o problema. “A previsão é encerrar essa liberação em agosto, considerando uma retomada dos estabelecimentos. Entretanto, como fica o depois? A escassez de vagas ainda será grande e afetará com maior agressividade os mais pobres”, explica.

Sem a renda de contingência, a Rede de Pesquisa Solitária prevê a falta de renda atingindo 30% da população. A Organização das Nações Unidas promoveu o levantamento “UNU-WIDER” e também constatou: a pandemia pode levar 14 milhões de brasileiros à miséria.

Além disso, entre março e abril, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad-Covid), a taxa de ocupação ficou inferior a 50%, acontecimento inédito até então no território nacional. Conforme o mesmo estudo, 75% da diminuição das horas trabalhadas no país estão ligadas à suspensão de contratos e à redução da jornada e de salários.

O cenário também afetou quem busca estagiar. “Até pouco antes da crise, em fevereiro deste ano, costumávamos ter uma abertura de 5.500 oportunidades de estágio semanalmente. Percebemos uma queda de 80% nos últimos meses. O impacto social disso é muito grande”, expõe o presidente.

Entretanto, a retomada gradual da economia não conseguirá auxiliar de maneira completa quem mais precisa. Justamente por isso, iniciativas como o Desafio 10×10 são necessárias. Embora muitas empresas e pessoas já tenham feito doações para as vítimas da Covid-19 e para a população mais necessitada (como podemos ver no Mapa das Doações), a ajuda foi suficiente apenas para os últimos meses. “Ainda precisamos evitar 10 milhões de famílias passando fome pelos próximos 90 dias”, continua Arone Junior.

O projeto, iniciado em 22 de junho, em parceria como as ONGs CUFA (Central Única das Favelas),  ChildFund,  Gerando Falcão e UniãoBR, entidades e celebridades, busca engajar 10 milhões de jovens para levar alimento a 10 milhões de famílias em um período de três meses. “Os recursos arrecadados pela gincana on-line serão convertidos em cestas básicas digitais, distribuídas durante três meses para os cadastrados na iniciativa”, explica

Como embaixador do projeto, o presidente do Nube fala sobre o caráter urgente da boa ação. “Não podemos esperar a crise passar. Estamos falando de muitos brasileiros afetados diretamente sem ter o sustento básico. Afinal, como diz o sociólogo Betinho, ‘quem tem fome, tem pressa’”, alerta.

Para entender mais sobre o projeto, veja este vídeo da TV Nube!

“Nós, como cidadãos e como organizações, devemos nos unir e estendermos a mão para quem mais precisa. Só assim conseguiremos garantir um desenvolvimento sólido para a recuperação de todo o país. Justamente por isso o Nube apoia com força total a gincana, pois acreditamos em um futuro melhor”, finaliza.

Para participar da campanha, basta acessar www.desafio10x10.com.br.

Fonte: Seme Arone Junior, presidente do Nube

Serviço: Milhões de família sofrem com a fome devido à crise

Sobre Nube

Desde 1998 no mercado, o Nube oferece vagas de estágio e aprendizagem em todo o país. Possui mais de 12 mil empresas clientes, 18 mil instituições de ensino conveniadas no Brasil e já colocou mais de 950 mil pessoas no mercado de trabalho. Também administra toda a parte legal e realiza o acompanhamento do estagiário e aprendiz por meio de relatórios de atividades.

Anualmente, são realizadas 12 milhões de ligações, enviados 3,5 milhões de SMS e encaminhados 1 milhão de candidatos. O banco de dados conta com 6 milhões de jovens cadastrados e todos podem concorrer às milhares de oportunidades oferecidas mensalmente. Para facilitar a vida dos cadastrados, foi desenvolvido um aplicativo disponível na Apple Store e Play  Store.

O Nube também está presente nas principais redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter, Linkedin, Vimeo e YouTube. Com a TV Nube, oferece conteúdos voltados à empregabilidade, dicas de processos seletivos, currículos, formação profissional, entre outros. O cadastro é gratuito e pode ser feito no site www.nube.com.br.

Analistas políticos prevêem eleição de Carrinho Cidreira em Viana “sem grandes dificuldades”

Os blogs maranhenses já começaram a fazer prognósticos em torno das chances de vitória dos futuros candidatos a prefeito nos 217 municípios do estado. Historicamente, os índices de reeleição vêm caindo bastante. Mas, nas eleições da pandemia, já existem projeções de que a quantidade de prefeitos reeleitos poderá a menor já registrada na história do país, desde que foi facultada a reeleição.

