Viana: uma cidade tratada como lixo

As imagens desta postagem são autoexplicativas. Ou seja, a Prefeitura de Viana está despejando lixo em ruas da periferia, periodicamente castigadas pelas fortes chuvas. De um lado, uma cidade administrada com negligência, sem o cumprimento dos deveres mais básicos. Do outro, moradores suplicando por melhorias e protestando com os recursos que dispõem. Papeis de cadernos ou folhas de bananeira, tudo serve para expressar a indignação do vianense. Pesquisas indicam que cerca de 80% da população vianense rejeitam a desastrosa gestão municipal.

O município, castigado por uma variedade de problemas, também sofre com a falta de eficiência nos serviços de coleta e destinação do lixo. De acordo com um panorama dos resíduos sólidos, elaborado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), a coleta do lixo chega a 89,6% das residências brasileiras. Entre os estados, o Maranhão possui o menor índice de coleta: 59%. Já os outros 41% vão para rios, terrenos baldios e ruas. Com a ausência de aterro sanitário no município – e debaixo do nariz do Ministério Público – a Prefeitura de Viana parece ter encontrado o pior destino, porém perigoso para o descarte do lixo. Longe de resolver seus problemas urbanos, está devolvendo às comunidades, resíduos que podem estar contaminados e causar doenças, principalmente nas crianças. O descarte do lixo pelo poder público é feito em ruas da periferia, diante dos olhos indignados da população.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos foi aprovada em 2010 e previa que gestores que não cumprissem metas poderiam ser punidos. O município de Viana dispõe de um Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, definido pela Lei Municipal 336/13, de 26 de dezembro de 2013, aprovada pela Câmara de Vereadores. Mas basta caminhar pelos bairros da cidade para perceber que a lei não é cumprida. Despejar lixo em vias públicas é também infringir outra lei, a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, que dispõe sobre os crimes ambientais, que colocam em risco toda a fauna, flora e recursos hídricos de um município rico em recursos naturais. É assim que Magrado trata Viana.

Governador em exercício José Joaquim visita Viana e faz entregas na Baixada Maranhense

O governador em exercício, José Joaquim Figueiredo dos Anjos, faz entregas nesta sexta-feira (26) na Baixada Maranhense. Em seu primeiro compromisso, José Figueiredo participa do lançamento da pedra fundamental da Academia Vianense de Letras, no município de Viana. Depois, inaugura uma fábrica para quebradoras de coco. Em seguida, acompanhará as obras realizadas pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), no perímetro urbano.

Planta ilustrativa da futura sede da AVL

Reafirmando o compromisso com a memória, educação e cultura dos maranhenses, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secma), lança a pedra fundamental da Casa Anica Ramos, que será sede da Academia Vianense de Letras (AVL). “Iremos lançar a pedra fundamental, que era um pleito muito antigo. Estamos dando a importância devida à Baixada Maranhense, que passou muito tempo esquecida”, afirmou José Joaquim.

O termo de compromisso para a viabilidade da primeira etapa da construção da Casa Anica Ramos (teatróloga e tradutora) foi assinado no dia 18 de julho. “A atenção do Governo e Secretaria de Cultura com o povo vianense é muito importante. Essa receptividade foi fundamental para a celeridade do processo da construção desse espaço em Viana”, comentou a Presidente da AVL, Maria de Fátima Cordeiro.

A edificação tem fomento da Lei de Incentivo à Cultura e será realizada no terreno situado na Rua Professor Antônio Lopes, esquina com a Rua Cônego Hemetério, doado pelo Poder Executivo Municipal de Viana.

O governador em exercício também vai entregar uma fábrica para as quebradeiras de coco da região para fazer óleo e outros elementos advindos do produto.

Vistoria

Concluindo a agenda no município de Viana, o governador em exercício também acompanhará as obras realizadas pela Sinfra, no perímetro urbano.

“Estamos atuando de maneira contínua na manutenção das rodovias maranhenses. Esse é o foco das nossas equipes nesse segundo semestre: garantir que nossas estradas estejam com boas condições de trafegabilidade e fazendo as correções necessárias. Vamos continuar com esse ritmo, para que o nosso Maranhão seja um lugar com oportunidades de investimentos e que as nossas estradas possam levar esse desenvolvimento para outras localidades”, enfatizou Clayton Noleto, secretário de Estado de Infraestrutura.

A Sinfra está com equipes trabalhando em vários trechos da MA-014, realizando serviços de manutenção e conservação da pavimentação, beneficiando várias comunidades ao longo da via.