Agricultura Familiar do Maranhão será defendida em Frente Parlamentar

Na última quarta-feira (3), o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Júlio César Mendonça, participou, no auditório Plenarinho da Assembleia Legislativa do Maranhão, de diálogo participativo para composição da mesa diretora da Frente Parlamentar em Defesa da Agricultura Familiar e Reforma Agrária no Maranhão.

Este é o primeiro ato para a construção da Frente Parlamentar, no qual o Estado foi representado pelo Sistema Estadual de Agricultura Familiar.

Até dezembro deste ano, serão realizados dez diálogos participativos nas regiões: Alto Turi, Baixada Maranhense, Baixada Oriental, Baixo Parnaíba, Cocais, Mearim, Médio Sertão, Pindaré, Sul e Tocantina, conforme a divisão de trabalho da agricultura familiar.

O objetivo da Frente Parlamentar é ser uma entidade associativa que defenda interesses comuns, constituída por representantes de todas as correntes de opinião política e sendo porta-voz para o debate entre as classes políticas, governos estaduais e municipais, movimentos sociais e sociedade civil.

 “Todas as ações que priorizam a agricultura familiar são importantes e terão nosso apoio. Entendemos que a agricultura familiar é uma forte aliada na economia do Estado e, portanto, precisa ser fortalecida e dialogada com quem faz a agricultura familiar, que são justamente os produtores rurais”, pontuou o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Júlio César Mendonça.

A criação da Frente Parlamentar é de autoria do deputado estadual Adelmo Soares, e até o final deste ano pretende construir grupos de trabalho nos eixos: produção e comercialização, reforma agrária, educação e tecnologia, saúde, meio ambiente e infraestrutura.

O evento contou com mais de 150 pessoas, entre parlamentares, movimentos sociais, Embrapa, instituições financeiras, Secretarias de Estado, prefeituras de São Luís e demais municípios da Grande Ilha, além da sociedade civil organizada.

Acusado de estuprar enteada de 8 anos é preso em Viana

Um acusado de estuprar uma crianças de 08 anos foi preso durante o último domingo, 07, na cidade de Viana. Segundo as informações, a prisão aconteceu uma operação realizada pela Polícia Civil, com apoio operacional da Força Tática, da Polícia Militar.

Um suspeito identificado como Lázaro Nunes, vulgo ‘Cabeludo’, foi preso por suspeitas de praticar estupro de vulnerável por dois anos. A vítima é a sua própria enteada. A responsável legal pela criança, de nome Ivania Ferreira Gomes, também teria sido acionada judicialmente.

Segundo apurou-se até o momento, conforme depoimento de testemunhas e relatório do Conselho Tutelar do município de Viana, criança teria sofrido abusos sexuais frequentemente e teria levado ao conhecimento de sua avó.

Lázaro também é acusado de já ter abusado sexualmente de outra criança, também da família de sua esposa, mas esta informação será devidamente apurada ao longo da investigação, de acordo com a Polícia Civil.

O Conselho Tutelar de Viana, confirmou todas as informações e informou que a mãe da criança também foi presa.

(Via Jailson Mendes)

Família de jornalista da Globo é ameaçada após matéria do Fantástico

Carlos de Lannoy recebeu uma ameaça após divulgar matéria sobre o Exército no programa dominical

O jornalista Carlos de Lannoy denunciou uma ameaça de morte que recebeu pelas redes sociais após a exibição de uma reportagem do Fantástico. A matéria falava de um veículo que foi fuzilado por homens do Exército, no Rio de Janeiro, e que matou o motorista Evaldo Rosa dos Santos.

O homem, que foi identificado como Erik Procópio, escreveu no Instagram do jornalista: “Se você escolher falar merda e defender bandido é escolha sua. Seu merda! Se for errado paga com a vida! Mexeu com o exército, assinou sua sentença! Sua família vai pagar! Aguarde as cartas”. Imediatamente, Lannoy foi ao Twitter e expôs a ameaça: minutos depois de fazer a reportagem no “Show da Vida” sobre mais uma morte em blitz do exército, recebi essa ameaça no meu Instagram. Não ficará assim”.