Carrinho Cidreira

O blog do Domingos Costa publicou nesta quinta-feira (16), um prognóstico levando em consideração a convergência e o confronto da opinião do editor e as fontes ouvidas, como deputados estaduais e federais, e também, analistas e políticos experientes, além de diversos jornalistas, radialistas e comunicadores em geral que atuam nas mais diversas regiões do Maranhão. O blogueiro deixou claro que as previsões não têm valor cientifico e não possuem efeito de pesquisa eleitoral.

O prefeito de Viana não aparece na relação de municípios onde o resultado nas urnas deve ser tranquilo, com larga vantagem sobre o segundo colocado. Muito pelo contrário. Com índices de reprovação da gestão superiores a 80%, o prefeito Magrado Barros (DEM) tenta reconquistar o eleitorado com reparos na infraestrutura do município que nunca foram feitos nos quase quatro anos de administração. Na lista de prognósticos, o pré-candidato Carrinho Cidreira aparece como eleito “sem grandes dificuldades”.

Veja a relação de prefeitos que não devem ter dificuldade na reeleição, segundo o Blog do Domingos Costa:

– Zé Doca, a prefeita Josinha segue com facilidade para reeleição;

– Pedro do Rosário, Toca Serra deve ser confirmado prefeito;

– Tuntum, Fernando Pessoa caminha firme para ser eleito;

– Turilândia, Paulo Curió espera apenas o dia para tomar posse;

– Dom Pedro, Hernando Macedo deverá retornar à prefeitura;

– Paço do Lumiar, Fred Campos segue com facilidade para se eleger;

– Em Cantanhede, Kabão já mandou engomar o terno para assumir.

– Em Nina Rodrigues, Rodrigues da Iara vai se reeleger com facilidade;

– Santa Rita, Hilton Gonçalo se reelegera com larga folga;

– Viana, Carrinho Cidreira será eleito sem muita dificuldade;

– Bacabal, a reeleição de Edvan Brandão é dada como certa;

– Em Maranhãozinho, curral  de Josimar, quem ele botar ganha;

– Centro do Guilherme, Zé de Dário se reelege com folga;

– Igarapé Grande, Erlanio Xavier terá tranquilidade para reeleição;

– Em Lima Campos, Dirce Prazeres será a próxima prefeita;

– Bernardo do Mearim, Junior Xavier espera só a hora de assumir;

– Em Balsas, Dr. Erik deve atropelar os adversários e se reeleger;

– Lagoa do Mato, Dr. Alex não terá dificuldade para se reeleger;

– São Francisco do MA, Adelbarto será reeleito facilmente;

– Pinheiro, Luciano Genésio não enfrentará dificuldade para reeleição;

– Barão de Grajaú, o eleito será Antônio Carlos Resende;

– São Félix de Balsas, Marcio Ponte vai se reeleger folgado;

– Benedito Leite, Ramon Barros ganha com facilidade novamente;

– Duque Bacelar, Flavio Furtado será eleito prefeito quase WO;

– São B. do Rio Preto, Dr. Bonifácio caminha rumo à prefeitura;

– Chapadinha, Belezinha voltará ao comando da prefeitura;

– Alto Alegre do Pindaré, Fufuca Dantas se reelege com folga.

– Vitorino Freire, a prefeita Luana também tem reeleição garantida;

– São Pedro dos Crentes, Laércio será reeleito com larga vantagem;

– Em Belágua, Herlon Costa continuará prefeito, e com folga;

– Tutóia, a volta de Diringa para prefeitura é dada como certa;

– Trizidela do Vale, Dr. Deibson Balé não terá problema para se eleger;

– Em Newton Bello, Roberto do Posto leva novamente com facilidade;

– Caxias, o prefeito Fábio Gentil deve ganhar de lavagem e se reeleger.

Cadastro Ambiental Rural beneficia mais de 2 mil famílias quilombolas de Anajatuba e Itapecuru

Nesta terça-feira (14), o Governo do Estado, por meio do Sistema da Agricultura Familiar (SAF, Agerp e Iterma) entregou três recibos coletivos do Cadastro Ambiental Rural (CAR), beneficiando comunidades quilombolas de Anajatuba e Itapecuru Mirim. Com esta ação, mais de 2 mil famílias estão sendo beneficiadas.

