Após apelo de Carrinho nas redes sociais, Flávio Dino anuncia que governo retomará obras do Hospital de Viana

O governador Flávio Dino anunciou ontem (17), no final da noite, que o Governo do Estado dará continuidade às obras de conclusão de hospitais em diversas regiões do Maranhão, entre eles, o Hospital Regional de Viana.

O comunicado foi feito no Twitter, após a grande repercussão de um artigo publicado pelo ex-vice-prefeito e ex-secretário de Saúde do município, Carrinho Cidreira, intitutulado: “Um Pacto pela Saúde: em defesa do Polo Regional de Viana na Pandemia”. O texto, publicado por Carrinho nas redes sociais, chegou a ser compartilhado por mais de 70 vianenses e recebeu inúmeras manifestações e comentários.

Cidreira propôs a formação de um Pacto pela Saúde de Viana e região, com parlamentares prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, profissionais de saúde, militantes, estudantes de Enfermagem e Medicina e sociedade civil. E anunciou que já havia entrado em contato com diversos parlamentares para reivindicarmos do Governo do Estado a inauguração do hospital da Vila Zizi, aguardando, a qualquer momento, uma resposta.

“Precisamos nos unir em defesa do que existe de mais sagrado: a vida. Precisamos de menos politicagem e de mais medidas consistentes. A diferença entre líderes e ocupantes de cargos é que os primeiros não fazem acordos ou deflagram ações provisórias, eles têm compromisso com a esperança e com a humanidade. Por um Pacto de Vida pela Saúde!”, convocou. Leia o artigo completo:

UM PACTO PELA SAÚDE: EM DEFESA DO POLO REGIONAL DE VIANA NA PANDEMIA

Carlos Augusto Cidreira*

O município de Viana chega a mais 100 pessoas contaminadas pelo coronavírus, segundo dados oficiais da Prefeitura Municipal. Estima-se, pela projeção de especialistas, que os números são ainda maiores, com a tendência de a situação se agravar ainda mais. Para completar o quadro alarmante, os vianenses enfrentam outros problemas estruturais maximizados ainda mais, neste momento de pandemia, tais como a ausência de um sistema de abastecimento d’água eficiente, medida essencial para a higiene da população; a falta de estradas de acesso aos povoados da zona rural que dificulta o transporte de doentes e a precária situação da Atenção Básica de Saúde. Estudos apontam que 90% dos casos de coronavírus podem ser atendidos nos postos de saúde.

Diante da dor de tantas pessoas que perdem seus entes queridos sem chance de despedida, sem um ritual fúnebre à altura da memória daqueles que partem, politizar os problemas causados pela maior crise enfrentada pelo mundo atual ou fazer propaganda eleitoral é abominável. Mais do que críticas, precisamos de soluções, de seriedade, de medidas efetivas para o enfrentamento deste vírus letal. 

De acordo com a Lei Complementar n° 8.717, de 21 de novembro de 2007, Viana é considerada Regional de Saúde. Como polo, a cidade já recebeu do Governo Federal, segundo dados do Portal de Transparência do Ministério da Saúde, 5 (cinco) milhões, 181 (cento e oitenta e um ) mil, 919  (novecentos e dezenove) reais e 06 (seis) centavos. São recursos necessários, já que neste momento toda a rede da saúde tem como prioridade a prevenção e o combate ao coronavírus. A correta aplicação de todos os recursos é, mais do que nunca, fundamental para se evitar a contaminação e a morte de pessoas que amamos e que não suportaríamos a ideia de ter que nos despedir delas.

O momento é de convocarmos um Pacto pela Saúde de Viana e região, formando por parlamentares das bancada Federal e estadual, prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, profissionais de saúde, militantes, estudantes de Enfermagem e Medicina, sociedade civil. Proponho uma rede em defesa do Polo Regional de Viana, com um conjunto de medidas de impacto, citando algumas delas como: maior gratificação  por insalubridade  aos profissionais, aquisição de testes para  a população, EPIs de qualidade, leitos adaptados para a Covid-19, equipes treinadas, a conscientização da população com medidas educativas e não apenas de repressão, isenção das contas de água, auxílio permanente às famílias de baixa renda e a esperada abertura do Hospital Regional de Viana, na Vila Zizi. Já entrei em contato com diversos parlamentares para reivindicarmos do Governo do Estado a inauguração do hospital, tais como o presidente estadual do meu partido, o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL), o deputado federal Bira do Pindaré (PSB), o deputado estadual Vinicíuis Louro (PR), o deputado federal Marreca Filho (Patriota) e a deputada estadual Detinha (PL). Estamos aguardando, a qualquer momento, uma resposta.

