Agência Metropolitana avança com projetos de infraestrutura na Grande São Luís

Desde o início deste ano, o Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), vem desenvolvendo um conjunto de ações para resolver problemas de infraestrutura e para disponibilizar equipamentos de esporte e lazer na Região Metropolitana da Grande São Luís. Com isso, diversas comunidades estão sendo beneficiadas e regiões antes utilizadas para descarte irregular de resíduos sólidos ou abandonadas estão sendo transformadas em áreas de socialização.

Dentre os exemplos mais recentes destas ações estão a Praça Vila Dom Luís, na Avenida dos Portugueses, área Itaqui-Bacanga, o Canteiro da Avenida José, no Jardim América, o Canteiro da Avenida Ferreira Gullar, na Ilhinha, e o Canteiro Central da Camboa. Os três projetos, assim como os demais que estão em execução e os que estão em fase de elaboração, seguem uma normativa que é a do diálogo com as comunidades, para reconhecimento das demandas. “Com isso temos a oportunidade de colher informações, que são consideradas quando estamos construindo o produto que será apresentado posteriormente”, explica o presidente da AGEM, Lívio Corrêa.

A Praça Vila Dom Luís está localizada na Avenida dos Portugueses, área Itaqui-Bacanga. Lá foram instalados academia de ginástica, palco coberto, iluminação, quadra de esportes com alambrado, além de centro administrativo com depósito de materiais. A área total é de 2.080,26m².

No Canteiro da Avenida José, no Jardim América, houve todo um trabalho de revitalização do espaço, para abrigar a Feira do bairro e criar um espaço de esporte e lazer para a comunidade, com playground, academia de saúde, quadra poliesportiva, bancos, mesas de jogos, estacionamento e acessibilidade por rampa. Na outra parte da praça foi construída a Feira, para abrigar os comerciantes que atualmente vendem os produtos na Praça das Amendoeiras, também localizada no Jardim América – e que, em breve, será alvo de revitalização por parte da AGEM.

Na Ilhinha, a intervenção ocorreu no Canteiro da Avenida Ferreira Gullar, uma área central utilizada unicamente para descarte irregular de lixo, o que se constituía em um risco de saúde para a população, que costumava reclamar bastante da situação. Hoje a realidade é bem diferente. O local abriga uma praça com playground, quadra poliesportiva, estacionamento, acessibilidade por rampa e, em breve, serão instalados os equipamentos da academia de saúde.

O Canteiro da Avenida Camboa, outra obra executada pela AGEM, também mudou a paisagem de uma das principais áreas de fluxo de veículos e pessoas que seguem para o Centro e outros bairros próximos. Ao todo, o projeto possui uma área de 3.300,00m², onde foi feita uma urbanização com rampa, paginação de piso, acessibilidade facilitada para pedestres, sinalização, iluminação pública, além de um trabalho de paisagismo.

Viana. Sujeira, ratos e urubus afastam consumidores da Feira da Barra do Sol. Cadê a Vigilância Sanitária? Cadê o Ministério Público?

Se o Brasil fosse um país sério, locais como o mercado público de Viana, na Baixada Maranhense, seriam fechados imediatamente, com direito a multa pesada ao Poder Público Municipal.

Localizado na Av. Walber Duailibe, Bairro Barra do Sol, ao lado do Hospital Dom Hélio Campos, administrado pela Prefeitura de Viana, há décadas o local se encontra fétido, sujo, insalubre e habitado por ratazanas, cães vadios e urubus, que se dividem entre os poucos consumidores que ainda se aventuram e colocam em risco suas saúdes ao adquirirem alimentos no mercado, que foi inaugurado nos anos oitenta.

Na avenida cheia de buracos, não existem sinalizações; o trânsito é intenso de carretas, caminhões, motos, bicicletas e carroças, que põem em risco a integridade física dos transeuntes e clientes.

Mesmo passando por uma reforma completa na gestão anterior, do prefeito Chico Gomes, a área que vende pescados já está deteriorada e, os vendedores se deslocaram para o pátio do mercado, onde comercializam seus produtos em cestos de palha colocados no chão, bacias de alumínio, carrinhos de mão enferrujados, em uma imundice só encontrada nos países mais miseráveis da África como o Congo e o Burundi.

Nos boxes internos, os urubus voam e bicam restos de carnes, couraças e ossadas, da forma mais natural possível, sem serem incomodados.

Na área externa, centenas de picapes latas-velhas, adaptadas como pau-de-arara, transportam diariamente milhares de passageiros em condições precárias, indignas do ser humano e sem a menos segurança.

A nossa reportagem percorreu durante uma semana a rotina da Barra do Sol e do mercado. No local não encontramos nenhum guarda de trânsito, serviços de limpeza ou agentes da gestão municipal. Também não obtivemos notícias se o Ministério Público local tenha tomado alguma atitude para obrigar a prefeitura a tomar as providências que o caso requer.

Arquivo

Difícil reeleição

Eleito com 14.400 votos, o atual prefeito de Viana, Magrado Aroucha Barros (PSDB), pregou o discurso do novo, da mudança e do progresso. No entanto, a maioria dos vianenses está decepcionada com a sua desastrada gestão e, segundo analistas políticos locais, ouvidos pelo Blog Vianensidades, a sua reeleição é dada como improvável ou e até como um caso irreversível.

A não ser que a população vianense – que gosta tanto de festa de graça – se importe pouco com higiene, saúde e qualidade de vida. Aí já é um total masoquismo que nem Freud (o pai da psicanálise) explica!