O secretário da Agricultura Familiar, Júlio César Mendonça, destacou que a cobertura do CAR em áreas quilombolas é uma prioridade do Governo. “Essa ação nestes municípios representa um avanço significativo, em que estamos fortalecendo, resgatando e valorizando a luta destas comunidades. O Governo Flávio Dino prioriza o CAR nestas comunidades que tanto precisam, pois com esse documento em mãos, terão como agregar outras políticas, como crédito rural e assistência técnica”, afirmou Mendonça.

Entrega de CAR beneficia quilombolas (Foto: Divulgação)

Em Anajatuba, a entrega foi realizada na comunidade quilombola Flexeira, beneficiando 39 famílias. Além de Flexeira, outras 23 comunidades do município também estão sendo beneficiadas com o CAR, sendo o primeiro município a concluir a emissão de CAR e beneficiando mais de 900 famílias no total.

Seu Benedito de Jesus Costa, líder da comunidade Flexeira, contou que há mais de 100 anos o povoado existe e o CAR é uma conquista e reconhecimento de que a área é quilombola.

“Nós viemos aqui há mais de 100 anos, venho de uma família tradicional que há muito tempo é resistente e a gente vive de esperança de conseguir algo melhor. O CAr representa um passo muito grande para a gente ser visto como cidadão e quilombola, nos dará a oportunidade de acessar outras políticas públicas”, disse Benedito.

Em Itapecuru Mirim, a entrega ocorreu no Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais com a presença dos representantes dos territórios quilombolas Monge Belo e Santa Maria dos Pretos, beneficiando mais de 1 mil famílias destes territórios.

“Hoje estamos recebendo essa documentação que vai servir em prol do nosso povo para acessar outros projetos para incentivar o trabalho que realizamos na comunidade, só tenho a agradecer”, ressaltou Cleudiomar Bezerra, representante da comunidade Mato Alagado, de Itapecuru.

Para o gestor da Agerp de Itapecuru, Jerônimo Mendes, é um momento histórico para o Maranhão onde quase 2 mil famílias quilombolas realizaram o cadastro. “É um número significativo de CAR e que vai beneficiar quase 2 mil famílias quilombolas que precisam do cadastro para ter acesso ao crédito rural e investir no desenvolvimento da agricultura familiar destas áreas”.

O CAR é o registro do domicílio rural, garantindo acesso do agricultor e agricultora familiar às políticas públicas, assim como o crédito. No Maranhão, o programa é executado pela SAF, com o apoio dos Escritórios Regionais da Agerp.

Desde dezembro de 2019 o Governo do Estado deu início ao CAR em todo o estado, por meio do projeto Mais Sustentabilidade no Campo, e conta com investimentos de R$ 41 milhões do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoiado pelo Fundo Amazônia. Serão realizados 182.500 cadastros nos 217 municípios para agricultores familiares individuais e territórios coletivos como os povos tradicionais: quilombolas, quebradeiras de coco, extrativistas, pescadores e assentamentos estaduais.

Para evitar contágio, TSE excluirá biometria nas eleições municipais

Decisão foi tomada após reunião de técnicos do tribunal com médicos

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, decidiu excluir a necessidade de identificação biométrica, por meio de impressão digital, nas eleições municipais deste ano, tendo em vista o risco de contágio por covid-19.

A decisão foi tomada após uma primeira reunião de técnicos do tribunal com os médicos David Uip, do Hospital Sírio Libanês, Marília Santini, da Fundação Fiocruz, e Luís Fernando Aranha Camargo, do Hospital Albert Einstein.

As três instituições firmaram parceria com o TSE para a elaboração de um protocolo de segurança que reduza o risco de contágio durante a votação. Segundo o tribunal, a consultoria sanitária é prestada sem custos.

Dois fatores pesaram para excluir a biometria. Primeiro, o leitor de impressões digitais não pode ser higienizado com frequência, como a cada utilização. Também pesou o fato de que a identificação biométrica tende a causar filas maiores, favorecendo aglomerações, já que o processo é mais demorado do que a simples coleta de assinatura.