Precisamos nos unir em defesa do que existe de mais sagrado: a vida. Precisamos de menos politicagem e de mais medidas consistentes. A diferença entre líderes e ocupantes de cargos é que os primeiros não fazem acordos ou deflagram ações provisórias, eles têm compromisso com a esperança e com a humanidade. Por um Pacto de Vida pela Saúde!

*Carrinho Cidreira, Carrinho, é economista, ex-vice-prefeito de Viana e ex-secretário municipal de Saúde.

Morre ex-deputado integrante do Fórum da Baixada, Piris Collins, aos 83 anos

Collins tinha 83 anos e veio a óbito na noite deste último domingo (17), em São Luís-MA. Segundo informações, Pires Collins estava internado há uma semana em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital UDI, em São Luís. Além da idade avançada, o mesmo sofria de hipertensão.

O Fórum em Defesa da Baixada Maranhense – FDBM divulgou uma nota de pesar pela morte do ex-deputado José Ribamar Pires Collins, que deu grandes contribuições à região.

BIOGRAFIA

José Ribamar Pires Collins foi um brasileiro, pensador e produtor rural de índole e por opção. Foi um dos primeiros a defender o conceito de Desenvolvimento Sustentável na agricultura e pecuária. Destaca-se pelo caráter nacionalista e social. Pires Collins, como gostava de ser chamado ao falar de suas origens, afirmava que o homem não é filho de onde ele nasce propriamente, mas de onde ele é reconhecido e se realiza.

Partindo dessa linha de raciocínio embora tendo nascido na Fazenda Santo Antônio, situada no distrito de Mucambo, atualmente pertencente ao município de Santa Rita, sentia-se como filho de Paço do Lumiar. É filho de Graciliano da Silva Collins que era vaqueiro proprietário rural e Zayde Ferreira Gomes Pires, professora e costureira.

Alfabetizado pela mãe, logo despertou o gosto pela leitura, lendo todos os livros e revistas de sua mãe como por exemplo Vida Doméstica e Seleções. Desde menino já mostrava seu temperamento curioso e atento aos trabalhos de seu pai. Fez o curso primário em Codó 1946. Com 11 anos foi estudar em São Luís, no Colégio Marista onde se identificou muito com autores jovens da época como Paulo Freire, Darcy Ribeiro e Celso Furtado.

Se destacava na prática de esportes, em especial no Basquete com participação nos Grêmios Estudantis da época, sendo fundador da UESSMA (União dos Estudantes Secundaristas do Maranhão). Posteriormente, em virtude do trabalho se transferiu para o Liceu noturno onde concluio o secundário. Trabalhou como representante de laboratórios farmacêuticos, dentre eles Eduardo Bezerra (Ceará) e Moura Brasil – Orlando Rangel (Rio de Janeiro).

Marcou a sociedade ludovicense quando em setembro de 1955 comprou a Farmácia Conceição localizada no bairro do Anil onde prestava serviço para as regiões que hoje formam os municípios de São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar. Realizando dês de trabalhos como aplicação de soro e injeções até primeiros socorros 24hrs por dia. Aos 26 anos já conferia mais de 250 afilhados. Sob influência das lideranças estudantis, com 18 anos ingressou na política filiando-se ao (PSP) Partido Social Progressista que posteriormente foi substituído por (ARENA) Aliança Renovadora Nacional onde candidatou-se a Deputado Estadual em companhia de Henrique De La Rocque e Clodomir Teixeira Millet.

Destacava em seus discursos a ignorância do caboclo, criticando as queimadas e a miséria que tornava incapaz o desenvolvimento da agricultura e pecuária na região. Sendo eleito como Deputado Estadual em 1966 numa votação recorde como segundo mais votado. Teve sua trajetória política marcada pela criação da Lei de Terras que através da Comarco abriu a venda das terras devolutas dando assim origem ao capital do Banco de Desenvolvimento do Estado do Maranhão (BDM).

Autor também de Lei de Organização Judiciária que aumentou de 10 para 15 desembargadores no Estado do Maranhão e consequentemente gerou o aumento do número de Varas nas Comarcas do interior. Causou enorme espanto entre os parlamentares de sua época quando no final da década de 1970, diante da possibilidade de aposentadoria pela Assembléia, abriu mão do benefício.

Em 1966 fundou sua segunda empresa que se deu por meio da apresentação de um projeto para a Sudene se propondo a implantar uma fazenda onde se desenvolveria a Bubalinocultura (criação de búfalos) e a Rizicultura (plantação de arroz irrigado). Empresa esta que está em pleno funcionamento até os dias atuais. Pires Collins atualmente é solteiro mais esteve casado em 2 oportunidades, primeiramente em 1955 aos 18 anos com Maria Benedita de Castro e Costa com quem teve 3 filhos: George Davi, Rachel Eliza e Heloisa Augusta. Posteriormente já com 55 anos se casou com Nazaré Bezerra Carvalho, com quem teve Judá Collins.

