Domingo sangrento em Viana

A noite deste domingo (28), foi marcada por mais um caso de violência na cidade de Viana. Um homem identificado como Juscelino Mendes Araújo, o Jucelio, residente no bairro Mutirão, foi morto à tiros em um Bar no Parque Dilu Melo, ponto turístico da cidade.

Jucélio foi brutalmente assassinado em Viana

Uma segunda vítima identificada como, Fábio Belfort Costa Filho,”Fabinho”, 31anos,  também foi alvejado mas sobreviveu.

De acordo com informações do 36°Batalhão da Polícia Militar, o homicídio e a tentativa de homicídio ocorreram por volta das dez horas da noite, no Armandu’s Bar – localizado no Parque Dilú Melo.

A vitima Juscelino Mendes Araújo, o Jucélio, veio a faleceu ainda no local e Fábio Belfort Costa Filho, que foi transferido para São Luís em estado grave.

Após tomar conhecimento, a guarnição deslocou-se  para o local, constatando a veracidade dos fatos”, diz o relatório da Polícia Militar.

As circunstâncias do crime ainda não foram reveladas, e nem autoria(as) ou motivação(es).

Relatos de populares dão conta que o crime foi praticado por um homem de moto, que teria descido da motocicleta usando um capacete, impedindo sua identificação e atirou contra as vítimas que estavam no interior do bar, onde acontecia uma festa.

Foram realizadas diligências, pela Polícia Militar, para localizar o autor do crime,  porém, sem êxito. (Com informações do portal da TV Maracu)

Agência Executiva Metropolitana realiza reunião do Conselho Participativo Metropolitano

Na manhã desta sexta-feira, 26, representantes da sociedade civil organizada reuniram-se para a 1ª Reunião Ordinária 2019 do Conselho Participativo Metropolitano da Grande São Luís. O evento aconteceu no auditório da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), no bairro Calhau, em São Luís.

Este encontro teve como pauta a II Conferência Metropolitana e a eleição para membros da sociedade civil organizada do Conselho para o biênio 2019/2021. Também foram apresentadas as ações da AGEM, que serão sugeridas para o Plano Plurianual do Governo do Estado (PPA). A abertura da Reunião foi feita pelo presidente da Agência Executiva Metropolitana, Lívio Jonas Mendonça Corrêa. Em seguida, as discussões foram coordenadas pela coordenadora da Governança, Mônica Carvalho.

Sobre a Conferência Metropolitana foi destacado que o evento será em outubro deste ano e contará com a participação de representantes dos 13 municípios que compõem a Região Metropolitana da Grande São Luís (RMGSL), Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Rosário, Raposa, São José de Ribamar, Santa Rita e São Luís. Durante a Conferência serão eleitos os membros da sociedade civil organizada do Conselho para o biênio 2019/2021.

Outro momento da 1ª Reunião Ordinária 2019 do Conselho Participativo Metropolitano foi a apresentação das ações da AGEM, feita pela diretora da Assessoria de Planejamento do órgão, Kátia Raposo. “O que está aqui sendo apresentado será sugerido para o PPA”, destacou Kátia.

“Essa apresentação é de extrema importância, pois nos permite ter conhecimento e debater sugestões”, afirmou Lívio Corrêa.

A reunião foi finalizada com a solicitação de uma reunião com o Departamento de Programas e Projetos da AGEM, para apresentação dos projetos em execução.

Conhecendo os símbolos da cidade: o Escudo de Viana

Idealizado pelo pintor Nilton Aquino, sob encomenda do então presidente da Câmara Municipal, Ozimo de Carvalho, o escudo ou brasão de Viana foi oficializado por decreto do prefeito Luiz Couto (Lei 19 de 7 de setembro de 1949).

A parte superior do escudo é emoldurada por paisagens da terra, destacando-se o morro do Mocoroca. O centro do brasão apresenta  (ainda do lado esquerdo) o índio Guajajara, provável habitante primitivo de Viana, mostrando o sol que significaria a luz do saber, trazida pelos ensinamentos dos padres jesuítas que catequisaram a aldeia.

Do lado direito, a antiga Missão Nossa Senhora da Conceição do Maracu, hoje sede do município.

Na parte inferior, do lado esquerdo, encontra-se um rudimentar  engenho de açúcar,  quando ainda era usado o carro de boi para transporte da cana. Do lado direito, a representação do futuro tão almejado pelos vianenses do século passado: o município praticando uma agricultura moderna e produtiva, ali simbolizada pelo trator arando a terra.

Na base do escudo, dois cofos com as riquezas vegetais da região: o babaçu e o arroz.

* Resumo da matéria publicada pelo jornal O Renascer Vianense, edição número 21 – agosto de 2008.

Ex-superintendente da SEIC é expulso da Polícia Civil no Maranhão

Tiago Bardal foi afastado e respondia um processo administrativo que resultou na perda do cargo.

