Cézar Bombeiro quer que prefeitura repasse empréstimos bancários à Maternidade Maria do Amparo

O vereador Cézar Bombeiro (PSD) está bastante sensibilizado com o grave problema da Maternidade Maria do Amparo, que está novamente enfrentando o risco de ser fechada e prejudicar milhares de mulheres que fazem pré-natal e partos na entidade filantrópica, que tem uma história de importantes serviços, com aproximadamente 200 mil partos e uma média mensal de 2 mil. Para o vereador, a Prefeitura de São Luís não faz o repasse mensal, atrasado desde o mês de julho, por negligência ou desrespeito à população pobre que precisa daquela casa de saúde.

Maternidade Maria do Amparo voltou a enfrentar dificuldade financeira

O problema da Maternidade Maria do Amparo é sério e muito grave, e não pode ser adiado, além de colocar em risco a vida de muitas mulheres, que podem ter complicações no parto, haja vista que as maternidades públicas estão em situação de penúria, com o sucateamento da saúde estadual pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Cézar Bombeiro voltou a demonstrar preocupação com a crise na unidade de saúde

Cézar Bombeiro exalta a luta do vereador Gutemberg Araújo (PRTB), que também é médico e sente na pele o que pode resultar do fechamento total da Maternidade Maria do Amparo. O vereador garante que se integrará na luta em defesa da casa de saúde, somando esforços ao lado de Gutemberg Araújo e dos demais vereadores que lutam pelo direito à saúde e dignidade humana para as mulheres gestantes. (Via Blog do Daniel Matos).

Diretoria do Fórum da Baixada pede apoio do presidente do TJ/MA para projetos da região

O presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), João Martins, acompanhado do deputado estadual Pará Figueiredo e de membros da diretoria do FDBM (Luís Figueiredo, Flávio Braga, Expedito Moraes, Ana Creusa Martins e Antônio Valente), participou de uma reunião, nesta sexta-feira (01, com o presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ/MA), desembargador Joaquim Figueiredo.

A ideia é criar canais de interlocução com as esferas do Poder Público (estadual e federal), para apoio ao projeto de construção dos Diques da Baixada, anseio antigo dos habitantes da região.

O presidente do TJ/MA, desembargador Joaquim Figueiredo, baixadeiro, filho do município de São João Batista, garantiu que se juntará à luta pelo desenvolvimento da região.

A obra dia Diques da Baixada está sob a responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que fará uma regulação das águas, impedindo a invasão da salinização nos campos da baixada. Com a construção dos diques o prejuízo dos ribeirinhos, pescadores, agricultores e famílias que se sustentam com a produção dos campos da baixada, serão transformados em lucratividades e riquezas.

O projeto prevê a construção de 72 quilômetros de diques, de dois metros de altura cada, beneficiando os municípios de Viana, Matinha, São João Batista, São Vicente Ferrer, Cajapió, São Bento e Bacurituba.

Também estão previstas a reconstrução da barragem da Maria Rita (beneficiando os municípios de São Bento, Palmeirândia, Peri-Mirim e Bequimão) e a construção da ponte sobre o rio Pericumã, ligando Bequimão ao Litoral Ocidental Maranhense. Com esses projetos, a Baixada ampliar seu potencial de geração de trabalho e renda à população da região.

Segundo João Martins, entre as prioridades solicitadas pelo FDBM, estão a pavimentação da Estrada do Peixe (povoado Itans a Matinha), recuperação da barragem do Rio Pericumã em Pinheiro, pavimentação da estrada de Pedro do Rosário a Zé Doca, pavimentação da estrada de Bacurituba a Cajapió, construção da barragem do Rio Maracu em Cajari, implantação do polo turístico da Região dos Lagos, implantação do Campus da UEMA em São Bento, pavimentação da estrada de São João Batista ao Porto da Raposa, reconstrução da barragem do Félix entre Bequimão e Peri Mirim.

Estão elencadas ainda como prioridades, para o desenvolvimento da Baixada Maranhense, a pavimentação da estrada do povoado Santeiro a Pedro do Rosário, remoção das cercas dos campos da Baixada, sobretudo as eletrificadas, regularização, por meio de licitação e concessão, do serviço de ferry boat, recuperação definitiva da MA-014 (Vitória do Mearim a Pinheiro), instalação de antenas de telefonia móvel no Porto de Cujupe, construção da estrada São João Batista-Anajatuba, recuperação das pontes entre São Bento e Bacurituba, disciplinamento da criação de búfalos nos campos da Baixada e construção da estrada de São João Batista a Cajapió.(Via Blog do Vandoval Rodrigues)

Cofre cheio! Viana recebeu quase 6 milhões em outubro; vejam os repasses outras cidades da Baixada Maranhense

A prefeitura de Viana, administrada pelo prefeito Magrado Barros (DEM), recebeu quase 6 milhões de reais em outubro deste ano. A informação é do Blog do Jailson Mendes, e faz parte de levantamento mensal feito em consulta aos extratos do Banco do Brasil.

Milhões de recursos foram recebidos pelos municípios

Todos os municípios tiveram recursos menores, em comparação ao mês de agosto.

Destaque para Cajapió, Olinda, São João Batista e São Vicente Ferrer, que, em relação aos meses passados, as receitas caíram. Os municípios de Vitória do Mearim e Arari recebem mensalmente os recursos dos royalties da mineração e cada um deles, além de outros 21 municípios do Maranhão, recebem um pouco mais de 200 mil a mais por mês.

Os fundos que mais caíram dinheiro foi o Fundeb e o FPM e aqui está o valor bruto, ou seja, sem os descontos referentes a precatórios e demais dívidas das prefeituras.

Vejam os números…

Viana R$ 5.553.542,93 C

Pinheiro R$ 8.294.609,88 C

São Bento R$ 4.870.796,09 C

Penalva R$ 4.502.535,04 C

Vitória do Mearim R$ 4.479.455,93 C

Arari R$ 4.322.409,37 C

Matinha R$ 2.914.782,34 C

Cajari R$ 2.645.184,77 C

São Vicente Ferrer R$ 2.544.686,11 C

São João Batista R$ 2.709.501,37 C

Olinda Nova do Maranhão R$ 2.004.621,93 C

Cajapió R$ 1.575.000,37 C

Manifestantes interditam BR-135 em São Luís

Manifestantes que são formados por moradores de vários bairros da zona rural da capital interditaram na manhã desta segunda (4) o Km 7 da BR-135.

Manifestantes interditam a BR-135 em São Luís — Foto: Douglas Pinto/TV Mirante

Manifestantes interditaram no início da manhã desta segunda-feira (4) o Km 7 da BR-135. Segundo os manifestantes, que são formados por moradores de vários bairros da zona rual da capital, a região está sofrendo pela falta de infraestrutura.

De acordo com os manifestantes, as ruas da localidade não possuem pavimentação e eles pedem que a Prefeitura de São Luís asfalte a região. Os manifestantes afirmam que a região possui mais de 40 comunidades.

Os manifestantes fecharam todos os acessos na rodovia e estão impedindo o tráfego de veículos na BR-135. A Polícia Militar (PM) já está no local para manter a segurança e ordem durante o protesto, além da presença de agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). (G1-MA)