Vianense assumirá presidência da Agência Metropolitana de São Luís, no governo Flávio Dino

 

O engenheiro agrônomo vianense, Lívio Correa, será nomeado nesta Segunda-feira (02/04), para ocupar a presidência da Agência Metropolitana de São Luís –  órgão do estado que tem a importante missão de resolver os problemas da Ilha e dos municípios do entorno, entre eles, Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Presidente Juscelino, Paço do Lumiar, Raposa, Rosário, Santa Rita e São José de Ribamar.

Os principais desafios da Agência Metropolitana são a mobilidade, a gestão dos resíduos sólidos, além de criar o Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado na sua área de atuação.

O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo próprio governado Flávio Dino (PC do B) através do seu twitter.

Lívio substitui o vereador Pedro Lucas (PTB), atual presidente, que deverá disputar  vaga na Câmara Federal.

A solenidade de Posse dos novos Secretários e Presidentes de Órgãos, será realizada na capital, no dia 2 de abril (segunda-feira), no Palácio Henrique de La Rocque, com a presença do governador Flavio Dino, familiares e convidados.

O editor do Blog Vianensidades deseja sorte e sucesso ao competente amigo Lívio Correa, nessa sua nova missão.

Empresário Fellykson do Posto distribui duas toneladas de peixes em Viana

Gesto de solidariedade leva alimento a mais de 1.000 pessoas, na sede e na Zona Rural do município , nesta quinta-feira.

O empresário Fellykson do Posto coordenou a entrega do pescado às famílias vianenses

Viana – O jovem empresário, Fellykson do Posto enalteceu o seu lado solidário e contribuiu para que centenas de pessoas tivessem uma Páscoa com fartura na mesa, ao distribuir duas toneladas de peixes para famílias carentes.

O milagre da solidariedade fez com que pelo menos duas toneladas de peixes se multiplicassem em alimento e vida para centenas de vianenses que precisam ser olhados e assistidos, não só na Páscoa, mas todos os dias pelo poder público.

A distribuição começou pelo bairro Campo Novo – um dos mais carentes de Viana -, e depois seguiu para a Zona Rural. Cada pessoa recebeu na própria porta de casa, em média, dois quilos de peixe.

“Quando eu soube da distribuição, saí logo pra porta esperar. Tenho quatro filhos pra criar e o peixe aqui em Viana está muito caro. Esse moço (Fellykson) é muito bom. Hoje é um dos poucos dias que toda minha família come peixe”, contou a desempregada Marialva Silva, moradora do bairro.

“É uma grande emoção fazer isso. Senti-me no dever de retribuir com meus conterrâneos, pela caridade e pela oportunidade, pra fazer essa gente um pouco mais feliz”, finalizou Fellykson.

IFMA oferece pré-vestibular para indígenas em Viana

Atividade de extensão faz parte de um projeto que também busca beneficiar jovens de comunidades quilombolas.

 

Dos 15 alunos da turma, oito eram indígenas

Indígenas da comunidade Itaquaitiua, em Viana, são beneficiados com um curso preparatório pré-vestibular oferecido Instituto Federal do Maranhão (IFMA). A atividade faz parte de um projeto de extensão que busca facilitar o acesso de membros de comunidades afrodescendentes e indígenas ao ensino superior.

Em fevereiro e março, foi realizada a primeira edição do projeto, com aulas preparatórias para o vestibular de Educação a Distância (EaD) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). A prova foi aplicada no dia 11 de março. O curso foi aberto à comunidade, porém foi solicitado pelos indígenas Gamella. Dos 15 alunos participantes das aulas, oito eram indígenas.

O projeto, intitulado “Biologia para concursos I”, é coordenado pela professora de Biologia do IFMA Campus Viana, Isabel Sousa, mestre em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRG). “A intenção é que os alunos dessas comunidades se sintam mais aptos a participar de processos seletivos”, explicou a professora. Também participam do projeto quatro estudantes do IFMA, dos cursos técnicos em Administração e Desenvolvimento de Sistemas.