Tiago Bardal depôs na sede da Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor) em São Luís. — Foto: Reprodução/TV Mirante

Por G1 MA — São Luís

A Polícia Civil decidiu expulsar o ex-superintendente da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), Tiago Bardal, após responder um processo administrativo, que resultou na perda do cargo. Tiago Bardal foi preso pela primeira vez em fevereiro de 2018, suspeito de envolvimento com uma quadrilha de contrabandistas que atuava em São

Depois de três meses ele foi solto para responder em liberdade, mas voltou a ser preso em novembro, junto com outros investigados, de São Luís e Imperatriz, por extorquir dinheiro de assaltantes de banco para facilitar as ações dos criminosos no Maranhão.

De acordo com as investigações, os casos de extorsão começaram em 2015, quando Tiago Bardal era o delegado-chefe do setor de inteligência da polícia em Imperatriz. Segundo a Secretaria de Segurança, o valor negociado seria em torno de R$100 mil reais por mês, para proteger a maior quadrilha de assaltantes de banco com atuação no Maranhão, Pará e Tocantins.

A defesa de Tiago Bardal disse que não vai se pronunciar sobre a decisão do Conselho da Polícia Civil. A expulsão do ex-delegado e ex-superintendente da Seic ainda precisa ser aprovada pelo governador Flávio Dino.

Entenda o caso

O superintendente estadual de investigações criminais, Tiago Bardal, foi exonerado do cargo por ter sido encontrado em um local que era alvo de crimes e investigado pela Polícia Militar.

Policiais Militares e outras cinco pessoas que não integram a polícia são suspeitas de integrarem um grupo criminoso com atuação na Região Metropolitana de São Luís. Os militares foram presos na manhã do dia 22 de fevereiro de 2018 no Arraial, no Quebra Pote, zona rural de São Luís. Armas, bebidas alcoólicas e cigarros foram apreendidos também.

A operação foi realizada pela Polícia Militar. No caminho para o Quebra Pote, Thiago Bardal foi encontrado próximo da região suspeita em um carro com Ricardo Jefferson Muniz Belo, que seria o seu advogado. Segundo o secretário de segurança pública, Jefferson Portella, ao ser questionado, o superintendente afirmou que estava vindo de uma festa, mas depois mudou a versão falando que procurava um sítio para compra.

O secretário também informou que, após a abordagem ao delegado, policiais seguiram até um porto clandestino, localizado em um sítio da região do Quebra Pote. Por lá eles também encontraram uma patrulha de militares dentro de um carro, que foram abordados e presos. Armas, bebidas alcoólicas e cigarros também foram apreendidas.

No dia 26 de fevereiro de 2018, um sargento, um major e um soldado – que a polícia diz que participavam da quadrilha – tiveram a prisão preventiva decretada, além de outras cinco pessoas que não integram a polícia.Na dia 27 de fevereiro de 2018, o advogado Ricardo Jefferson Muniz Belo prestou depoimento à polícia. Durante seu interrogatório contou uma versão diferente da que foi dita inicialmente por Thiago Bardal. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança (SSP-MA), o advogado tem ligação direta com o Rogério de Sousa Garcia, ex-vice-prefeito de São Mateus que é apontado como um dos chefes do esquema criminoso e está preso.

Em Brasília, secretário Júlio pleiteia ampliação de projetos no Maranhão

O secretário de Estado da Agricultura Familiar, Júlio César Mendonça, esteve em Brasília nesta quinta-feira (25), participando de agendas para tratar sobre os programas da Agricultura Familiar desenvolvidos no Maranhão.

Pela manhã, o secretário participou do Encontro Nacional do Programa Água Doce, onde apresentou as ações que estão sendo desenvolvidas no estado.  Este programa visa garantir o acesso à água de qualidade para o consumo humano, por meio de sistemas de dessalinização de água salobra.

À tarde, em visita ao Ministério da Cidadania, o secretário Júlio reuniu -se com o secretário Nacional de Inclusão Social, José Roberto Carlos Cavalcanti, onde pleiteou a ampliação dos Programas Cisternas e PAA, ambos desenvolvidos no Maranhão.

Prefeitura de Viana recebeu mais de 81 Milhões e a Saúde agoniza. Como assim?

O sistema de saúde de Viana, a exemplo dos outros setores da administração pública, enfrenta hoje uma das piores crises da história do município. A população nunca passou por tanta dificuldade para receber atendimento em uma unidade pública, o que costuma trazer como consequência mínima sofrimento e dor e até óbito, nos casos mais extremos.

A falta de médicos nas mais variadas especialidades já virou rotina na cidade. Não foi à toa que o áudio do diretor do hospital municipal, Magno Cutrim, pedindo aos vereadores que se comovessem, se sensibilizassem com a situação da principal casa de saúde vianense, provocou tanta revolta na população. O ex-diretor (que não suportou a situação e entregou o cargo) denunciou na época que havia mais de 300 pessoas precisando se submeter a cirurgias, mas que não havia sequer materiais hospitalares para a realização dos procedimentos.

Nos povoados, a situação é ainda mais grave. Os únicos vereadores a denunciarem o estado de calamidade pública, Luzardo Segundo e João de Marcos, mostram que em muitos deles, como Ricoa, não há sequer água ou energia elétrica para os postos de saúde funcionarem. No Mutirão, os aparelhos para tratamento bucal, estão sem uso, desde a gestão passada, enferrujando a cada dia.