Recesso judiciário

A exclusão da biometria será incluída em resoluções para as eleições deste ano que devem ser apreciadas pelo plenário do TSE a partir de agosto, após a volta do recesso judiciário.

A Justiça Eleitoral iniciou o cadastramento biométrico em 2008, e já colheu as impressões digitais de 119.717.190 eleitores, que estariam aptos a votar pelo novo sistema. O TSE planeja cadastrar todos o eleitorado de mais de 150,5 milhões de pessoas até 2022.

O cadastramento biométrico é obrigatório. O eleitor que não comparecer ao cartório eleitoral para a revisão cadastral pode ter o título cancelado e ficará inapto a votar, caso perca o prazo estipulado pela Justiça Eleitoral para cada município.

Neste ano, porém, devido à pandemia, o TSE suspendeu o cancelamento de 2,5 milhões de documentos.

Ainda em virtude da pandemia, o Congresso Nacional promulgou há duas semanas uma emenda à Constituição que adiou o primeiro turno das eleições municipais de 4 de outubro para 15 de novembro. O segundo turno foi alterado de 25 de outubro para 29 de novembro.

AGÊNCIA BRASIL

Pacto para depois da morte

Imagem ilustrativa

Por Nonato Reis*

Nos outros lugares eu não sei dizer, mas em Viana, terra onde nasci e morei até os 15 anos, cultua-se um estranho hábito de fazer promessas de retorno do além-túmulo. Quando vivas, as pessoas selam pacto de voltar para dar testemunho de que, de alguma forma, sobreviveram à morte e em algum lugar, ou plano do universo, continuam existindo.

Creio que esse ritual acabou passando de geração a geração, pela farta literatura oral que se criou sobre casos de aparição.

Só que esse negócio de lidar com espírito nem sempre acaba bem. Cresci ouvindo minha mãe dizer que com defunto não se brinca, ela própria então um gato (ou gata) escaldado (a). Quando menina, lá pelos 13 anos, fora ao enterro de uma amiga que tivera morte súbita. Na hora de preparar a mortalha, o caixão ficou menor do que o corpo e tiveram que retirar o suporte de uma das extremidades, para acomodar a defunta dentro da urna.

Dona Eulina, ao ver aquilo, apontou para as colegas a estranha cena da defunta com os pés para fora do caixão, no que foi alertada por uma delas para não brincar com mortos, porque eles costumavam retornar à noite para acertar as contas com os vivos.

Na hora de dormir, a lamparina já apagada, Dona Eulina penteava os cabelos com os dedos, o pensamento distante, quando teve a atenção despertada para um leve ruído na porta de palha de babaçu, que guarnecia os fundos da casa, próximo ao Cemitério dos Anjos, o mesmo que, anos depois, receberia os restos mortais de Linda, a protagonista de A Saga de Amaralinda.

Na mesma hora lembrou-se da defunta e o corpo dela virou estátua. A coisa veio se aproximando, lentamente, no que acompanhava pelo atrito das tamancas com o solo – o mesmo calçado com que fora enterrada. Chegou-se rente ao ouvido dela e começou o falatório, enrolado e estridente, cujo ar gélido parecia penetrar as entranhas do cérebro. Minha mãe apenas conseguiu entender as palavras finais da falecida, ao avisar: “eu já vou embora, e não te esquece que meus pés estão do lado de fora”.

Outra situação complicada viveu Pau Ferro (um sujeito que não acreditava em Deus e muito menos nesse negócio de morto voltar ao mundo dos vivos). Foi com Alvinho, seu parceiro de ofício na arte de costurar roupa.

De tanto tentar convencer o amigo de que defunto volta sim, Alvinho decidiu selar um pacto de morte com Pau Ferro. Quem morresse primeiro teria que vir dar sinal de “vida” para o outro.

Anos depois, Alvinho se mudara para o Pará e Pau Ferro nem mais se lembrava dele. Foi quando um belo dia, lá pelas duas da tarde, Pau Ferro já debaixo de seus 90 anos, lutando com a velha máquina Singer, alguém bateu na janela, às suas costas, e bradou: “volta ou não volta, Pau Ferro?”, ao que ele respondeu com o pensamento, sem pestanejar: “vorta!”.