Para Isabel Sousa, o acesso dos membros das comunidades tradicionais quilombolas e indígenas à educação formal de nível superior especialmente na modalidade licenciatura, possibilita uma esperança de melhores condições de vida para estas comunidades. “Logo, deve ser realizado um esforço coletivo multidisciplinar para que estas pessoas adentrem e permaneçam no mundo acadêmico, como uma forma de possibilitar a essas comunidades a possibilidade de uma nova realidade”, acredita.

Com informações do Campus Viana

Corpo do designer Jesiel Pontes é achado em matagal

O corpo do Publicitário e Designer Jesiel Sales Pontes, de 52 anos que estava desaparecido há 3 dias foi encontrado, na manhã desta quinta-feira (29), em um matagal, no bairro Pirâmide, no Araçagy.

De acordo com a família, na terça-feira à tarde, ele teria assistido o jogo da seleção brasileira, no apartamento dele no renascença e em seguida se dirigiu para o sítio dele que fica na rua Flamengo, próximo à Raposa.

Por volta de 9 da noite da terça-feira, um vizinho dos fundos teria ouvido gritos. No local a polícia encontrou móveis revirados e marca de sangue.

Dentro da casa, os móveis foram encontrados revirados, algumas coisas quebradas como se tivesse acontecido uma luta corporal. Os bandidos levaram geladeira e outros objetos, além da caminhonete.

“Infelizmente tive a triste notícia que acharam o corpo do querido Jesiel Pontes, quanta violência!!!”, comentou o ator e diretor César Boaes.

“Tô arrasado! Difícil viver nesse mundo de tanta violência”, disse o cantor Marco Duailibe.

Foto: Polícia Civil/ Arquivo Pessoal

Via Blog do Zeca Soares

Alegria alheia

Semana passada fui visitar um amigo. Pessoa do tipo “gente boa”, honesta, do tipo fácil de se gostar. Ou talvez não? Eu o ouvi me contar que estava feliz, pois havia sido promovido na empresa que trabalha, mas que, por outro lado, estava triste, pois alguns colegas do seu setor estavam tratando-o de uma forma fria e estranha. Perguntei se alguma coisa diferente havia acontecido em seu trabalho e ele me respondeu: “Não sei, a única coisa que mudou é que fui promovido a um cargo melhor”.

Quase todos sabem que a competição, a injustiça e a desigualdade, frutos do nosso sistema econômico em que estamos inseridos, contribuem muito para a inveja dos companheiros de trabalho do meu amigo. Mas me pergunto até onde podemos culpar e jogar todos os nossos pecados capitais nas costas da sociedade.

Gosto da citação do escritor  Alexandre Robles “A alegria há de ser mais discreta que o sofrimento, pois não é este, mas aquele que suscita inveja. Só quem nos ama suporta nossa alegria”.

Cada vez mais vemos pessoas infelizes com a alegria do outro. A alegria alheia não me contagia, pelo contrário, me deprime. Há os que não suportam o progresso do outro, tramando coisas que até Deus duvida para de algum jeito, prejudicar o invejado. Existem também aqueles que temem em deixar explícito as qualidades de suas esposas, esposos, filhos, empregos, podendo causar inveja e mal estar nos outros. Psicanaliticamente falando, estamos ficando persecutórios.

Poder se alegrar com algum indivíduo simplesmente porque ele é um ser humano, isto é, um ser igual a você, é um grande passo para a maturidade. É claro que temos mais facilidade de ficar alegres com as conquistas e progressos de quem amamos, mas e das pessoas que não temos aquele contato mais próximo? Do padeiro da esquina, do porteiro do seu prédio, da vizinha, do empresário, do pedreiro?

Acredito que quem sente menos inveja, mais valor acha dentro de si mesmo e na sua vida. Se não começarmos a refletir e lutar contra essa inveja que destrói por dentro e por fora, chegará um tempo em que todos serão considerados nossos inimigos, nossos concorrentes, será cada um por si. Sobrará quase nada de alegria no mundo e nos relacionamentos. É um futuro cinza. Ultimamente, nos meus momentos de tristeza, tenho preferido me contagiar com as cores da alegria alheia, mesmo das pessoas que não conheço. Quem tem alegria dentro de si, talvez tenha mais facilidade de reconhecer a alegria do outro.

Dênis Athanázio | By Óbvius