Mas enquanto o povo de Viana sofre diariamente humilhação pela falta de atendimento de saúde, os cofres da Prefeitura ostentam enorme saúde financeira. Basta buscar o Portal da Transparência do governo Flávio Dino para descobrir que, somente de recursos transferidos pelo Estado, o município administrado por Magrado Barros já recebeu 81 milhões, 584 mil, 70 reais e 58 centavos.

Dados disponíveis e acessíveis a qualquer cidadão no Portal da Transparência do Governo do Estado: prova de que o problema em Viana não é falta de recurso público

São mais de 81 milhões de reais apenas no ano de 2019. Isso sem mencionar os recursos que são repassados diretamente do governo federal para as contas municipais, de outros programas de saúde. Uma quantia exorbitante para uma população estimada de pouco mais de 52 mil habitantes, menor do que um bairro da capital como a Cidade Operária, em São Luís.

Indignado, o cidadão vianense pergunta: com 81 milhões de reais e meio recebidos, em apenas quatros meses não é possível colocar em funcionamento o mínimo possível de serviços públicos de saúde? O problema é de gestão? Onde foram parar esses milhões? Com a palavra o Ministério Publico do Estado.

O blog tentou ouvir as explicações da secretária municipal de saúde, Gesiane Cutrim Sousa (foto ao lado do prefeito), mas ela não foi encontrada.

VERGONHA! CÂMARA MUNICIPAL NÃO ATUALIZA INFORMAÇÕES DESDE FEVEREIRO

Sindjus-MA convoca auxiliares judiciários para manifestação nas redes sociais

A Diretoria do Sindjus-MA está convocando todos os auxiliares judiciários de São Luís e de Comarcas do interior do Estado para protestar, a partir desta terça-feira (23), nas redes sociais, contra a extinção do cargo sem que haja o enquadramento dos servidores em tabela salarial semelhante à de técnico judiciário. A extinção do cargo está prevista na proposta do Novo Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), mas contará com o apoio do Sindjus-MA somente se estiver vinculada a essa nova tabela salarial.

A posição do Sindicato tem o objetivo de combater o desvio de função no TJMA. Na maioria dos casos, o desvio de função no Tribunal envolve auxiliares judiciários que, sem contrapartida nos seus vencimentos, executam atribuições dos técnicos judiciários.

Para a Diretoria do Sindjus-MA, a extinção do cargo e o enquadramento dos servidores em nova tabela é a melhor saída para acabar com o desvio de função. Essa solução é defendida há anos e consta, inclusive, na proposta para o Novo PCCV aprovada em março de 2016 pela Comissão de Assuntos Legislativos do TJMA.

Por outro lado, a extinção do cargo sem a definição de uma nova tabela gera o temor de que o desvio de função perpetue-se. “O projeto de lei sem ajuste na tabela salarial dos auxiliares para uma remuneração semelhante ao técnico institucionaliza de uma vez por todas o desvio de função no Tribunal de Justiça do Maranhão”, avalia o vice-presidente do Sindicato, George Ferreira.

Para chamar a atenção da Administração do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), o Sindicato convoca os servidores que hoje ocupam o cargo de auxiliar judiciário – tanto da Capital, como das Comarcas do interior do Estado – para que, nesta terça-feira (23), demonstrem sua insatisfação nas redes sociais do Sindicato.

COMO PARTICIPAR

Vale para São Luís e comarcas do interior do Estado

1. O Sindicato convoca os servidores a irem para o trabalho vestindo preto;

2. Os servidores devem imprimir o cartaz eletrônico (formato pdf) disponibilizado no Portal Sindjus-MA (clique aqui ou clique na imagem no início do texto);

3. No decorrer do expediente, os servidores devem formar grupos – por setores ou Varas – e tirar fotos com o cartaz em mãos;

4. Por fim, devem enviar as fotos por WhatsApp para o número (98) 98751 9570.

As imagens serão utilizadas nas redes sociais do Sindicato para demonstrar a preocupação dos servidores com a extinção do cargo de auxiliar judiciário sem o devido enquadramento dos servidores em nova tabela salarial.

A Diretoria do Sindicato orienta que os servidores devem bater o ponto e trabalhar normalmente. O intuito, a princípio, é apenas chamar a atenção da Administração do TJMA para a situação de 1.092 servidores que hoje ocupam o cargo.

“Os servidores que ocupam o cargo de auxiliar devem mostrar sua cara para que a Administração do TJMA veja quem são essas pessoas que sofrem desvio de função. Se é para extinguir o cargo, vamos acabar de vez com essa distorção que é termos, em uma mesma secretaria, servidores exercendo atribuições iguais, mas recebendo salários diferentes”, afirmou George Ferreira.

Dicas para as fotos:

1. Faça fotos com o telefone na posição horizontal.

2. Aproxime o máximo, mas fique atento aos cantos da imagem para observar se ninguém ficou cortado.

3. Ao enviar a foto, informe a Comarca e o setor.

Fonte: Portal Sindjus