Vianenses se confraternizam contemplando as belezas do lago

Os baixadeiros, em especial os vianenses, aproveitaram o feriadão da Páscoa para realizar inúmeros passeios ecológicos pelo “pantanal maranhense”, que nesse período revela todo o potencial turístico da região.

Em Viana, a tradição está mantida, e, no sábado de Aleluia (20), duas lanchas partiram do Parque Dilú Melu, tendo a bordo um animado grupo de amigos.

As embarcações navegaram pela imensidão do majestoso Lago de Viana até as margens do imponente Outeiro do Mocoroca, na divisa com o município de Cajarí. No local foi servido um delicioso buffet, com churrasco, torta de traíra seca (jabiraca) feijoada, dentre outas iguarias, cuja produção foi assinada com o capricho de Dirce Costa.

Os participantes aproveitaram ainda para divertidos bate-papos, tomar banho, pescar, passear de caiaque e. Em seguida, a trupe seguiu para o extenso Lago do Aquirí, na divisa com Matinha, percorrendo o Igarapé do Engenho, Povoado Santaninha – na sua área de banho – além uma rápida passagem no Bar Brisas do Aquirí.

Confira imagens do passeio, que também contou com a cobertura da Rádio e TV Maracu, de Viana.

Viana perde mais um casarão histórico

Já era uma tragédia anunciada. O desabamento aconteceu na tarde desta segunda-feira (22), depois de uma forte chuva na cidade.

Uma cidade que não respeita sua história, suas memórias e sua cultura, lamenta a perda de mais um patrimônio arquitetônico, que vai ficar na lembrança como um dos primeiros hotéis do município, comandado por “Dona Filhinha” – como os vianenses a conheciam.

O monumento foi abandonado no início dos anos 80 e, por intransigências familiares, permaneceu em ruínas, até hoje, quando tombou e passou a fazer parte da dilapidação do patrimônio histórico vianense, tal qual o seu vizinho do lado direito: o famoso sobrado de Ozimo de Carvalho, cujo terreno foi doado pela prefeitura à Academia Vianense de Letras (AVL), que por sua vez luta para obter recursos para reerguer o prédio e transformá-lo em sua futura sede.

Carrinho Cidreira recebe amigos para comemorar aniversário e fortalece projeto para disputar eleições em Viana

O economista Carrinho Cidreira recebeu hoje, 21, diversos amigos, autoridades, familiares e eleitores em sua residência para comemorar seu aniversário. Carrinho lidera todas as pesquisas para prefeito de Viana, na Baixada Maranhense.

O evento foi realizado em sua residência e ele aproveitou para confirmar sua pré-candidatura. Ele recebeu o apoio de diversas correntes políticas e já conta com apoio de vários partidos políticos.

Em seu aniversário, Carrinho agradeceu primeiramente a Deus pela oportunidade de mais um ano em está comemorando mais um ano de vida, e ao povo de Viana, pelo carinho e acolhimento durante essa pré-campanha.

Cidreira também se mostrou está amadurecido e preparado para encarar a responsabilidade de comandar um grupo político que resgate a dignidade vianense e a vocação de viana em ser pólo da Baixada e ser a quarta cidade mais antiga do Maranhão.

Em sua página de relacionamento pessoal, ele agradeceu aos presentes. “Não há títulos, não há riqueza, não há poder, não há nada que engrandeça mais um homem do que o afeto das pessoas. Obrigado, minha família, meus amigos e amigas, pela homenagem pelo meu aniversário. Nada disso teria sentido sem a amizade de vocês”, comentou. (Via Blog do Jailson mendes)

Veja mais imagens:

O potencial turístico da Baixada Maranhense

Por Flávio Braga*

Com o objetivo de divulgar o potencial turístico de Viana e da região da  Baixada Maranhense,  a Rádio e TV Maracu promoveu um aprazível passeio náutico no último dia 13/04, reunindo baixadeiros e amigos da Baixada. Foi a segunda edição dessa aventura fantástica. A primeira ocorreu em 2018. O passeio saiu do parque Dilu Melo em Viana e incluiu paradas na cidade de Cajari e no bar Brisas do Aquiri em Matinha. Em 2020, a emissora promete intensificar essa belíssima agenda turística, com o acréscimo de um roteiro para Penalva.

Parque Dilu Melo, em Viana

A Baixada Maranhense foi transformada em Área de Proteção Ambiental (APA) em face da sua importância ecológica, especialmente para as numerosas espécies de aves migratórias, que a utilizam como ponto de descanso, alimentação e reprodução.

Na estação chuvosa, a Baixada se transforma em uma imensa planície alagada e verdejante, que forma o majestoso Pantanal Maranhense, com toda a sua diversidade de fauna e de flora, que a transforma num santuário ecológico de rara beleza. Essa paisagem esplendorosa muda de acordo com a época do ano. Do ponto de vista socioeconômico, é uma região vocacionada ao ecoturismo sustentável.

O rosário de lagos e os campos floridos da Baixada constituem atrativos naturais extraordinários que merecem ser explorados economicamente, tendo em vista o seu imenso potencial de captação turística, que precisa ser encarado como um mecanismo indutor do desenvolvimento sustentável da região, sobretudo pela sua capacidade de gerar trabalho e renda a uma população carente e historicamente desassistida.