Trabalhadores sentem-se inseguros no cenário pós-pandemia

Além de avivar temores relativos à saúde, a pandemia da covid-19 aumentou a insegurança quanto à esfera profissional. De acordo com sondagem produzida pela consultoria de recrutamento Talenses Group, em parceria com a Fundação Dom Cabral, quase metade (47,6%) das pessoas sente medo do cenário pós-pandemia, em relação ao mercado de trabalho.

Rio de Janeiro – Equipamentos para perícia em crimes de infomática (aparelhos para capturar dados de celulares e computadores) expostos em seminário nacional para peritos que acontece na Cidade da Polícia, zona norte da cidade.

O levantamento considerou as avaliações de 1.294 trabalhadores, ouvidos em abril. Em novembro de 2019, quando a abrangência era de 778 entrevistados e a covid-19 ainda não afetava todo o globo, a proporção daqueles que manifestaram apreensão quanto ao futuro profissional era de 19,4%.

Apesar do receio do porvir, 83,2% dos entrevistados da pesquisa mais recente julgam estar preparados para enfrentar os desafios que poderão surgir pelo caminho. No ano passado, a taxa era de 74,6%.

A pesquisa quis saber se os profissionais têm se capacitado para incorporar novos modelos de trabalho. Em novembro, a parcela que respondeu que sim chegou a 81,7% em 2019 e a 80,7% neste ano.

Outro aspecto revelado diz respeito à compreensão que os profissionais têm, especificamente quanto ao ramo em que estão empregados. Em ambos os levantamentos, a maioria acredita que seu setor será “altamente impactado” por reestruturações em curto ou médio prazo. Em novembro de 2019, a porcentagem era de 79% e, em abril deste ano, de 73%.

Em ambas as sondagens, predomina o entendimento de que as transformações no âmbito profissional chegarão rapidamente, em curto ou médio prazo. Nessa questão, o índice subiu de 82,2% para 95,4%.

Tendo em vista que a condição de pandemia foi declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) somente em 11 de março deste ano, uma série de perguntas consta apenas do levantamento mais recente. Na primeira delas, aborda-se a percepção quanto ao uso de recursos tecnológicos para se acelerar a retomada da economia. Quase a totalidade (92,8%) dos entrevistados respondeu afirmativamente.

Dia a dia nas organizações

A empresa de consultoria também estimulou os participantes a refletir sobre a rotina das organizações. O que se nota é que parte significativa das pessoas ouvidas vislumbra uma forte digitalização dos processos. No total, 87,4% dos entrevistados julgam que a pandemia estimulou empregadores a utilizar tecnologia para realizar novas contratações de funcionários, promovendo, assim, uma “quebra de paradigma”. Além disso, 95,6% consideram que o fenômeno se configura por outro fator: a incorporação de tecnologia que viabiliza procedimentos como o home office.

O palpite de 75,1% é de que novas profissões surgirão ao término da pandemia.

De acordo com a pesquisa, 69,4% dos respondentes concordam com a assertiva de que as práticas nas empresas voltarão a ser como antes, mas que incluirão processos digitais, de forma permanente. Para 30,1%, todos os recursos digitais aplicados antes da pandemia serão mantidos, e somente 0,46% imagina que não existirá nenhuma inovação digital. CONTINUE LENDO:

Luto. Morre Trajano Cutrim, aos 72 anos

Viana – Faleceu hoje, 18, no Rio de Janeiro, aos 72, o vianense Trajano Matos Cutrim, membro da numerosa e estimada família Cutrim.

Segundo informações da família, o botafoguense roxo, Trajano foi diagnosticado com câncer, em fevereiro deste ano, no Rio de Janeiro, cidade onde residia há 40 anos. A doença o impediu de brincar o carnaval na sua cidade natal, hábito que cultivava desde que saiu de Viana.

Muitos contemporâneos lamentaram o falecimento de Trajano, com elogios à sua conduta, caráter e as boas amizades que mantinha. “Craque, cracasso! Joguei com ele na Tuna Luso de Viana e na Seleção Vienense. Sabia tudo de bola e mais alguma coisa. Parte deixando ótimas lembranças. Externo aqui minhas homenagens póstumas e meus sentimentos de luto”, lamentou José Raimundo Perna (Gurgo), em alusão ao talento que Trajano esbanjava nos gramado de futebol na Cidade dos Lagos, na posição de zagueiro.

Trajano era filho de Valdivino Andrade Cutrim e Dejanira Matos Cutrim. Nasceu em Viana no povoado Lourdes; era casado com Joana Nunes Cutrim e deixa três filhos.

Um dos seus últimos desejos foi que o seu corpo fosse cremado e as cinzas espalhadas pelo Lago de Viana.

O Blog Vianensidades presta solidariedade a toda Família Cutrim, com desejo que Deus conforte o coração de toda a família, neste momento de dor e luto.