G1: Flávio Dino cumpriu compromisso de garantir material escolar para quem precisa

 

Governador Flávio Dino participa do dia de mobilização de entrega de cartões do Bolsa Escola. (Foto: Orcenil Júnior/Secap)

O governador Flávio Dino chegou à liderança do ranking nacional de compromissos de campanha cumpridos graças a uma série de entregas e ações durantes os três primeiros anos de administração. Entre eles está o Bolsa Escola, que garante a compra de material escolar para quem precisa.

De acordo com o levantamento do G1, Flávio Dino já cumpriu ou está cumprindo 92% dos compromissos de campanha. Isso o coloca como governador mais eficiente em todo o Brasil. Ele também aparece no topo de uma lista com governadores, prefeitos de capital, presidente da República e ex-governantes. São 60 políticos no total. (Veja aqui: http://especiais.g1.globo.com/maranhao/2015/as-promessas-de-dino/#!/3-anos).

Em relação especificamente ao Bolsa Escola, o G1 lembra que o compromisso de Flávio era implantar o programa “para que as famílias beneficiárias [do Bolsa Família] que tenham filhos em escola pública possam adquirir todo o material escolar para uma adequada aprendizagem”.

“O programa consistirá no pagamento de uma parcela a mais do benefício mediante Cartão Material Escolar. As micro e pequenas empresas em todo o território maranhense, do ramo de livrarias e papelarias, também serão beneficiadas com mais vendas propiciadas pelo programa”, continuava o compromisso.

O G1 conclui que “a promessa foi cumprida. Por meio de decreto, o governo institucionalizou em julho de 2015 o programa Mais Bolsa Família Escola, regulamentando o Cartão Material Escolar”. Veja aqui o levantamento do G1 sobre o Bolsa Escola clicando aqui.

Família compra material escolar com cartão Bolsa Escola. (Foto: Orcenil Júnior)

1,4 milhão de alunos

O número de alunos beneficiados tem crescido, assim como o de estabelecimentos cadastrados para aceitar o cartão do Bolsa Escola. O número de estudantes atendidos neste ano vai chegar a 1,4 milhão, acima do 1,2 milhão em 2017. No ano anterior, haviam sido 925 mil.

Já os estabelecimentos cadastrados chegaram a 1.757 em estabelecimentos em 2018, 22% a mais que no ano passado.

Em 2017, o valor do Bolsa Escola foi de R$ 51 por aluno. Os créditos são concedidos às famílias cadastradas no Bolsa Família do Governo Federal e que tenham filhos em idade escolar, entre 4 e 17 anos.

Por meio de um cartão magnético tipo débito, as famílias poderão realizar compras em lojas e comércios autorizados em seus próprios municípios para a venda de material escolar.

Não guardo mágoas, mas não sofro de amnésia

Enquanto o tempo passa, será necessário digerir, aos poucos, as mágoas que carregamos, no sentido de torná-las cada vez mais distantes, menos pesadas, menores, até que se transformem em lições.

Nossa sobrevivência e lucidez emocional em muito dependerá daquilo que resolvermos guardar dentro de nós e de tudo o que estivermos mantendo junto a nossas vidas. Quanto mais peso, quanto mais mágoa, quanto maior a dificuldade em sorrir, menos forças teremos para buscar a felicidade que tanto desejamos. Prosseguir sempre implicará deixar para trás o que for inútil, mesmo que doa, de início.

Tentar dar certo, no amor, na amizade, na profissão, é necessário, porém, jamais poderemos nos estender além dos limites de nossa dignidade nesse caminho. Não somos acostumados a perder, em nenhum setor de nossas vidas, pois queremos sempre acertar e fazer as escolhas certas. No entanto, isso não pode, em hipótese alguma, impedir-nos de desistir de coisas, de pessoas, de situações que não mais se sustentam.

Infelizmente, seremos surpreendidos negativamente em muitos momentos de nossa jornada, porque simplesmente nem todo mundo nos entenderá, nem todo mundo pensará como nós, nem todo mundo trará retorno por tudo o que oferecermos. Seremos mal entendidos, nossas palavras serão mal interpretadas, usarão nosso melhor da pior forma. Amargaremos muitas decepções e de quem mais amamos, de quem menos esperávamos.

Logicamente, ficaremos muito magoados e juntaremos raiva e mágoa à decepção, pois, num primeiro momento, perderemos o chão e nada parecerá fazer sentido. Com o tempo, porém, será necessário digerir, aos poucos, as mágoas que carregamos, no sentido de torná-las cada vez mais distantes, menos pesadas, menores, até que se transformem em lições. Sim, lições de tudo o que deveremos evitar e de todos de quem deveremos nos distanciar.

Por essa razão é que não precisamos esquecer o mal que nos fizeram, mas sim retirarmos dele forças para que não mais nos façam o que tanto nos magoou, para que não mais sejamos enganados, passados para trás, traídos, diminuídos, nunca mais. Juntar mágoa paralisa e enfraquece, mas transformar cada experiência em fortalecimento emocional é o que nos tornará mais aptos a enxergar em cada novo dia uma nova chance de ser feliz.

Por Marcel Camargo – Obvius