Prefeitura de Viana atrasa pagamento do transporte para hemodiálise e pacientes são expostos a risco junto com passageiros

A Prefeitura de Viana pode será responsabilizada, indiretamente, por um dos mais graves atentados contra a saúde de pacientes renais crônicos já ocorridos no estado. Na última sexta-feira (22), o veículo contratado pela administração do prefeito Magrado Barros para levar e buscar pacientes renais crônicos até o Centro de Nefrologia Maranhão (Cenefron), em São Luís está com pagamento atrasado há quatro meses. A decisão tomada pelos proprietários para superar a crise e o calote foi lotar o veículo de passageiros, colocando em risco a vida de todos, e piorando o estado dos que já têm a saúde fragilizada pela insuficiência renal.

Magrado Barros – prefeito de Viana

“A van é de carregar de paciente e não de carregar passageiros. Então, eles encheram a van de passageiro e quando chegaram no Monte Castelo já estava cheio. Então aqui eu fiquei, no Cenefron. Em casa eu tenho repouso, eu não saio pra rua. Do jeito que está essa epidemia aqui, eu não quero me adoecer mais do que eu estou, estou dormindo separado de minha esposa e de meus filhos para eu viver mais uns dias. Eu não quero correr risco mais do que estou correndo”, relatou Seu José Matias, idoso, que faz hemodiálise há 5 anos.

Entre a vida e a morte

Com receio de contaminação por Covid-19, os pacientes Jose Matias Pinto, morador do bairro Citel; Claudio de Jesus Amorim Marinho, morador do Aeroporto; Claudiane Santos Sousa, do Residencial Frei Serafim; Luciana Frazão Aires Braga, do povoado Mocambo se recusaram a entrar no veículo que era exclusivo para transporte até o Centro de Hemodiálise e passou a fazer frete para Viana. “O cara botou mais de 10 pessoas dentro do carro que nós tamos, com uma situação dessa que tá acontecendo aí, nós fazendo tratamento para viver e o cara querendo matar nós, botando passageiro junto com nós”, denunciou Claudio Marinho, um dos pacientes.

A legislação assegura a qualquer pessoa portadora de insuficiência renal crônica o direito a transporte e tratamento domiciliar gratuito. O Ministério Público do Estado tem ingressado com ações obrigando municípios maranhenses a custear transportes de pacientes que não contam com centros de hemodiálise como Viana, que mantém o serviço, mas não paga em dia.

“Eu faço tratamento, eu não enxergo. Ele não teve consideração, todos nós fazemos hemodiálise, então nós temos a imunidade baixa e se nós pegarmos a doença, nós morremos na hora, nós morremos mesmo. Não tem negócio de ir pra UTI, nossa imunidade é muito baixa”, protestou Claudiane Sousa. O blog apurou a informação de que a Prefeitura, ao invés de assumir a responsabilidade pelo ocorrido, cancelou o contrato com a empresa de transporte. A gravidade do fato é incontestável. A responsabilidade civil do município independe de contrato e está prevista em lei.

Assista ao vídeos:

Vacinação contra H1N1 para o público-alvo com iniciais G, H e I começa nesta segunda (25)

Para evitar aglomerações nos locais de vacinação, protocolo seguirá em dias e horários diferentes, de acordo com critérios de prioridade.

Campanha de vacinação contra Influenza começa na segunda-feira (23) em São Luís (MA) — Foto: Divulgação/Prefeitura de São Luís

Por G1 MA — São Luís

Após a campanha de vacinação ter sido interrompida no início deste mês, por conta das medidas de isolamento social em virtude da pandemia de Covid-19 em São Luís, a prefeitura divulgou um novo calendário de vacinação contra a gripe Influenza/H1N1. Após ser retomada na semana passada, começa nesta segunda-feira (25) a imunização para o público-alvo desta fase e tem nomes iniciados com as letras G,H e I.

Até o dia cinco de junho vacinam crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres que deram à luz há até 45 dias), adultos de 55 anos a 59 anos e professores das escolas públicas e privadas e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

A imunização esta correndo em 43 unidades de saúde e quatro escolas da rede pública. Nesta nova fase os grupos prioritários foram divididos, sendo que o primeiro vacina no período de 18 de maio a 05 de junho e o segundo de oito a 26 de junho.

No segundo grupo estão profissionais das forças de segurança e salvamento; caminhoneiros; profissionais de transporte coletivo (motorista e cobrador; portuários e pessoas com deficiência física, auditiva, visual, intelectual e deficiência múltipla e os retardatários, pessoas dos grupos anteriores que não se vacinaram durante sua fase de campanha.

Confira a dinâmica pessoas por ordem alfabética

Dia 25 de maio: primeiro nome pelas letras G, H e I;

Dias 26 e 27 de maio: primeiro nome pelas letras J, K e L;

Dias 28 e 29 de maio: primeiro nome pelas letras M, N e O;

Dias 1º e 2 de junho: primeiro nome pelas letras P, Q e R;

Dias 3 e 4 de junho: primeiro nome pelas letras S, T, U e V;

Dia 5 de junho: primeiro nome pelas letras W, X, Y e Z.

Seguindo a ordem alfabética, no período da manhã, das 8h às 12h, os locais de vacinação devem atender crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes e puérperas até 45 dias. No turno vespertino, das 13h às 17h, serão atendidos pessoas com doenças crônicas, adultos de 55 a 59 anos e professores das escolas públicas e privadas.

No período de 08 a 26 de junho podem vacinar profissionais das forças de segurança e salvamento; caminhoneiros; profissionais de transporte coletivo (motorista e cobrador; portuários e pessoas com deficiência física, auditiva, visual, intelectual e deficiência múltipla.

Os retardatários, pessoas dos grupos anteriores que não se vacinaram durante sua fase de campanha, também poderão buscar um dos locais de vacina seguindo também a ordem alfabética e turno estipulado na data compreendida entre 08 a 26 de junho.