Sem obras para mostrar, Magrado participa de inaugurações em outros municípios

Viana – Concluindo o penúltimo ano de seu mandato, o prefeito de Viana, Magrado Barros (DEM), conseguiu a proeza de não deixar uma única obra de destaque no município. Ao contrário, Magrado tem deixado a cidade para ir acompanhar, pessoalmente, as inaugurações feitas por outros prefeitos como a de Cajari, Camyla Jansen (DEM), no último sábado (7). 

Além da fabriqueta de bloquetes  projeto estadual desenvolvido por presidiários, e da “revitalização” da feira da Barra do Sol, com recursos do Banco do Brasil, hoje um condomínio de urubus, nada foi feito pela gestão do “macho velho”. 

O Governo do Estado tem trazido a diversos municípios da Baixada um pacote de obras importantes, com a presença do próprio governador Flávio Dino. Em Viana, porém, são três anos sem que o chefe do Executivo tenha um bom motivo para pisar na cidade e, assim, evite o vexame de ver de perto o sofrimento da população.

O Palácios dos Leões, é claro, tem informações precisas sobre a situação de calamidade que atinge a população vianense, sem abastecimento d’água com regularidade, com ruas escuras, esburacadas, povoados isolados com acesso em péssimas condições e sem postos de saúde.

Magrado Barros que já autorizou este ano um repasse de verba municipal de meio milhão de reais para comunicação – vai encerrando 2019 sem dizer a que veio. As postagem de blogs patrocinados com o dinheiro público “forçam a barra” e subestimam a inteligência do povo vianense com a afirmação: “Magrado mostra força política”. “Força” para quê mesmo? Para uma administração fraca?

Moro autoriza envio da Força Nacional para área de assassinato de indígenas no MA

Nesta segunda (9), um dos indígenas mortos foi sepultado em Jenipapo dos Vieiras.

G1 MA — São Luís, MA

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou nesta segunda-feira (9) o envio de tropas da Força Nacional para a região onde dois índios da etnia Guajajara morreram durante um atentado registrado no sábado (7) na BR-226, entre as aldeias Boa Vista e El Betel, no município de Jenipapo dos Vieiras, localizado a 506 km de São Luís.

A medida é válida para os próximos por 90 dias, de 10 de dezembro de 2019 a 8 de março de 2020, e pode ser prorrogada. Segundo a portaria do ministério, a ação é para garantir a integridade física e moral dos povos indígenas, dos servidores da Funai e dos não índios na região. CONTINUE LENDO AQUI.