Viana – a eleição na Câmara e o “galeto de seresta”

Hoje, terça-feira (14), aconteceu a tão aguardada eleição para a direção da Câmara de Vereadores de Viana-MA.

Realizada em voto secreto, de acordo com o Regimento, o pleito, duríssimo, acabou com a reeleição do atual presidente, Walter Serra (PV), por 8 votos contra 7 do vereador Nelson Mendonça (PSL).

Como se observa, os edis estão rachados politicamente, ou então, os grupos de Magrado e sua vice, Lucimar Gonçalves – herdeira do espólio eleitoral do ex-prefeito Rilva Luis , estão estão trincados ou em rota de colisão, pois comenta-se nas rodas que o segundo colocado seria apoiado pelo grupo de RL.

Derrotas à parte, depois de quase três meses de articulações, fofocas, tititi, bafafá e muitos fuxicos no meio político, a pergunta que não quer calar: de qual vereador foi o voto minerva que decidiu a favor de Macho Velho, que, nitidamente trabalhou até os últimos segundo para reeleger o seu pupilo.

O atual presidente, Walter Serra é aquele mesmo que recentemente inaugurou uma nova sede para a casa do povo, na Avenida Luis Couto, e cedeu ao ordenamento do chefe em colocar o nome do prédio de Antonio da Rocha Barros, ex-prefeito de Viana, numa espécie de homenagem ou “nepotismo fúnebre”.

Nova sede da Câmara Municipal de Viana. Homenagem merecida ou “faça o que eu mando”?

A população vianense e a classe política reagiram com bom humor e logo apelidaram o “desconhecido” vereador de “galeto de seresta” – em alusão àqueles frangos com farofa leiloados em serestas “pé sujo” na Cidade dos Lagos.

Especula-se que cada voto tenha custado entre 30 e/ou 50 mil – dependendo do cacife do vereador -, o que aponta o verdadeiro balcão de negócios no qual se transformou a Câmara, e isso não é de hoje.

E, aqui um parêntese sobre os bastidores dessa conturbada eleição. Segundo o Blog apurou, teve vereador que usou e abusou do fisiologismo, ao receber 25 mil, na presença de familiares, negociou cargos e, claro o seu voto. Outro, pelo menos se manteve dentro da casca, pois queria 20 mil; ofereceram-lhe 10 mil, mas este honrou o seu voto e não recebeu nada, ao contrário de outro imberbe da casa, que recebeu 20 mil pra mudar de voto. O que é isso, meu filho!!!

Mas, de lascar mesmo foi a estratégia do eleito, que antes do pleito levou os 8 edis, já fechados com Macho Velho, para um dolce far niente em Barreirinhas, nos Lençóis Maranhenses. Atitude essa que pode ter contribuído com certeza para o voto minerva, para desespero do pecuarista e vereador Nelson Mendonça, que teve que se desfazer de uma boa manada de vaquinhas para sua candidatura, mas levou uma tremenda rasteira e está mais brabo do que touro de rodeio.

Macho Velho, claro, jogou pesado, liquidou a fatura e já está de olho na eleição de 2020, visto que está com quase 80% de rejeição e espera reverter o quadro até a próxima refrega eleitoral.

E, falando em galeto, e já que tem muitos com a burra cheia, que tipo de carniça será que esses pássaros pretos (na foto acima) estão devorando na feira de Viana, na Barra do Sol? Será simbólico?