Pode acontecer também do pacto não se cumprir. Foi o que aconteceu com o acerto selado entre meu primo Rui e a nossa tia-avó Eponina, que chamávamos de Punina. No dia em que ela morreu e nas noites seguintes Rui dormiu sozinho em um casebre na tapera mal-assombrada de Maria Fernandes, à espera de que a falecida viesse cumprir a promessa. Em vão. Nem sinal dela.

Eu é que a vi em nossa casa, dias depois, imersa numa nuvem vaporosa, projetando-se sobre um velho candeeiro, que iluminava o local onde morrera, e o apagando.

Aos 16 anos eu morava em São Luís e estudava no colégio Gonçalves Dias. Havia uma menina de nome Julieny, baixinha, morena, corpo perfeito, olhos arredondados e céticos, que era um assombro como aluna. Tirava 10 em todas as disciplinas, exceto Português e Redação, matérias que eu dominava com facilidade.

Julieny, que não admitia uma nota menor do que a máxima, foi até mim e propôs: me ensinava Física e Matemática – meu calcanhar de Aquiles – e eu a orientava sobre como aprender análise sintática e escrever com clareza.

Acabamos amigos. Mas Julieny tinha um problema sério: igual Pau Ferro, era ateia convicta, só acreditava nas coisas tangíveis deste mundo. Isso fazia com que, vira e mexe, nos víssemos enredados em ácidas discussões sobre o plano espiritual.

No final das contas, sem uma saída consensual, caímos na velha armadilha do pacto pós-morte. Algum tempo depois, já fora do GD, eu me arrependi da graça e quis desfazer o acordo. Só que já era tarde, porque perdera o contato com ela, por completo.

Aquilo começou a me perturbar o juízo, e assumiu ares de dramaticidade, quando em sonho fora comunicado da morte de Julieny, pela própria, que cumpria assim o combinado.

Um dia caminhava pela praia do Olho d’Água apinhada de gente, quando de repente dei com aquela garota moreninha, só de biquíni, sorrindo pra mim, com as mãos nos quadris. Lívido de medo, tratei de correr, no que ela correu também em minha direção.

Na fuga, esbarrei num casal de namorados e me estatelei no chão, ofegante. Ela então acercou-se de mim e, entre risos e ar de surpresa, falou-me. “Nonato, o que deu em ti? Parece que viu defunto!”.

*Jornalista | Escritor

Residencial Frei Serafim: um retrato de como trabalha a Prefeitura de Viana

O Residencial Frei Serafim, em Viana, é um dos mais emblemáticos exemplos de como funciona a administração Magrado Barros (DEM). O conjunto habitacional  foi uma luta do ex-prefeito Chico Gomes, que adquiriu recursos junto à Caixa Econômica Federal, no Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, para que a obra fosse executada.

Ano passado, Magrado fez autopromoção, mentindo que o residencial era uma conquista de sua gestão. Além de querer ser “o pai da criança”, anunciando obra alheia como se fosse sua, o prefeito Magrado tem deixado o local quase órfão de serviços públicos. Os problemas de falta d’água já fazem parte da rotina do lugar.

Em abril deste ano, houve um tumulto no local, com protesto dos moradores porque a Prefeitura não resolveu o problema da bomba d’água. Muitos tiverem chegaram ao cúmulo de “comprar” água para fazer suas atividades domésticas.

Nos últimos dias, os moradores do Frei Serafim estão enfrentando novamente problemas causados pelo “modelo” de administração que nunca consegue resolver, por definitivo, nada em Viana. O professor Mauro, morador da quadra 25, denunciou: “Tivemos a situação essa semana da falta d’água que continua. Agora, o governo deixa a gente com o lixo na porta, eles não dão nenhuma satisfação. Eles vêm o dia que bem querem, a gente não tem coleta de lixo regular, eles vêm ao bel prazer deles”.

“Não sei até onde vai a incompetência do prefeito municipal MAUgrado Barros. Quando não é a falta de água no Residencial Frei Serafim é o recolhimento do lixo que não existe ou não tem dia específico. Já estamos a duas semana sem ver a coleta que deveria ser regular (…) Estamos nas mãos de Deus”, escreveu em uma rede social o vianense Mauro Mikaelson.

Neste 2020 de eleições municipais, tudo indica que o Residencial Frei Serafim de Viana será um dos locais com maior rejeição à reeleição do prefeito Magrado. Como no ditado da caça, um dia do peixe e outro do pescador.