Dilúvio na Baixada Maranhense e seca iminente…

O Maranhão, em geral, e a Baixada Maranhense, em particular, têm experimentado  uma precipitação pluviométrica sem precedentes nas últimas décadas. O volume das fortes chuvas acarreta o aumento dos níveis dos rios e lagos, provocando enchentes e inundações nas comunidades ribeirinhas. O rosário de lagos da Baixada transborda, se interliga e se converte em uma vasta extensão de água doce.

Por Flávio Braga*

Na estação chuvosa anual, a Baixada se transforma em uma imponente planície alagada, que adorna o majestoso Pantanal Maranhense. Em 2019, esse fenômeno tem atingido proporções hiperbólicas.

Para surpresa de ninguém, uma situação insólita se avizinha. Daqui a alguns meses, essa mesma Baixada estará agonizando com o martírio da estiagem, desnudando um paradoxo sinistro, que mutila as regras da lógica e as leis da razão. A falta de água já se tornou uma calamidade pública anual, que submete as comunidades baixadeiras às mesmas privações e ao mesmo suplício durante o período crítico do verão maranhense.

Esse quadro de penúria é uma tragédia previsível e anunciada, mas incapaz de sensibilizar as autoridades que têm o poder de minimizar tamanho sofrimento, as quais fazem ouvido mouco para o grito de socorro ecoado da voz dos baixadeiros.

Causa assombro lembrar que entre os meses de abril e agosto de cada ano a Baixada fica envolta num verdadeiro mar de água doce. Entretanto, na época do abaixamento (entre julho e setembro), essa exuberância de água escoa para o mar e os campos da Baixada se transformam numa paisagem árida, imprópria para qualquer atividade produtiva, como consequência direta da omissão, descaso e negligência do Poder Público.

Conforme já enfatizamos repetidas vezes, as soluções para melhorar as condições de vida do povo que habita a Baixada são baratas, simples e de fácil resolução. Só depende da vontade política dos nossos governantes.

Quem conhece de perto a realidade da Baixada tem a noção exata do quanto são singelas as intervenções necessárias para represar a abundância de água das chuvas e salvar a Baixada do drama da escassez de água anual: açudes e barragens para conter a fuga da água doce dos campos e lagos da Baixada para a Baía de São Marcos. Simples assim.

Com efeito, a retenção da água doce nos campos da Baixada representa a maior riqueza para as atividades de pesca de subsistência, pecuária, piscicultura, agricultura familiar e pequenas criações, como galinhas, patos, porcos, caprinos e ovinos.

*Flávio Braga, advogado e presidente de honra do Fórum da Baixada

Nível do Rio Pindaré sobe e deixa mais de 1.000 pessoas desabrigadas

Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil Municipal visitaram todas as casas atingidas pela cheia; No total são 1.013 pessoas desabrigadas e 96 desalojadas.

Nível do Rio Pindaré sobe e famílias são retiradas de casa no MA

A cheia do rio Pindaré tem causado transtornos aos moradores de Pindaré-Mirim, a 255 km de São Luís. Em uma rua próxima ao rio, as residências foram atingidas pela água e os moradores só conseguem ter acesso ao local através das cano

Durante o final de semana o nível do rio subiu e o Corpo de Bombeiros de Santa Inês e a Defesa Civil de Pindaré-Mirim visitaram as casas atingidas e realizaram um levantamento. No total são 1.013 pessoas desabrigadas e 96 desalojadas.

Desabrigados estão sendo levados para uma escola municipal ou para as casas de parentes. — Foto: Reprodução/ TV Mirante

Os desabrigados estão sendo levados para uma escola municipal ou para as casas de parentes. Muitas famílias continuam nas residências mesmo com a invasão da água no local. (Por G1 MA — São Luís)