Governo do Estado estuda ações de mobilidade urbana na capital

Órgãos estaduais e municipais, dentre os quais Agência Executiva Metropolitana (AGEM), Secretaria de Estado da Infraestrutura (SINFRA), Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), Secretaria de Estado de Cidades e Desenvolvimento Urbano (SECID), Secretaria Municipal de Trânsito e de Transportes (SMTT) e Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (SEMOSP) estão se mobilizando em parcerias com um objetivo: melhorar a mobilidade urbana em São Luís. A demanda partiu do Governo do Estado, a partir da constatação da necessidade de ações no setor, visando qualidade de vida e segurança da população.

A mais recente visita técnica aconteceu no bairro do Anil e contou com a presença dos titulares das secretarias envolvidas nas etapas iniciais deste projeto, cujo cronograma de obras para o primeiro semestre já está estabelecido, segundo o presidente da MOB, Lawrence Melo. “Consideramos a necessidade de trabalho conjunto para apresentar melhores resultados para a população”, destacou.

Antes de visitarem o Anil, os representantes dos órgãos públicos reuniram-se com o governador Flávio Dino. “O encontro aconteceu na semana passada e foi um momento inicial de alinhamento de ações”, revela o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

Ainda durante a reunião, foi apresentado o andamento das obras de prolongamento da Avenida Litorânea, que já tem 30% do serviço executado, e de ampliação da Avenida Jerônimo de Albuquerque, na altura do bairro Angelim, que deve ser entregue em 90 dias. “Na Jerônimo já estamos em fase de finalização da camada de aterro. Em seguida será construído o sistema de drenagem e a preparação da base para recebimento do pavimento asfáltico”, explica Lívio, sobre a obra que irá gerar maior fluidez no trecho descrito.

Desafios e soluções

Para o secretário de Estado de Infraestrutura, Clayton Noleto, a melhoria nas condições de trânsito impacta diretamente na qualidade de vida das pessoas. “A trafegabilidade é um dos grandes desafios da administração pública moderna. E na capital o desafio é maior ainda, daí a necessidade de intervenções”, disse.

O pacote de ações inclui, ainda, soluções para o trânsito intenso da Avenida dos Holandeses, segundo Lawrence Melo. “Esta etapa contará com o apoio da Prefeitura de São Luís”, finalizou o presidente da MOB.

Polícia investiga morte de vaqueiro no Maranhão

A Polícia Civil de Viana, a 217 km de São Luís, está investigando o caso do vaqueiro Augusto Belfort, de 63 anos, que saiu de casa para cuidar do gado em uma fazenda às margens da MA-314, na zona rural do município e foi encontrado morto 24 horas depois.

— Foto: Reprodução/TV Mirante Augusto Belfort, de 63 anos, foi encontrado morto na manhã de terça-feira (05). — Foto: Reprodução/TV Mirante
Segundo a polícia, Augusto Belfort saiu para tomar conta do gado no campo e não voltou para casa.

Segundo a polícia, Augusto Belfort, que também era conhecido como “Gudinho”, saiu de casa na manhã de segunda-feira (4) para tomar conta do gado no campo e não voltou para o almoço. Preocupados, os familiares decidiram procurá-lo com a ajuda de um grupo de vaqueiros que também trabalham nas redondezas.

Ainda de acordo com a polícia, as buscas foram suspensas na noite de segunda (4) e retomadas na madrugada de terça (5) quando Augusto Belfort foi encontrado morto. No corpo da vítima havia duas perfurações que parecem ser arma de fogo, conforme os policiais.

O corpo de Augusto Belfort foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), na capital, para que sejam realizados exames para comprovar se as marcas encontradas na vítima são de tiros ou não. A polícia está apurando o caso e conversando com pessoas na região, a fim de saber quais motivos levaram ao homicídio dele.

A polícia está aguardando o resultado de um laudo cadavérico para ter a confirmação se Augusto Belfort foi assassinado. Ele era muito conhecido na cidade de Viana por ser um amante da vaquejada. Ele deixa mulher e mais quatro filhos. (G1).