A partir do seu ecossistema diversificado e da sua cultura peculiar, a Baixada é naturalmente propensa ao desenvolvimento da indústria do turismo e tem como ofertar uma infinidade de produtos turísticos, como cavalgadas, pesca, trilhas, mergulhos, motociclismo, gastronomia típica, artesanato, folguedos, tradições religiosas, festas folclóricas, danças populares, patrimônio arquitetônico, passeios náuticos, camping etc.

Brisas do Aquirí, em Matinha

A indústria do turismo se alicerça em três pilares: a infraestrutura dos destinos turísticos (hotéis, bares, restaurantes, transporte e espaços para eventos), a qualidade e criatividade dos serviços oferecidos aos visitantes e uma política de divulgação eficiente. Nesse passo, é imperioso que os gestores municipais da Baixada e os empresários maranhenses sejam sensibilizados e internalizem a ideia da mudança de hábitos e quebra de paradigmas, a fim de superarem o marasmo que norteia a aplicação das mesmas políticas públicas de sempre e das repetitivas oportunidades de negócios.

Já passou da hora de os nossos governantes e empreendedores privados compreenderem que a política de turismo no Maranhão não pode se restringir eternamente aos Lençóis Maranhenses e à Chapada das Mesas. Por fim, registro as minhas homenagens à emissora Radio e TV Maracu por ser uma grande entusiasta do ecoturismo na Baixada Maranhense.

*Pós-Graduado em Direito Eleitoral, Professor da Escola Judiciária Eleitoral e Analista Judiciário do TRE/MA.

Secretário Júlio visita áreas alagadas em Viana

O secretário de Estado da Agricultura Familiar, Júlio César Mendonça, esteve em Viana nestes dois últimos dias (18 e 19) onde visitou as áreas alagadas no munícipio.

“Estamos buscando todos os meios possíveis para mitigar os impactos das cheias. Agradeço muito aos amigos Mervalzinho e a gestora da Agerp de Viana, Janaira Sá, que não mediram esforços e estiveram comigo em todos os momentos,” destacou o secretário.

As fortes chuvas têm causado vários pontos de alagamentos em Viana e em outras cidades da Baixada Maranhense, deixando centenas de famílias desalojadas e com prejuízos  materiais.

O secretário Júlio reuniu -se com associações de moradores do Campo Novo e visitou os bairros da Matriz, Democrata, Centro e Nova Viana.

Diálogos Metropolitanos debate mobilidade urbana para municípios da Grande São Luís

Técnicos, professores, estudantes e membros da sociedade civil debateram, nesta quarta-feira (17), o diagnóstico e sugestões para a mobilidade urbana nos 13 municípios incluídos na Região Metropolitana da Grande São Luís. O debate foi realizado no auditório da Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (SECID), na capital, durante mais uma edição do Diálogos Metropolitanos do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado (PDDI).

Os diálogos são promovidos pelo Governo do Maranhão, por meio da Agência Estadual Metropolitana (AGEM), da SECID, e do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos do Maranhão (IMESC). Nesta edição, também estiveram presentes representantes da Agência de Mobilidade Urbana (MOB).

De acordo com o presidente da Agência Executiva Metropolitana, Lívio Jonas Mendonça Corrêa, o Diálogos Metropolitanos é uma momento muito importante de discussão entre a sociedade civil e órgãos do Governo a respeito de temas relacionados à mobilidade. “Foi bastante proveitoso, pois pudemos visualizar o Diagnóstico que está sendo concluído e, a partir daí, pensar em planos de ação que beneficiem toda a população”, afirmou. 

Segundo o secretário adjunto de Assuntos Metropolitanos da SECID, Raimundo Reis, o evento trouxe para a discussão social análises que vêm sendo feitas em toda a Região Metropolitana da Grande São Luís (RMGSL) e o destaque desta edição foi o tema mobilidade. “Estamos acompanhando a participação, o interesse da sociedade civil, e o objetivo é melhorar o nosso estudo, prosseguir na elaboração do nosso PPDI para chegar ao final e ter um diagnóstico completo da Região Metropolitana”, explicou.

O engenheiro civil Marcus Vinícius Oliveira apresentou os resultados do trabalho de diagnóstico realizado junto com os órgãos de governo. Ele destacou a relevância da participação popular na construção do Plano de Diretor de Desenvolvimento Integrado (PDDI). “A gente fez um diagnóstico com foco na mobilidade da Região Metropolitana para apresentar esse diagnóstico hoje, para colher sugestões, críticas, enfim, termos aqui um processo mais participativo, que envolve pessoas que vão usar o que propusermos aqui”, comentou Marcus Vinícius.

Danilo Paiva é estudante de Arquitetura e Urbanismo e foi um dos que se interessaram pelo encontro, principalmente como cidadão. “Além de estudar, eu também sou usuário do transporte público, tenho família que mora na Baixada e eu viajo sempre para lá. A ideia de que tenha agora uma programação integrada entre os municípios da Região Metropolitana é muito importante. Me interesso não só como estudante, mas principalmente como usuário, como cidadão”, disse Danilo.

PDDI da Região Metropolitana

O PDDI-RMGSL foi instituído pelo governador Flávio Dino, por meio da Lei Complementar 174, de maio de 2015. A Lei prevê que a execução das funções públicas, de interesse comum aos municípios integrantes da Região, ocorrerá a partir do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado.

Com uma população de 1.590.138 habitantes, a Região Metropolitana da Grande São Luís (RMGSL), regida pela Lei Complementar Estadual nº 174/2015, abrange 13 municípios: Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Rosário, Raposa, São José de Ribamar, Santa Rita e São Luís.