Alegria alheia

Semana passada fui visitar um amigo. Pessoa do tipo “gente boa”, honesta, do tipo fácil de se gostar. Ou talvez não? Eu o ouvi me contar que estava feliz, pois havia sido promovido na empresa que trabalha, mas que, por outro lado, estava triste, pois alguns colegas do seu setor estavam tratando-o de uma forma fria e estranha. Perguntei se alguma coisa diferente havia acontecido em seu trabalho e ele me respondeu: “Não sei, a única coisa que mudou é que fui promovido a um cargo melhor”.

Quase todos sabem que a competição, a injustiça e a desigualdade, frutos do nosso sistema econômico em que estamos inseridos, contribuem muito para a inveja dos companheiros de trabalho do meu amigo. Mas me pergunto até onde podemos culpar e jogar todos os nossos pecados capitais nas costas da sociedade.

Gosto da citação do escritor  Alexandre Robles “A alegria há de ser mais discreta que o sofrimento, pois não é este, mas aquele que suscita inveja. Só quem nos ama suporta nossa alegria”.

Cada vez mais vemos pessoas infelizes com a alegria do outro. A alegria alheia não me contagia, pelo contrário, me deprime. Há os que não suportam o progresso do outro, tramando coisas que até Deus duvida para de algum jeito, prejudicar o invejado. Existem também aqueles que temem em deixar explícito as qualidades de suas esposas, esposos, filhos, empregos, podendo causar inveja e mal estar nos outros. Psicanaliticamente falando, estamos ficando persecutórios.

Poder se alegrar com algum indivíduo simplesmente porque ele é um ser humano, isto é, um ser igual a você, é um grande passo para a maturidade. É claro que temos mais facilidade de ficar alegres com as conquistas e progressos de quem amamos, mas e das pessoas que não temos aquele contato mais próximo? Do padeiro da esquina, do porteiro do seu prédio, da vizinha, do empresário, do pedreiro?

Acredito que quem sente menos inveja, mais valor acha dentro de si mesmo e na sua vida. Se não começarmos a refletir e lutar contra essa inveja que destrói por dentro e por fora, chegará um tempo em que todos serão considerados nossos inimigos, nossos concorrentes, será cada um por si. Sobrará quase nada de alegria no mundo e nos relacionamentos. É um futuro cinza. Ultimamente, nos meus momentos de tristeza, tenho preferido me contagiar com as cores da alegria alheia, mesmo das pessoas que não conheço. Quem tem alegria dentro de si, talvez tenha mais facilidade de reconhecer a alegria do outro.

Dênis Athanázio | By Óbvius

Cofres cheios. Mais de 2 bilhões do FPM serão creditados nas contas das prefeituras, nesta quinta-feira (29)

 

Ilustrativa

O repasse do 3º decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para o mês de março será de R$ 2,2 bilhões, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, somado o Fundeb, o montante é de R$ 2,7 bilhões. O valor será creditado nas contas dos Entes locais nesta quinta-feira, 29 de março.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) salienta que de acordo com os dados da Secretaria Tesouro Nacional (STN), o 3º decêndio de março de 2018, comparado com mesmo decêndio de 2017, apresentou um aumento de 8,98% em termos nominais – sem considerar os efeitos da inflação. O montante é 30,17% maior que o previsto pela STN para o decêndio. De acordo com a área de Estudos Técnicos da entidade, o valor deflacionado do repasse do 3º decêndio de março em relação ao mesmo decêndio de 2017 apresentou um crescimento de 6,23% – levando em conta as consequências da inflação.

A entidade, no entanto, pede cautela aos gestores municipais em suas gestões e alerta para que fiquem atentos aos primeiros meses do ano ao gerir os recursos municipais, uma vez que, historicamente, os recursos do FPM do primeiro semestre são superiores aos do segundo semestre. A recomendação da entidade é que seja realizado um planejamento estratégico para não haver surpresas negativas no segundo semestre. As informações são da CNM.

Emap lança concurso com 42 vagas – salários de até R$ 8.586,00.

Ilustrativa

A Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) lançou, nesta terça-feira (27), o edital do concurso público que visa peencher 42 vagas de níveis superior e médio.

Os salários variam de R$ 2.250 a R$ 8.586,00. As inscrições começam dia 9 de abril e se encerram em 9 de maio. As taxas de inscrição sã de R$ 127.00 para cargos de nível superior e R$ 84.00 para nível médio.

As provas objetivas e a prova discursiva para os cargos de nível superior terão a duração de 4 horas e 30 minutos e serão aplicadas na data provável de 24 de junho de 2018, no turno da manhã.

As provas objetivas e a prova discursiva para o cargo de nível médio terão a duração de 4 horas e 30 minutos e serão aplicadas na data provável de 24 de junho de 2018, no turno da tarde.

Edital de Abertura

Fonte: Jornal Pequeno