Comunidades de São Luís se preparam para receber praças e quadras esportivas

Os projetos são de iniciativa do Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana

Desde o início deste ano, o Governo do Maranhão, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), vem desenvolvendo um conjunto de projetos para beneficiar toda a Região Metropolitana da Grande São Luís (RMGSL). Algumas obras já foram entregues e outros bairros se preparam para receber novos equipamentos urbanos de esporte e lazer, caso das vilas Luizão e Magril.

Na Vila Luizão, os moradores irão receber uma Quadra Poliesportiva, construída em um terreno situado em uma área onde, antes, existia um campo de areia e que depois passou a ser utilizada para descarte de restos de construção. “O terreno foi totalmente readequado, para gerar à comunidade um equipamento público adequado ao lazer, tendo em vista que na atualidade, não existem ambientes similares na redondeza”, destaca o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

O projeto contempla, além da quadra, arquibancada com capacidade para 70 (setenta) pessoas, bicicletário, depósito para armazenamento de materiais esportivos e área verde. Ao todo, a área de construção abrange uma área de 518m². “As dimensões do terreno foram utilizadas de forma a priorizar o máximo conforto dos usuários deste projeto”, explica Lívio Corrêa.

A Vila Magril, por sua vez, irá ganhar uma praça com quadra esportiva, calçamento com meio-fio, pavimentação, passeio, estacionamento para carros e motocicletas, canteiros com áreas verdes e arborizadas, academia com instalação de aparelhos de ginástica, playground e um espaço ao ar livre para atividades diversas no local. No total, será uma área de 1.754,13m². “São trabalhos de urbanização e revitalização de espaços que há muito vêm sendo demandados pelas comunidades e que, agora, estão se transformando em realidade”, finaliza Lívio Corrêa. As obras serão entregues até o final deste ano.

Embarcações apreendidas no Maranhão com 4 toneladas de pesca ilegal são transportadas para Belém

O pescado foi apreendido pelo Ibama. As duas embarcações estavam sem documentação, segundo a Marinha do Brasil.

Embarcações “Real Madrid” e “Pesca e Cia” foram apreendidas no Maranhão e trazidas para Belém. — Foto: Reprodução / Marinha do Brasil

Por G1 PA — Belém

As embarcações “Real Madrid” e “Pesca e Cia” foram apreendidas no litoral do Maranhão e foram trazidas para a base naval de Val de Cães, em Belém, nesta quinta-feira (15). De acordo com a Marinha do Brasil, as embarcações realizavam pesca ilegal. Quatro toneladas de pesca foram apreendidas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama).

De acordo com a Marinha, além da posse do pescado, as duas embarcações infrigiram a lei de segurança, pois não portavam qualquer documento ou não estavam com condutor habilitado. As embarcações chegaram no início da noite.

O Comando do 4º Distrito Naval flagrou as embarcações na quarta (14), durante a operação de Patrulha Naval, que fiscaliza e combate o descumprimento da lei da segurança do tráfego aquaviário e a pesca ilegal.

Segundo o capitão de mar e guerra, Ricardo Ferreira, comandante do Grupamento de Patrulha Naval do Norte, o uso de inteligência para identificação das áreas de concentração de pesca e a parceria com o Ibama foram fundamentais na operação. “Trabalhamos pela segurança da navegação e contribuímos para o uso racional dos recursos naturais no mar”, disse.

Mais de 400 médicos cubanos do “Mais Médicos” devem deixar o Maranhão

No Maranhão, segundo o Ministério da Saúde, os 457 médicos cubanos atuam na saúde básica em 167 municípios. O estado é sexto estado com maior número de médicos pelo programa.

Por G1 Maranhão — São Luís, MA

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 457 médicos cubanos atuam no Maranhão pelo programa “Mais Médicos” e eles devem deixar seus postos de trabalho nos próximos dias. O governo de Cuba anunciou a saída do programa social citando as declarações feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) em relação à presença dos profissionais no Brasil.

No Maranhão, segundo o Ministério da Saúde, os 457 médicos cubanos atuam na saúde básica em 167 municípios. O estado é sexto estado com maior número de médicos pelo programa.

Antes de começarem a trabalhar nas comunidades, os médicos fizeram provas para validação do diploma pelo ministério da saúde e um treinamento sobre o funcionamento do sistema único de saúde (SUS). Eles chegaram ao Maranhão em 2013 e assumiram postos nas unidades saúde básica, principalmente, na zona rural das cidades e em aldeias indígenas.

A Organização Pan-Americana da Saúde e o Ministério da Saúde deverão fazer um relatório de impacto no Brasil sobre a saída dos médicos cubanos do programa mais médicos. Na manhã desta sexta-feira (16), o Ministério da Saúde divulgou que a seleção de médicos brasileiros para ocuparem as vagas abertas deve ser realizada ainda este mês.